Mapa de visitantes

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Chiquinho Margalho - Música e Músicos de Abaetetuba 2

CHIQUINHO MARGALHO E A BANDA VIRGEM DA CONCEIÇÃO

Francisco de Miranda Margalho/Chiquinho Margalho, n. em 9/2/1906 e f. em 11/6/1967, vítima de um mortal 2º derrame cerebral, funcionário da Prefeitura MunIcipal de Abaeté/Pa, grande e eclético músico de Abaeté/Pa, professor de música, mestre de banda, maestro, compositor musical, dono de conjuntos musicais e conjunto de jazz em Abaeté/Pa.

Funcionário da Prefeitura Municipal de Abaeté/Pa, tendo ocupado o cargo de administrador do Cemitério Municipal N. S. da Conceição.

Residia c/sua família na antiga Rua Nilo Peçanha, hoje R. Getúlio Vargas.

Ele, como a maioria dos músicos de Abaeté/Pa, aprendeu música “de ouvido”, isto, sem estudar, só escutando e vendo os outros tocarem. Era exímio saxofonista, mas tocava outros instrumentos como clarinete, pistão, violão e ainda era compositor e autor musical, tendo composto numerosas músicas, todas devidamente escritas em partituras, que infelizmente se perderam com o triste episódio de s/morte. É que s/esposa Leontina culpava a música p/sua morte, tendo, em ato de desespero, queimado a grande obra musical de s/marido Chiquinho. Só restaram algumas partituras, que se encontram no acervo do Centro Cultural de Abaetetuba.

Aprimorou s/estudos de música com o grande e rígido mestre Raimundo Pauxis/Raymmundo Nonnato da Silva Pauxis, filho de outro grande músico, Hermínio Pauxis/Hermínio Antonio da Silva Pauxis, tendo aprendido a tocar vários instrumentos musicais, mas tendo preferência pelo saxofone, instrumento que tocava na Banda Carlos Gomes, nos s/conjuntos musicais e na Banda Virgem da Conceição.

Participou da Banda Carlos Gomes, no tempo do Mestre Raimundo Pauxis. Se desentendeu com os responsáveis da Banda Carlos Gomes e com o incentivo dos padres capuchinhos, que estavam de relações estremecidas com os dirigentes da Banda Carlos Gomes, funda a Banda Virgem da Conceição, junto com outro grande mestre musical, Agenor Silva e outros músicos. Seu conjunto musical o “Jazz do Margalho” se tornou famoso na região, tocando nos bailes da época.

Chiquinho Margalho c/c Leontina Martins e tiveram filhos: Maria Orlete, Amparo Odília, Raimundo Daniel/Daniel Margalho, Catarina Odélia, Maria Odete/faleceu jovemResidiam na Rua Nilo Peçanha Chrispim Ferreira e Francisco de Miranda Margalho, em 1931.

Na Travessa Padre Pimentel morava o músico Francisco de Miranda Margalho, 1931.

Francisco de Miranda Margalho, c/terreno à Rua Torquato Barros, 1931.

Antonio Luiz Gonçalves Chaves, participou da Banda Musical Carlos Gomes junto c/os músicos Francisco de Miranda Margalho, Edgar dos Reis Borges, Manoel Joaquim da Costa, Raymundo Costa, Esmerino Cardoso, Victor Tavares de Lima.

Documento de 30/4/1948: Recibo de cobrança de imposto, p/sepultura perpétua de Ademar Araujo Rocha, filho de Ademar Lobato Rocha, f. aos 17 anos, às 02: 00 horas, tendo como encarregado do Cemitério Público Francisco de Miranda Margalho, valor pago p/Lourival Leite Lobato, primo de s/esposa Sinhá e amigo e colega de Ademar, na prefeitura.

Participou da Orquestra Brasil, muito famosa na época, tocando em bailes em Abaetetuba e região. Tocava saxofone tenor e alto. Seus companheiros da orquestra Brasil eram: Agenor Ferreira da Silva, no trombone de pista; Celino, no saxofone alto; Fortunato, no pistão; Raimundo Besteira, no 2º pistão; Benones, no clarinete; Nilo Pinheiro, no banjo; Daniel Margalho, no violão elétrico; Maracanã, como cantor; Varlindo dos Santos, como baterista e Sílvio Pimentel, no rabecão.

P/ser muito católico gostava de tocar nas missas, ladainhas, procissões, festividades de santos, na cidade e pelo interior do município. Era devoto de São Miguel de Beja e da Virgem da Conceição. Na Igreja Matriz, acompanhava os cantos religiosos ou as ladainhas cantadas.

Montou conjuntos musicais para tocar nas festas dançantes, bailes, como, exemplo o “Jazz do Margalho”, nos anos de 1950. Uma das formações do Jazz do Margalho era: Pão de Milho, no bongô; Sarapeca, no pandeiro; Chiquinho Margalho, no saxofone; João do Machico, no pistão; Corobo, no trombone; Henrique, na bateria; Cardinal, no clarinete e Cavalinho/Manoel Joaquim Costa, irmão do músico Cardinal, no banjo.

Era o famoso Jazz do Margalho. O jazz era um conjunto musical que tocava músicas balanceadas, próprias para bailes, uma imitação dos jazz americanos.

Ele teve uma íntima relação com as bandas musicais da cidade de Abaetetuba, conforme detalhes abaixo.

Inicialmente, Chiquinho Margalho era componente da famosa Banda Carlos Gomes, comandada p/Raimundo Pauxis/Raymmundo Nonnato da Silva Pauxis. Depois da morte de Raimundo Pauxis em 1948, Chiquinho Margalho assume o comando da Banda Carlos Gomes. Chiquinho Margalho adota a forte disciplina que caracterizava a Banda Carlos Gomes no tempo de Raimundo Pauxis e, por isso, as apresentações da Banda Carlos Gomes continuaram primorosas nas músicas e evoluções de banda.

Posteriormente, Chiquinho Margalho, c/o incentivo dos padres capuchinhos, funda, junto com Agenor Silva e outros músicos, uma nova banda, a Banda Virgem da Conceição, que como o nome diz, reflete o s/lado católico, devoto da Virgem da Conceição e de S. Miguel de Beja e p/ser muito amigo dos padres.

Ele estudou com o Padre Luis Varella e as notas musicais, aprendeu com Raimundo Pauxis.

No tempo dos padres capuchinhos, o Frei Hermes, que era médico, cuidava de sua frágil saúde.


A BANDA VIRGEM DA CONCEIÇÃO


A Banda Virgem da Conceição foi fundada, p/Chiquinho Margalho em 15/9/1949, c/sede provisória na então Rua Nilo Peçanha/hoje Rua Getúlio Vargas, casa de s/sobrinha, Luiza da Gama Margalho, que, inclusive, confeccionou o 1º e pesado fardamento dos músicos da nova banda. Chiquinho Margalho tornou-se, obviamente, o 1º mestre e maestro da nova banda.

Essa banda musical nasceu de um desentendimento dos dirigentes da Banda Carlos Gomes c/os padres capuchinhos. Como Chiquinho Margalho era devoto ardoroso da Virgem da Conceição e de São Miguel de Beja, ele optou p/ficar do lado dos padres, nessa desavença. Como não houve acordo, ele, instigado pelos padres capuchinho da época, saiu da Carlos Gomes e começou a recrutar os bons músicos pelo rico celeiro musical, o interior do município. As razões para as desavenças dos padres capuchinhos eram as mesmas de outras desavenças c/os dirigentes da Banda Carlos Gomes:

Em 1941 aconteceu um 3º atrito dos dirigentes da Banda Carlos Gomes e, p/conseqüência, dos organizadores da festa de São Raimundo Nonato, ainda liderada p/Raimundo Pauxis, c/os dirigentes da Igreja Católica, nos tempos dos Padres Capuchinhos. Os motivos foram os de sempre e com o agravante do inchaço da Confraria de São Raimundo Nonato, onde, muitos desses confrades, diziam os frades, “não possuíam condições morais para participar da confraria”. Ressalte-se que a arregimentação de confrades era feita pelos dirigentes da confraria, que era uma entidade católica independente da Igreja.

Esses frades vieram para ficar em definitivo à frente da Paróquia de Abaeté, e desejavam tomar o controle da paróquia, a começar pela organização dos festejos dos santos populares, que estavam inteiramente nas mãos de cristãos leigos, c/pouca influência dos padres.

Esses fatos se acirraram no tempo do Frei José Maria de Manaus em 1941, Vigário de Abaeté. Os dirigentes da festividade de São Raimundo Nonato se dirigiram a esse frei p/tratar da realização desses festejos, nesse ano. O frei lhes diz que tinha recebido ordens do Frei Paulino Shelere, que era seu superior, para que a festa não fosse realizada naquele ano. Essa notícia foi um choque, não só para os dirigentes da festa, que eram os mesmo dirigentes da Banda Carlos Gomes, como para a comunidade católica local, devido esses festejos terem adquirido tradição, tornando-se a 2ª maior festa, depois da festa da Padroeira, Nossa Senhora da Conceição.

Perguntaram os motivos e o frei lhes disse aqueles motivos já conhecidos: os motivos profanos da festa, a festa fora do controle da igreja, os lucros que nunca chegavam para ajudar nos gastos da Paróquia, a presença de muitos membros indignos na Confraria de São Raimundo Nonato etc.

Os dirigentes da banda tentaram rebater, dizendo que os lucros eram depositados em poupança na Caixa Econômica, para atender eventuais necessidades dos componentes da banda, como doenças, falecimentos com seus funerais e que os membros da banda nada recebiam como pagamento. E que com os saldos das festas também se pagavam as viagens da banda, os padres que participavam dos festejos de São Raimundo e as atividades da Confraria de São Raimundo Nonato. Isso explica o novo nome que o clube recebeu, de Clube Musical e Beneficiente Carlos Gomes.

Mas o frei estava irredutível na decisão. Foi a partir daí que se criou uma grande divisão na Igreja Católica, com dois festejos simultâneos de um mesmo santo, no caso São Raimundo Nonato. Vide livro “Verdades, Atos e Fatos Ainda Não Ditos” da historiadora abaeteense, Maria do Monte Serrat.

Com a chegada dos padres capuchinhos, Chiquinho Margalho, como bom católico que era, devoto da Virgem da Conceição e de São Miguel de Beja, tornou-se amigo desses padres e, a convite dos mesmos, no meio dos atritos desses frades com os dirigentes da Banda Carlos Gomes, passa para o lado dos padres e ajuda na criação de uma nova banda, para tocar nos festejos de santos celebrados na nova Igreja Matriz, a começar da festa de São Raimundo Nonato, que se aproximava.

A nova banda criada por Chiquinho Margalho em 15/9/1949 e recebeu a denominação de “Banda Virgem da Conceição”.

Essa banda foi criada às pressas, onde os músicos foram recrutados, na sua maior parte, pelo interior do município, rico celeiro de bons “músicos de ouvido”. Eram agricultores e pescadores que se sentiram desconfortáveis nas pesadas fardas, sapatos, chapéus, que constituía o fardamento da nova banda. Os ensaios das músicas não foram um problema, mas o fardamento, as marchas e evoluções se tornaram um enorme obstáculo a ser superado. Foi, desse modo, que surgiu a Banda Virgem da Conceição, que passou a ter a preferência dos padres nas festas realizadas na nova Igreja Matriz de Abaeté.

Para complicar ainda mais a situação dos festejos de São Raimundo Nonato, organizado pela Banda Carlos Gomes, Raimundo Pauxis falece em 1948 e esse fato leva os padres, no mesmo ano, a mandar derrubar a Igreja do Divino, pois o grande obstáculo, que era o influente diretor da festa de S. Raimundo e da Banda Carlos Gomes, havia falecido. E com a posse do fervoroso católico e novo prefeito de Abaeté, Joaquim Mendes Contente (1951-1955), este proibiu os ditos festejos que eram realizados na praça pública do Divino.

Esse foi o triste desfecho da festa do “Glorioso São Raimundo Nonato” que teve de ser transferida para o sítio dos Pauxis, no Rio Tauerá de Beja.

Alguns grandes músicos da banda Virgem da Conceição: Agenor Silva, Chiquinho Margalho, Bento de Sousa, Silomário Ferreira Cardoso, Raimundo Xavier, Manivela, Pipira, João Perna, Sinfrônio Quaresma.

Alguns componentes da Banda Virgem da Conceição, contemporâneos de Chiquinho Margalho, fundadores da banda: Silomário Ferreira Cardoso; Raimundo Vicente, Miguel Pontes, este era sapateiro e tocava tarol.

A primeira diretoria da banda era assim constituída: Francisco de Miranda Margalho, presidente; Agenor Ferreira da Silva, vice-presidente; Raimundo da Silva Xavier, secretário; Bento de Sousa, tesoureiro.

No seu 1º derrame cerebral Chiquinho Margalho esqueceu quase tudo sobre sua vida, inclusive a música. Ele chorava, tentando ler as partituras. Mas, aos poucos, foi recuperando a memória.

Músico apaixonado que viveu e morreu pela música. Inicialmente tocou muitos anos na Banda Carlos Gomes, onde se de desentendeu com os dirigentes da banda e, à convite dos padres capuchinhos, que estavam em litígio com a banda Carlos Gomes, fundou a Banda Virgem da Conceição.

Para fundar a Banda Virgem da Conceição recrutou muitos músicos pelo interior do município de Abaeté/Pa, rico celeiro de bons músicos, que eram agricultores e pescadores, alguns analfabetos e outros que mal sabiam ler e escrever, mas que aprenderam música pelo que os músicos chamam de “aprendeu de ouvido”, isto é, aprendiam a tocar ouvindo os sons musicais e, com alguns treinos, acabavam aprendendo a tocar os instrumentos musicais.

Chiquinho Margalho casou com Leontina Martins Margalho e tiveram os seguintes filhos, 3ª G/Netos/N: Maria Orlete, Amparo Odília, Raimundo Daniel/Daniel Margalho, Catarina Odélia, Maria Odete/faleceu jovem).

Residia com sua família na antiga Rua Nilo Peçanha. Participou da Banda Carlos Gomes, no tempo do Mestre Raimundo Pauxis. Se desentendeu com os responsáveis da Banda Carlos Gomes e com o incentivo dos padres capuchinos funda a banda Virgem da Conceição, junto com o Mestre Agenor Silva e outros músicos. Seu conjunto musical o “Jazz do Margalho” se tornou famoso na região.

1931: Francisco de Miranda Margalho com imóvel na Travessa Padre Pimentel e na rua Torquato Barros, imóvel este repassado à Mariano Silveira Cavalcante.
Francisco de Miranda Magalho, administrador do Cemitério, em 1963, pede licença para tratamento de saúde, por hipertensão anterial.

Pode-se dizer de Chiquinho Margalho o seguinte: Era um apaixonado pela música, tocava p/amor e não media sacrifícios p/se dedicar à s/grande paixão e tirava de s/parcos recursos de funcionário público para investir na música, diga-se conjuntos musicais. Viajava constantemente para o interior do município e municípios vizinhos para tocar nos bailes da época.
Ademir rocha – Abaetetuba/pa, em 19/11/2009.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

GENEALOGIA E FAMÍLIAS 1

SOBRE GENEALOGIA E FAMÍLIAS

A Genealogia é o ramo da História que se dedica ao estudo das famílias, à sua origem e evolução, qualquer trabalho de pesquisa genealógica deverá iniciar-se tendo por base de pesquisa os lugares em que os avôs se estabeleceram se foi imigrante qual país de origem, de casamento e de óbito, também a pesquisa nos registros nos livros paroquiais (livros de batismos, casamentos e de óbitos). Por vezes, os livros paroquiais são mistos, isto é, concentra no mesmo livro registros de batismos e de casamentos ou de óbitos ou membros de Igreja, cada livro só inclui assentos de uma paróquia ou lugarejos em que os antepassados viveram e criaram raízes. São informações valiosas e essenciais para o estudo de qualquer família, como sejam: duas ou até três gerações com os nomes das pessoas, datas, naturalidades, moradas, profissões, relações de parentesco com os padrinhos e testemunhas, etc.

Ao iniciar uma pesquisa e criar uma árvore genealógica não e complicado, mas e muito trabalhoso e é preciso sempre ter em mente em que a pesquisa genealógica levara muito tempo para ser concluída, e um trabalho de campo e prazeroso. Primeiramente, deve iniciar a pesquisa com os mais velhos da família, coletando dados com entrevistas orais ou pedindo certidões de nascimento e/ou casamento, documentos, certidões de desembarque se tiverem, coletar tudo para então formatar uma arvore genealógica e com isto ampliar e confirmar os dados. Desta maneira você certamente conseguirá dados relativos os seus pais, avós, irmãos, tios, primos, filhos e netos. O trabalho torna-se mais desafiador, com visitas a cartórios, igrejas e cemitérios. Em cidades do interior, registros em igrejas são mais completos do que em cartórios, mas não devem ser desprezados. É um esforço grande para conseguirmos descobrir um pouquinho sobre nossos antepassados.

Geralmente, no inicio o que interessa ao pesquisador genealogista é os seguintes dados:
Nome completo.

Data e local de nascimento.
Data e local de falecimento.
Nome completo dos pais.
Nome completo do cônjuge.
Data e local de casamento.
Nome completo dos filhos.

abaetetuba/pa, 4/11/2009 -ademir rocha

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Família Pontes - Famílias e Vultos de Abaetetuba

Família Pontes - Famílias e Vultos de Abaetetuba








FAMÍLIA PONTES DE ABAETÉ
Esta genealogia foi desenvolvida pela profa. Benvinda de Araujo Pontes que, antes de sua partida terrena, a entregou ao seu primo Ademir Heleno Araujo Rocha para que este aprofundasse o estudo das famílias envolvidas. Os descendentes das famílias envolvidas estão espalhadas por vários municípios do Brasil, especialmente os municípios paraenses.
Simbologia
Gerações: G1=1ª G=1ª geração; G2=2ª G=2ª geração, etc.
Filhos=F; F1=1º filho; F2=2º filho, etc./ Pais=P
Netos=N; N1=1º neto; N2= 2º neto, etc/ Avós=Av
Bisnetos=Bn; Bn1=1º bisneto; Bn2= 2º bisneto, etc./ Bisavós=Bsv
Trinetos=Tn; Tn1=1º trineto; Tn2=2º trineto, etc/ Trisavós=Tsv
Tetranetos=Ttn; Ttn1=1º tetraneto; Ttn2=2º tetraneto, etc./ Tetravós=Ttvs
Pentanetos=Pn; Pn1=1º pentaneto; Pn2= 2º pentaneto, etc./ Pentavós=Ptvs
Hexanetos=Hn; Hn1=1º hexaneto; Hn2=2º hexaneto, etc./ Hexavós=Hvs
Heptanetos=Hpn; Hpn1=1º heptaneto; H7n2=2º heptaneto, etc./ Heptavós=Hpvs
Octanetos=Ocn; Ocn1=1º octaneto; Ocn2=2º octaneto, etc./ Octavós=Ocvs
Eneanetos=En; En1=1º eneaneto; En2=2º eneaneto, etc
Decanetos=Dcn; Dcn1=1º decaneto; Dcn2=2º decaneto, etc./ Decavós=Dcvs
Avós; avós paternos; avós maternos
Nascimento ou nascido=n; Falecimento ou falecido=f; batizado=b
Casado com ou casou com=c/c com=c/ sobre, seus,sem=s/ residente=res. Conforme=cfe. Certidão=cert. para=p/ pagina=pag.
Gráu de parentesco dos descendente
Pais/Filhos,
Avós/Netos,
Bisavós/Bisnetos,
Trisavós/Trinetos,
Tetraavós/Tetranetos (os verdadeiros tataranetos),
Pentavós/Pentanetos,
Hexavós/Hexanetos,
Heptavós/Heptanetos,
Octavós/Octanetos,
Eneavós/Eneaneto ou
Decavós/Decanetos.
Hendeavós/Hendeaneto.
Dodecavós/Dodecaneto
Tridecavós/Tridecaneto
Tetradecavós/Tetradecaneto
Pentadecavós/Pentadecaneto
Parentesco em escala colateral
Irmãos,
Tios/Sobrinhos,
Tiavós/Sobrinhos netos,
Tiobisavós/Sobrinhos bisnetos,
Tiostrisavós/Sobrinhos trinetos,
Tiostetravós/Sobrinhos tetranetos
e assim por diante
Parentes por afinidade:
Sogras/sogros/Genros
Sogras/sogros/noras.
Os Pontes das localidades
Região dos Rios Furo Grande, Tucumanduba, Bacuri e Arredores
. Lodemira Pontes, citada em 1946 como contribuinte da festa de N.S. da Conceição em Abaetetuba através de Horácio Maués Cardoso.  
. Rodemira Pontes, citada em 1946 como contribuinte da festa de N.S. da Conceição em Abaetetuba através de Horácio Maués Cardoso. 
Os Pontes
Raízes de EMILIANO DE LIMA PONTES
Raízes Paternas
Dos 32 tetravós de Emiliano,16 são paternos: não pesquisados.
Dos 16 triavós de Emiliano, 8 são paternos: não pesquisados.
Dos 8 bisavós de Emiliano, 4 são paternos, vide abaixo os conhecidos).
Dos 4 avós de Emiliano, 2 são paternos: vide abaixo.

1ª G: os 2 avós paternos de Emiliano:
1ª G/ CONSTANTINO DE PONTES, n. no Rio Guajarázinho/Abaeté/Pa, c/c MAXIMINA BARBOSA/Maxica e tiveram 7 filhos, 2ª G/Filhos/F: João Nepomuceno, Pedro Nonato, Rosa, Maria, Francelina Maria, Herundina, Manoel Pontes/Duca.
2ª G/Filhos/F1: JOÃO NEPOMUCENO DE PONTES/João Pontes, conf. os escritos genealógicos de s/neta Benvinda de Araujo Pontes, n. em 6/5/1874 na localidade Rio Guajarazinho/Vila de Abaeté/Pa, estudou até o 2º livro primário no interior e aos 12 anos teve que abandonar os estudos p/assumir o sustento da família, em conseqüência do f. de seu pai, tendo sido caixeiro da casa comercial de s/futuro sogro, foi lavrador, admistrador de empresa industrial/comercial, tabelião de notas (foi um dos primeiros cartorários de Abaeté/Pa), funcionário da P.M. Abaeté/Pa, tendo ocupado o cargo de secretário municipal várias vezes, ator amador e diretor do “Grupo Scênico de Abaeté” em 1919, desportista, fazendo parte da diretoria da “Associação Sportista de Abaeté”, um dos introdutores do espiritismo e esoterismo em Abaeté, doutrina que praticava contemporaneamente c/o catolicismo (foi um dos baluartes na construção da nova Igreja Matriz de Abaeté) e como um dos primeiros médiuns de Abaeté, enfrentou com coragem preconceitos de alguns católicos.
C/c BENVINDA DE LIMA, em 14/4/1894, em Abaeté/Pa e dessa união nasceram 9 filhos, 3ª G/Netos/N: Emiliano, Raimunda/Mundica, Miguel, Domingas, João, Andrelino/Dedé Pontes, Waldomira (falecida criança), Pautila/Lilita/Mimosa, Sebastião/Sabito (falecido criança) e mais Raimundo Pontes/Cacau e essa união durou 56 anos, 9 meses e 14 dias, pois Benvinda f. no dia 28/1/1951, em s/casa à Tv. 22 de Junho, hoje Tv. Major Frederico A. da Gama e João Pontes, f. 16 anos depois, c/93 anos de idade, 22 dias, em casa de s/filha Mundica, à Av. 15 de Agosto, nº 63/Abaetetuba/Pa, em 28/5/1967.
Citações Históricas
Em 1927, os atores de Abaeté/Pa eram os seguintes: Pombo da Maroca Lima, Licínio Araujo, Diquinho Soares, Angelina Araujo, Miloca Matos, Bararaty Barroso Franco, João Pontes, Antonico Araujo, Menina Arthemita, Lucília Pinheiro, Abel de Barros, Edgar Borges, Prudente de Araujo, Raimundo Leite, Guilherme Abreu, Osvaldina da Fonseca, Hilda V. da Fonseca, Elpídio Paes, Risoleta de Lima Araujo, Abel Lobo, Pedro Loureiro.
Ano de 1919: “A primeira Diretoria do Grupo Scênico Abaeteense era formado p/ artistas amadores de Abaeté. Presidente, Abel Barros; vice-dito, João Nepomuceno de Pontes; 2º vice-presidente, Abel Lobo; 1º secretário, Prudente de Araujo; 2º dito, Bararaty Franco; tesoureiro, Raimundo Leite e o ensaiador, Guilherme Abreu”.
Em 1927: “Atores de teatro: Pombo da Maroca Lima, Licínio Araujo, Diquinho Soares”.
“O Grupo Scênico de Abaeté, encenando o sentimental drama de Júlio Dantas intitulado “Mater Dolorosa”, tendo nos papéis, Angelina Araujo, Miloca Matos, Bararaty Barroso Franco, João Pontes, Antonico Araujo, Menina Arthemita”.
“Apresentaram também a comédia “Quem Desdenha”, tendo como atores, Lucília Pinheiro, Abel de Barros, Miloca Matos, A. Araujo, João Pontes, Bararaty Franco, Edgar Borges. Foram, também, apresentadas as peças “Mater Dolorosa” e “Rosas de Todo Anno”, do escritor português Júlio Dantas”.
“Angelina Araujo e Miloca Matos, do Grupo Scênico Abaeteense, no drama “Mater Dolorosa” de Júlio Dantas”.
“A comédia “Quem Desdenha”, de Pinheiro Chagas, tem como atores: Angelina Araujo, Miloca Matos, Lucília Pinheiro e Abel Barros”.
Em 1927 a diretoria da Associação Sportiva de Abaeté era assim constituída:
Assembléia Geral: presidente, Latino Lídio da Silva; 1º secretário, João Nepomuceno de Pontes; 2º secretário, Giordano Parente.
A Diretoria: presidente, Capitão Acrísio Villaça da Silva; vice-presidente, Antonio Paes Filho; 1º secretário, Antonio Ribeiro de Araujo; 2º secretário, Antonio Gama; tesoureiro, Capitão Raymmundo Leite Lobato; orador oficial, Américo Nery Cordeiro; diretor de sports, Abel Guiães de Barros; diretor de sede, Raymmundo Nonnato Viégas.
“Presente à Instalação da cidade de Abaeté em 15/8/1895 e um dos assinantes da Ata de Cerimônia de Instalação”.
Trav. 24 de outubro, onde ficava o Cartório de João Nepomuceno de Pontes, Oficial do Registro Civil, conf. documento de 1/09/1931.
“União de Artistas e Operários de Abaeté”, uma associação que tinha como um de seus associados João Nepomuceno de Pontes.
2º vice-presidente do diretório municipal do PSD-Partido Social Democrático na era do baratismo em 1945.
Secretário Municipal da Prefeitura de Abaeté, conf. documentos de 23/7/1947.
Documento assinado pelo prefeito Latino Lídio da Silva e João Nepomuceno de Pontes, de 23/7/1947.
O Pref. Pedro Pineiro Paes ficou no cargo até 31/1/1951, quando a Câmara Municipal o substituiu p/Sr. João Nepomuceno de Pontes, então secretário municipal até 3/3/1951, quando a Câmara apontou o vereador Philo Nery para completar o mandato de Pedro Pinheiro Paes, até 8/4/1951.
Em 1904 residia na Tv. da Glória.
Tinha muitos amigos especialmente no grupo dos esotéricos que era uma doutrina filosófica em moda naqueles tempos.
Secretário municipal na gestão do Pref. Pedro Pinheiro Paes, em 1956, quando era Presidente da Câmara Municipal o Sr Dionísio Edmilson Lobato e tinha como colegas na prefeitura: Oziel Pimentel Coutinho/tesoureiro municipal, Alcides Araújo Potyguara/Delegado de Polícia, Lourival Leite Lobato/contador, Leonice Aracaty Pinheiro/professora e Silvio de Sousa Pimentel/administrador do cemitério.
Documento de 1/10/1935: Ademar Lobato Rocha, nomeado p/o cargo de Encarregado dos Serviços de Estatística da Prefeitura de Abaeté, c/assinatura do secretário municipal João Nepomuceno de Pontes.
Em 1906, residente à R. Siqueira Mendes, em Abaeté
Em 1922 a Tv. 22 de Junho, onde residia João Pontes, também residia o Sr. Joaquim Lopes (tabellião). Essa travessa possivelmente é a atual Tv. Major Frederico A. da Gama, nome de rua que subsistiu até os anos de 1920, conf. nos relata os escritos genealógicos da Profa. Benvinda de Araújo Pontes, que diz: “Benvinda de Lima, n. em 30/1/1872 e f. em 28/1/195l, na Tv. 22 de Junho e que ela (Benvinda de Araujo Pontes) e sua irmã Clélia, n. nessa rua, respectivamente em 27/8/1925 e 21/7/1927, casa de s/avós João Nepomuceno de Pontes e Benvinda de Lima Pontes”.
Em 1904: “Rua Lauro Sodré esquina c/a Tv. da Glória, onde morava Benvinda de Lima Pontes”.
Em 1916: Secretário na Intendência Municipal de Abaeté, do Intendente Domingos de Carvalho.
C/casa na R. do Portinho/atual Tv. Major Frederico Gama, feita em taipa, atrás do “Café Abaetetuba”, onde s/cunhada Maroca Lima era proprietária de quase toda a quadra. O nome Portinho vem do fato de ali existir um igarapé chamado Ig. do Portinho. O Sr. João Nepomuceno de Pontes morava n/rua, frente à casa do Sr. Bento Sousa e família. Ali funcionava o cartório do Sr. João Pontes.
Existe rua em Abaetetuba/Pa com o nome: Tv. João Nepomuceno Pontes.

3ª G/Netos/N/ Filhos de João Nepomuceno de Pontes e Benvinda de Lima Pontes
3ª G/N/ EMILIANO DE LIMA PONTES/MILICO, n. em 8/8/1895 (poucos dias antes que Abaeté fosse elevada à categoria de cidade), na casa de s/avós maternos, Leopoldo Anísio de Lima e Maria do Carmo/Mariquinha/Vila de Abaeté/Pa, f. em 28/2/1963/Belém/Pa, na casa de s/filho Deodato, c/67 anos, 6 meses e 20 dias e foi s. em 1/3/1963, no Cemitério de N. S. da Conceição/Abaetetuba/Pa.
Iniciou o curso primário em Abaeté e terminou em Belém no Colégio “Mateus do Carmo”, hoje “Colégio do Carmo” e iniciou o curso de contabilidade, mas não o terminou devido as muitas dificuldades financeiras de s/família, voltando para Abaeté.
Homem simples, que ganhava a vida fazendo fretes p/outras cidades, especialmente p/a capital do Estado, Belém, sendo que uma de s/embarcações era a famosa “Cidade de Abaeté”, tornando-se um dos pioneiros nas viagens de barcos p/Belém/Abaeté/Belém. Além dos fretes, levava e trazia concidadãos seus, especialmente estudantes, não lhes cobrando nada pela ajuda. Seu serviço consistia em levar e trazer produtos comerciais. De Abaeté levava os tradicionais produtos da terra, como cachaça, mel de cana, produtos em cerâmica e outros produtos de extrativismo. De Belém trazia mercadorias na forma de alimentos, secos e molhados, tecidos, miudezas e produtos farmacêuticos. Para muitos comerciantes locais Emiliano era de absoluta confiança e levava o dinheiro p/que ele comprasse as mercadorias que esses comerciantes lhes solicitavam. Servia a todos c/muita presteza e dedicação e tinha a confiança de todos.
Com a renda de s/trabalho conseguiu comprar uma canoa e batizou-a c/o nome de “Cidade de Abaeté”, o que demonstra o amor que sentia por s/terra. Foi c/o trabalho nessa canoa que conseguiu manter s/família, vendo s/filhos progredirem nos estudos e conquistar o estudo de 2º grau”. Seu filho Felício concluiu os estudos de direito e chegou a desembargador do Estado do Pará. Emiliano, “devido sua hombridade, chegou a ocupar a função de 1º Suplente de Juiz, na cidade de Abaeté”.
Nessas viagens, além dos fretes, transportava passageiros na rota Abaeté-Belém-Abaeté, nos tempos em que o único meio de transporte eram as canoas à vela. Quando os passageiros eram estudantes de Abaeté, em Belém, ele não cobrava pelas viagens. Emiliano ficou conhecido no transporte de cargas e passageiros, onde adquiriu extrema confiança de s/fregueses pela s/honestidade e competência nesse trabalho.
Em 1922 fazia fretes c/a canoa “Madrugada”, que possivelmente foi a 1ª nesse s/trabalho de freteiro e uma das primeiras de Abaeté.
Foi dono de cartório, secretário municipal, vice-juiz de paz e foi esotérico, como seu pai, mas foi um dos baluartes na construção da Igreja Matriz de Abaeté, nos anos de 1930. Um escrito a esse respeito:
“Convite. A Comissão abaixo assinada, tem a grata satisfação de convidar todas as autoridades, federais, estaduais e municipais, bem como as associações religiosas e de classes, o corpo comercial, excelentíssimas famílias e o generoso povo abaeteense, para a ‘Bênção do Cruzeiro’, que realizar-se-á no dia 27/5, às 17:00 horas e no dia 28/5 realizar-se-á a Bênção da “Primeira Pedra” para a construção da Igreja Matriz, durante a Missa Campal que se realizará no mesmo local. Rogo a todos, de com sua presença, realçarem esse ato de fé cristã, bem como pedir uma contribuição material para a construção de tão importante Templo de Deus. Penhorados agradecem. Abaeté, 10 de maio de 1933. A Comissão: Padre Ignácio de Magalhães, Bernardino Mendes, Raymundo Nonato Viégas, José Pinheiro Baía, José Ferreira, Joaquim Mendes Contente, Humberto Parente, Raymundo Pauxis, Oscar Solano, Raymundo Nonato Ferreira, Emiliano Pontes”.

Ramiro Pereira de Araujo, concunhado de Emiliano, casado c/a irmã de s/esposa Benvinda, chamada Bruna de Lima, residiu por 13 anos numa casa que fazia divisa c/Raymundo Leite Lobato (também s/concunhado) e Emiliano Pontes, conf. doc. de 1931.
Era um dos organizadores das antigas festas da padroeira de Abaeté, N. S. da Conceição e participava das “sessões cívicas” dos anos de 1940.
C/c ZIZINA RIBEIRO DE ARAUJO, n. em 9/10/1920 no Povoado de Malato/Ponta de Pedras/Pa, onde Zizina nasceu e c/ela teve uma numerosa prole que, curiosamente, deu os nomes baseado na ordem das letras do alfabeto.
Uma característica de Emiliano e s/esposa foram os esforços na formação de s/filhos, fazendo de tudo para que eles conseguissem se formar em Belém ou outros lugares mais adiantados, tendo os estudos como única riqueza que poderiam lhes deixar. A maioria concluiu cursos superiores e hoje estão bem situados na vida, graças aos esforços de seus pais.
Além dos esforços nos estudos dos filhos, estes, em casa, foram educados com amor e carinho e em um ambiente dos verdadeiros valores da vida.
Emiliano morou c/sua família na antiga Pça. da Bandeira, hoje Pça. Francisco de Azevedo Monteiro, em casa apegada ao antigo “Cine Imperador”, onde atualmente reside a família de seu neto Robson Fernando Pontes, atual Tv. Pedro Pinheiro Paes, nº 282.
Essa união durou até a data de 28/2/1963, que foram 43 anos, 4 meses e 19 dias de feliz casamento.
Emiliano e Zizina tiveram os seguintes filhos, 4ª G/Bisnetos/Bn: Alpha/Benzita, Benvinda/Santinha, Clélia, Deodato, Expedito, Felício e Genuíno de Araújo Pontes/Genu. O nome dos filhos de Emiliano e Zizina seguia ao abecedário português, dái a brincadeira carinhosa desses pais chamando-os de “Abcdário dos Araujo Pontes”
4ª G/Bisnetos/Bn, filhos de Emiliano e Zizina
4ª G/Bisnetos/Bn1/ ALPHA DE ARAUJO PONTES/Benzita e Alpha significa Primogênita. N. em 9/7/1921, na casa de seus avós maternos, Benvinda de Lima Pontes e João Nepomuceno de Pontes, à Rua Siqueira Mendes, em Abaeté e f. em 27/3/1974, c/53 anos, 8 meses e 18 dias.
Concluiu o curso primário em Abaeté e, depois, foi p/Belém, onde fez o Curso Técnico em Sericultura e em 1944 fez o curso de Visitadora Sanitária, em Santarém/Pa.
Esmeralda Cardoso da Silva e Alfa de Araujo Pontes foram as primeiras enfermeiras diplomadas a chegar em Abaeté, para trabalhar no hospital do antigo SESP-Serviços Especiais de Saúde Pública.

C/c Lourival da Silva Ferreira/Lauri Ferreira em 25/9/1945 e tiveram 8 filhos, 5ª G/Trinetos/Tn: José Edílson/Zedilson, Lourival/Laurizinho, Antonio/Toninho, Benvinda Conceição/Manaída, Luiz Fernando/Chaca, Emiliano Nonato/Milico, José (f. ao nascer) e Nazaré Pontes Ferreira, f. ao nascer.
5ª G/Trinetos/Tn: filhos de Alpha/Benzita e Lourival/Lauri):
5ª G/Tn1/ JOSÉ EDILSON PONTES FERREIRA/Zedilson, n. em 2/1946 em casa de s/avós maternos Emiliano e Zizina, à Pça. da Bandeira, 282/hoje Tv. Pedro Pinheiro Paes. C/c Maria de Lourdes Rodrigues/Lourdinha, em 10/1966 e tiveram três filhas, 6ª G/Tetranetas/Ttn, todas n. em Abaetetuba/Pa: Márcia do Socorro, Cristiane e Thays Rodrigues Pontes.
6ª G/Ttn: filhas de Zedilson e Lourdinha:
6ª G/Ttn1/ Márcia do Socorro Rodrigues Ferreira, n. em 15/3/1967, formada em medicina.
6ª G/Ttn2/ Cristiane Rodrigues Ferreira, n. em 4/1973
6ª G/Ttn3/ Thays Rodrigues Ferreira, n. em 1/1977.
5ª G/Trinetos/Tn: filhos de Benzita e Lauri
5ª G/Tn2/ LOURIVAL PONTES FERREIRA/Laurizinho: n. em 7/1948, na casa de s/avós maternos Emiliano e Zizina, à Pça. da Bandeira, 282/hoje Trav. Pedro Pinheiro Paes, formou-se em engenharia civil, c/c Necy Sena Rodrigues e tiveram 3 filhos, 6ª G/Tetranetos/Ttn, em Belém/Pa: Necilene Alfa, Antonina e Lourival Neto.
6ª G/Ttn: filhos de Laurizinho e Necy:
6ª G/Ttn1/ Necilene Alfa Rodrigues Ferreira, n. em 7/1967.
6ª G/Ttn2/ Antonina Rodrigues Ferreira/Pepéu, n. em 12/1977.
6ª G/Ttn3/ Lourival da Silva Ferreira Neto, n. em 2/1980.
5ª G/Tn: filhos de Benzita e Lauri
5ª G/Tn3/ ANTONIO PONTES FERREIRA/Toninho, n. em 7/1950 na casa de s/avós maternos, à Pça. da Bandeira, 282/hoje Travessa Pedro Pinheiro Paes e c/c Wanda Ruth Cordovil Couto em 18/3/1978 e tiveram filhos, 6ª G/Tetranetos/Ttn: Márcio, Marcelo e Markus.
6ª G/Ttn1, filhos de Toninho e e Wanda:
6ª G/Ttn1/ Márcio Cordovil Ferreira, n. em Belém, em 1/1979.
6ª G/Ttn2/ Marcelo Cordovil Pontes Ferreira, n. em 12/1983, em Belém.
6ª G/Ttn3/ Markus Cordovil Pontes Ferreira, n. em 1/1985, em Belém, no dia e f. em 28/5/1985, em Belém.
5ª G/Tn: filhos de Benzita e Lauri
5ª G/Tn4/BENVINDA CONCEIÇÃO PONTES FERREIRA/Manaída, n. em 9/1952 na casa de s/avós maternos Emiliano e Zizina, c/c Salim Barra de Freitas em Belém/Pa e tiveram 5 filhos, 6ª G/Tetranetos/Ttn: Halison, Riane Conceição Ferreira Freitas, Salim Filho, Saene e Lauremir Ferreira Freitas. Benvinda Conceição ficou viúva em 8/12/1990.
6ª G/Ttn: filhos de Manaída e Salim:
6ª G/Ttn1/ Halisson Ferreira Freitas, n. em 4/1976 em Belém/Pa.
6ª G/Ttn2/ Riane Conceição Ferreira Freitas, n. em 12/1978 em Belém/Pa.
6ª G/Ttn3/ Salim Barra de Freitas Filho/Salinzinho, n. em 6/1983 em Abaetetuba/Pa. 6ª G/Ttn4/ Saene Ferreira Freitas, n. em 12/1984 em Abaetetuba/Pa.
6ª G/Ttn5/ Lauremir Ferreira Freitas, n. em 8/1975 em Abaetetuba/Pa.
5ª G/Trinetos/Tn, filhos de Benzita e Lauri
5ª G/Tn5/ LUIZ FERNANDO PONTES FERREIRA/Chaca:, n. em 9/1954, na casa de s/avós maternos, à Pça. da Bandeira, 282 e c/c Benedita das Graças Nery Batista/Bena, em 11/1979 e tiveram 2 filhos, 6ª G/Tetranetos/Ttn: Luís Fernando Pontes Ferreira Júnior, Éden Fernando.
6ª G/Ttn, filhos de Chaca e Bena:
6ª G/Ttn1/ Luis Fernando Pontes Ferreira Júnior, n. em 3/1981 em Abaetetuba/Pa.
6ª G/Ttn2/ Éden Fernando Nery Ferreira/Edinho, n. em 11/1983 em Abaetetuba/Pa.
5ª G/Trinetos/Tn, filhos de Benzita e Lauri
5ª G/Tn6/ EMILIANO NONATO PONTES FERREIRA/Milico, n. em 15/1/1958, em Belém/Pa, na Maternidade da Ordem 3ª de São Francisco e c/c Clélia Terezinha Pinheiro e que tiveram 3 filhos, 6ª G/Tetranetos/Ttn, todos n. em Belém: Kleberson, Kleverson e Tiago.
6ª G/Ttn, filhos de Milico e Clélia Terezinha:
6ª G/Ttn1/ Kleberson, n. em 24/4/1978 e f. em 22/12/1978.
6ª G/Ttn2/ Kleverson Pinheiro Ferreira/Klevinho, n. em 3/1980.
6ª G/Ttn3/ Tiago Pinheiro Ferreira, n. em 10/1982.
4ª G/Bisnetos/Bn1, filhos de Emiliano e Zizina:
4ª G/Bn2/ BENVINDA DE ARAUJO PONTES/Santinha, n. em 21/7/1923 na casa de s/avós paternos João e Benvinda, à Tv 22 de Junho/hoje Tv. Major Frederico A. Gama/Abaeté, solteira, formou-se professora primária em 1944, p/Instituto de Educação do Pará/Belém/Pa, voltou p/Abaeté e assumiu a missão de educadora, trabalhando longos 25 anos como professora no Grupo Prof. Basílio de Carvalho, Ginásio N. S. dos Anjos, Escola Paroquial N. S. da Conceição e Colégio S. Francisco Xavier. Foi diretora no Grupo Escolar “Prof. Basílio de Carvalho” e da Escola Paroquial.
Como era profundamente católica, tinha a preocupação não só de educar, como também de dar formação cristã e civil às crianças, adolescentes e jovens c/quem trabalhava. Trabalhou também na Fundação SESP, como enfermeira, dando atenção e carinho aos doentes.
Foi uma das homenageadas especiais da Turma de Professorandas e Catequistas da Escola N. S. dos Anjos, ano de 1962, em Abaeté do Tocantins/Pa.
Foi Secretária Municipal de Educação na gestão do Interventor Mariuadir Miranda Santos (1964-1967) e nas duas gestões do prefeito Hildo Tavares Carvalho (1967-1970 e 1973-1977).
Depois de aposentada como professora, dedicou-se à divulgação à devoção a N. S., Mãe de Jesus, incentivando a criação do Cenáculo, que é um grupo de oração, em várias comunidades, lançou a idéia da reza do terço das madrugadas nas festas de N. S. da Conceição, promoveu a devoção de N. S. de Medjugorie, de Jesus Misericordioso e da Sagrada Face de Cristo. Esse era o seu apostolado como católica.
Foi constituída Ministra Extraordinária da Eucaristia, levando regularmente Jesus Eucaristia aos doentes, a quem deixava sempre uma mensagem de fé e de esperança.
Participava ativamente de todos os acontecimentos da Paróquia, especialmente as festas da Padroeira, N. S. da Conceição.
Foi acometida de uma terrível doença, que a atormentou por sete meses, mas nesse período deu mostra da autenticidade de s/fé, encarando o sofrimento com muita fé e maturidade cristã e fez sua a frase de S. Paulo: “Me alegro nos meus sofrimentos por Vós e completo na minha carne, o que falta às tribulações de Cristo, pelo seu Corpo, que é a Igreja”.
P/tudo isso lhe devemos muito, p/sua abnegação, p/suas virtudes, p/sua fé e p/seu amor à Igreja.
Foi a Profa. Benvinda que escreveu a genealogia de sua família e, dias antes de s/partida, deu esses escritos ao seu primo Ademir Araujo Rocha para que este desse continuidade ao seu trabalho.
Em Abaetetuba/Pa existe uma escola com o s/nome, uma justa homenagem do povo de Abaetetuba/Pa.
Em um documento de 1940 aparece o nome de Benvinda de Araújo Pontes, Clélia de Araujo Pontes, assim como de s/pai nas sessões cívicos literárias.
4ª G/Bisnetos;Bn, filhos de Emiliano e Benvinda
4ª G/Bisnetos/Bn3/ CLÉLIA DE ARAUJO PONTES/Celi, n. em 27/8/1925, casa de s/avós paternos e f. solteira c/18 anos de idade, em 26/1/1944. Clélia significa Anjo de Meiguice.
4ª G/Bn, filhos de Emiliano e Zizina
4ª G/Bn4/ DEODATO DE ARAUJO PONTES, n. em 27/10/1927, na casa que servia de residência de s/pais, de propriedade de Antonio Santos, à Tv. Tenente Coronel Costa/Abaeté/Pa, c/c Palmerinda Lobo, em 28/9/1957, casamento que durou 32 anos, 3 meses e 22 dias, quando Palmerinda f. em 21/1/1988 na s/residência/Av. Gov. José Malcher, nº 1049/Vila Alda Maria, casa nº 19/Belém-Pa e foi sepultado no Cemitério de Santa Isabel/Belém/Pa. Deodato é engenheiro civil aposentado e s/nome significa “Dado por Deus”. Tiveram um filho, 5ª G/Trinetos/Tn1: Deodato Júnior.
5ª G/Tn, filhos de Deodato e Palmerinda:
5ª G/Tn1/ Deodato de Araújo Pontes Júnior/Júnior, n. em 4/1960, na Maternidade da Ordem 3ª de S. Francisco/Belém/Pa, c/c Karla Bezerra Menezes, em 6/1982, até 1988 e tiveram filhos, 6ª G/Tetranetos/Ttn, em Belém/Pa: Deodato Neto e Hélio. Deodato Júnior teve mais 3 filhos, 6ª G/Ttn: Tainá, Ana Cristina e João Paulo.
6ª G/Ttn, filhos de Deodato Júnior c/Karla:
6ª G/Ttn1/ Deodato de Araújo Pontes Neto/Neto, n. em 4/1983.
6ª G/Ttn2/ Hélio Bezerra de Menezes Pontes/Helinho, n, em 7/1984.
6ª G/Ttn/ Filhos de Deodato Júnior c/Marilena Rocha Mourão/Lena:
6ª G/Ttn1/ Tainá da Rocha Mourão Pontes, n. em 11/1989, casou e teve um filho, 7ª G/Pentanetos/Pn: João Augusto.
6ª G/Ttn, Filhos de Deodato Júnior c/Rute:
6ª G/Ttn1/ Anna Carolina Pontes, n. em 12/1990.
6ª G/Ttn2/ João Paulo, n. em 7/1992.
4ª G/Bisnetos/Bn/Filhos de Emiliano e Zizina
4ª G/Bn5/EXPEDITO DE ARAUJO PONTES, n. em 9/12/1929, na casa de José Cândido dos Santos, à R. Siqueira Mendes/Abaeté/Pa, onde residiam seus pais. Formou-se Contabilista e trabalhou como comerciante em Castanhal/Pa, onde reside. C/c Ivone Lopes Lobato, em 25/12/1959, na residência dos pais de s/esposa, Fortunato Lobato e Stela Lopes, à R. Getúlio Vargas/Abaetetuba/Pa. Expedito significa Ativo, Ligeiro. Expedito e Ivone tiveram 4 filhos, 5ª G/Trinetos/Tn: Almir, Ana Lúcia, Luís Carlos e Telma Lúcia.
5ª G/Tn, filhos de Expedito e Ivone:
5ª G/Tn1/ Almir Lobato Pontes, n. em 10/1960, na Maternidade do Hospital Belém/Belém/Pa. C/c Elizabeth Cangussu Reis/Beth, em 12/1983 e tiveram 3 filhos, 6ª G/Tetranetos/Ttn: Leandro, Tiago e Rafael.
6ª G/Ttn, filhos Almir e Beth:
6ª G/Ttn1/ Leandro Reis Pontes, n. em 6/1984.
6ª G/Ttn2/ Tiago, gêmeo c/Rafael, n. em 8/1984, em Castanhal/Pa.
6ª G/Ttn3/ Rafael Reis Pontes, gêmeo c/Tiago, n. em 8/1984, em Castanhal/Pa.
5ª G/Tn2/ Ana Lúcia Lobato Pontes, n. em 12/1961, na casa de s/avós maternos Fortunato Lobatoe Stella Lopes, à Rua Getúlio Vargas/Abaetetuba/Pa. C/c Cícero Miguel Cidrão Morais em Belém/Pa e tiveram 2 filhos, 6ª G/Tetranetos/Ttn: Andressa Joseane e Luís Rodrigues Pontes Cidrão.
6ª G/Ttn, filhos de Ana Lúcia e Cícero:
6ª G/Ttn1/Andressa Joseane Pontes Cidrão, n. em 3/1981 em Castanhal/Pa.
6ª G/Ttn2/ Luis Rodrigo Pontes Cidrão, n. em 2/1984 em Castanhal/Pa.
5ª G/Tn3/ Luis Carlos Lobato Pontes, n. em 12/1962, na casa de s/avós maternos e c/c Regina Coeli, em 10/1985 e tiveram 3 filhas, 6ª G/Tetranetas/Ttn: Laissa, Líza e Leda Lobato Pontes.
6ª G/Ttn, filhos de Luís Carlos e Regina Coeli
6ª G/Ttn1/ Laissa, n. em em 4/1986 e f. em 26/9/2006.
6ª G/Ttn2/ Líza, n. em 3/1990;
6ª G/Ttn3/ Leda Pontes, n. em 4/1992.
5ª G/Tn4/ Telma Lúcia Lobato Pontes, n. em 9/1968 na Maternidade S. José/Castanhal-Pa.
4ª G/Bisnetos/Bn, filhos de Emiliano e Zizina
4ª G/Bn6/ FELÍCIO DE ARAUJO PONTES, n. 27/1/1933 na casa de s/pais, à R. Siqueira Mendes/Abaeté/Pa. Formou-se em Direito e chegou às funções/Procurador de Justiça, depois Desembargador do Tribunal de Justiça do Estado do Pará. C/c a também bacharela em Direito, Climenie Bernadete Figueiredo Araujo, em 2/5/1964/Belém/Pa. Climenie chegou às funções/Juíza de Direito, depois Desembargadora. Felício significa Felicidade. Felício e Climenie tiveram 4 filhos, 5ª G/Trinetos/Tn: José/falecido, Felício Júnior, Haroldo e Gláuber.
Climenie, esposa de Felício é filha de Leonor Regina de Figueiredo Araujo e tem irmãos: Francisco de Assis Figueiredo de Araujo/falecido.
5ª G/Trinetos/Tn, filhos de Felício e Climenie:
5ª G/Tn1/ Felício de Araújo Pontes Júnior/Felicinho, n. em 5/1966, formado em Direito, procurador Federal em Belém/Pa, c/c Glauce Tadaiesky Marques, em 3/1989 e tiveram 2 filhos, 6ª G/Tetranetos/Ttn: Gabriel e Rodrigo.
6ª G/Ttn, filhos de Felício Júnior e Glauce:
6ª G/Ttn1/ Gabriel Marques Pontes, n. em 7/1991.
6ª G/Ttn2/ Rodrigo Marques Pontes, n. em 1/1993.
5ª G/Tn2/ Haroldo Araujo Pontes, n. em 1967 e c/c Antonina Catarina Sena Rodrigues, em 5/1991 e tiveram uma filha, 6ª G/Tetranetos/Ttn: Camila.
6ª geração, filhos de Haroldo e Antonina Catarina:
6ª G/Ttn1/ Camila Rodrigues Pontes, n. em 9/1992.
5ª G/Tn3/ Glauber Araújo Pontes, n. em 6/1971, que foi uma 5ª-feira, dia santo do “Corpo de Deus”.
4ª G/Bisnetos/Bn, filhos de Emiliano e Benvinda
4ª G/Bn/ GENUÍNO DE ARAUJO PONTES/Genu, n. em 5/10/1936, na casa de s/tios Prudente e Mundica, à Tv. Santa Luzia, nº 3, hoje, Av. 15 de Agosto, 63/Abaeté/Pa, c/c Antonia Justo da Silva, em 9/4/1955. S/nome significa Legítimo, Puro. Genuíno. Genuíno e Antonia tiveram 2 filhos, 5ª G/Trinetos/Tn: Mário Fernando e Róbson Fernando.
Outros filhos de Genuíno
C/Tereza Araujo, 2 filhos, 5ª G/Tn: Nelson Luís e Tatiana.
C/Neuza Bastos Reis, uma filha, 5ª G/Tn: Carolina.

5ª geração, filhos de Genuíno e Antonia:
5ª G/Tn1/ Mário Fernando da Silva Pontes/Mariozinho, n. em 7/1955, na casa de s/avós maternos, à R. Senador Lemos, hoje Rua Barão do Rio Branco/Abaetetuba/Pa, c/c Ana Maria de Andrade, em 7/1974 e tiveram 2 filhos, 6ª G/Tetranetos/Ttn: Mário Fernando Filho e Milton Fernando.
6ª G, filhos de Mário Fernado e Ana Maria:
6ª G/Ttn1/ Mário Fernando da Silva Pontes Filho, n. em 1/1976.
6ª G/Ttn2/ Milton Fernando Andrade Pontes, n. em Belém/Pa em 7/1979.
5ª G/Tn2/ Robson Fernando da Silva Pontes, n. em 7/1957, na casa de s/avós maternos/Abaetetuba/Pa, c/c Lídia Maria Mendonça Lima, em 5/5/1979 e tiveram 2 filhos, 6ª G/Tetranetos/Ttn: Róbson Fernando Júnior e Rólisson Fernando.

6ª G/Ttn, filhos de Róbson Fernando e Lídia Maria:
6ª G/Ttn1/ Robson Fernando da Silva Pontes Júnior/Robinho, n. em l/1980 em Abaetetuba/Pa.
6ª G/Ttn2/ Rolisson Fernando da Silva Pontes, n. em 6/1982, em Abaetetuba/Pa.
5ª ª G/Trinetos/Tn, filhos de Genuíno e Tereza:
5ª G/Tn1/ Nelson Luís de Araujo Pontes/Nelsinho, n.em 12/1962, em Belém/Pa, c/c Maria Cristina Vieira de Farias, em 1/1984, em Brasília/DF, onde residem e tiveram 2 filhos, 6ª G/Tetranetos/Ttn: Henrique e Gabriel.
6ª G/Ttn, filhos de Nelsinho e Maria Cristina:
6ª G/Ttn1/ Henrique Farias Pontes, n. em 2/1986, em Brasília/DF.
6ª G/Ttn2/ Gabriel Farias Pontes, n. em 3/1988, em Brasília/DF.

5ª G/Tn2/ Tatiana de Araújo Pontes, filha de Genuíno de Araujo Pontes e Thereza de Souza Araujo, n. em 25/10/1973, em Brasília/DF, onde mora.
Olá Ademir !
Foi com grande alegria que encontrei o seu blog com a história da nossa família.
Fiquei feliz em ver meu nome citado e se for possível, gostaria que os nomes das minhas filhas fossem incluídos na árvore.
Eu, Tatiana de Araújo Pontes, filha de Genuíno de Araújo Pontes e Thereza de Souza Araújo, nasci em 25/10/1973, em Brasília. Casei-me em 12/07/2003 com Jarmes dos Santos Araújo com quem tive duas filhas: Raquel Pontes Araújo ( 03/12/2007) e Luísa Pontes Araújo ( 06/02/2014).
Após casar-me passei a ter o nome de Tatiana de Araújo Pontes Araújo.
Minha filha me perguntou sobre árvore genealógica e acabei de mostrar o blog para ela !
Que Deus abençoe você e sua família !
Espero que possamos ter mais contato, ainda que virtual.
Abraços, Tatiana
Colaboração de Tatiana de Araujo Pontes

5ª G/trinetos/Tn, filhos de Genuíno e Neuza:
5ª G/Tn1/ Carolina Reis de Araújo Pontes, n. em 9/1979, no Hospital de Base/DF.
1ª geração do lado paterno
CONSTANTINO DE PONTES e MAXIMINA BARBOSA/Maxica. Constantino de Pontes nasceu às margens do Rio Guajarázinho/Abaeté/Pa, e c/c Maximina Barbosa/Maxica) e tiveram filhos, 2ª G/Filhos/F: João Nepumoceno, Pedro Nonato, Rosa, Maria, Francelina Maria, Herundina e Manoel Barbosa de Pontes/Duca.
2ª G/Filhos/F1/ JOÃO NEPOMUCENO DE PONTES, c/c BENVINDA DE LIMA e tiveram 9 filhos, 3ª G/Netos/N: Emiliano (N1, já visto), Raimunda/Mundica, Miguel, Domingas, João, Andrelino/Dedé Pontes, Waldomira (falecida criança), Pautila/Lilita/Mimosa, Sebastião/Sabito (falecido criança) e mais Raimundo Pontes/Cacau e essa união durou 56 anos, 9 meses e 14 dias, pois Benvinda f. no dia 28/1/1951, em s/casa à Tv. 22 de Junho, hoje Tv. Major Frederico A. da Gama e João Pontes, f. 16 anos depois, c/93 anos de idade, 22 dias, em casa de s/filha Mundica, à Av. 15 de Agosto, nº 63/Abaetetuba/Pa, em 28/5/1967.
3ª G/Netos/N/ Filhos de João Nepomuceno Pontes/João Pontes e Benvinda Lima

3ª G//N2/ RAIMUNDA DE LIMA PONTES DE ARAUJO/Mundica, n.em 4/5/1897, em Abaeté/Pa, c/c Prudente Ribeiro de Araújo, irmão de s/cunhada Zizina de Araujo Pontes em 18/1/1926, no civil e em 27/1/1926, casou no católico. Tiveram um filho, 4ª G/Bisnetos/Bn: José Maria Pontes de Araujo. O casamento de Mundica e Prudente durou 62 anos, 2 meses e 28 dias. Mundica f. c/90 anos, 10 meses e 12 dias, em 16/4/1988, em s/residência à Av. 15 de Agosto, 63/Abaetetuba-Pa, sendo s. no dia seguinte, pela manhã, no Cemitério de N. S. da Conceição/Abaetetuba/Pa.
4ª G/Bn, filhos de Mundica e Prudente
4ª G/Bn/ José Maria Pontes de Araújo/Zé Maria, n. em 8/11/1926, em Abaeté, c/c s/prima Norma de Araújo Malato, na Ilha do Marajó/Pontas de Pedras/Pa, em 11/2/1956, terra natal de Norma e tiveram 6 filhos, 5ª G/Trinetos/Tn: Ângela/Giloca, Normélia de Fátima, Regina Lúcia, Rita de Cássia, José e Raimundo Malato de Araújo. José e Raimundo f. crianças.
5ª G/Tn, filhos de Zé Maria e Norma:
5ª G/Tn1/ Ângela Malato de Araujo/Giloca, n. em 11/1956, c/c Nazareno Marques.
5ª G/Tn2/ Normélia de Fátima Malato de Araújo, n. em 5/1960, c/c Icleiber Silva e tiveram filhos, 6ª G/Tetranetos/Ttn: Thays Cibele e Tatiana Araújo Silva.
6ª G/Ttn, filhos Normélia e Icleiber:
6ª G/Ttn1/ Thays Cibele Araujo Silva, n. em 11/1984.
6ª G/Ttn2/ Tatiana Araújo Silva, n. em 2.1987.
5ª G/Tn2/ Regina Lúcia Malato de Araújo, n. em 5/1962, c/c Manoel Gomes de Sousa.
5ª G/Tn3/ Rita de Cássia Malato de Araújo, n. em 5/1973.
3ª G/Netos/N/ Filhos de João Pontes e Benvinda
3ª G/N3/ MIGUEL DE LIMA PONTES, n. em 29/9/1899, em Abaeté/Pa, Cap. do Exército, c/c Judith Dutra e tiveram 6 filhos, 4ª G/Bisnetos/Bn: Célio, Bn1/f. criança, Maria de Lourdes/Lourdinha, Clélio Airton, Demóstenes de Jesus, Moisés Amazonas e Ariosto Lima Pontes.
4ª G/Bn, filhos de Miguel de Lima Pontes e Judith Dutra Pontes
4ª G/Bn2/ Maria de Lourdes Dutra Pontes/Lurdinha, n. em 23/9/1930, c/c Sindebaldo Nunes Ferreira, que morou no Rio Grande do Sul, filho de Artur Nunes Ferreira e tiveram filhos, 5ª G/Trinetos/Tn: Miguel, Ângelo, Ernesto e Aluízio Pontes Ferreira.
5ª G/Tn/ Filhos de Lurdinha e Sindebaldo:
5ª G/Tn1/ Miguel Pontes Ferreira, casado e c/3 filhos, 6ª G/Tetranetos/Ttn, entre os quais, Artur.
4ª G/Bn3/ Clélio Airton Dutra Pontes, n. em 6/6/192..,c/c Célia Maria Moura, em 5/1962 e tiveram 5 filhos, 5ª G/Trinetos/Tn: Regina do Socorro, Paulo Sérgio, Cláudio José, Mauro Airton e Maurício Moura Pontes.
5ª G/Tn, filhos de Clélio Airton e Célia Maria:
5ª G/Tn1/ Regina do Socorro...
5ª G/Tn2/ Paulo Sérgio Moura Pontes, c/c Jeannine Fonteles.
5ª G/Tn3/ Cláudio José Moura Pontes, casou e teve uma filha, 6ª G/Tetranetos/Ttn: Larissa Vieira Pontes. Cláudio José casou-se outra vez, c/Karina Kisan e tiveram um filho, 6ª G/Tetranetos/: Leonan Kisan Pontes.
5ª G, filhos de Clélio Airton e Célia Maria:
5ª G/Tn4/ Mauro Airton Moura Pontes, c/c Andréa Coimbra e tiveram 2 filhos, 6ª G/Tetranetos/Ttn: Clélio Aiton de Lima Pontes Neto e Caio Coimbra Pontes.
4ª G/Bn, filhos de Miguel e Judith
4ª G/Bn4/ Demóstenes de Jesus Lima Pontes, c/c Maria Gilda Nobre e com filhos, 5ª G/Trinetos/Tn: Marco Antonio, Reinaldo, Gilberto e Denise e Marcela Nobre Pontes.
5ª G/Tn, filhos de Demóstenes de Jesus e Maria Gilda:
5ª G/Tn1/ Marco Antonio Nobre Pontes, c/c Maria de Lourdes Barbalho e com filhos, 6ª G/Tetranetos/Ttn: Lucival e Luciana, Louise e Luma Barbalho Pontes.
5ª G/Tn2/ Reinado Nobre Pontes, c/c Andréa e com filhos, 6ª G/Tetranetos/Ttn: Estevam, Lívia, Reinaldo Filho, Renara e Bianca Melo Pontes.
5ª G/Tn3/ Gilberto Nobre Pontes, é casado e com filhos, 6ª G/Tetranetos/Ttn: Natália e Leonardo Ganim Pontes.
5ª G/Tn4/ Denise Nobre Pontes, casada e com filhas, 6ª G/Tetranetos/Ttn: Paula, Pâmela e Givanna Pontes Diniz.
5ª G/Tn5/Marcela Nobre Pontes, casada e com um filho, 6ª G/Tetranetos/Ttn: Vitor Pontes Ferreira.
Colaboração de Sandro Alberto Diniz Mesquita.

4ª G/Bisnetos/Bn, filhos de Miguel e Judith:
4ª G/Bn5/ Moisés Amazonas Lima Pontes, n. 2/8/1935, c/c Eli Munhoz Lopes e tiveram 2 filhos, 5ª G/Trinetos/Tn: Fernando Antonio e Davi José Lopes Pontes.
4ª G/Bn6: Ariosto Lima Pontes, c/c Marizete Rabelo e tiveram 3 filhos, 5ª G/Trinetos/Tn: Antonio César, Hélder e Luis Fernando Rabelo Pontes.

3ª G/Netos/N/ Filhos de João Pontes e Benvinda
3ª G/N3/ DOMINGAS DE LIMA PONTES, n. em 13/8/1903, ficou viúva e f. em 4/7/1989 com 86 anos, em Belém/Pa. C/c Sebastião Bicho da Costa (Rocha) e tiveram 7 filhos, 4ª G/Bisnetos/Bn: Gertrudes/Gegé, João Francisco/falecido, Maria Tereza/Mariinha, Sebastiana/Sinhá, Rosilda/Rosa Palmeirão, Miguel/Miguilito e Terezinha Pontes da Costa /Zinha.

4ª G/Bn, filhos de Domingas e Sebastião
4ªG/Bn1/Gertrudes Pontes da Costa/Gegé, c/c Aladino Rodrigues Ferreira/Duca Aladino/Duca da Gegé/Duca Ferreira e tiveram 14 filhos, 5ª G/Trinetos/Tn: Alba/falecida, Alofila/Lola, Maria Luzia/Marilu, Aleixo Brasil, José Maria, João Bosco, Aládio, Aladino, Linomar do E. Santo/Lino, Terezinha/falecida, Mario Natalino, Telda, Armando e Williames/falecido.
5ª G/Tn, filhos de Gegé e Duca Aladino
5ªG/ Bn/ Aleixo Brasil Ferreira, casou e teve vários filhos, 6ª G/Trinetos/Tn.
5ª G/Bn/ Aladino Tadeu Costa Ferreira, n. em 8/2/1950, c/c Maria do Socorro Silva Araújo e tiveram filhos, 6ª G/Trinetos/Tn: Vítor e Viviane Araújo Ferreira.
5ª G/Bn/ Linomar do Espírito Santo Ferreira/Lino), c/c e tiveram filhos, 6ª G/Trinetos/Tn.
4ª G/Bn5/ Rosilda Pontes da Costa/Rosa Palmeirão, n. em 17/5/19...,c/c José de Jesus das Chagas/Zé Chagas e tiveram 5 filhos, 5ª G/Trinetos de Constantino de Pontes e Maxica: Josilda de Nazaré/Jopó, Joselina Maria/Lina, Josenildo/Nildo, João Batista/Batista e Joseney da Costa Chagas/Nei.
5ª G/Tn, filhos de Rosa e Zé Chagas
5ª G/Tn1/ Josilda de Nazaré Chagas/Jopó, c/c José Maria Silva/Zemaria e tiveram 3 filhos, 6ª G/Tetranetos/Ttn: José Cristiano, Luciano e Francisco de Assis Chagas Silva.
5ª G/Tn2/ Joselina Maria da Costa Chagas/Lina, n. em 9/9/1952, c/c Lauremir da Silva Araújo/Biba, residentes à R. 1º de maio nº 1519 e tiveram 4 filhos, 6ª G/Tetranetos/Ttn: Everaldo dos Santos Araújo Neto, Eduardo/Edu, Sandra Helena e Leônidas Chagas Araújo.
5ª G/Tn3/ Josenildo da Costa Chagas/Nildo, c/c Rosilene Natalina Rocha, filha de Ademar Lobato Rocha e Risoleta de Araujo Rocha (vide família Rocha) e tiveram filhos, 6ª G/Tetranetos, e alguns destes casados e c/filhos, 7ª G/Pentanetos/Pn.
5ª G/Tn4/ João Batista da Costa Chagas, n. em 24/6/19... e c/c Ana Musse em 6/1982.
5ª G/Tn5/ Joseney da Costa Chagas/Nei, c/c Paula.
4ª G/Bn3/, filhos de Domingas e Sebastião
4ª G/Bn/ Sebastiana Pontes Costa/Sinhá, C/C Júlio Guerreiro e tiveram 3 filhos, 5ª G/Trinetos/Tn: Jacirema, João e Janete.
4ª G/Bn4/ Terezinha Pontes Costa/Zinha, c/c Vicente Coroa e tiveram filhos, 5ª G/Trinetos/Tn: Walter, Vicente, Telma e Paulo.
3ª G/Netos/N/ Filhos de João N. Pontes e Benvinda
3ª G//N4/ JOÃO DE LIMA PONTES, f. solteiro, mas teve filhos,4ª G/Bisnetos/Bn c/três mulheres:
4ª G/Bn/ Filhos de João de Lima Pontes e Emiliana Lobato/Milica:
4ª G/Bn/ Roselira Lobato/Rosinha, n. em 22/10/19... , solteira, mora em Bragança/Pa. Vide fam. Lobato.
4ª G/Bn/ Filhos de João de Lima Pontes c/Tuté Castro:
4ª G/Bn/ Astrogildo Castro/Astró, c/c Arina e tiveram uma filha, 5ª G/Trineta/Tn: Maria Astrogilda Castro.
5ª G/Tn/ Filhos de Astrogildo Castro/Astró c/Arina:
5ª G/Tn/ Maria Astrogilda Castro c/c José Manoel Correa Macedo, em 2/1971 e tiveram 5 filhos, 6ª G/Tetranetos/Ttn: José Maria, Arineide do Socorro, Jociclélia do Socorro/falecida, Jociclélio, José Manoel Júnior e mais 2 filhos, 6ª G/Ttn: Clélia Joice e Jociclélia Castro Macedo.
6ª G/Ttn/ Filhos de Maria Astrogilda Castro com José Manoel Correa Macedo:
4ª G/Bn, Filhos de João de Lima Pontes c/Zita Modesto: Gesuíno Modesto.
3ª G/Netos/N/ Filhos de João N. Pontes e Benvinda
3ª G/N5/ ANDRELINO DE LIMA PONTES/Dedé Pontes, n. em 4/2.190.. Em 1926 era consórcio do Vera Cruz Sport Club. C/c Luzia Prisca de Araújo, ambos f. e tiveram 5 filhos, 4ª G/Bisnetos/Bn: Sebastião/Sabito, Orivaldo/Vivito, Luzelina/Luzi, Lucilina/Lucia) e Leuzilina Araújo Pontes/Leuza.

4ª G/Bn/ Filhos de Dedé Pontes e Luzia Prisca
4ª G/Bn1/ Sebastião de Araújo Pontes (Sabito), que nasceu em 18.01.1930, solteiro, mas que teve uma filho, Cristian Pontes e uma filha...(5ª geração).
4ª G/Bn2/ Orivaldo de Araújo Pontes/Vivito, n. em 3/6/1931, c/c Maria Sílvia Bentes e tiveram uma filha, 5ª G/Trineta/Tn: Margareth Bentes Pontes.
5ª G/Ttn/ Filha de Vivito e Maria Sílvia:
5ª G/Ttn/ Margareth Bentes Pontes, n. em 2/1963, c/c Tomás Guerreiro de Oliveira em 2/1969 e tiveram uma filha, 6ª G/Pentaneta/Pn: Bruna Pontes de Oliveira, n. em 6/1991.
4ª G/Bn/ Filhos de Dedé Pontes e Luzia
4ª G/Bn3/ Luzelina Araújo Pontes/Luzi, n. em 6/11/19... , c/c Waldir dos Santos Brito e tiveram 5 filhos, 5ª G/Trinetos/Tn: Vera Lúcia, Vilma Leda, Waldir Júnior, Liana, e LíliaPontes Brito.
5ª G/Tn/ Filhos de Luzi e Waldir:
5ª G/Tn/ Vilma Leda Pontes Brito, c/c s/primo Miguel Pontes Pimentel em 6/12/1975, filho de Pautila Pontes Pimentel e Silvio Pimentel e tiveram 2 filhos, 6ª G/Tetranetos/Ttn: Miguel Filho, Marcelo.
4ª G/Bn4/ Lucilina de Araújo Pontes/Lucia, n. em 18/10/19...,c/c Antonio Gadelha e tiveram 3 filhas, 5ª G/Trineta/Tn: Luciana, Gleice e Liana Pontes Gadelha.
4ª geração, filhos de Dedé Pontes e Luzia
4ª G/Bn5/ Luzilina de Araújo Pontes/Leuza, n. em 14/7/19..., c/c Helio Lopes e tiveram 1 filho, 5ª G/Trinetos/Tn: André Luis Pontes Lopes.

3ª G/Netos/ Filhos de João N. Pontes e Benvinda:
3ª G/N6/ WALDOMIRA DE LIMA PONTES, f. criança.

3ª G/N7/ PAUTILA DE LIMA PONTES/Lilita/Mimoca, n. em 20/5/19...., f. c/78 anos de idade, em 2./2/1993/Bragança/Pa, foi s. em Belém/Pa. C/c Sílvio Pimentel e tiveram 5 filhos, 4ª G/Bisnetos/Bn: Sílvia Maria, Ivo, Miguel, Sandra e Cileno Pontes Pimentel.
4ª G/Bn/ Filhos de Lilita e Sílvio
4ª G/Bn1/ Sílvia Maria Pontes Pimentel,n. em 2/10/19..., c/c Marionaldo Negrão de Souza/Mário Rá e tiveram 5 filhos, 5ª G/Trinetos/Tn: Silmar, Silmário, Samara, Silmara e Leonardo Pimentel de Sousa.
5ª G/Tn/ Silmara, tem uma filha, 6ª G/Tetranetos/Ttn, chamada Pautila.
4ª G/Bn2/ Ivo Pontes Pimentel, n em 19/5/19... , c/c Fátima Barros Pimentel e tiveram 3 filhas, 5ª G/Trinetas/Tn: Gilvana, Silvana e Ivana Silva Pimentel.
4ª G/Bn3/ Miguel Pontes Pimentel/Miguito, n. em 1/1951, c/c sua prima Vilma Leda Pontes Brito, em 6/12/1975, com sua prima e tiveram 2 filhos, 5ª G/Trinetos/Tn: Miguel Filho e Marcelo Brito Pimentel.
4ª G/Bn4/ Sandra Pontes Pimentel, n. em 21/10/19... , c/c Evaldo Paes Maués, filho de Almerindo Maués e Mariana Paes Maués e tiveram 3 filhos, 5ª G/Trinetos/Tn: Edson, Evaldo Paes Maués Júnior e Sandro Pimentel Maués.
4ª G/Bn5/ Cileno Pontes Pimentel/Cica, n. em 6/3/19.... e faleceu em 9/11/2009, c/c Benedita e tiveram 3 filhos: Pedro Ivo, SÍlvio Luiz e Bárbara.
4ª G/Bn/ André Pontes Pimentel, casou e tem filhos, 5ª G/Trinetos/Tn: André Pontes Pimentel Neto.

3ª G/Netos/N/ Filhos de João N. Pontes e Benvinda Lima
3ª G/N7/ SEBASTIÃO DE LIMA PONTES/Sabito, f. criança.
3ª G/N8/ RAIMUNDO DE LIMA PONTES/Cacau, n. em 20/3/1903, f. em 9/5/1991, citado em 1946 como contribuinte e juiz da festa de N.S. da Conceição, c/c Violeta Costa, f. em 17/10/1963 e tiveram 6 filhos, 4ª G/Bisnetos/Bn: Miguel Ovídio, Olegarina, Eliete, José Benedito, Deusa e Maria da Glória Costa Pontes.
4ª geração, filhos de Cacau e Violeta
4ª G/Bn1/ Miguel Ovídio da Costa Pontes/Miguel do Cacau, n. em 3/6/1940, c/c Sebastiana Silva e tiveram 6 filhos, 5ª G/Trinetos/Tn: Liduína de Fátima, Marilda Simone, Elizabeth, Marília, Elis Regina e Roselim Silva Pontes.
5ª G/Tn/ Filhos de Miguel do Cacau e Sebastiana:
5ª G/Tn/ Marília Silva Pontes, licenc. em Biologia, profa. da SEDUC, trabalhando na Escola S. Francisco Xavier, c/c Francinaldo e tiveram um filho, 6ª G/Tetranetos/Ttn: Daniel.
4ª G/Bn2/ Olegarina da Costa Pontes, c/c Otávio dos Santos Dias/Tavico, tiveram 7 filhos, 5ª G/Trinetos/Tn: Vera Lúcia, Luís Otávio, Maria do Socorro, Paulo Henrique, Conceição de Fátima, Sérgio Renato Pontes Dias e Otávio Santos Dias Júnior.
5ª G/Trinetos/Tn/ Filhos de Olegarina e Tavico:
5ª G/Tn1/ Vera Lúcia Pontes Dias, c/c Lucivaldo Araujo Maués.
4ª G/Bn3/ Eliete da Costa Pontes, n. em 9/1954, é solteira.
4ª G/Bn4/ José Benedito da Costa Pontes/Neca, c/c Iná Miranda e tiveram filhos, 5ª G/Trinetos/Tn:....
4ª G/Bisnetos/Bn/ Filhos de Cacau e Violeta
4ª G/Bn5/ Deusa da Costa Pontes, c/c Manoel de Jesus Rodrigues, tiveram 5 filhos, 5ª G/Trinetos/Tn: Aldelena, Deusa de Jesus, Manoel de Jesus Júnior, Raimundo e Joseane Pontes Rodrigues.
4ª G/Bn6/ Maria da Glória da Costa Pontes/Glória, c/c Carlos Alberto Amoedo, tiveram 2 filhos, 5ª G/Trinetos/Tn: Karla Pontes Amoedo e Carlos Alberto Amoedo Júnior.

1ª G/ CONSTANTINO DE PONTES, n. no Rio Guajarázinho/Abaeté/Pa, c/c MAXIMINA BARBOSA/Maxica e tiveram 7 filhos, 2ª G/Filhos/F: João Nepomuceno, Pedro Nonato, Rosa, Maria, Francelina Maria, Herundina, Manoel Pontes/Duca.
2ª G/Filhos/F/ Filhos de Constantino e Maximiana (Maxica)
2ª G/F2/ PEDRO NONATO BARBOSA PONTES, c/c Maria Marques/Marocas, tiveram 8 filhos, 3ª G/Netos/N: João, Raimundo/Dico Pontes, Domingas, Bernardete, Neuza, Mamédia, Rosa Marques Pontes e, Pedro Pontes Filho/Gauzinho.
3ª G/Netos/N, Filhos de Pedro Nonato e Marocas
3ª G/N1/ João Marques Pontes, c/c Joana Araújo e tiveram vários filhos, 4ª G/Bisnetos/Bn, e entre eles: Carlos Araújo Pontes.

3ª G/N2/ Raimundo Marques Pontes/Dico Pontes, c/c s/prima Laudemira Barbosa Pontes/Lelé, filha de Herundina Barbosa Pontes e tiveram 3 filhos, 4ª G/Bisnetos/Bn: José Maria Pontes Pontes, Maria José e Luiz/Quatipuru. Vide Laudemira/Lelé.,imundo POntes e Náira Simone
3ª G/N/ Neuza Marques Pontes, c/c Raimundo dos Santos/Pombo Rosa, tiveram 12 filhos, 4ª G/Bisnetos/Bn: Maria de Nazaré, Raimundo Nonato, Benedito, Fernando, Carlos Alberto, Mariano, João Batista, Ana Maria, Marilza, Maria Helena, Maria Auxiliadora e Júlia Maria Pontes dos Santos.

4ª G/Bn/ Filhos de Neuza e Raimundo dos Santos/Pombo Rosa:
4ª G/Bn/ Fernando Pontes dos Santos/Fernando Pontes, c/c Marlene Silva e tiveram 4 filhos, 5ª G/Trinetos/Tn: Fernando Júnior, Luís Nazareno, Paulo Sérgio, e Leila Conceição Silva dos Santos.
5ª G/Tn/ Filhos de Fernando Pontes e Marlene:
5ª G/Tn/ Fernando Pontes dos Santos Júnior, c/c Iranildes Duarte, tiveram 3 filhos, 6ª G/Tetranetos/Ttn: Diego Duarte dos Santos, Deiverson e Alexandre.
3ª G/Netos/N/ Filhos de Pedro Nonato e Marocas:
3ª G/N/ Pedro Nonato Barbosa Pontes Filho/Guazinho, c/c Eglantina Cunha, tiveram 4 filhos, 4ª G/Bisnetos: Pedro, Ocimar, Edvaldo e Iolanda Cunha Pontes.

1ª G/ CONSTANTINO DE PONTES, n. no Rio Guajarázinho/Abaeté/Pa, c/c MAXIMINA BARBOSA/Maxica e tiveram 7 filhos, 2ª G/Filhos/F: João Nepomuceno, Pedro Nonato, Rosa, Maria, Francelina Maria, Herundina, Manoel Pontes/Duca.
2ª G/F3/ ROSA PONTES/mulher, c/c Tito Marques e tiveram 6 filhos, 3ª G/Netos/N: Sebastiana, Estelina, Teodolina, Davina, Rosa Pontes Marques e Dulce Pontes Marques.
3ª geração, filhos de Rosa e Tito Marques:
3ª G/N1/ Sebastiana Pontes Marques/Sabá, c/c Antonio Dias e tiveram 4 filhos, 4ª G/Bisnetos/Bn: Jardelina, Antônio, Zizina e Luiz Marque Dias.

4ª G/Bn/ Filhos de Sabá/mulher e Antonio Dias
4ª G/Bn/ Antonio Marques Dias/Antonico, c/c Joana André Dias, filha de Horácio André, tiveram 11 filhos, 5ª G/Trinetos/Tn: Aluízio, Adevaldo, Alair, Alcivaldo, Rosinéia, Elízia, Luiz, Antônio, João Paulo, Joseane e Ana Carla André Dias. Muitos destes já casaram e têm filhos, 6ª G/Tetranetos/Ttn.

3ª G/N/ Filhos de Rosa/mulher e Tito Marques
3ª G/N2/ Estelina Pontes Marques, teve 8 filhos, 4ª G/Bisnetos/Bn: Tito Marques Pontes/Quarenta, Hermínia, Durvalina/Santinha, Lucila, Manoel, Miguel, Pedro e Francisca /Chiquita.

4ª G/Bn/ Filhos de Estelina Pontes Marques
4ª G/Bn/ Tito Pontes Marques/Quarenta, casou e teve 2 filhos, 5ª G/Trinetos/Tn: José e Mário Pontes. Quarenta teve outros filhos, 5ª G/Tn, c/Risoleta e outras mulheres.
4ª G/Bn/ Filhos de Estelina
4ª G/Bn/ Francisca Pontes Marques/Chiquita, n. em 10/10/1943, foi criada por s/tios João Nepomuceno e Benvinda. Teve 2 filhos, 5ª G/Trinetos/Tn: Ana Rosa e Agnaldo de Jesus Pontes. Chiquita c/c Firmo Ribeiro Neves, tiveram 6 filhos, 5ª G/Tn: Carlos Nonato/falecido, Carlos José, Climely do Socorro, Suely do Socorro,, Darc do Socorro e Waldemira do Socorro Marques Neves.

5ª G/Trinetos/Tn/ Filhos de Chiquita
5ª G/Tn/ Ana Rosa Marques Pontes, c/c Ronaldo Vara, tiveram 3 filhos, 6ª G/Tetranetos/Ttn: Sílvio, Sandro e Mariane Pontes Vara.
5ª G/Tn/ Filhos de Chiquita e Firmo Ribeiro Neves:
5ª G/Tn/ Carlos José Marques Neves, c/c Cleide Silene Drago, tiveram 1 filha, 6ª G/Tetranetos/Ttn: Cleideane Marques Neves.
5ª G/Tn/ Filhos de Chiquita
5ª G/Tn/ Climely do Socorro Marques Neves, c/c Manoel Vilhena de Moraes, tiveram uma filha, 6ª G/Tetranetos/Tn: Deiziane Neves de Moraes.

1ª G/ CONSTANTINO DE PONTES, n. no Rio Guajarázinho/Abaeté/Pa, c/c MAXIMINA BARBOSA/Maxica e tiveram 7 filhos, 2ª G/Filhos/F: João Nepomuceno, Pedro Nonato, Rosa, Maria, Francelina Maria, Herundina, Manoel Pontes/Duca.
2ª geração, filhos de Constantino e Maxica
2ª G/F4/ MARIA BARBOSA PONTES, c/c Ricardino Araújo Margalho e tiveram 4 filhos, 3ª G/Netos: Waldomira, Aurora, Rosa e Ricardino Pontes Margalho/Cadico.

3ª G/N/ Filhos de Maria Barbosa Pontes e Ricardino:
3ª G/N1/ Waldomira Pontes Margalho, c/c Alexandre Coroa, teve 1 casal de filhos, 4ª G/Bisnetos/Bn: Odete e Osvaldo.

4ª G/Bn/ Filhos de Waldomira e Alexandre Coroa:
4ª G/Bn/ Odete Margalho Coroa, reside na R. Manoel Raposo/Abaetetuba/Pa, à beira-mar, teve filhos, 5ª G/Trinetos/Tn: Inês, Joana e José.

4ª G/Bn/ Osvaldo Margalho Coroa, é estrábico, mora na Vila de Conde/Barcarena/Pa.

3ª G/N/ Filhos de Maria e Ricardino de Araujo Margalho:
3ª G/N2/ Aurora Pontes Margalho, c/c Raimundo Lima, tiveram 6 filhas, 4ª G/Bisnetos/Bn: Esmaltina, Consuelo, Jacirema, Osvaldina Margalho Lima/Vavá, Maria da Conceição e Iracema Margalho Lima.

4ª G/Bn/ Filhos de Aurora e Raimundo Lima:
4ª G/Bn/ Osvaldina Margalho Lima/Vavá, gêmea, c/c Raimundo Ferreira dos Santos, tiveram duas filhas, 5ª G/Trinetos/Tn: Raimunda e Rosiney Lima dos Santos.

5ª G/Tn/ Filhos de Vavá e Raimundo:
5ª G/Tn/ Raimunda Lima dos Santos, c/c Nilson Soares, tiveram 1 filho, 6ª G/Tetranetos/Ttn: Mádson Bruno Santos Soares.

3ª G/N/ Filhos de Maria e Ricardino Araujo Margalho:
3ª G/N3/ Rosa Pontes Margalho/mulher, c/c Gregório Campos, tiveram 3 filhas, 4ª G/Bisnetos/Bn: Gleide, Rosália e Irene Margalho Pontes.

3ª G/N4/ Ricardino Pontes Margalho/Cadic, c/c Hélia Carneiro Fernandes, tiveram 9 filhos, 4ª G/Bisnetos/Bn: Oscarina, Geraldo, Maria de Nazaré, Luzia, Ricardino, Raimundo/Cabundo, Maria do Socorro, Leida e José Agostinho Fernandes Margalho.

4ª G/Bn/ Filhos de Ricardino Pontes Margalho/Cadico e Hélia
4ª G/Bn1/ Oscarina Margalho Ferreira, c/c Manoel do Livramento Ferreira/Livramento, que tiveram filhos, 5ª G/Trinetos/Tn: Édson Ney, Darley e Neco Margalho Ferreira.
4ª G/Bn2/ Geraldo Fernandes Margalho, c/c Marita Dias, tiveram 5 filhos, 5ª G/Trinetos/Tn: Genilson, Genilda, Germano, Jorge e Geraldino Dias Margalho.
4ª G/Bn3/ Maria de Nazaré Margalho, c/c Ponciano Figueiró, tiveram 2 filhos, 5ª G/Trinetos/Tn: Lucivaldo e Luciene Margalho Figueiró.
4ª G/Bn4/ Luzia Fernandes Margalho, c/c Orêncio Nobre Coutinho/Orencinho, filho de Orêncio Pimentel Coutinho, tiveram 3 filhos, 5ª G/Trinetos/Tn: Mariléa, Mauro Margalho Coutinho e Orêncio Nobre Coutinho Júnior.
4ª G/Bn5/ Ricardino Fernandes Margalho/Ricardo, c/c Cristina Machado, filha de Francisco Thiago Machado/Chico Pompeu e Adair, tiveram 3 filhos, 5ª G/Trinetos/Tn: Márcia, Francisco Ricardo e Náira Simone Machado Margalho.
4ª G/Bn6/ Raimundo Fernandes Margalho/Cabundo, c/c Necy de Lima Freitas, tiveram 3 filhos, 5ª G/Trinetos/Tn: Edu, Ana e Ana Paula Freitas Margalho.
4ª G/Bn7/ Leida Fernandes Margalho, n. em 5/7/1955, c/c Raimundo Airton Marinho, tiveram 1 casal de filhos, 5ª G/Trinetos/Tn: Everton e Adriana Margalho Marinho (5ª geração).
4ª G/Bn8/ José Agostinho Fernandes Margalho, c/c Doriana Maués, tiveram uma filha, 5ª G/Trinetos: Jociane Margalho Maués.

1ª G/ CONSTANTINO DE PONTES, n. no Rio Guajarázinho/Abaeté/Pa, c/c MAXIMINA BARBOSA/Maxica e tiveram 7 filhos, 2ª G/Filhos/F: João Nepomuceno, Pedro Nonato, Rosa, Maria, Francelina Maria, Herundina, Manoel Pontes/Duca.
2ª G/F5/ FRANCELINA MARIA PONTES, c/c João Bernardino Dias, tiveram 9 filhos, 3ª G/Netos/N: Antonio Alves Dias, Franklin/França, Alcides, Aparício, Marcionilo, João Filho/Juca, Isaura, Olívia, Maria/Guíta e Aurora.
3ª G/N/ Filhos de Francelina Maria e João Bernardino Dias
3ª G/N1/ Antonio Alves Dias,c/c Laura Ferreira, tiveram 8 filhos, 4ª G/Bisnetos/Bn: Almira/Mira, Altamira, Aldemira, Almir, Airton, Ari, Aldemarina e Arina Ferreira Dias.
4ª G/Bn/ Filhos de Antônio Alves Dias e Laura Ferreira
4ª G/Almira Ferreira Dias/Mira, c/c Miguel Ferreira, tiveram uma filha, 5ª G/Trinetos/Tn: Dirce Dias Ferreira.

1ª G/ CONSTANTINO DE PONTES, n. no Rio Guajarázinho/Abaeté/Pa, c/c MAXIMINA BARBOSA/Maxica e tiveram 7 filhos, 2ª G/Filhos/F: João Nepomuceno, Pedro Nonato, Rosa, Maria, Francelina Maria, Herundina, Manoel Pontes/Duca.
2ª G/Filhos/F/ Filhos de Constantino e Maximina Barbosa/Maxica
2ª G/F6/ HERUNDINA BARBOSA PONTES, teve filhos, 3ª G/Netos/N, c/Ricardino de Araújo Margalho: Aquibaldino/Badico e José Maria Pontes Margalho.
3ª G/N/ Filhos de Herundina e Ricardino de Araujo Margalho:
3ª G/N1/ Aquibaldino Pontes Margalho/Badico, c/c Maria Felícia Cardoso/Mariquinha Cardoso, tiveram uma filha, 4ª G/Bisnetos/Bn: Maria Luzia Cardoso Margalho/Luizinha.
4ª G/Bn/ Filhos de Badico e Maria Felícia:
4ª G/Bn1/ Maria Luzia Cardoso Margalho Silva/Luizinha, c/c Francisco Negrão da Silva/Fran, tiveram 4 filhos, 5ª G/Trinetos/Tn: Gisele/Giza, Francisco, Graziele do Socorro e Fábio Margalho Silva.
2ª G/F/ Filhos de Constantino e Maxica
2ª G/F6/ Herundina Barbosa Pontes, c/c Adriano Figueiredo Dias, tiveram 4 filhos, 3ª G/Netos/N: Laudemira/Loló, Marcos, Alcindo e Rosa Barbosa Dias.
3ª G/N/ Filhos de Herundina e Adriano:
3ª G/N/ Laudemira Barbosa Dias/Loló, c/c s/primo Raimundo Pontes/Dico Pontes, f,imundo POntes e Náira Simone m Mestre Ceesse caminhilho de Pedro Nonato Barbosa Pontes e tiveram 3 filhos, 4ª G/Bisnetos/Bn: José Maria, Maria José e Luiz Dias Pontes-Quatipurú.
3ª G/N/ Marcos Barbosa Dias, morava na Ilha da Pacoca/Abaetetuba/Pa, c/c Catarina da Costa/falecida, tiveram 4 filhos, 4ª G/Bn: José Benedito, Maria da Graça, Mário e Luiz Gonzaga Costa Dias/Barriga.
3ª G/N/ Como Catarina faleceu, Marcos Barbosa Dias casou, pela 2ª vez, agora c/Dorotéia, tiveram 6 filhos, 4ª G/Bisnetos/Bn: José/Zeca, Maria de Nazaré, Celina, Sérgio e Marcos.
3ª G/N/ Alcindo Barbosa Dias,
3ª G/N/ Rosa Barbosa Dias

1ª G/ CONSTANTINO DE PONTES, n. no Rio Guajarázinho/Abaeté/Pa, c/c MAXIMINA BARBOSA/Maxica e tiveram 7 filhos, 2ª G/Filhos/F: João Nepomuceno, Pedro Nonato, Rosa, Maria, Francelina Maria, Herundina, Manoel Pontes/Duca.
2ª G/F7/ MANOEL PONTES/Duca Pontes.

Família Pontes
Os Pontes
. Celita Pontes, citada em 1953 como contribuinte da festa de N. S. da Conceição em Abaetetuba através de Dulcinda Carvalho.
Família e Demais Parentes de JOÃO NEPOMUCENO DE PONTES
• Alpha de Araujo Pontes, nasceu em 9/7/1921, filha de Emiliano de Lima Pontes e Zizina Ribeiro de Araujo, citada em documento de 1944, casou Lourival da Silva Ferreira e tiveram filhos.
• André Pontes, antigo jogador de futebol.
• Andrelino de Lima Pontes/Dedé Pontes, filho de João Nepomuceno de Pontes e Benvinda de Lima, era soldador de utensílios em ferro e alumínio, consórcio do Vera Cruz Sport Club anos de 1920, c/c Luzia Prisca de Araújo e tiveram 5 filhos.
• Ariosto Lima Pontes, filho de Miguel de Lima Pontes e Judith Dutra e com filhos com Marizete Rabelo: Antonio César, Hélder e Luis Fernando Rabelo Pontes.
• Ariosto de Lima Pontes, filho de Miguel de Lima Pontes e Judith Dutra, c/c Marizete Rabelo e tiveram filhos.
• Benvinda de Araujo Pontes/Santinha, nasceu em 21/7/1923, filha de Emiliano de Lima Pontes e Zizina Ribeiro de Araujo, nasceu em 21/7/1923 na casa de s/avós paternos João e Benvinda, à Tv 22 de Junho/hoje Tv. Major Frederico A. Gama/Abaeté, professora por 25 anos em Abaeté, diretora de escola, secretária municipal de Mariuadir Miranda Santos (1964-1967) e nas duas gestões do prefeito Hildo Tavares Carvalho (1967-1970 e 1973-1977).
• Bernardete Marques Pontes, filha de Pedro Nonato de Pontes e Maria Marques/Marocas.
• Cláudio José Moura Pontes, filho de Clélio Airton Dutra Pontes e Célia Maria Moura, casou uma 1ª vez e teve uma filha: Larissa Vieira Pontes e casou uma 2ª vez com Karina Kisan e tiveram um filho: Leonan Kisan Pontes.
• Clélia de Araujo Pontes, nasceu em 27/8/1925, filha de Emiliano de Lima Pontes e Zizina Ribeiro de Araujo.
• Clélio Airton Dutra Pontes, filho de Miguel de Lima Pontes e Judith Dutra nasceu em 6/6/192..c/c Célia Maria Moura em 22/5/1962 e com 5 filhos: Regina do Socorro, Paulo Sérgio, Cláudio José, Mauro Airton e Maurício Moura Pontes.
• Constantino de Pontes, nasceu na localidade Rio Guajarázinho/Abaeté/Pa, casou Maximina Barbosa/Maxica e tiveram filhos: João Nepomuceno, Pedro Nonato, Rosa, Maria, Francelina Maria, Herundina e Manoel Barbosa de Pontes/Duca.
• Demóstenes de Jesus Lima Pontes, filho de Miguel de Lima Pontes e Judith Dutra, c/c Maria Gilda Nobre e que tiveram 4 filhos: Marco Antonio, Reinaldo, Gilberto, Denise e Marcela Nobre Pontes.
• Denise Nobre Pontes, filha de Demóstenes de Jesus Lima Pontes e Maria Gilda, casada e com filhas: Paula, Pâmela e Giovanna Pontes Diniz.
• Deodato de Araujo Pontes, nasceu em 27/10/1927, filho de Emiliano de Lima Pontes e Zizina Ribeiro de Araujo, casou com Palmerinda Lobo e tiveram um filho..
• Domingas de Lima Pontes, nasceu em 13/8/1903, filha de João Nepomucenos de Pontes e Benvinda de Lima, falecida em 4/7/1989 em Belém/Pa, c/c Sebastião Bicho da Costa/Rocha e tiveram 7 filhos.
• Domingas Marques Pontes, filha de Pedro Nonato de Pontes e Maria Marques/Marocas.
• Durvalina Marques Pontes/Santinha, filha de Estelina Pontes Marques.
• Edivaldo Cunha Pontes, filho de Pedro Pontes Filho?Guazinho e Eglantina Cunha.
• Emiliano de Lima Pontes, filho de João Nepomuceno Pontes e Benvinda de Lima, comerciante marítimo dono das canoas Madrugada e Cidade de Abaeté, citado em 1922-1931, 1944, esotérico, citado em 1939 como contribuinte e membro da Comissão Cooperadora da festa de N. S. da Conceição em Abaetetuba e citado em 1962 na mesma função, c/c Zizina Ribeiro de Araujo e tiveram filhos.
• Expedito de Araujo Pontes, filho de Emiliano de Lima Pontes e Zizina Ribeiro de Araujo, casou com Ivone Lopes Lobato e tiveram filhos .
• Felício de Araujo Pontes, filho de Emiliano Pontes e Zizina Ribeiro de Araujo, citado em 1946, casou com Climenie Bernardete Figueredo de Araujo e tiveram filhos.
• Francelina Maria Barbosa Pontes, filha de Constantino de Pontes e Maximina Barbosa, c/c João Bernardino Dias, tiveram 9 filhos: Antonio Alves Dias, Franklin/França, Alcides, Aparício, Marcionilo, João Filho/Juca, Isaura, Olívia, Maria/Guíta e Aurora.
• Genuíno de Araujo Pontes, filho de Emiliano Pontes e Zizina Ribeiro de Araujo, casou uma 1ª vez com Antonia Justo da Silva e tiveram filhos.
• Gilberto Nobre Pontes, filho de Demóstenes de Jesus Lima Pontes e Maria Gilda Nobre, citado em 2010, casado e com dois filhos: Natália e Leonardo Ganin Pontes.
• Hermínia Marques Pontes, filha Estelina Pontes Marques.
• Herundina Barbosa Pontes, filha de Constantino de Pontes e Maximina Barbosa, c/c Adriano Figueuredo Dias e teve filhos.
• Iolanda Cunha Pontes, filha de Pedro Pontes Filho/Guazinho e Eglantina Cunha.
• João de Lima Pontes, filho de João Nepomuceno de Pontes e Benvinda de Lima, casou e teve filhos.
• João Marques Pontes, filho de Pedro Nonato de Pontes e Maria Marques/Marocas, c/c Joana Araujo e tiveram vários filhos.
• João Nepomuceno de Pontes/João Pontes, nasceu em 6/5/1874 e faleceu em 28/5/1967 com 93 anos, antigo morador da Travessa da Glória em Abaeté, presente na instalação da cidade de Abaeté em 15/8/1895, guarda-livros, ator vice-presidente do Grupo Scênico de Abaeté anos de 1920, secretário da Assembléia Geral da Associação Sportiva de Abaeté em 1927, cartorário, 2º vice-presidente do diretório municipal do PSD-Partido Social Democrático no tempo do baratismo em 1/5/1945, secretário municipal no governo do prefeito Pedro Pinheiro Paes (1948-1951), esotérico, casou em 14/4/1894 com Benvinda de Lima e tiveram 9 filhos e essa união durou 56 anos.
• Leuzilina de Araujo Pontes/Leuza, filha de Andrelino de Lima Pontes e Luzia Prisca de Araujo, c/c Hélio Lopes e tiveram filho.
• Lucila Marques Pontes, filha de Estelina Pontes Marques.
• Lucilina de Araujo Pontes/Luci, filha de Andrelino de Lima Pontes e Luzia Prisca de Araujo, c/c Antonio Gadelha e tiveram filhos.
• Luzia Araujo Pontes, citada em documento de 1944.
• Luzilina de Araujo Pontes/Luzi, filha de Andrelino de Lima Pontes e Luzia Prisca de Araujo, c/c Waldir dos Santos Brito e tiveram filhos.
• Mamédia Marques Pontes, filha de Pedro Nonato de Pontes e Maria Marques/Marocas.
• Manoel Barbosa Pontes/Duca, filho de Constantino de Pontes e Maximina Barbosa.
• Manoel Marques Pontes, filho de Estelina Pontes Marques.
• Marcela Nobre Pontes, filha de Demóstenes de Jesus Lima Pontes e Maria Gilda, casada e com 1 filho: Vitor Pontes Ferreira
• Marco Antonio Nobre Pontes, filho de Demóstenes de Jesus Lima Pontes e Maria Gilda Nobre, c/c Maria de Lourdes Barbalho e com filhos: Lucival, Luciana, Louise e Luma Barbalho Pontes.
• Maria de Lourdes Dutra Pontes/Lurdinha, filha de Miguel de Lima Pontes e Judith Dutra, nasceu em 23/9/1930, c/c Sindebaldo Nunes Ferreira, este filho de Arthur Nunes Ferreira, que morou no Rio Grande do Sul e que tiveram os seguintes filhos: Miguel, Ângelo, Ernesto e Aluízio Pontes Ferreira.
• Maria Barbosa Pontes, filha de Constantino de Pontes e Maximina Barbosa, c/c Ricardino Araujo Margalho e tiveram 4 filhos: Waldomira, Aurora, Rosa e Ricardino Pontes Margalho/Cadico.
. Maria de N. Pontes, citada como contribuinte em 1953 da festa de N. S. da Conceição através de Sisínia Silva.
. Maria Gilda Nobre Pontes, casada com Demóstenes de Jesus Lima Pontes e com filhos.
• Mauro Airton Moura Pontes, filho de Clélio Airton Dutra Pontes e Célia Maria Moura, c/c Andréa Coimbra e tiveram 2 filhos: Clélio Aiton de Lima Pontes Neto e Caio Coimbra Pontes.
• Miguel de Lima Pontes/Miguel Pontes, filho de João Nepomuceno de Pontes e Benvinda de Lima, nasceu em 29/9/1899, Capitão do Exército, sapateiro e tocava tarol e foi um dos fundadores da Banda Virgem da Conceição em 15/9/1949, c/c Judith Dutra e tiveram 6 filhos: Célio/falecido criança, Maria de Lourdes/Lourdinha, Clélio Airton, Demóstenes de Jesus, Moisés Amazonas e Ariosto de Lima Pontes.
• Miguel Marques Pontes, filho de Estelina Pontes Marques.
• Miguel Pontes Ferreira, filho de Maria de Lourdes Dutra Pontes/Lourdinha e Sindebaldo Nunes Ferreira, que é casado e com 3 filhos, entre os quais Artur.
• Moisés Amazonas Lima Pontes, filho de Miguel de Lima Pontes e Judith Dutra, nasceu em 2/8/1935, c/c Eli Munhoz Lopes e tiveram 2 filhos: Fernando Antonio e Davi José Lopes Pontes.
• Neuza Marques Pontes, filha de Pedro Nonato de Pontes e Maria Marques/Marocas, c/c Raimundo dos Santos/Pombo Rosa e tiveram filhos.
• Ocimar Cunha Pontes, filho de Pedro Pontes Filho/Guazinho e Eglantina Cunha.
• Orivaldo de Araujo Pontes/Vivito, nascido em 3/6/1931, filho de Andrelino de Lima Pontes e Luzia Prisca de Araujo, citado em 1944.
• Paulo Sérgio Moura Pontes, filho de Clélio Airton Dutra Pontes e Célia Maria Moura, c/c Jeannine Fonteles.
• Pautila de Lima Pontes/Lilita/Mimoca, filha de João Nepomuceno de Pontes e Benvinda de Lima, falecida c/78 anos de idade, em 2/2/1993/Bragança/Pa, foi sepultada em Belém/Pa, c/c Sílvio Pimentel e tiveram 5 filhos.
• Pedro Cunha Pontes, filho de Pedro Pontes Filho/Guazinho e Eglantina Cunha.
• Pedro Marques Pontes, filho de Estelina Pontes Marques.
• Pedro Nonato Barbosa Pontes, filho de Constantino de Pontes e Maximina Barbosa, c/c Maria Marques/Marocas, tiveram 8 filhos: João, Raimundo/Dico Pontes, Domingas, Bernardete, Neuza, Mamédia, Rosa Marques Pontes e, Pedro Pontes Filho/Gauzinho.
• Pedro Pontes Filho/Gauzinho, filho de Pedro Nonato de Pontes e Maria Marques/Marocas, c/c Eglantina Cunha e tiveram 4 filhos.
• Raimunda de Lima Pontes/Mundica, nasceu em 4/5/1897, em Abaeté/Pa, c/c Prudente Ribeiro de Araújo em 18/1/1926, irmão de s/cunhada Zizina de Araujo Pontes em 18/1/1926, no civil e em 27/1/1926, casou no católico. Tiveram um filho: José Maria Pontes de Araujo. O casamento de Mundica e Prudente durou 62 anos. Mundica faleceu c/90 ano em 16/4/1988, sendo sepultada no Cemitério de N. S. da Conceição/Abaetetuba/Pa.
• Raimundo de Lima Pontes/Cacau, nascido em 20/3/1903, falecido em 9/5/1991, presente na eleição dos novos dirigentes do Clube Musical Carlos Gomes em 2/6/1958, c/c Violeta Costa, esta nascida em 4/9/1910 e falecida em 17/10/1963 e tiveram 6 filhos.
• Raimundo Marques Pontes/Dico Pontes, filho de Pedro Nonato de Pontes e Maria Marques/Marocas, c/c sua prima Laudemira/Lelé e tiveram filhos.
• Reinaldo Nobre Pontes, filho de Demóstenes de Jesus Lima Pontes e Maria Gilda, c/c Andréa e com filhos: Estevam, Lívia, Reinaldo, Renara e Bianca Melo Pontes.
• Regina do Socorro Moura Pontes, filha de Clélio Airton Dutra Pontes e Célia Maria Moura.
• Rosa Barbosa Pontes, mulher, filha de Constantino de Pontes e Maximina Barbosa, c/c Tito Marques e tiveram 6 filhos.
• Rosa Marques Pontes, filho de Pedro Nonato de Pontes e Maria Marques/Marocas.
• Sebastião de Araujo Pontes/Sabito, nascido em 18/1/1930, filho de Andrelino de Lima Pontes e Luzia Prisca de Araujo, antigo jogador de futebol do Vasco da Gama nos anos de 1950, casou e teve filhos.
• Tito Marques Pontes/Quarenta, filho de Estelina Pontes Marques, casou e teve filhos.
• Zizina de Araujo Pontes (c/c Emiliano de Lima Pontes), citada em 1944.

Pontes das Localidades
Rios Abaeté, Afluentes, Colônia
Brasilino B. Pontes, citado em 1946 como contribuinte da festa de N.S. da Conceição em Abaetetuba através de José Vilhena.

Prof. Ademir Rocha, de Abaetetuba/Pa.