Mapa de visitantes

sábado, 28 de julho de 2012

A FEIRA DE ABAETETUBA EM FOTOS

A FEIRA DE ABAETETUBA EM FOTOS
Abaetetuba, pelo seu grande comércio, é o
polo comercial do Baixo Tocantins
Grandes lojas, vendas de rua, veículos e pessoas se espalham
pelo Centro Comercial de Abaetetuba

A mais forte atividade econômica de Abaetetuba é o comércio e este se distribui em vários segmentos que vai dos grandes magazines às vendas pelas ruas da cidade. Das vendas pela cidade queremos falar de nossas feiras, atividade que é a responsável pela renda de milhares de trabalhadores. Porém nossas feiras precisam de um bom ordenamento e fiscalização, dado as irregularidades que são observáveis nessa importante atividade. O gestor que conseguir revitalizar, ordenar e fazer a feira funcionar adequadamente em seus vários aspectos, por certo que estará prestando um grande benefício a todos os envolvidos nessa atividade, incluindo consumidores e turistas agradecidos. 

As feiras de vendas de Abaetetuba, segundo nossas observações, se localizam nas seguintes ruas:

Rua Justo Chermont, na frente da cidade, que antigamente era apenas a beira do rio Maratauíra e cheia de pontes e trapiches em toda a sua extensão. Com a boa visão de alguns antigos gestores, essa rua foi devidamente aterrada e hoje a frente da cidade se constitui em um calçadão já bastante deriorado e que abriga  vendas de nossa feira, mal organizadas e mal distribuídas e, em sua maior parte, à céu aberto, devido falta de ordenamento e fiscalização. A feira da Rua Justo Chermont, com o antigo aterramento, hoje se prolonga da Travessa Santos Dumont, no Bairro Comercial, até a Rua Pedro Pinheiro Paes ou até mais, já no bairro do Algodoal. Logo se trata de um longo trecho de frente de cidade que não chama a atenção pelo seu aspecto urbanístico e sim pelo seu grande e desordenado movimento.
 Peixe mapará vendido na feira da
Rua Justo Chermont, que fica na
frente da cidade e que é a mais
importante rua comercial de
Abaetetuba
 Parte da feira da Rua Justo Chermont é
coberta e com bancas e bancadas para
venda de peixes, crustáceos, verduras,
legumes, carnes
Peixes frescos, salgados e camarão na
feira da Rua Justo Chermont
Travessa Santos Dumont, trecho da frente da cidade, que abriga um bem localizado posto de combustíveis e algumas vendas. Esse trecho ainda se encontra em estado precário de organização e ordenamento, com muitas pontes interligando os vários ancoradouros de embarcações de todos os tamanhos e um caminho cheio de lama que conduz até o Mercado de Peixe da cidade. Nenhum gestor se preocupou em aterrar e urbanizar adequadamente esse trecho da Rua Justo Chermont, canto com a Travessa Santos Dumont.
 Este importante posto de combustíveis está localizado
estratégicamente no início da Trav Santos Dumont, á beira
do rio e que abastece carros e embarcações, porém
no seu derredor existe a necessidade de aterramento
devido ser área de beira de rio com pontes e manguezal

Avenida 15 de Agosto, trecho da frente da cidade, que é uma grande área comercial, que abriga o Mercado de Peixe e com muitos pontos de venda ambulante distribuídos de modo desorganizado, com muito lixo espalhado pela rua e calçamento em precário estado de conservação. Alías, não dá nem mais para revitalizar esse trecho de rua e sim construir outro calçadão e com a feira devidamente urbanizada, organizada, higienizada e com bons ancoradouros para receber as centenas de embarcações que aportam nesse trecho. Não se sabe se a feira que ali se encontra é outra feira ou é a continuidade da grande feira da Rua Justo Chermont, e com uma grande movimentação de veículos tipo motos e bicicletas, aumentando ainda mais a confusão que ali se observa em termos de desorganização comercial.
 Este é o início da importante e comercial Av. 15 de agosto
onde existe uma grande concentração de casas comerciais,
feira, pontos de mototáxi e bicicleta para as "deixadas"
 Na Av. 15 de Agosto se localiza o Mercado de Peixe
de Abaetetuba. Vide o detalhe dos urubus em cima
dos prédios
 Ao lado do Mercado de Peixe de Abaetetuba existe
a feira onde podem ser encontrados vendedores de
frutas, verduras, legumes, plantas medicinais,
roupa, alimentos, etc
 Ainda a feira da Av. 15 de Agosto e as bancas de
vendas e pontos de motos, bicicletas, carrinhos
de mão,etc.
 A feira da Av. 15 de Agosto se localiza no
meio da rua
 O lixo se espalha pelo chão da feira da
Av. 15 de Agosto
 Na feira da Av. 15 de Agosto se encontra de
tudo: limão "do nosso", e de fora, toranja, ervas medicianis
 Este é o simpático e educado Sr. Acácio que na feira tem muitos
apelidos e é vendedor de rua há 40 anos e
vindo da localidade Ajoaí
Avenida D. Pedro II, trecho da frente da cidade, que comporta uma grande quantidade de casas comerciais de todos os tipos e, na rua, um ponto de vendas com muitas barracas e venda não padronizadas, não higienizadas e com lixo para todos os lados, sem contar a circulação infernal de veículos de todos os tipos. A feira que sai do início da Avenida D. Pedro II se estende até a esquina com a Rua Barão do Rio Branco, portanto, cortando as ruas Siqueira Mendes, Barão do Rio Branco e as vendas se espalham para todos os lados a partir desse ponto, principalmente nas calçadas dessas ruas e da Praça de Nossa Senhora da Conceição. Não se sabe se é uma feira independente ou faz parte da grande feira da Rua Justo Chermont.
A Av. D. Pedro II inicia à beira-mar e desde o
seu início concentra uma grande quantidade
de lojas, bancas de vendas, e pontos de carros, motos, 
bicicletas
A feira no meio da rua
Canto da Av. D. Pedro II com Rua Siqueira Mendes,
consumidores e ponto de táxi
Apesar de Abaetetuba ser a 5ª cidade mais populosa
do Pará e ser também o polo comercial do Baixo Tocantins,
não possui saneamento adequado com o lixo se
acumulando pelas valas
Avenida Pedro Rodrigues, trecho da frente da cidade, que também possui uma grande quantidade de casas comerciais de todos os tipos e a feira que desce atravessando as ruas acimas citadas. Nesse trecho é que a desorganização se faz sentir, com muitas vendas pelas calçadas, ruas, em meio a uma grande quantidade de motos e bicicletas em meio à movimentação de centenas de pessoas comprando e vendendo todos os tipos de produtos, sem ordenamento, higienização, fiscalização, etc. A feira desse trecho não se sabe se é independente ou faz parte do complexo de feiras da cidade.
A Av. Pedro Rodrigues é uma rua altamente
comercial de Abaetetuba e que no seu início, à
beira-mar, possui feira nas calçadas e ruas
que avança em direção à Praça da Bandeira
A Praça da Bandeira, em seu entorno abriga
uma boa quantidade de vendas pelas ruas e
calçadas e referida praça faz esquina com
a Av. Pedro Rodrigues onde o movimento
de veículos é muito intenso
Rua Pedro Pinheiro Paes, trecho da frente da cidade, que já foi trecho alagado por um igarapé que foi devidamente aterrado, que também se encontra em estado precário de conservação. Por ali se encontram casas comerciais, um posto de combustíveis e inúmeras vendas ambulantes ao derredor desse trecho. Já é um trecho de rua de grande movimentação de pessoas vindas das Ilhas de Abaetetuba e da cidade em compras e vendas variadas.

Rua Siqueira Mendes, que é uma rua com alta concentração de casas comerciais, vendas nas calçadas e rua, ponto de motos e bicicletas.
 A Praça da Bandeira faz esquina com a 
Rua Siqueira Mendes e com a presença de
muitas casas comerciais, vendas de ruas,
pontos de mototáxi e bicicletas
 A Rua Siqueira mendes faz esquina com a
Av. D. Pedro II, trecho onde se concentra grande
quantidade de casas comerciais, pontos de táxis, 
mototáxis, bicicletas e pedestres
Ponto de vendas de rua na esquina da Rua 
Siqueira Mendes com a Av. D. Pedro II. Ao fundo
o Mercado de Carne 
Rua Barão do Rio Branco, que é a rua comercial chique da cidade, muito movimentada e passagem obrigatória para carros, motos e bicicletas para o centro comercial e possui também muitos pontos de vendas espalhadas pela rua e calçadas.
A Rua Barão do Rio Branco é uma das poucas
ruas arborizadas em Abaetetuba e é rua de
inteso movimento de carros, motos, bicicletas
e pedestres e com grande concentração de lojas
e vendas de rua
Esquina da Rua Barão do Rio Branco e Av.
D. Pedro II, onde existe intenso omovimento
de carros, motos, bicicletas, pedestres, lojas e
vendas de rua 
Esquina da Rua Barão do Rio Branco e Av. D.
Pedro II, um dos poucos locais com sinalização
do trânsito
Rua Barão do Rio Branco e suas grandes
lojas comerciais e trânsito intenso.
Alguns Aspectos a Considerar na Revitalização e Ordenamento das Feiras de Abaetetuba:
·         Construção do calçadão da frente da cidade, que deveria se estender pela Rua Justo Chermont e suas ruas adjacentes como a Travessa Santos Dumont, a Avenida 15 de Agosto, a Avenida D. Pedro II, a Avenida Pedro Rodrigues, até a Rua Pedro Pinheiro Paes. Esse calçadão é que deveria abrigar a grande feira de Abaetetuba nos horários da manhã. O horário da tarde serviria para os descarregamentos de mercadorias pelos grandes, médios e pequenos veículos que diariamente chegam à cidade. A noite serviria para abrigar bares, restaurantes, quiosques e vendas ambulantes apropriadas para a movimentação noturna e sadia da população da cidade e dos turistas em visita à cidade.

·      Estação Hidroviária de Abaetetuba, que se faz necessária pela grande quantidade de embarcações que chegam e saem da cidade diariamente em direção à Belém e às demais cidades e localidades do Baixo Tocantins. Essa Estação hidroviária não somente viria resolver a questão do embarque e desembarque das embarcações, como viria contribuir com turismo de visitação às nossas paradisíacas localidades ribeirinha como às centenas de massas d’água como rios, baías, igarapés e praias da região.
·         Padronização, Ordenamento e Higienização das barracas de vendas da grande feira de Abaetetuba, como se vê em cidades com infraestrutura turística.

Notamos que no Mercado de Peixe, a parte destinada a outras vendas, que não peixes, como miúdos, vísceras e vendas de caranguejos e camarões, que se encontra com pouco movimento. A solução seria se tirar a parede que separa os dois recintos e ampliar a área para a venda de verduras, hortaliças, frutas, legumes, plantas medicinais, lanchonetes, etc.

Fiscalização Permanente na Grande Feira:

·         Fiscalização do Trânsito:

Seria necessária uma melhor fiscalização pelo órgão controlador do trânsito dos variados veículos que circulam na feira, pois a que existe é muito precária e feita por pessoas que necessitam de treinamento de urbanidade e verdadeira fiscalização do trânsito de caminhões, automóveis, motos, bicicletas, carroças e carrinhos de mão, que em determinadas horas do dia congestionam totalmente o trânsito na feira e vira um verdadeiro caos e oportunidades para os de má fé nos furtos de pessoas desavisadas.

·         Fiscalização da Higiene:

Os produtos em venda na feira são vendidos em completa desobediência aos padrões de comercialização de produtos da alimentação, que não obedecem aos mínimos princípios da higiene que deveria existir em um ponto de venda como a grande feira.

Produtos de venda colocados pelo chão por onde transita uma quantidade enorme de cães, urubus e, pela noite, possivelmente, uma grande quantidade de ratos e insetos transmissores de doenças. 

Uma grande quantidade de lixo espalhado pelo chão da feira, que se torna o chamariz de uma grande quantidade de urubus e cães em pleno funcionamento da feira.

·         Recolha diária e constante do lixo acumulado pelas ruas e contêineres da feira

·         Uso de luvas pelos vendedores de produtos para a alimentação

·         Venda de Carnes e Produtos Advindos de Animais Silvestres:

Se faz necessária a fiscalização constante de carnes de animais silvestres e proibida a caça e pesca pelas leis do país e dos estados, como:

Carne de capivara, jacaré, que são vendidas diariamente na feira. Como a capiavara e jacaré fazem parte da culinária de Abaetetuba, a solução seria a de se solicitar licença ao IBAMA na implantação de um criatório de capivara e de jacaré para a venda da carne e do couro. Não adianta o IBAMA vir aprender carne de capivara aqui em Abaetetuba e sim fazer a fiscalização na origem dessas carnes que chegam à Abaetetuba, vindas de outros lugares dos estados do Pará e Amazonas. Aqui em Abaetetuba, pela maneira como o IBAMA e Prefeitura agem, os nossos “marreteiros”, isto é, pequenos comerciantes que compram produtos de terceiros para revenda, jamais deixarão de vender essas carnes tão consumidas pelo povo abaetetubense.

·         Áreas ou Pontos Para Abrigar Veículos e Carros:

Pontos estratégicos para estacionamento de bicicletas e motos, que são os veículos mais usados nos transporte das pessoas da feira ou comércio para os bairros.

Pontos estratégicos para as carroças e carrinhos de mão, que fazem os chamados “carretos” da feira para os bairros e vice-versa.

·         Organização das Vendas Por produtos:

Se faz necessária a separação das vendas de produtos da alimentação para os demais produtos, pois atualmente, existe uma grande mistura de vendedores vendendo de tudo num mesmo ponto da feira. Os que vendem peixes, camarões, caranguejos, carnes deveriam ser remanejados para o Mercado de Peixe Ampliado ou alocados em outro Mercado construído em área tipo Trapiche, porém construído em alvenaria.

·         Implantação da Balança Pública:

A balança pública já existiu em Abaetetuba e pelo descaso dos gestores, esse serviço não mais existe. Sua volta seria em boa hora e nos mercados de Peixe, Carne e outros pontos estratégicos da Grande Feira de Abaetetuba.

·         Presença de Policiamento:

Devido a existência de muitos tipos de desordens existentes pela feira, a presença de policiais ou guardas municipais de segurança se faz necessária em pontos estratégicos da feira, com parceria da Polícia Militar e Prefeitura Municipal.

Blog do Ademir Rocha, de Abaetetuba/Pa

Nenhum comentário:

Postar um comentário