Mapa de visitantes

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

HISTÓRIA-MEMÓRIA: TEXTO ESCOLAR

HISTÓRIA-MEMÓRIA: TEXTO ESCOLAR
Fonte: www.jornaldosudoeste.com.br

Publicada em 23/12/2012 às 11:56:00

ESCOLA
História e Memória uma relação na união entre tempo e espaço
Alunos da Escola Municipal Campos do Amaral aprendem sobre Memória Coletiva e suas relações com a História
Roberto Nogueira
SAO SEBASTIAO DO PARAISO



A memória coletiva, termo criado por Maurice Halbwachs, é partilhada, transmitida e também construída pelo grupo ou sociedade. Ela se distingue da memória individual. 

A questão da memória surgiu durante a organização do Museu da Turma – uma atividade que abriu espaço para várias situações importantes relacionadas ao tema em estudo – História. Uma dessas questões foi a preservação da memória.

A preservação da memória representou, durante grande parte da história do mundo ocidental, um esforço coletivo. Dos escribas aos copistas, dos pintores aos primeiros fotógrafos, o esforço social de perenização de algumas memórias foi sempre evidente. Os museus demonstram como as sociedades, sobretudo as ocidentais, organizaram-se para transformar o que entendem como valioso em monumentos de memória coletiva.

Com a tecnologia vieram novos desafios. O registro da memória deixou de ser um esforço. Qualquer jovem registra, com seu celular, de maneira quase frenética, o show a que foi. A preservação deixou de ser um esforço. No entanto, como destacar as memórias significativas que deveriam se tornar patrimônio? Como garantir que aquele pequeno ato seletivo que praticamos todos os dias com nossas memórias pessoais seja exercido, também, para a construção e a valorização de um acervo que se torne valioso para a sociedade?

No caso da sociedade atual, a capacidade de registrar todo e qualquer evento certamente vai transformar nosso jeito de lidar com o passado e o presente. O grande desafio dos museus, das empresas e dos indivíduos é reaprender a “esquecer” para que possamos efetivamente “lembrar” daquilo que realmente possui significado. Mas, como transformar as histórias em conhecimento?

Acervos de memória, museus, centros de documentação, bases de dados e narrativas só se tornarão conhecimento se forem selecionados, preservados e apropriados por seus públicos. Só existem se tiverem um sentido compartilhado.

Então, eis que surge a campanha Memória é Vida.

A campanha “Memória é Vida” tem como objetivo mobilizar as pessoas para que colaborem, com uma pequena história e foto de um momento significativo em suas vidas, para a construção de uma memória coletiva que apresente parte de nossa sociedade contemporânea.

O livro símbolo “Minha Vida, Minha História”, confeccionado pelos alunos, recolhe as histórias e fotos. O livro está sendo levado para as casas dos alunos e exposto no hall de entrada da escola. Em seguida, será feita uma seleção que servirá de base para a construção da memória da escola. As fotos e histórias enviadas serão arquivadas, formando um livro colaborativo em forma de baú, de maneira que reúna momentos significativos das pessoas e ficará disponível para os anos posteriores também.

O projeto “Minha Vida, Minha História!”, desenvolvido pela professora Elenir Aparecida de Oliveira Novaes, está ganhando espaços cada vez maiores, envolvendo mais e mais pessoas, contribuindo para uma rica aprendizagem.

É o resultado de um trabalho que teve a contribuição de toda a equipe da escola, mormente de Elainy Cristina dos Santos Lisboa e Marilurdes Cristina de Oliveira Barbosa.

Certamente, as atividades desenvolvidas possibilitaram examinar as múltiplas relações entre História e Memória, pois se constituiu entre tempo, espaço e homem.

O que fica é uma grande vontade de prosseguir com o trabalho. Os alunos disputam o livro símbolo do projeto a cada dia. Na escola, há o envolvimento de todos e a certeza de que o trabalho em forma de projeto é muito gratificante.

O texto abaixo um trecho da história de uma aluna do 1º Ano da Educação de Jovens e Adultos – EJA, modalidade de ensino do período noturno da E. M. Campos do Amaral.

Um exemplo de vida que merece ficar na história.

Reproduzido pelo Blog do Ademir Rocha

Reflexões Sobre o Natal - Textos

Reflexões Sobre o Natal - Textos
Fonte: www.focolares.org
O Nosso Natal!

8 Dezembro 2012

Na proximidade do Natal, propomos aos leitores um artigo de Igino Giordani publicado no jornal “Il Quotidiano” dia 24 de dezembro de 1944. Dar hospitalidade a Cristo que renasce em cada coração.
Para os antigos Cristo queria dizer rei. Mas Cristo foi um rei fora dos esquemas aceitos, que nasceu na estrebaria de uma família de lavradores, entre animais e pastores. Aonde outros soberanos vinham de cima, descendo dos tronos para dominar, ele veio de baixo, do último patamar, para servir: abaixo de todos para ser o servo universal. E fez com que a sua realeza consistisse nesse serviço.
Tudo é simples e encantador, como um idílio, nesse nascimento de um menino no coração da noite – no coração da noite dos tempos -; um menino enviado para salvar. Porque o mundo precisava ser salvo. Estava carregado de maldade, como que entremeado por uma doença, uma febre na qual a humanidade se desfazia. E Jesus trouxe a saúde e recuperou a vida; debelou a morte.
Quando apareceu o Salvador uma grande luz clareou a noite. A noite continua, mas continua também a luz, e no cristianismo é sempre Natal. Não se cede à morte, recomeça-se sempre. E até mesmo hoje, entre lágrimas, o Natal traz alegria. Deus desceu entre nós, e nós subimos a Deus. Ele se humaniza e nós nos divinizamos. O ponto de encontro é o Seu coração.
Do seu nascimento nasceu um povo novo. Como o anjo anunciou aos pastores assustados: “Não temais, eis que vos anuncio uma grande alegria, que será para todo o povo”. Alegria para todo o povo, ninguém é excluído, de nenhuma classe ou raça ou língua ou cor; porque lá onde existem descriminações incide a morte.
A Igreja existe por Cristo. Para que Cristo, assim como nasceu uma noite em Belém, renasça todo dia para cada um; e pede que não o rejeitemos, mas demos a Ele a hospitalidade do coração: ainda que seja esquálido como uma estrebaria, Ele se encarregará que transformá-lo num templo repleto de anjos.

Cada dia pode ser Natal

Reproduzido pelo Blog do Ademir Rocha

23 Dezembro 2012

Chiara Lubich

É Natal!
O Verbo se fez homem e acendeu o amor na Terra.
É Natal!
E gostaríamos que nunca acabasse.
Ensina-nos, Senhor, como perpetuar a Tua presença espiritual entre os homens.
É Natal!
Que o Teu amor aceso na Terra arda nos nossos corações e nos amemos como Tu queres!
Então, estarás presente entre nós.
E cada dia, se nos amarmos, pode ser Natal.

Chiara Lubich

Da E volta o Natal, Cidade Nova Editora 1998, pág. 78/79

Reproduzido pelo Blog do Ademir Rocha
 
O que significa o Natal para você?
25 Dicembre 1973

Em um artigo do dia 25 de dezembro de 1973, publicado na edição italiana da revista Cidade Nova, o jornalista Spartaco Lucarini pergunta a catorze personagens dos mais variados ambientes: O que significa o Natal para você? Eis a resposta de Chiara Lubich:
O Natal - festa do nascimento de Jesus - é, para mim, a resposta de Deus e da Igreja a uma necessidade do coração: ouvir repetir todos os anos, mediante a recordação daquele acontecimento suavíssimo, simples e abissal, que Deus me ama.
Sim, se posso realizar na minha existência as aspirações mais profundas é somente porque Deus olhou também para mim, como para todos, e fez-se homem para me dar as leis da vida que, como luz no caminho, me fazem prosseguir com segurança em direção ao destino comum.
Mas o Natal, para mim, não é só uma festividade, embora cheia de significado. É um estímulo a trabalhar para pôr de novo na sociedade em que vivo a presença de Cristo, que está onde estiverem dois ou mais reunidos no Seu nome: quase Natal espiritual todos os dias, nas casas, nas fábricas, nas escolas, nas repartições públicas...
Este dia natalício, além disso, abre-me o coração sobre toda a humanidade. O seu calor ultrapassa o mundo cristão e parece penetrar em cada ângulo da terra, sinal de que aquele Menino veio para todos. De fato, é este o seu programa: que todos sejam um.
E depois, em cada Natal pergunto-me: quantos Natais terei ainda na vida? Esta interrogação, que não tem resposta, ajuda-me a viver cada ano come se fosse o último, numa espera mais consciente do meu dia de Natal: o "dies natalis", isto é, o dia que assinalará para mim o início da vida que não tem fim.

Chiara Lubich

Reproduzido pelo Blog do Ademir Rocha

Espiritualidade da Unidade: Um Natal Perene Para Todos
Fonte: http://www.centrochiaralubich.org

Dezembro de 1955
Caríssimos,
Impelidos por diversas circunstâncias, tivemos a ideia de viver todo mês uma Palavra de Vida.
Pareceu-nos que esta prática, que desejamos que seja o mais regular possível e gostaríamos que empenhasse seriamente a nossa vontade, é sugerida também pela próxima festividade que todos os cristãos aguardam com alegria: o Natal.
Nesta festa tão importante, queremos confirmar a nossa fidelidade a Deus, oferecendo algo concreto. E nada nos parece mais do seu agrado do que lhe oferecer a nossa alma de modo totalitário, para que Ele imprima nela a Sua imagem e a Sua fisionomia, para que imprima nela a Sua vida. Jesus, como demonstra o Evangelho, tem um modo de raciocinar, de amar, de querer especificamente Seu, único, e tão superior ao nosso modo de viver, também nosso, como cristãos, que em todos os tempos Ele deixará que se extraia do Evangelho "algo" que servirá para a humanidade daquela época, e de século em século esse "algo" vai parecer tão novo e revolucionário que teremos a impressão de que antes quase foi ignorado.
Queremos adotar este modo de viver de Jesus.
E nada parece mais oportuno para atingir o objetivo do que, de vez em quando, enxaguar a nossa alma no Evangelho.
A consequência é que cada vez mais vamos nos parecer com Jesus. E qual é o modo mais esplêndido e concreto para festejar o Natal do que fazê-lo renascer em nós, em benefício da humanidade?
Será um Natal perene o ano todo e além.
Estamos certos de que Deus vai ficar contente com o nosso esforço e ficamos felizes em pensar que em meio a tantas trevas, que obscurece o mundo, em meio a tanta confusão e alucinação, produzida por falsas ideologias que enganam os homens e ameaçam triturar inclusive porções do Corpo Místico, nada poderá ser mais eficaz do que levar a luz evangélica viva em nós e ao nosso redor.
Se Deus falou em Jesus, devemos ter fé de que aquelas Palavras contêm o fogo por Ele mencionado e o explosivo divino para vencer o mundo. [...]

transcrição

Sex, 23 de Dezembro de 2011 10:14

Reproduzido pelo Blog do Prof. Ademir Rocha

Mensagem de Natal do Papa Francisco

FELIZ NATAL
O Natal costuma ser sempre uma ruidosa festa; entretanto se faz necessário o silêncio, para que se consiga ouvir a voz do Amor.
Natal é você, quando se dispõe, todos os dias, a renascer e deixar que Deus penetre em sua alma.
O pinheiro de Natal é você, quando com sua força, resiste aos ventos e dificuldades da vida.
Você é a decoração de Natal, quando suas virtudes são cores que enfeitam sua vida.
Você é o sino de Natal, quando chama, congrega, reúne.
A luz de Natal é você quando com uma vida de bondade, paciência, alegria e generosidade consegue ser luz a iluminar o caminho dos outros.
Você é o anjo do Natal quando consegue entoar e cantar sua mensagem de paz, justiça e de amor.
A estrela-guia do Natal é você, quando consegue levar alguém, ao encontro do Senhor.
Você será os Reis Magos quando conseguir dar, de presente, o melhor de si, indistintamente a todos.
A música de Natal é você, quando consegue também sua harmonia interior.
O presente de Natal é você, quando consegue comportar-se como verdadeiro amigo e irmão de qualquer ser humano.
O cartão de Natal é você, quando a bondade está escrita no gesto de amor, de suas mãos.
Você será os “votos de Feliz Natal” quando perdoar, restabelecendo de novo, a paz, mesmo a custo de seu próprio sacrifício.
A ceia de Natal é você, quando sacia de pão e esperança, qualquer carente ao seu lado.
Você é a noite de Natal quando consciente, humilde, longe de ruídos e de grandes celebrações, em silêncio recebe o Salvador do Mundo.
Um muito Feliz Natal a todos que procuram assemelhar-se com esse Natal.

Papa Francisco

ESTE ARTIGO DE OPINIÃO SAIU NO JORNAL QUOTIDIANO DE PONTA DELGADA, DIÁRIO DOS AÇORES, NO PASSADO DIA 2006.12.24

“As vitrines das lojas estão decoradas para a festa, com bolas douradas, pequenas árvores de Natal, lindos presentes. À noite, as ruas brilham com estrelas cadentes ou cometas. As árvores, nas calçadas, têm os ramos cobertos de luzinhas vermelhas, azuis ou brancas, criando nas ruas uma atmosfera mágica... Percebe-se a expectativa. Todos estão envolvidos...
Natal não é apenas uma recordação tradicional: o nascimento daquele menino há 200[6] anos... Natal é algo vivo! E não só nas igrejas, com os seus presépios, mas também entre as pessoas, devido ao clima de alegria, de amizade, de bondade que todo ano ele cria. Mesmo assim, ainda hoje, o mundo é assolado por enormes problemas: a pobreza e a fome, (...) dezenas de guerras, o terrorismo, o ódio entre etnias, mas também entre grupos e entre pessoas…
É necessário o Amor. É preciso que Jesus volte com potência. O Menino Jesus é sempre a imensa dádiva do Pai à humanidade, embora nem todos o reconheçam. Devemos oferecer também por eles o nosso agradecimento ao Pai. Temos que festejar o Natal e renovar a nossa fé no pequeno Menino-Deus que veio para nos salvar, para criar uma nova família de irmãos unidos pelo amor; uma família que se estende sobre toda a Terra. Olhemos ao nosso redor...
Que este amor seja dirigido a todos, mas, de modo especial, a quem sofre, aos mais necessitados, aos que estão sós, aos que são excluídos, aos pequenos e aos doentes... Que a comunhão com eles, de afeto e de bens, faça resplandecer uma família de verdadeiros irmãos que festejam juntos o Natal e que vai mais além.
Quem poderá resistir à potência do amor? À luz do Natal, façamos alguma coisa, suscitemos acções concretas. Serão remédios para os males. Eles podem parecer pequenos, mas se forem utilizados em vasta escala, poderão ser uma luz e uma solução para os graves problemas do mundo.”
Chiara Lubich, fundadora do Movimento dos Focolares


É Natal! Aleluia já nasceu o Prometido! Esta mensagem de Natal, de uma das personalidades mais carismáticas no seio dos movimentos da Igreja Católica e que tem envidado todos esforços pelo diálogo inter-religioso, Chiara Lubich, é bem clara no intento de se olhar o Natal com olhos menos pagãos e mais cristão.

“O NASCIMENTO DE CRISTO” conta a extraordinária história de duas pessoas comuns, Maria e José, um amor profundo, uma milagrosa gravidez, uma árdua viagem e a revelação do nascimento de Jesus. O Rei Herodes reina com mão de ferro a cidade de Nazaré. É um tempo de luta e sofrimento; as taxas a pagar são elevadas, a pobreza predomina. Homens honrados são forçados a fazer coisas impensáveis para manter e assegurar a sobrevivência das suas famílias. Para assegurar a estabilidade da sua família, o pai de Maria, Joaquim decide casar a sua filha com um homem de honra com grandes qualidades, José. Honrando o seu pai, Maria aceita com agrado a sua decisão, sem saber que este destino a tornaria numa das mais importantes mulheres da história. A sua história é simples, mas representa o início da maior história alguma vez contada.

Concluindo: o Natal tem que ser mais vivido.
Primeiro dentro de nós.
E só depois para aqueles que mais necessitam.
Um Santo Natal!

Reproduzido pelo Blog do Ademir Rocha

sábado, 22 de dezembro de 2012

Memórias 10 do Futebol de Abaetetuba

MEMÓRIAS 10 DO FUTEBOL DE ABAETETUBA

 Sociedade Esportiva Palmeiras



Tietê






Abaeté Futebol Clube



Venus Atlético Club




Blog do Ademir Rocha

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Escola Bernardino - Escolas de Abaetetuba/PA

ESCOLAS DE ABAETETUBA: ESCOLA BERNARDINO PEREIRA DE BARROS

Segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

ESCOLA BERNARDINO É A GRANDE CAMPEÃ NACIONAL

Na sexta-feira, 07 de dezembro de 2012, a Escola Bernardino sagrou-se campeã nacional do prêmio Miniempresa SEBRAE realizado em Brasília. Com o projeto Crioarte S.A/E, os alunos do ensino modular (SOME) residentes nas ilhas de Abaetetuba mostraram toda sua potencialidade, superação e garra para vencer outras 19 miniempresas de diversos estados do Brasil.

     Crioarte S.A/E
" Fazendo arte com a natureza"
                                                                      
O miniempresa é uma realização da Júnior Achievement Pará, em parceria com o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE/Pa), Fiepa e grupo Y.Yamada. Leia mais>>
E.E.E.F.M PROFº BERNARDINO PEREIRA DE BARROS
VISITANTES         
50272

SEGUNDA-FEIRA, 10 DE DEZEMBRO DE 2012

PRÊMIO MINIEMPRESA SEBRAE

A miniempresa vencedora formada por alunos que moram nas ilhas ( Ajuaí, Sapucajuba e Urubueua Fátima) utilizou o miriti como matéria-prima na produção de artesanato uma vez que é altamente sustentável, e de fácil aceitação no mercado. A Diretoria da Miniempresa esteve em Brasília de 05 a 07 de dezembro participando da Feira de Miniempresa na Sede do Sebrae Nacional onde fizeram a exposição do produto demonstrando todo o processo produtivo do mesmo.

O projeto desenvolvido pela Júnior Achievement sob o slogan Empreendedorismo para Transformar, proporciona a estudantes do ensino médio a oportunidade de administrar uma empresa e conhecer, de forma prática, peculiaridades da economia e do mundo dos negócios. Para isso, os estudantes aprendem conceitos sobre livre iniciativa, mercado, comercialização e produção. Cada miniempresa recebe de 25 a 35 alunos, que, por meio do método Aprender-Fazendo, criam produtos, marcas e vivenciam a gestão de uma empresa.  A Associação Comercial de Abaetetuba (ACA) é uma das mantenedoras da Associação Júnior Achievement do Pará e em parceria com empresários locais, as entidades investem no programa e levam às escolas da região experiências e um pouco mais de conhecimento.

 Brinquedos de miriti, que serviu de base
para o projeto da Miniempresa
Alunos do CRIOARTE da Escola Bernardino-SOME
 Alunos do Crioarte recebendo a premiação
 Estandes do CRIOARTE
 Alunos do CRIOARTE da Escola Bernardino-SOME
comemorando o 1º lugar


Mais detalhes sobre o Prêmio Miniempresa, dos alunos-empresários da Escola Bernardino-SOME, do Programa Junior Achievement em parceria com o SEBRAE:

Fonte: feiradoempreendedordopa.com.br/sebrae

SEBRAE no Pará homenageia jovens empresários de Abaetetuba


Os jovens empresários John Mariel do Amorim, Raiane Cardoso, Jarlene Gonçalves, Suellen Pinheiro e Elton Gonçalves, do programa Junior Achievement - a maior e mais antiga organização de educação prática em negócios, economia e empreendedorismo do mundo-, foram homenageados na tarde desta quarta-feira, 13, pela diretoria do Sebrae no Pará.

Eles conquistaram o prêmio ‘Miniempresa’, no último dia 07 de dezembro, na sede do Sebrae, em Brasília, por terem se destacado na gestão e produção de artesanatos de miriti, típicos da Região onde moram, em Abaetetuba, nordeste paraense. Entre os mais de 200 concorrentes de todo o Brasil, os jovens ficaram em primeiro lugar.

Os cinco criaram a miniempresa Crioarte S.A, voltada para produção de artesanatos de miriti, como barcos, aviões, porta-retratos, entre outros produtos.

O Programa Miniempresa proporciona a estudantes do 2º ano do Ensino Médio a experiência prática em economia e negócios, na organização e na operação de uma empresa.

Para a diretora técnica do Sebrae no Pará, Suleima Pegado, o futuro é agora e o Sebrae investe neste futuro!”.

A primeira-dama Ana Jatene parabenizou os jovens e falou da responsabilidade que eles têm daqui para frente. “Vocês sabem a importância que possuem, então, invistam neste momento, desejo sucesso à todos”.
A gerente regional no Pará da Junior Achievement, Ocirema Figueiredo, destacou que a idéia deste programa é transformador. “É um desafio para os alunos que passam a ter autoestima e acreditar no futuro”.
A jovem empresária Suellen Pinheiro da Silva, de 18 anos, falou com emoção sobre a experiência. “Agradeço ao Sebrae, a Junior Achievement, aos professores e amigos que nos apoiaram, e sobretudo, a minha família. O aprendizado é para toda a vida”.

Reproduzido pelo Blog do Ademir Rocha

sábado, 1 de dezembro de 2012

ARRAIAL DE CONCEIÇÃO 2012: COR, ALEGRIA E VIDA

O COLORIDO DO ARRAIAL DE CONCEIÇÃO 2012
A Igreja Catedral e a Barraca da Santa ao
lado da Igreja são fortes símbolos da Festa
de Nossa Senhora da Conceição.
A imponente samaumeira agora faz parte
da paisagem do Arraial de Conceição

O ARRAIAL DE CONCEIÇÃO

O Arraial dos Santos Católicos existem há muitos anos em Abaetetuba. Essa manifestação cultural das Festas de Santos já faziam parte das festas de santos que se realizavam na antiga Praça da República, que também foi chamada Praça da Constituição, Praça do Divino, Praça da Bandeira, que atualmente possui o nome oficial de Francisco de Azevedo Monteiro, o fundador do Povoado de Nossa Senhora da Conceição de Abaeté e que é mais conhecida como Praça da Bandeira. Nessa antiga praça, no tempo da Igreja do Divino Espírito Santo, eram realizadas todas as festas de santos da cidade até o ano de 1937 quando a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição começou a receber as festas religiosas da cidade de Abaeté. Na antiga Praça do Divino (assim também chamada devido a Igreja do Divino ficar localizada em frente à Praça da Bandeira) eram realizadas as festas dos seguintes santos: São Raimundo Nonato, Divino Espírito Santo, Nossa Senhora da Conceição (devido a realização das Festas de Nossa Senhora da Conceição na Praça do Divino, esta também era chamada de Praça da Conceição) e outros santos populares da Igreja Católica.

Sabemos que as antigas Festas de Santos de Abaeté eram realizadas por populares ou confrarias e irmandades que se formavam ao redor do Santo de devoção para a realização das orações para o mesmo santo e, junto com as orações, essas festas também eram ocasiões para as manifestações culturais desses antigos tempos. Desse modo, as mais antigas e importantes Festas de Santos de Abaeté já possuíam os seus ARRAIAIS, que se formavam na Praça do Divino, iluminada por lampiões. Claro que as motivações dos Arraiais de Santos eram em sua maioria manifestações dos costumes da época  e que, portanto, continham grande parte das manifestações culturais antigas e parte desses costumes ainda permanecem nas Festas de Santos atuais.

E a Festa de Nossa Senhora da Conceição não podia fugir a essa regra e também, desde os seus primeiros tempos de festejos na Praça do Divino, passou a possuir também o seu ARRAIAL DA CONCEIÇÃO. É claro que os Arraiais de Santos de Abaeté foram enormemente influenciados pelo Arraial de Nazaré, de Belém do Pará, arraial que surgiu oficialmente a partir de 1793, através da feira promovida pelo governador Francisco de Souza Coutinho nesse mesmo ano.

Como o Antigo Arraial de Nazaré, de Belém, foi sofrendo modificações no decorrer dos anos, o mesmo aconteceu com Arraial de Conceição, em Abaeté, que foi sofrendo várias modificações através dos anos. Antes era realizado em terreno de chão de terra batido, varrido e limpo ou capinado, da Praça do Divino e com a presença de música, teatro, mastro do santo e também a presença dos primeiros vendedores desses arraiais, na forma de produtos como doces secos, pastéis, caldo de cana e outras iguarias da época, como também de bebidas alcóolicas na forma de goles de pingas ou licores da época.
 
Os Arraiais de Santos mudavam conforme as mudanças nas antigas Festas de Santos. E o Arraial de Conceição não fugiu a essa regra. As primeiras mudanças aconteceram quando os padres começaram a tomar a rédea dessas festas religiosas. A Festa de Nossa Senhora da Conceição de Abaetetuba começou a sofrer mudanças através dos Frades Franciscanos (Padres Capuchinhos) de 1937 em diante, quando foram esses padres que começaram a organizar as festas, e não mais somente os leigos ou o povo. A presença dos brinquedos, das barquinhas, dos carrosséis, jogos de pescarias e tiros e iguarias mais aperfeiçoadas começaram a aparecer a partir do Arraial da Conceição, onde começaram a surgir as primeiras barraquinhas e enfeites mais aprimorados dos Arraiais de Santos. Mas o Arraial de Conceição, no seu início na nova Praça de Conceição, ainda apresentava o mastro do Santo e apresentações de teatros. Depois é que esses antigos costumes foram retirados dessas festas, isso ainda no tempo dos Padres Capuchinhos. Com a energia elétrica a afluência do povo aos atos religiosos e aos arraiais foram aumentando a cada ano e nas décadas de 1950, 1960 e 1970 essas festas mexiam com toda a população do município, incluindo suas zonas: Ilhas, Colônias Agrícolas e Cidade e os arraiais foram se modificando e recebendo mais elementos, especialmente em relação aos brinquedos e vendedores de todos os tipos de produtos, incluindo iguarias, brinquedos, bijuterias e outros produtos. A cidade se embelezava e recebia os devotos, quando as casas dos habitantes da cidade abriam suas portas para receber parentes, amigos e os provenientes das Estradas e Ilhas de Abaetetuba em uma enorme festa de confraternização.

As famílias se faziam presentes com todos os seus membros, incluindo avós, pais, filhos e netos e todos se divertiam à vontade, especialmente as crianças com os muitos brinquedos, iguarias e diversões nos parques dos brinquedos. Os mais requisitados brinquedos do parque eram as barquinhas e os carrosséis. Os adultos se divertiam nas barracas de jogos, de tiros, de pescarias e de bebidas e iguarias.

Os dois coretos eram os pontos onde aconteciam as apresentações musicais das bandas e ao seu redor ficavam as pessoas sentadas nos bancos e mesmo em pé, apreciando os dobrados, sambas, mambos e outros ritmos musicais de nossas tradicionais bandas Carlos Gomes e Virgem da Conceição.

Acrescente-se que o povo ía para os passeios e diversões no arraial somente após as funções religiosas. Uma das maiores mudanças ocorridas no Arraial de Conceição foi a proibição da venda de bebidas alcóolicas das Festas de Santos de Abaetetuba, mudança ocorrida através dos Padres Xaverianos que vieram para Abaetetuba em substituição aos Padres Capuchinhos.

Como o objetivo desta postagem é falar e mostrar o Arraial de Conceição, que é a parte cultural da Festa de Nossa Senhora da Conceição, faremos uma paralelo entre os antigos arraiais e o atual, acrescentando que os brinquedos do Arraial de Conceição de 2012 são bem simples em comparação aos que já existiram em anos passados, quando as rodas gigantes e outros gigantescos brinquedos do parque faziam parte desse arraial. Como parte integrante do Arraial de Conceição existem as barracas e vendas ao derredor do arraial, fora dos limites da Praça de Conceição, onde existem os jogos, pescarias, estandes de tiros e barracas para a venda de lanches e bebidas alcóolicas, pois já estão montadas nas ruas ao redor da praça, como se pode observar nas imagens.

O QUE EXISTIA NO ANTIGO ARRAIAL OU LARGO DE N. S. DA CONCEIÇÃO?

O que o povo chamava de arraial ou largo para os festejos de santos em Abaeté possuía os seguintes elementos:

O mastro levantado na praça, devidamente enfeitado com muitos motivos religiosos ou não. Atualmente o mastro não mais existe.

Os bancos para o povo sentar e descansar dos passeios no arraial, que existem até os dias atuais.

O arco devidamente enfeitado c/motivos religiosos ou a imagem dos santos festejados, p/baixo dos quais a procissão obrigatoriamente tinha que passar. Esse costume existe até os dias de hoje.

As bandeirinhas e outros enfeites na praça do festejo ou as ruas p/onde passava a procissão.

As vendas de comida, bebida, doces, salgadinhos e comidas típicas. Nos dias atuais muitas dessas vendas foram disciplinadas para vendas em barraquinhas dentro da área da praça ou nas ruas adjacentes à praça dos festejos.

Vendas na Barraca da Santa e Demais Barracas: bebidas e comidas:

Comidas: pastéis, canudinhos, churrascos, galinha c/farofa, arroz, pratos típicos da região como maniçoba, tacacá, queijo, etc.

Os brinquedos que antigamente eram poucos, como cadeiras de balanço, barquinhos, o carrossel de madeira, os brinquedos vendidos nas girândolas como: corró-corró, cataventos, brinquedos de miriti e muitos outros brinquedos que surgiam da criatividade de muitos artesões de Abaeté.

Os jogos como: tiro-ao-alvo com espingardas de ar comprimido, pescarias, jogo das argolas e outras atrações que chamavam a atenção de todos, especialmente das crianças.

Nos coretos da praça, as duas bandas musicais se revezavam nos acordes, coisa que hoje não se vê mais.

Os fogos do meio dia, das dezoito horas e os depois das celebrações religiosas e os fogos de artifício do Dia da Festa de Nossa Senhora da Conceição.

A Iluminação do arraial:A Praça e a Igreja eram iluminadas com os recursos antigos da iluminação pública.

A Música:

Eram as músicas das bandas nos coretos da praça, a música da Barraca da Santa e a música das inúmeras barracas.

IMAGENS DO ARRAIAL DE CONCEIÇÃO, ANO 2012:

Quem se dirigir ao Arraial de Conceição de 2012 vai encontrar um local altamente colorido. O colorido deste ano se deve a uma mudança na organização do Arraial em relação às barraquinhas e brinquedos do parque. Antes as barraquinhas eram feitas em madeira-de-lei e com acabamento rústico e onde eram comercializados variados produtos do Arraial. Como aconteceu um reordenamento dessas barracas, essas passaram a adotar um mesmo tipo de barraca, cada qual com uma cor diferente. Os brinquedos, para chamar mais atenção das crianças, deve ser colorido também. E as pinturas da Igreja Catedral, da Barraca da Santa, da Casa Paroquial, da Barraca da Paróquia e outros espaços, inclusive os calçamentos, receberam também pinturas em cores vibrantes, daí o fato do Arraial de Conceição, edição 2012, apresentar todo esse colorido das imagens abaixo.

Coreto, bancos e brinquedos coloridos e a árvore
de cor verde oferecendo o contraste para as demais
cores da foto
Carrossel de patinhos colorido e as casas comerciais
do derredor do Arraial coloridos
Igreja Catedral e brinquedos coloridos visto do
outro lado da Praça e os mototaxistas com
uniformes coloridos
Os fundos do Arraial de Conceição para a Rua
Barão do Rio Branco com suas barracas, vendas e
brinquedos coloridos e o movimento da referida
rua
Um portal para a entrada no Arraial de Conceição
pelo lado esquerdo da Igreja Catedral de Nossa
Senhora da Conceição
Uma tenda colorida cobrindo aparelhos de sons
e ao lado de uma uma grande samaumeira que se
encarrega de fornecer sombra a todos
Bancos, brinquedos e prédios coloridos
Carrossel de carrinhos coloridos
O belo coreto colorido da Praça da Conceição e
na sua frente os bancos coloridos
Na foto acima a Barraca da Paróquia devidamente
pintada em colorido vibrante e abaixo outro carrossel
colorido de carrinhos
O pula-pula e o outro coreto da Praça da Conceição
coloridos
Barraquinhas padronizadas coloridas para vendas
diversas e a calçada pintada com faixas coloridas
Prédios ao redor do Arraial, árvore, bancos e a
Barraca da Paróquia
Aqui é o pequeno palco para as celebrações
religiosas e apresentações artísticas ao ar livre
A Casa Paroquial e seus anexos devidamente
pintados para a Festa de Conceição e as árvores
que fornecem sombra, em bela harmonia de
cores
Gramado e árvores e ao fundo as barraquinhas
padronizadas e coloridas
A Barraca da Paróquia, motos e calçada em
cores vibrantes
Chão de areia, bancos, coreto e barracas coloridas
em contraste com o verde das árvores

ARRAIAL DE CONCEIÇÃO: COR, BRILHO, LUZ E VIDA:

O Arco do Círio de N. S. da Conceição, tradicional símbolo
do Círio e Festa de Conceição
Os vendedores variados fazem a festa durante os 15 dias do
Arraial de Conceição
Devotos rezando e fazendo poses em frente à Imagem de
N. S. da Conceição
Brinquedos, coreto e Praça Catedral iluminada e o povo
passeando na Praça
Uma barraca de vendas aluminada
Imagem Original de Nossa S. da Conceição, em sua Berlinda,
recebendo os devotos
Interior da Igreja Catedral lotada de fiéis na cerimônia religiosa.
Ao fundo temos as pinturas da parede e o Cristo Crucificado ao
alto
Enquanto muitos passeiam ou se divertem nos brinquedos e
barracas de vendas, outros aproveitam os bancos do Arraial
de Conceição para conversar
Adultos, jovens e crianças se divertindo nos carrinhos elétricos
Uma barraquinhas de vendas
Uma lanchonete em forma de ônibus no Arraial de Conceição
Apresentações do Círio Cultural no palco do Arraial de
Conceição
Vendedor ambulante no Arraial de Conceição
Crianças se divertindo no carrossel de patinhos
Brinquedos, barracas iluminadas e o povo nos bancos e
nas barracas de vendas
O povo passeando em frente à Igreja Catedral de Nossa
S. da Conceição
Barraquinhas padronizadas de vendas diversas
O  coreto iluminado do Arraial de Conceição e as pessoas
passeando e se divertindo nos brinquedos da Praça Catedral
O Blog do Ademir Rocha, com 126 seguidores e perto de 100 mil
visitas,  começa a desejar a esses seguidores e visitantes um Feliz Natal
e Boas Festas a todos
Blog do Ademir Rocha, de Abaetetuba/Pa