Mapa de visitantes

segunda-feira, 9 de julho de 2012

COCO: FRUTOS DA AMAZÔNIA

COCO: FRUTOS DA AMAZÔNIA

Um balneário e seus coqueiros

COCO: FRUTOS DA AMAZONIA

O fruto coco vem da palmeira coqueiro. O coqueiro não é uma árvore nativa da Amazônia, mas o paraense já não sabe mais viver sem o coqueiro e seu fruto, o coco. O coqueiro nos conduz ao ditado popular de “sombra e água fresca”, por que realmente o coqueiro, nas praias, sítios, fazendas e balneários, nos proporciona uma sombra gostosa para amenizar o grande calor amazônico e o fruto coco, além de sua massa de mil utilidades, nos proporciona a “água de coco” que nos ambientes quentes, como praias, balneários ou cidade, suaviza a grande sede que o calor amazônico provoca em todas as situações. Pelas ruas das cidades existe uma infinidade de bancas para a venda da água de coco, extraída de cocos ainda verdes, quando a água de coco se mostra mais adequada para mitigar a nossa sede, após as caminhadas ou atividades do dia-a-dia. Para quem não sabe, a água de coco é um excelente componente para se misturar à bebida alcóolica conhecida como wisk. E a massa ainda tenra do fruto coco é uma excelente iguaria para ser usada como componente de lanches pelas cidades. Após maduro, a massa do coco é usada no preparo de bolos e uma infinidade de doces de todos os tipos, a começar pela cocada paraense, que pode ser encontrada pelas feiras e vendas das cidades, especialmente na Capital, Belém do Pará.

Agora nas férias de julho a água de coco vai ser consumida aos milhares de unidades nos inumeráveis balneários e praias do Estado do Pará.

A palmeira coqueiro praticamente é encontrada em todo o mundo, e no Brasil ,em todos os estados, e serve como fonte alimentar e econômico para muitas famílias. Em Abaetetuba existem muitos coqueiros espalhados pelas colônias, estradas e ramais do município, gerando trabalho e renda para muitas pessoas.

O coqueiro possui várias variedades, e entre estas, estão as variedades de coqueiros gigantes (são várias variedades) e os coqueiros anões, e estes, também em várias variedades. Os coqueiros da variedade dos gigantes, cresce até a altura de 25 a 30 metros, variando o tronco para fino e grosso, sendo estes os mais encontrados nos balneários e praias do Estado do Pará. O coqueiro anão é o plantando nas fazendas e terrenos para gerar trabalho e rendas para os que se dedicam a essa cultura. Ele é anão porque cresce menos que o gigante, podendo seus frutos ser colhidos sem subir às árvores e ainda floresce mais rápido e é mais produtivo que o gigante.

De modo geral, tudo se aproveita do coqueiro: tronco, folhas, fruto e óleo. Só do fruto se extrai: óleo, leite, água de coco, coco ralado para os doces e outras aplicações, sabão e cosméticos de coco e até álcool. Do tronco do coqueiro se extrai fibras e da casca do coco também se extrai fibras para várias aplicações no artesanato paraense e, agora, na indústria automobilística brasileira, como alcochoados dos bancos de veículos, que são de maior duração e resistência que os outros materiais. 

O coqueiro tem uma característica que é gostar muito de sol e chuva e, por isso, é mais encontrado nos países tropicais e, especialmente, nos descampados das áreas litorâneas dos países. Inclusive o coqueiro é a árvore símbolo do clima tropical e praieiro, basta observar os cartões postais de cidades praieiras e litorâneas e lá se vê o coqueiro fazendo parte do marketing dessas propagandas, junto ao sol e também como símbolo do ditado “sombra e água fresca” para os que querem descansar das lidas diária das cidades.

De acordo com as variedades do coqueiro anão, podemos encontrar coco verde e coco amarelo. Mas é a água do coco verde que é a mais utilizada na venda de água de coco nas praias e barracas espalhadas pelas cidades, praias e balneários, por que é mais eficiente na mitigação da sede e na hidratação do organismo.
Então, boas férias para todos nós, e muito sol ou muita “sombra e água fresca” sob os pés dos nossos coqueiros.

Blog do Ademir Rocha, de Abaetetuba/Pa

Nenhum comentário:

Postar um comentário