Mapa de visitantes

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Poesias de Miguel Caripuna - Poetas e Poesias

Poesias do Miguel Caripuna - Poetas e Poesias
Fotos de Pinterest
O professor de Sociologia Miguel Caripuna vem se destacando na
Arte Poética. Ele começou timidamente, com algumas poesias que
procurava divulgar nos diversos eventos da cidade, escolas e praças e
assim, ele foi ganhando envergadura na Poesia, ao ponto de se tornar
um poeta muito solicitado para os diversos eventos culturais da
cidade. Sua temática poética atinge o cotidiano da vida, os sentimentos e 
relacionamentos humanos e a história e memória de Abaetetuba e outras localidades do
Pará
Feliz 20 de Julho - Dia do Amigo
Conta Comigo
Por Miguel Caripuna
Você sempre vem e vai!
É segura companhia...
Em alegria companheira.
Verdadeira presença!
Alguém que me dá valor!
Um amor de irmão...
Tocando meu coração!
Uma mão estendida!
Sua existência melhora a vida.
Um colo onde posso chorar!
Um ser com quem posso contar!
Como é bom rir ao seu lado!
Lembrar do passado!
Dos nossos segredos.
Daquilo que deixei marcado.
Em confidências!
Cumplicidade em confissão!
Relação humana!
E quando te vejo...
Só quero teu doce beijo.
A me envolver em teu laço.
Um abraço caloroso!
A luz de um sorriso!
Teu toque amoroso...
Me faz corajoso nesta jornada.
E seguimos juntos a estrada.
Construindo história...
Em memória de pessoa amada.
A cair, levantar, dialogar...
Criticar, compreender, perdoar.
No tom singelo do verbo amar!
Que me mexe e fortalece!
Pois felicidade é ter amizade!
Pra falar das verdades!
Pra sentir saudades!
E em meu caminho...
Seu carinho é imenso abrigo!
Conta comigo!
Que conto contigo!
Meu belo amigo.
Miguel Caripuna


Meu bem é Belém!

Por Miguel Caripuna
Vem meu bem ver Belém!
A bem madrugar pelas águas do Guajará...
Por onde aporto querendo lhe acordar.
Vindo do interior em barco motor!
Com gente!
Com peixe!
E deixe-me passar...
Vou levando mercadoria na magia desta feira a beira mar!
A mi marcar com banho de cheiro.
Uma comida em doce tempero.
Lugar que sempre ti percebo!
E vejo ti a “Ver-o-Peso” bem cedo a ver a vida.
Belém é lida cotidiana!
Tão pai d’égua!
Tão bacana!
Tão cabana!
Na força que vem dos rios!
Na força que vem das ruas!
Querendo revolucionar nas mentes sendo sementes de corações!
De um povo na esperança de amar...
Lá pela Pratinha!
Lá pelo Guamá!
Sendo “Terra Firme” mesmo quando lamenta!
Acordando em Fátima, passando no Marco...
Chegando a Canudos, dormindo na Sacramenta.
E chega o coletivo!
O motivo é multidão!
Queimando da Cremação pro Benguí!
E sorrir em intensa emoção!
Sou Leão!
Sou Papão!
É domingo de Mangueirão em eterna rivalidade!
O encanto de Belém é sua diversidade onde sou feliz de verdade!
Tomando banho de chuva na tarde!
Chorando no “Soledad” onde bate aquela saudade!
E beber açaí que felicidade!
Uma cidade que é verbo imperfeito do meu jeito de ser...
Meio medroso!
Meio corajoso!
Amoroso no ato de amar!
Apaixonado como casal de namorados que seguem abraçados...
Dando risadas e deixando pegadas lá pelo Mosqueiro!
Ter lembranças de Outeiro!
Parabéns Belém!
Você é janeiro!
E meu paradeiro vou achando cruzando Almirante Barroso!
E no calor caloroso vou beijar meu amor!
Pois sou do norte e tenho valor!
Como criança que canta de esperança...
Pelo bosque!
Pelas praças!
E cheio de graça vou até o Paracuri!
E curtir o carnaval na Pedreira que tem animação à vida inteira!
Vem comigo pelas sombras das mangueiras...
O cair das mangas é brincadeira da natureza!
Belém beleza é fruta caindo!
E tô pedindo mais uma...
Mais um fruto!
Pelo Telegrafo!
Pelo Reduto!
Belém é amiga em uma tradição antiga!
Belém é companheira!
De noite tem gente festeira!
A arte é tão original!
E olha eu no Umarizal!
A arte é tão obra-prima!
E olha eu na Campina!
E a Fumbel anuncia vamos dançar Quadrilha!
E seguir a trilha do Cordão de Boi!
O “Pavulagem” já passou, se foi!
E com meu olhar de menino!
Vou ver o Pássaro Junino animar!
Meu bem Belém é assim!
Quem chega quer logo ficar!
E aqui ninguém fica só!
Na Praça da República posso namorar...
E fazer roda pra dançar carimbo!
Rodopiar o corpo a esticar a saia...
Tem luzes na Batista Campos!
E uma rede me espera na Marambaia!
Em Icoaraci cerâmica é artesanato!
E sei que uma coisa é puro fato!
O belenense é amigo!
E comigo me traz a São Brás...
No belo mercado que dar um recado!
- “Olha a nossa cultura vamos valorizar!
- Pois somos a Metrópole da Amazônia!
- E Belém é flor do Grão Pará!"
E vamos rezar na “Sé”!
Pois aqui da “Matinha” ao Tenoné é lugar de muita fé!
De um povo que segura na corda e anda a pé!
Viva! É Círio de Nazaré!
Um milhão em oração!
Promessas diversas, pessoas dispersas.
O brinquedo de miriti ta logo ali!
Tem maniçoba e pato no tucupi!
E aqui sabemos que tudo dar!
E te juro no futuro quero contar:
- No Jurunas tomei muito tacacá!
Se concentrar no “Bar do Parque”...
Contemplando o Teatro da Paz!
Apaga a luz pra ver um filme!
Suspiro no “Ópera”!
O Olímpia é demais!
É que singelo na “Estação” o poente!
A cidade toca deixando-nos pra lá de contente!
Com violão na mão se faz alegria!
Energia do artista...
Bela magia vista...
Pelo Largo do Carmo!
Pela Igreja das Mercês!
Vês nossas culturas no Centur ao reencontrar tu!
Como um “Uirapurú” na Waldemar Henrique.
Então! Por favor!
Por aqui fique!
Tem muito espaço!
Vamos curtir o Mormaço!
E viver com muita consciência morando no Parque da Residência!
Ir no belo Forte do Castelo e conhecer a nossa história!
A Cidade Velha é guardião da memória!
Um avião cruza o céu até Val-de-Cans.
É turista que chega pra ver quem és!
É uma menina morena no Parque dos Igarapés!
Uma construção infinita sem ponto final!
E “vamo” que vamos passando pelo Terminal!
Abraçando aquele que vai!
Saudando aquele que vem!
Meu bem é sempre Belém!

 Redescobertas

Por Miguel Caripuna
Neste ano vou começar “tirando reis”!
E com vocês andar de bicicleta!
Botar uma fantasia esperta e original...
E sair no bloco de rua em pleno carnaval!
Molhar os pés nos igarapés...
Mergulhar nos rios das ilhas...
Indo pelas trilhas de canoa!
E não vou ficar à toa!
Na páscoa renascerei pra comer ovo de chocolate!
Partilhar uma pizza com orégano e tomate!
E enfrentar os combates com virtude de juventude!
Um toque de dialética mascando um ploc...
Ouvindo rock e reggae e tudo segue...
Desejar a um casal feliz casamento!
E lembrar da construção do sentimento!
Dançar quadrilha, forro e xote...
Subir no pau de sebo e quebrar o pote...
Pulando fogueira, fazendo tanta brincadeira!
Passear descalço pelas praias...
E sentir a brisa do vento...
Onde o tempo sempre a de passar!
E eu junto caminhar...
Vendo o sol se por e ele nascer...
Amanhecer jogado em uma rede...
Tomando água de coco pra matar sede!
Cantar MPB com voz e violão!
E namorar beijando a pessoa que amo...
A transformar em amor...
Esta encantadora paixão!
Emoção que faz nas redescobertas da nat ureza...
Nascer uma flor!
E vou sim, esperar a bela primavera...
Contemplando a lua em noite singela!
A ser passarinho!
A ter carinho!
Como idoso corajoso e cheio de saudade!
Que não tem medo da idade!
E de verdade dar gritos de independência!
E na minha consciência ir amando!
Abraçando os amigos...
De prazer!
De paz!
De paciência!
Ser alegre lembrando adolescência!
Jogar bola como criança...
Sendo esperança na fé...
Que reinventa o homem!
Que reinventa a mulher!
Pra ser simplesmente o que se é!
Comer camarão com a mão...
E beber açaí com peixe...
Sem que me deixe de balançar na capoeira!
E na beira puxar ladainha e carimbó...
Ver cordão de boi!
Como fazia a vovó!
Tomar banho de chuva...
Fazendo curva poética no coração!
E será legal dar-me de presente no natal!
E se eu morrer?
Isso não vai acontecer!
Pois é “imortal” e não sente dor...
Quem faz da vida uma linda história de amor!


Saudade

Por Miguel Caripuna
É pôr sem sol!
Estrela sem céu!
Luar sem lua!
Letra sem papel!
Poesia calada!
Um olhar pra nada!
É água que não passa em rio!
Uma pipa fugindo...
A perder-se do fio!
É querer um passado presente!
E esperar no horizonte um ser ausente.
Um luto na luta pra esquecer!
Um dia pensei que saudade fosse apenas uma palavra...
Mas agora!
Sem mais te vê!
Tenho certeza!
A minha saudade hoje...
Se chama:
Você!

Abaetetuba completa hoje 121 anos.
É Abaeté! (por Miguel Caripuna)

Abaeté!
Cidade
Homem
Mulher...
De ilhas em trilhas!
De estrada marcada!
Terra amada...
Rios, ruas, ramais...
E jamais...
Ficas na solidão!
Olha a beira...
Que é feira!
Multidão que peneira!
O miriti...
Vira brincadeira...
Em mão de artesão!
Abraça a praça!
É Círio de Conceição!
Povo de fé!
E a pé!
Tão abaeteense!
É Abaetetuba!
E ninguém me derruba
Farinha, açaí, mapará
Sou interior!
Sou Pará!
Abaeteuara!
E o tempo não para...
E me encara...
De bicicleta...
Uma ideia moleca!
Cuidado!
Não bate o menino...
Tá jogando peteca...
É criança esperta!
Correndo na chuva...
Dobrando...
A curva da vida!
Voltando...
Pra casa querida!
Vivida de histórias!
Vovô é memória...
Das lendas...
Um mito...
Que é doce fofoca...
É "Ilha da Pacoca"!
Uma "Cobra Grande"!
Mande medo!
Olha o pão de tapioca
Tão cedo!
Deixa eu madrugar!
E com meu papai...
Embarcar na canoa...
Pra tarrafiar!
A mãezinha vou beijar
Vem mana!
Vamos chupar cana!
É bacana achar graça!
E no engenho...
Tomar cachaça!
Sai fora desgraça!
Aqui sou contente!
Pela aguardente...
Por esta gente serena!
Balança na rede...
Minha Abaeté morena.

Parabéns à todos aqueles que nasceram e aqueles que adotaram Abaetetuba como sua cidade.

Poente
Por Miguel Caripuna

É pôr em ti!
É pôr em nós!
É pôr na vida!
É pôr na lida!
É pôr no campo!
É pelas ruas!
É por um fio!
É pôr no rio!
É pelas águas!
É pôr no mar!
É amar!
É por amor!
É por amores!
É pôr nas flores!
É pôr em frente!
É poente!
É sol que aquece no amanhecer!
É sol que desce no entardecer!
É só beleza em natureza singela!
É pôr-do-sol na minha “janela”!



Blog do Ademir Rocha, de Abaetetuba/PA

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Flores no Pinterest Цветы

Flores no Pinterest



Цветы

Clique na legenda azul acima e veja mais fotos

Blog do Ademir Rocha, de Abaetetuba/PA

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

"Pacem in terris"Oss. Romano recorda encontro de João XXIII e Rada Khrushchov, falecida aos 87 anos - Rádio Vaticano

Clique na legenda em azul e veja mais fotos e leia mais textos

Fonte: br.radiovaticana.br
Oss. Romano recorda encontro de João XXIII e Rada Khrushchov, falecida aos 87 anos - Rádio Vaticano

Atualidade \ Geral

Oss. Romano recorda encontro de João XXIII e Rada Khrushchov, falecida aos 87 anos


João XXIII, um artífice da paz no auge da Guerra Fria
13/08/2016 18:30
Moscou (RV) – Faleceu este sábado aos 87 anos, em um hospital de Moscou, a jornalista Rada Khrushchov, filha do ex-líder soviético Nikita Khrushchov.
Ao recordá-la, o L’Osservatore Romano sublinha que seu nome está intimamente ligado, sobretudo, ao histórico encontro com João XXIII, no Vaticano, em 7 de março de 1963. O Papa Roncalli recebeu-a em audiência, acompanhada pelo marido, Alexei Adjubei, também ele jornalista.
Nascida em Kiev em 1929, Rada havia trabalhado como jornalista em diversos meios de comunicação soviéticos.
Apreço pelos esforços pela paz
Referindo-se ao histórico encontro no Vaticano, o L’Osservatore Romano recorda que Rada, até o último instante, não sabia ao certo se realmente havia encontrado o Pontífice: “Meu marido e eu estávamos presentes na entrega do Prêmio Balzan e, ao final da cerimônia, fomos acompanhados à Biblioteca onde o Papa já nos aguardava”. Auxiliados por um tradutor, “entregamos a João XXIII uma carta de meu pai que manifestava apreço pelos seus esforços pela paz”. E “em resposta o Papa nos deu uma carta, onde auspiciava a esperança de futuros passos para uma aproximação”.
Origens comuns
Com emoção – refere ainda o L’Osservatore Romano – Rada Khrushchov recordava ainda como o Papa Roncalli havia colocado em evidência “as comuns origens camponesas com o meu pai” e também as comuns dramáticas experiências das duas guerras mundiais”.
Depois, conta comovida: ele “quer ouvir da minha própria voz o nome de meus três filhos: Alexei, Nikita, ‘como o nono’, disse o Papa, e Ivan, ‘isto é, João, como eu”.
O Pontífice entregou um terço para Rada e ao marido as medalhas cunhadas por ocasião do Concílio Vaticano II.
Pacem in terris
“No final, nos acompanhou até a porta e o que aconteceu depois é conhecido: mas na realidade, João XXIII, o que pretendia nos dizer o expressou muito bem pouco depois na Encíclica Pacem in terris”...
Na edição de sexta-feira 8 de março de 1963, justamente ao final do discurso do Papa pelo Prêmio Balzan, o L’Osservatore Romano noticiou o encontro do Pontífice com “o Senhor Alexei Adjubei, Diretor do jornal Izvestia e esposa, que haviam manifestado o desejo de encontra o Santo Padre”.
No decorrer dos anos – recorda por fim o jornal da Santa Sé – quer a filha de Khrushchov como o marido, continuaram a manter estreitas ligações com os protagonistas daquela estação de diálogo corajoso e de compromisso pela paz.

(JE)

Reproduzido pelo Blog do Ademir Rocha

(103) Mensagem da CNBB a todos os brasileiros. Vamos... - Vandilson Ferreira

Fonte: www.faceboock.com via Blog mojurio das cobras de Vandislson Ferreira

(103) Mensagem da CNBB a todos os brasileiros. Vamos... - Vandilson Ferreira


Clique acima na legenda em azul e veja fotos e leia textos

Mensagem da CNBB a todos os brasileiros. Vamos ler com atenção e refletir sobre como devemos agir frente às eleições deste ano. É longo mais vale à pena ler.
MENSAGEM DA CNBB PARA AS ELEIÇÕES 2016
“Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca” (Amós 5,24)
Neste ano de eleições municipais, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB dirige ao povo brasileiro uma mensagem de esperança, ânimo e coragem. Os cristãos católicos, de maneira especial, são chamados a dar a razão de sua esperança (cf. 1Pd 3,15) nesse tempo de profunda crise pela qual passa o Brasil.
Sonhamos e nos comprometemos com um país próspero, democrático, sem corrupção, socialmente igualitário, economicamente justo, ecologicamente sustentável, sem violência discriminação e mentiras; e com oportunidades iguais para todos. Só com participação cidadã de todos os brasileiros e brasileiras é possível a realização desse sonho. Esta participação democrática começa no município onde cada pessoa mora e constrói sua rede de relações. Se quisermos transformar o Brasil, comecemos por transformar os municípios. As eleições são um dos caminhos para atingirmos essa meta.
A política, do ponto de vista ético, “é o conjunto de ações pelas quais os homens buscam uma forma de convivência entre indivíduos, grupos, nações que ofereçam condições para a realização do bem comum”. Já do ponto de vista da organização, a política é o exercício do poder e o esforço por conquistá-lo1, a fim de que seja exercido na perspectiva do serviço.
Os cristãos leigos e leigas não podem “abdicar da participação na política” (Christifideles Laici, 42). A eles cabe, de maneira singular, a exigência do Evangelho de construir o bem comum na perspectiva do Reino de Deus. Contribui para isso a participação consciente no processo eleitoral, escolhendo e votando em candidatos honestos e competentes. Associando fé e vida, a cidadania não se esgota no direito-dever de votar, mas se dá também no acompanhamento do mandato dos eleitos.
As eleições municipais têm uma atração e uma força próprias pela proximidade dos candidatos com os eleitores. Se, por um lado, isso desperta mais interesse e facilita as relações, por outro, pode levar a práticas condenáveis como a compra e venda de votos, a divisão de famílias e da comunidade. Na política, é fundamental respeitar as diferenças e não fazer delas motivo para inimizades ou animosidades que desemboquem em violência de qualquer ordem.
Para escolher e votar bem é imprescindível conhecer, além dos programas dos partidos, os candidatos e sua proposta de trabalho, sabendo distinguir claramente as funções para as quais se candidatam. Dos prefeitos, no poder executivo, espera-se “conduta ética nas ações públicas, nos contratos assinados, nas relações com os demais agentes políticos e com os poderes econômicos”2. Dos legisladores, os vereadores, requer-se “uma ação correta de fiscalização e legislação que não passe por uma simples presença na bancada de sustentação ou de oposição ao executivo”3.
É fundamental considerar o passado do candidato, sua conduta moral e ética e, se já exerce algum cargo político, conhecer sua atuação na apresentação e votação de matérias e leis a favor do bem comum. A Lei da Ficha Limpa há de ser, neste caso, o instrumento iluminador do eleitor para barrar candidatos de ficha suja.
Uma boa maneira de conhecer os candidatos e suas propostas é promover debates com os concorrentes. Em muitos casos cabe propor lhes a assinatura de cartas-compromisso em relação a alguma causa relevante para a comunidade como, por exemplo, a defesa do direito de crianças e adolescentes. Pode ser inovador e eficaz elaborar projetos de lei, com a ajuda de assessores, e solicitar a adesão de candidatos no sentido de aprovar os projetos de lei tanto para o executivo quanto para o legislativo.
É preciso estar atento aos custos das campanhas. O gasto exorbitante, além de afrontar os mais pobres, contradiz o compromisso com a sobriedade e a simplicidade que deveria ser assumido por candidatos e partidos. Cabe aos eleitores observar as fontes de arrecadação dos candidatos, bem como sua prestação de contas. A lei que proíbe o financiamento de campanha por empresas, aplicada pela primeira vez nessas eleições, é um dos passos que permitem devolver ao povo o protagonismo eleitoral, submetido antes ao poder econômico. Além disso, estanca uma das veias mais eficazes de corrupção, como atestam os escândalos noticiados pela imprensa. Da mesma forma, é preciso combater sistematicamente a vergonhosa prática de “Caixa 2”, tão comum nas campanhas eleitorais.
A compra e venda de votos e o uso da máquina administrativa nas campanhas constituem crime eleitoral que atenta contra a honra do eleitor e contra a cidadania. Exortamos os eleitores a fiscalizarem os candidatos e, constatando esse ato de corrupção, a denunciarem os envolvidos ao Ministério Público e à Justiça Eleitoral, conforme prevê a Lei 9840, uma conquista da mobilização popular há quase duas décadas.
A Igreja Católica não assume nenhuma candidatura, mas incentiva os cristãos leigos e leigas, que têm vocação para a militância político-partidária, a se lançarem candidatos. No discernimento dos melhores candidatos, tenha-se em conta seu compromisso com a vida, com a justiça, com a ética, com a transparência, com o fim da corrupção, além de seu testemunho na comunidade de fé. Promova-se a renovação de candidaturas, pondo fim ao carreirismo político. Por isso, exortamos as comunidades a aprofundarem seu conhecimento sobre a vida política de seu município e do país, fazendo sempre a opção por aqueles que se proponham a governar a partir dos pobres, não se rendendo à lógica da economia de mercado cujo centro é o lucro e não a pessoa.
Após as eleições, é importante a comunidade se organizar para acompanhar os mandatos dos eleitos. Os cristãos leigos e leigas, inspirados na fé que vem do Evangelho, devem se preparar para assumir, de acordo com sua vocação, competência e capacitação, serviços nos Conselhos de participação popular, como o da Educação, Saúde, Criança e Adolescente, Juventude, Assistência Social etc. Devem, igualmente, acompanhar as reuniões das Câmaras Municipais onde se votam projetos e leis para o município. Estejam atentos à elaboração e implementação de políticas públicas que atendam especialmente às populações mais vulneráveis como crianças, jovens, idosos, migrantes, indígenas, quilombolas e os pobres.
Confiamos que nossas comunidades saberão se organizar para tornar as eleições municipais ocasião de fortalecimento da democracia que deve ser cada vez mais participativa. Nosso horizonte seja sempre a construção do bem comum.
Que Nossa Senhora Aparecida, Mãe e Padroeira dos brasileiros, nos acompanhe e auxilie no exercício de nossa cidadania a favor do Brasil e de nossos municípios, onde começa a democracia.
Aparecida - SP, 13 de abril de 2016
Reproduzido pelo Blog de Ademir Rocha

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Era uma vez um rio - Literatura e Ambientalismo


Era uma vez um rio

Fonte: www.ecodebate.com.br

“Era uma vez um rio”, de Anne Raquel Sampaio – Na semana mundial da água, livro infantojuvenil resgata mitos e lendas sobre a água

Na lua crescente, fechando a semana que marca o dia Mundial da Água, as Editoras Mãe Terra e Legere vão lançar o livro infantojuvenil “Era uma vez um rio”, da escritora Anne Raquel Sampaio, ilustrado por Júlio Shimamoto. Vai ser na livraria Argumento do Leblon (rua Dias Ferreira, 417), no dia 24 de março (domingo), a partir das 17 horas.
A publicação resgata mitos e lendas indígenas sobre a água, que fazem parte da cultura brasileira e contêm uma sabedoria própria. Segundo a autora, essa sabedoria pode influenciar as gerações futuras a criarem uma relação de mais respeito e amor para com as águas do planeta. “Era uma vez um rio” marca uma parceria que une duas editoras: a Mãe Terra e a Legere, além do GreenNation – um ambiente colaborativo “on line”, que interage com pessoas para convergir cultura, informação e proteção ambiental, a partir de questões que envolvem o futuro do planeta.
O Comitê da Bacia Hidrográfica do rio Guandu apoia o lançamento da publicação na medida em que ela se utiliza da literatura para defender a preservação da Mata Atlântica responsável pelo abastecimento de água de 80% da população brasileira.
Riqueza de mitos
Na história, a escritora Anne Raquel Sampaio nos fala de uma Mata Atlântica protagonista de todas as ações realizadas em seu território e chama a atenção sobre o cuidado e o carinho que devemos ter para com o bioma e suas águas. No livro, a Iara, o Saci-Pererê, a Curupira, além de animais da fauna da floresta atlântica vão invadir a imaginação das crianças em uma aventura, que envolve a solidariedade de toda a mata em prol da defesa das águas do rio.
Segundo Marcos Didonet, diretor do GreenNation, por suas características, além de representar uma literatura indispensável para nossas crianças pela emoção que provoca, a publicação pode ser utilizada em projetos de Educação Ambiental: “É uma ferramenta também para projetos sociais e ambientais que se preocupem em conscientizar as gerações futuras sobre a importância da água” – , afirma Didonet.
Curriculum: Anne Raquel Sampaio
Anne escreve desde criança sempre focada nas questões ambientais, que para ela se confundem com as existenciais. “Era uma vez um rio” é o nono livro da escritora e roteirista, que publicou seu primeiro livro de poesias, “Nois Nua”, em 1981. Mais tarde, publicou o livro “Santa Mãe Terra”, Poesia Verde. A publicação foi impressa em algodão e encadernada com corda de algodão cru. O livro foi considerado como ecologicamente correto pelo Itamaraty, e foi enviado a bibliotecas de embaixadas brasileiras no exterior.
Em 2001, a escritora escreveu a história infantojuvenil “Enigma dos Portais”, ilustrado pela artista plástica Lúcia Caldas – na qual pela primeira vez a Mata Atlântica, seus mitos e lendas, se tornaram protagonistas da história. O Enigma dos Portais gerou a coleção “Quatro Elementos”, no qual crianças viajam através de portais do tempo para pedir aos deuses guardiões da Terra que voltem a cantar a criação e impeçam os desastres ambientais, que tantos traumas têm trazido ao território da floresta onde construímos nossas cidades. Baseada em mitos e lendas indígenas, o primeiro livro da coleção “Yakacy, o mistério da Senhora das Águas”, ilustrado por Nilton Ramalho, foi lançado em 2004, após mais de três anos de pesquisa sobre o mito da Terra Sem Males, mundo paralelo no qual humanidade e natureza vivem em equilíbrio.
Quatro anos depois, após vivências e pesquisas em tribos indígenas, Anne publicou “O segredo da Mãe Terra”, ilustrado por Benício. Em 2009, publicou livro “Jakairá, Ru Ete – o Caminho do Guerreiro” – que nos fala que o ar é nosso espírito, assim como a água é nosso sangue e a terra é nosso corpo (carne, ossos e músculos). O último livro da coleção Quatro Elementos que se chama “Coaracymirim, o pequeno Sol do Ser” é sobre o elemento Fogo e está ainda em fase de pesquisa.
No ano passado, Anne lançou o livro “Gigantes de Pedra” – que narra a versão dos índios tupinambás sobre o território no qual se localiza a cidade do Rio de Janeiro.
Para os índios, esse território é sagrado, pois sobre ele um grande gigante de pedra se deitou sobre o Oceano Atlântico e se deixou cair sobre a Baia de Guanabara, formando as montanhas do Rio de Janeiro.
Além de literatura, Anne faz roteiros para cinema, escreve para teatro, além de material técnico sobre o tema ambiental, em particular, os recursos hídricos. Tem ainda trabalhos publicados na área de Educação Ambiental, como a história em quadrinhos “Guerreiros da Água”.

Sinopse do livro infantojuvenil “Era uma vez um rio”, de Anne Raquel Sampaio
“Era uma vez um rio” narra a história de um pequeno rio que nasce em um trecho da Mata Atlântica. Com o passar do tempo, esse manancial cresce e se torna grande, contribuindo para a vida e o equilíbrio da floresta. A Iara, a Curupira e o Saci Pererê são felizes e transmitem alegria a todas as criaturas que vivem na mata. Passa-se o tempo, os homens chegam e devastam as matas ciliares, que protegem o manancial, além do que poluem suas águas. Diante de tamanha destruição, a Curupira e o Saci Pererê abandonam a mata. Para se proteger, a Iara se recolhe à sua nascente.
Mas, em determinada tarde, a Mãe d´Água assume para si própria que está com dificuldades de abrir os olhos, pois seus cílios estão rareando, desaparecendo. Preocupada, a Iara conversa com o amigo Colibri. Ela lhe confidencia que a falta de seus cílios está dificultando que olhe para o sol e talvez precise procurar refúgio nas águas subterrâneas ou mesmo nas grandes águas salgadas, até que a mata (que protege seus cílios) se recupere.
Empoleirada em um jequitibá à beira do rio, a coruja Jucurutu ouve a conversa e se assusta com a possibilidade de que o rio e a mata venham a morrer, se a Mãe d´Água for embora. No dia seguinte, ao relatar a todos o acontecido, a coruja consegue que os animais da floresta se unam em solidariedade na tentativa de reflorestar a mata ciliar, evitando que a Iara abandone o rio, o que poderia trazer a morte daquele trecho da floresta. E assim, formigas, abelhas, minhocas, urubus reis e outros animais da mata iniciam ações para acelerar o plantio de sementes que vão formar uma nova mata ciliar que há de proteger as águas do rio e sua Iara.
As feiticeiras aranhas sugerem que se traga a magia de volta à Mata. Logo, a Curupira e o Saci Pererê são trazidos de volta. A Iara, por sua vez, pede ajuda da chuva e da lua para chegar às grandes águas salgadas. Isso quando sente a ameaça que atinge suas águas, invadidas por uma força má que tem poder para destruí-la. Emoção e aventura fazem parte da história.
Características da publicação:
Livro infantojuvenil
Autora: Anne Raquel Sampaio
Ilustrações: Júlio Shimamoto
Formato: 21 X 28 cm
Papel reciclado 90 gramas (miolo)
Capa: Papel Cartão Supremo laminação foca
Custo do exemplar: R$ 24,00
EcoDebate, 22/03/2013
Reproduzido pelo Blog do Ademir Rocha, de Abaetetuba/PA

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Festa e Círio de Nazaré 2016 - Turismo Paraense: Venha ao Pará em outubro e participe do Círio de Nazaré

Festa e Círio de Nazaré 2016


Miguel Caripuna
Abaeté em Nazaré
Por Miguel Caripuna

Miriti é arte!
Construída na mão.
Na faca cortando!
Na lixa lixando!
A natureza vira cultura...
Na escultura de artesão.
Um olhar “sem igual”!
Na habilidade original!
Criando sonhos, fantasia, emoção.
Criatividade que cria! 
Recriando a vida em cores cotidianas.
Estranha paisagem!
Na mensagem amazônica...
Pelas ruas de Belém.
E vem que tem!
Cobra, canoa, barquinho, enamorados.
Os brinquedos pendurados...
São singelos recados.
Dados em caminhos de fé!
É Círio!
É giro de girândolas!
É Abaeté em Nazaré!


ALGUNS ASPECTOS DA ESPIRITUALIDADE E TEOLOGIA MARIANA 
A Espiritualidade e Teologia Mariana é bem antiga na Igreja Católica e outras Igrejas do Rito Oriental, tendo se originado nos primeiros tempos do Cristianismo e que teve seu ápice na Idade Média, quando da construção das suntuosas e ricas igrejas construídas para louvar a Virgem Maria, Mãe de Jesus e Mãe do Homem, em devoção que atravessou os séculos, com Maria recebendo mais de 120 denominações devido essa devoção milenar. A devoção popular à Maria perdura com muita ênfase nos dias atuais, basta ver a festa do Círio de Nossa S. de Nazaré em Belém, a festa de Nossa S. Aparecida, na cidade de Aparecida, em São Paulo, a festa de Nossa S. de Fátima, em Portugal, a festa de Nossa S. de Loudes, na França, a festa de Nossa S. de Guadalupe, no México e tantas outras milhares de festas dedicadas à Maria que se repetem no Pará, no Brasil e pelo Mundo inteiro e sempre com grande concorrência para render louvores à Maria, como a Medianeira entre o Homem e seu Filho Jesus Cristo.
A pergunta que fazemos é: Será somente o aspecto devocional que o cristão deve manifestar em relação à Maria, aquela que foi escolhida pelo próprio Deus para ser a Mãe de seu Filho Jesus, o Salvador e Redentor do Mundo, aquela que foi considerada pelo próprio Deus como a Cheia de Graças, a Bem Aventurada entre as mulheres, a Virgem Imaculada, aquela que intercedia, mesmo em vida, junto à Jesus em favor dos mais simples, dos pobres, dos de Boa Vontade, aquela que foi Assunta ao Céu em corpo e alma, pois não precisava morrer e ressuscitar dos mortos, porque foi concebida sem o pecado original que afeta todos os demais homens e a própria Criação de Deus que juntos devem ressurgir em Novas Terras e Novos Céus e Novos Homens para estar diante de Deus rendendo Glórias pelo seu grande Amor pelo Homem e toda a sua Criação?
Maria, a Mãe de Jesus, também foi a Díscípula perfeita de Jesus, seu amado Filho, pois seguia seus preceitos e ficou ao seu lado até à morte na Cruz. Maria também foi a Mãe Perfeita, a Mãe de Deus, e por desejo de Jesus se tornou a Mãe da Igreja e do Homem no colóquio final de Jesus com Maria e João Evangelista, seu discípulo muito amado.
Maria, junto com José e Jesus constituíram a Família de Nazaré, a Família Perfeita, como exemplo da Unidade da Trindade de Deus, em Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo, que devem servir de exemplo para as famílias humanas, famílias religiosas, comunidades, conforme nos aponta o Livro dos Atos dos Apóstolos que diz que os primeiros seguidores de Jesus tinham "Um só Coração, Uma só alma, tinham tudo em comum, Dividiam entre si os seus bens, não havendo necessitados entre eles, pois todos repartiam entre si os seus bens" e Maria, a Mãe de Jesus, desfrutava entre os Apóstolos e os Díscipulos de Jesus a mais alta consideração, não só por ser a Mãe de Jesus, mas porque Ela era aquele Modelo Perfeito de Santidade, que todo cristão deve aspirar, para ser como Maria, também merecedor da Vida Eterna junto à Deus Pai, Deus Filho, os Santos Anjos do Senhor e os demais Santos do Paraíso, cujo início é aqui mesmo nesta nossa vida terrena com a nossa imitação de Santidade de Maria, a Cheia de Graças e Virtudes, diante dos Homens e de Deus.
Então, como fazer para vivermos esses aspectos da Espiritualidade e Teologia Mariana? É o que tentaremos colocar aqui neste espaço através de alguns aspectos dessa espiritualidade. Para que nossa relação com Maria não seja apenas uma relação de veneração e devoção à Mãe de Jesus, consideremos os seguintes aspectos da vida de Maria: 
Como muitos outros mistérios da História de Salvação do Homem por Deus, Maria, como Mãe de Jesus, é um mistério de nossa fé cristã, e que deve se tornar para nós, como todos os demais mistérios de Deus, um ato de fé acreditar que Maria faz parte da Salvação do Homem. Conforme a História de Salvação do Homem, a figura de Maria começa a se configurar no Antigo Testamento e essa História de Salvação do Homem é fartamente esmiuçada em diversas passagens dos Evangelhos, do livro dos Atos dos Apóstolos, das Cartas de São Paulo e dos demais Apóstolos e vai culminar no Livro do Apocalipse. 
Vejamos a figura de Maria e do mistério que ela representa para nós, através de alguns aspectos retirados dos livros acima mencionados. 
Ser a Mãe do Salvador é a culminância do mistério de Maria. Ser Mãe de Jesus, significa ser Mãe de Deus, daí o enorme mistério que esse fato envolve e por causa dessa Maternidade Divina, e em função dela, Maria foi conhecida de antemão por Deus e, portanto, Maria foi predestinada, chamada, justificada, santificada e glorificada conforme os Livros Sagrados acima citados e enfatizam em Rm 8,28 a 30: “Ora, nós sabemos que Deus concorre em tudo para o bem dos que O amam, daqueles que, segundo o seu desígnio, são eleitos” e Rm 29: “Porque os que de antemão conheceu, também os predestinou para serem à imagem de seu Filho, a fim de que Este fosse o Primogênito de muitos irmãos” Rm 30: “E aos que predestinou, a estes também os chamou; e aos que chamou, a esses justificou; e aqueles que justificou também os glorificou”. 
Maria, portanto, para ser a Mãe de Jesus, a Mãe de Deus, foi pelo Pai ornada de todos os dons e carismas, conforme os Livros Sagrados citam: Cheia de Graça, Imaculada desde o primeiro instante da sua concepção (Conceição de Maria) e, portanto, Preservada do pecado original e de todo pecado, para ser a Mãe de Deus; Virgem, antes do parto, durante o parto e depois do parto; Elevada ao Céu em corpo e alma, porque Maria não estava sujeita ao pecado. E Maria, por ser a Mãe do Verbo Encarnado e do Filho de Deus feito Homem (Jesus para nós é o ápice da humanização do homem que cada um de nós deve almejar como cristão) e, portanto, Mãe de Deus, como foi proclamada no Concílio de Éfeso, em 431, que é tua Graça e tua Glória primordial nesse mistério do Amor de Deus pelo homem. Maria deve ser proclamada como Mãe, que nos fala o Evangelho, quando no Calvário, seu Filho Crucificado te entrega João como Mãe e te entrega João como como filho e isto de Jesus Crucificado e Abandonado, de Jesus agonizante que entregou seu sangue e a vida, tudo, num gesto final de seu Mandamento "Amai-vos uns aos outros como Eu vos amei", quando entrega a própria Mãe, como ato de entrega final a todos os seus Díscipulos e Seguidores, até o fim do mundo e da história. Portanto, Maria, se tornou também a Mãe dos homens seguidores de Cristo e, portanto, a Mãe da Igreja de Jesus. 
Maria, pela sua humildade, uma simples mulher, vinda ao mundo por Adão e Eva, mas predestinada a ser, conforme os Evangelhos, a “Bendita entre as mulheres” (Lc 1,42), a “Cheia de Graça”, aquela a “quem todas as gerações chamam Bem-Aventurada”, portanto, a mais perfeita discípula de Jesus e, por isso, modelo e exemplo para todos nós, que devemos ver em ti a nossa Mãe e nós como teus filhos que te veneram, te prestam devoção, mas que, acima de tudo, deve ser vista como nosso modelo de cristão e assim ser "imitada" como o rosto do novo homem redimido por Jesus Cristo em sua plenitude. Quem ama deve identificar-se com Maria. Só depois é que deve vir a veneração, junto com a reverência, a admiração e o amor de todos os devotos, peregrinos de tua Festa e Círio da Conceição. Maria, que disse “Faça-se em mim segundo a Tua Palavra”, e meditava em seu coração os planos misericordiosos de Deus para com os Homens e também meditava e guardava em seu coração os misteriosos desígnios de Deus para si e para a humanidade, conforme segue abaixo e também aplicava essas lições no amor e no serviço concreto aos irmãos, conforme “As bodas de Canâ”, quando intercede pelo bom vinho dado aos irmãos e os serviços que foi prestar à sua prima Isabel, conforme Lc 1, 39 a 56, com a visita à Isabel e quando esta disse: “Bendita és tu entre as mulheres e Bendito é o fruto do teu Ventre” entre outras coisas e onde Maria cantou o seu Cântico de Amor, o Magnificat, onde, entre outras coisas diz: “A minha alma glorifica ao Senhor, e o meu espírito exulta de alegria em Deus, meu Salvador, porque olhou para a humilde condição de sua serva. De fato, desde agora Todas as Gerações me hão de chamar ditosa porque me fez grandes coisas o Onipotente. ...Derrubou os poderosos de seus tronos e exaltou os humildes. Encheu de bens os famintos e aos ricos despediu-os com as mãos vazias. ...”Maria ficou com Isabel cerca de três meses. Depois regressou para casa”.
O que se poder deduzir do encontro de Maria com sua prima Isabel? Maria não foi a Isabel para cantar o Magnificat, mas foi à serviço do irmão e encontrou receptividade em Isabel, que reconheceu Maria como Mãe de Jesus, portanto Mãe de Deus e, por isso, também cantou esse Canto de Amor, que significa a Visão Social de Maria e os três meses com Isabel significa que Maria meditava, glorificava à Deus e amava o irmão. Nós devemos recorrer sempre a Maria devido as nossas limitações, ocasionadas pelo pecado original e demais pecados e limitações humanas, pedir sempre a intercessão de Maria por nós e nossos irmãos conforme o que diz o “rogai por nós pecadores, agora e na hora de nossa morte” da nossa Ave-Maria.

Giordani lê o Magnificat do ponto de vista da misericórdia e evidencia a sua potência revolucionária: emergem “as diretrizes em que social e politicamente, além de espiritualmente, se traduz o ideal evangélico”.
” Magnificat “- Comunidade de Taizé 
No centro deste potente hino que é o Magnificat, onde se reúne o ardor dos profetas com a profecia da redenção, está inserida uma menção à misericórdia divina, que pode parecer um acréscimo retórico. Ao invés, me parece que aquela alusão àmisericórdia do Pai, no centro do hino, tenha um valor capital, e contenha a explicação daquela concisa, exuberante lista de fatos divinos, que dá à improvisação poética da jovenzinha de quinze anos, que guardava e maturava Jesus no ventre, uma beleza inaudita e uma imediação constante. 
Na primeira parte, Maria exalta o «Poderoso que fez coisas grandiosas» para a sua «serva», de modo que as gerações vindouras, todas, a declararão bem-aventurada. Deus fez o milagre da encarnação do Verbo através de uma menina pobre, humilde, de uma desconhecida aldeia de Israel; ato do qual virá a salvação para a humanidade de todos os tempos. Então ela observa: «o seu nome é santo – e a sua misericórdia (se estende) de geração em geração…». 
Portanto, a redenção nasce de um ato de piedade do Pai divino para com os homens. Se ele realizou aquele prodígio de amor, que só um Deus podia realizar, de fazer com que nascesse o Filho na terra, de uma jovenzinha do povo e de fazer com que ele morresse num patíbulo pelo bem da humanidade, se deve a um ato de misericórdia, se deve a um milagre daquela misericórdia, que é o amor elevado ao ápice. 
Ele exige que se perdoe o irmão não até sete vezes, mas até setenta vezes sete: em prática, sempre, infinitamente; que se ame o irmão até dar a vida por ele. 
Deus «socorreu Israel, seu servo, – lembrando-se de sua misericórdia…». 
Numa palavra, tudo, no governo divino, se reconduz à misericórdia. E se verá isso confirmado e esclarecido na conduta daquele Jesus, por cujo amor Maria fala, seja quando ele dará de comer às multidões e curará enfermos, seja quando flagelará os mercantes no templo e bramará vocábulos ásperos contra os fariseus e os soberbos. 
É o hino da total revolução cristã. Mas o aspecto mais revolucionário dela está justamente no que é o seu princípio: a misericórdia. Por ela não destrói, mas cria, porque o amor por Deus e pelo homem não produz senão o bem. 
O Magnificat especifica as diretrizes do processo de evolução, transformação e renascimento, em que social e politicamente, além de espiritualmente, se traduz o ideal evangélico. Uma transformação que parte do amor, e se concretiza na misericórdia. 
Um semelhante ideal assume hoje um caráter de urgência e de atualidade nova. Irrompem de toda a parte ideologias e contestações, guerrilhas e revoltas: urgem aspirações grandes e belas e se introduzem programas destrutivos e de ódio. Maria ensina como orientar e construir esta revolução. É uma mulher, a mãe de Deus, que ensina com a palavra e a vida: a vida da mãe da misericórdia. O exemplo dela vale tanto mais, hoje, quanto mais se revaloriza a feminilidade. 
Maria nos ensina a estrada da misericórdia. 
A este ponto, já é evidente a inutilidade e o absurdo das guerras, isto é, do ódio, e a necessidade de sistemas racionais, feitos de tratativas, de diálogo e, sobretudo, de intervenções e dons, por quem pode em favor de quem não pode. Vemos isso: o envio de armas e de dinheiro em favor deste ou daquele povo serve para alimentar os conflitos, nos quais as pessoas penam, agonizam e morrem; e para depositar germes de ódio contra os próprios doadores. A perspectiva daquela jovenzinha, que entoava entre gente pobre o Magnificat, ou seja, o método da misericórdia, é uma perspectiva de inteligência divina e humana, a única capaz de resolver o problema de um mundo ameaçado por uma última definitiva catástrofe, provocada pela estupidez do ódio, droga de suicídio. 
Para reaver a paz, afinal, com o bem-estar, é preciso que nós tratemos das chagas materiais e morais de quem sofre, tanto do lado de cá quanto de lá do Oceano, na Europa e na Ásia, na América e na África, usando uma piedade, fruto de compreensão; uma caridade, que não é fraqueza, mas remoção de injustiças e de egoísmos para fazer da coexistência uma convivência, das nações uma família. Assim quer Jesus, o filho de Maria, como garante também a sua Mãe.

Igino Giordani, em «Mater Ecclesiae» n. 4/1970 
E quanto a imagem de Nossa Senhora, que muitos criticam essa devoção, não devemos ver a louça, a madeira, o vidro, o barro ou outro qualquer material inanimado da imagem de Maria, mas o que está por trás, o que simboliza, conforme acima especificado. As imagens de Maria apenas procuram viabilizar o invisível e tornar sensível o espiritual, para melhor crescermos no Amor e na Misericórdia que o Filho de Maria, Jesus Cristo nos ensinou, para também sermos outros Jesus na Terra, portanto, outros filhos de Maria. Qual o filho que não tendo mais a presença física de sua mãe, não guarda com carinho as suas lembranças: cartas, retratos, esculturas, pinturas, objetos, jóias e demais lembranças?
Fonte: Círio da Imaculada Conceição

SOLENIDADE DA IMACULADA CONCEÇÃO DE MARIA
Para ser a Mãe de Cristo, Deus escolheu uma mulher santa e pura, cheia de graça. Para ser mãe do Verbo, Deus preservou Maria do pecado original e a fez cheia de graça, a fez a imaculada concebida sem pecado original. Maria foi imune de toda mancha da culpa original desde o primeiro instante de sua concepção, em vista dos méritos de Cristo, Nossa Senhora confirmava essa verdade. Aparecendo Bernadete, na cidade de Lurdes, apresentou-se: Eu sou a Imaculada Conceição. Nossa devoção deve sempre lembrar a moça que soube dizer Sim ao chamado para ser mãe do salvador. Maria e a pessoa simples, pobre, que pertencia aos excluídos de sua época. É a mulher firme na condução do Reino de Deus. Como e bom saber que temos uma mãe carinhosa que sempre olha por nós, caminha conosco pelas estradas da vida, guarda-nos sob seu manto de amor e conduz nossos passos ao encontro de seu Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo. Nossa Senhora é a mãe que nos ama mesmo quando nada fazemos para merecer o seu amor. Seguramente, é nessas horas que dela nós mais precisamos. Cada vez que nos colocamos diante de uma representação de Nossa Senhora, seja ela uma pequena imagem, ou uma pintura, que nossos pensamento se eleva ao céu para contemplar aquela que deu a luz a Jesus o nosso Salvador. Nos não adoramos nossa senhora mais sim prestamos uma total veneração pela mulher que soube dar o seu Sim ao chamado de Deus, Maria é a janela que nos faz louvar a Deus. Eis que Doravante todas as gerações me chamarão de Bem Aventurada ( Lc 1, 48). São tantas graças alcançadas por ti o Mãe eu mesmo fico grato pelas graças alcançadas em minha vida. Maria tu nos ensina a vivência, tu nos ensina a orar, tu nos ensina a ter fé. E procurando a tua proteção tudo em nossa vida vai ficando bem, tu vai passando a frente e vai abrindo caminho porque tu és a mãe, tu és a intercessora, és a porta do Céu . E hoje em que contemplamos Nossa Senhora da Conceição ousamos dizer: À vossa proteção recorremos Santa Mãe de Deus. Não desprezeis as nossas súplicas em nossas necessidades, mas livrai-nos sempre de todos os perigos, ó Virgem gloriosa e bendita. Amém

Turismo Paraense

Praticamente já informamos em nossas postagens quase tudo em relação a Festa e Círio de Nazaré em Belém e outras cidades paraenses e brasileiras. Estávamos pensando em publicar outra postagem sobre a Festa e Círio de Nazaré 2016. Como esse grande evento já está em pleno preparativo, em seus diversos aspectos, estávamos pensando em iniciar essa nova publicação com as informações espirituais e religiosos dessa festa, que acontece todo mês de outubro em Belém. 
Foi uma grande e grata surpresa para nós a publicação abaixo, que trata do aspecto turístico da 'Festa e Círio de Nazaré' e, aproveitamos essas informações para iniciar nossa nova postagem da festa, versão 2016, pelo seu aspecto turístico, enfatizando que para nós esse não é o principal aspecto desse grandioso evento, e sim a parte espiritual que publicaremos também aqui, juntamente com a parte religiosa da festa e outros aspectos, que se desenrolam durante todo os 15 dias dos festejos.

FESTA E CÍRIO DE NOSSA SENHORA DE NAZARÉ EM ABAETETUBA
Fonte da Agenda: www.ciriodenazaré.com.br
Parte Religiosa da Festa de Nazaré

Fonte da foto acima: g1.globo.com

AGENDA
PROGRAMAÇÃO DO CÍRIO 2016
ABRIL
DIA
HORA
EVENTO
LOCAL
RESPONSÁVEL
07
19:00
Patrocinador/Apoiador Oficial do Círio
2016
Casa de Plácido
Marketing/
Eventos/Decoração

MAIO
DIA
HORA
EVENTO
LOCAL
RESPONSÁVEL
06
21:00
Festa Dia das Mães
AP
Eventos
24
18:00
Missa encerramento da Novena
Mariana/Descida da Imagem
Basílica Santuário
Pastoral da Liturgia/
Evangelização
24
19:30
Apresentação do Cartaz
Basílica Santuário e/ou
Praça Santuário
Marketing/
Patrimônio/Decoração
31
20:00
Missa da Coroação No
ssa Senhora/Subida
da Imagem
Basílica Santuário
Evangelização

AGOSTO
DIA
HORA
EVENTO
LOCAL
RESPONSÁVEL
06
08h00
1.000 Ave
-
Marias
Capela Bom Pastor
Evangelização
13
11:00
Feijoada do Papai
Hangar
Eventos
15 a 21
XVII Congresso Eucarístico Nacional
28
08:00
Encontro de Formação de Dirigentes de
Peregrinação
Hangar
Evangelização
29
18:00
Missa do Mandato
Basílica Santuário
Evangelização

SETEMBRO
DIA
HORA
EVENTO
LOCAL
RESPONSÁVEL
08
19:00
Sorteio dos Carros
DFN
Procissões
17
09:00
Formação dos A
lunos das Escolas / Carros
Casa de Plácido
Procissões/
Evangelização
18
08:00
Concurso de Redação
CSN
Sala 11
Evangelização
24
09:00
Formação dos Jovens Evangelizadores /
Corda e Praça
A definir
Evangelização
25
10:00
Manhã dos Eleitos
Casa de Plácido
Coordenação
29 a
01/10
Peregrinação Menino Deus
Belém
-
Mosqueiro
Procissões

OUTUBRO
DIA
HORA
EVENTO
LOCAL
RESPONSÁVEL
04
19:00
Abertura Oficial do Círio 2016
Casa de Plácido
Eventos/
Decoração/Marketing
05
08:00
Abertura da Vigília de Adoração/Oração
Capela Bom Pastor
Evangelização
05
21:00
Transportes dos Carros
CDP
BasílicaSantuário / CDP
Procissões
06
18:00
Missa Apresentação do Manto
Basílica Santuário
Marketing/
Eventos/Evangelização
07
06:30
Encerramento da Vigília de
Adoração/Oração
Capela
Bom Pastor
Evangelização
07
07:00
Missa do Traslado
Basílica Santuário
Pastoral da Liturgia
07
08:00
Traslado Ananindeua/Marituba
BasílicaSantuário
Procissões
08
05:30
Romaria Rodoviária
Ananindeua
Procissões
08
09:00
Romaria Fluvial
Icoaraci
Procissõ
es
08
11:30
Moto Romaria
Pça. Pedro Teixeira
Procissões
08
12:30
Descida da Imagem
Basílica Santuário
Evangelização
08
16:30
Missa da Trasladação
Colégio Gentil
Evangelização
08
17:30
Trasladação
Colégio Gentil
Procissões
09
05:00
Missa do Círio
Cate
dral da Sé
Cúria da Sé
09
06:30
Círio
Catedral da Sé
Procissões
09 a 23
20:30
Programação Cultural/Círio Musical
Concha Acústica
Evangelização/
Eventos/
Marketing/Patrimônio
10 a 15/
17 a 22
05:30
Terço da Alvorada
BasílicaSantuário
Confraria de Nazaré
15
08:00
Ciclo Romaria
Pça. Santuário
Procissões
15
16:00
Romaria da Juventude
Igreja a definir /
Basílica Santuário
Procissões
16
07:00
Missa Romaria das Crianças
Pça
.
Santuário
Catequese
16
08:00
Romaria das Crianças
Pça.
Santuário
Procissões
22
05:
30
Romaria dos Corredores
Pça. Santuário
Procissões
23
07:00
Missa Procissão da Festa
A definir
Comunidades
23
08:00
Procissão da Festa
A definir
Procissões
23
19:30
Missa de Encerramento
Basílica Santuário
Pastoral da Liturgia
23
21:00
Encerramento d
o Círio 2016
Casa de Plácido
Eventos/
Marketing/Decoração
23
22:00
Espetáculo de Encerramento
Pça. Santuário
Eventos
24
05:30
Subida da Imagem
Basílica Santuário
Evangelização
24
06:00
Missa do Recírio
Pça. Santuário
Evangelização
24
07:00
Recírio
Pça
. Santuário
Procissões

Fonte abaixo: www.ciriodenazaré.com.br
Apoio: Governo do Estado e Prefeitura de Belém
Clique nas legendas em azul para ler os textos completos

NOTÍCIAS DO CÍRIO DE NAZARÉ

9 de setembro de 2016

Vendas de ingressos para as arquibancadas iniciam nesta segunda-feira, 12

Além da venda de ingressos, o cadastro para gratuidades também será via internet   A Diretoria da Festa de Nazaré vai disponibilizar a partir de segunda-feira, 12, os ingressos para as arquibancadas do Círio, montadas na Avenida Presidente Vargas, em um dos principais trechos das romarias da Trasladação e do Círio. Serão 5 mil lugares para o Círio ...
8 de setembro de 2016

Arraial de Nazaré já está sendo montado

Aos poucos o Círio vai tomando forma na grande Belém. Teve início esta semana, onde boa parte do ano funciona o Estacionamento Santuário, a montagem do Arraial de Nazaré. Tradicionalmente no local, ficam montados os brinquedos do parque de diversões ITA, um dos patrocinadores oficiais do Círio, além de barracas de alimentos e também de ...
8 de setembro de 2016

Escolas participam de sorteio de carros de promessa

ATUALIZAÇÃO – 09.09 às 09h30 – As escolas sorteadas foram anunciadas ontem, 08, durante evento no Centro Social de Nazaré que reuniu representantes das escolas participantes. A distribuição dos carros ficou da seguinte forma: Carro de Plácido - Colégio do Carmo (Ananindeua) e Colégio Santa Catarina de Sena Barca Nova - EEEIFM Brigadeiro Fontenelle e Escola Tenente Rêgo Barros ...
5 de setembro de 2016

Manhã dos Eleitos 2016 será voltada a moradores de rua e dependentes químicos

A Manhã dos Eleitos é uma das programações mais importantes dentro da programação do Círio. É quando a organização da Festa de Nazaré elege um segmento da sociedade para servir durante uma manhã de confraternização e evangelização. A programação de 2016 está marcada para o dia 25 de setembro, de 9 às 12h, na Casa ...
2 de setembro de 2016

Carro dos Anjos do Círio abre inscrições

A partir da próxima segunda-feira, 06 de setembro, será iniciado o período de inscrições para as crianças que estarão nos Carros dos Anjos durante o Círio 2016. As inscrições são necessárias por motivos de segurança, para que sejam evitados transtornos aos pais, responsáveis e para as próprias crianças que são levadas durante a procissão. Dos ...
1 de setembro de 2016

Inscrições para o Concurso de Redação do Círio estão abertas

As inscrições para o XXII Concurso de Redação do Círio de Nazaré iniciam nesta quinta-feira, 01 de setembro. O tradicional certame é destinado a estudantes do ensino médio das redes pública e particular de todo o Estado. Cada escola poderá inscrever até dois alunos. O concurso promovido pela Diretoria da Festa de Nazaré será realizado no dia 25 de ...
1 de setembro de 2016

Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Nazaré chega ao Rio

Há muito tempo, a forte devoção a Nossa Senhora de Nazaré, conhecida como a Rainha da Amazônia, ultrapassou as fronteiras de Belém e também do Pará. A Diretoria da Festa de Nazaré trabalha para levar ao máximo de lares, instituições e Paróquias dentro e fora de Belém, um pouco de evangelização e devoção à Mãe ...
1 de setembro de 2016

Credenciamento de imprensa para o Círio 2016

A Diretoria da Festa de Nazaré informa aos veículos de comunicação, fotógrafos, cinegrafistas e produtores de vídeos interessados em fazer a cobertura jornalística do Círio 2016 que já podem enviar oficio à Diretoria solicitando as credenciais. O documento deve conter nome e função de cada integrante da equipe e sua respectiva empresa e pode ser entregue fisicamente ou por e-mail. A Diretoria destaca que motoristas e automóveis não receberão credenciamento. ...
30 de agosto de 2016

Divulgada a programação do Círio Musical 2016

Durante as 15 noites da Festividade de Nossa Senhora de Nazaré, a Praça Santuário recebe milhares de jovens, adultos e crianças em torno da Concha Acústica para o Círio Musical. A programação de 2016 já foi definida e traz algumas novidades. As apresentações iniciam no dia 09 de outubro, às 20h, na concha acústica da ...
29 de agosto de 2016

ENCONTRO DE FORMAÇÃO DE DIRIGENTES DE PEREGRINAÇÃO 

De lar em lar, a preparação espiritual para a 224ª edição do Círio de Nazaré iniciará nos próximos dias. No último domingo, 28, ocorrereu a Manhã de Formação de Dirigentes de Peregrinação. Na ocasião, centenas de pessoas com a missão de conduzir as peregrinações nos lares católicos receberam orientações da diretoria da festa para iniciar ... 

Fonte do texto abaixo e foto acima e abaixo: Inegina Alexandre Dias
É Cirio outra vez. 
Paróquia Nossa Senhora de Nazaré. 
Bairro São Lourenço. 
Cidade Abaetetuba. 

Cirio 2016.
Maria, Mãe de Misericórdia
Com este Tema, se inicia mais uma vez a Festividade de Nossa Senhora de Nazaré. 
60 anos de evangelização dos quais, 29 anos faço parte. Por isso a alegria de ver mais um Círio acontecer,, uma história que traz o coração de tantas pessoas, umas ainda permanecem e outras já se foram.
Esta Paróquia como já disse tem o coração de tantos irmãos que estiveram a frente e deixaram suas marcas, escrevendo páginas e páginas desta obra maravilhosa, dedicada a nossa mãezinha, intitulada "- Virgem de Nazaré"
Sementes lançadas. 
Frutos colhidos. 
A força do amor a Deus estampada em cada olhar, em cada sorriso, quando homenageia sua Mãe. 
"### Vós sois o Lírio Mimoso"##
É a alegria de perceber que a Mãe de Jesus está presente em cada lar, em cada coração, cuidando de todos os detalhes que circulam nossa vida. 
Eis aí Tua Mãe"
Como filhos, acolhemos Maria para indicar o. Caminho que leva a eternidade. E ela permanece conosco orientando a comunidade dos filhos de Deus, com o coração aberto e trazendo nos braços seu filho Jesus. É Maria, Mãe de Misericórdia. "
Ela trouxe no ventre a misericórdia, deu seu sangue a Ele e transformou a vida da humanidade. 
Como poderíamos descrever Maria?
-### Aquela que viveu a vontade do Pai.###
### Sempre iluminada pelo Espírito Santo. ###
###Que foi fiel na alegria e na dor###
#### Maria de tantos Nomes###
###Maria de tanto amor###
### Maria de escuta e atenção a todos os seus filhos###.
###Maria que sabe como chegar ao coração de Jesus###
O mais suave perfume.
A suavidade de Maria, sua humildade, a prática do serviço aos irmãos, vem seduzindo os corações para Jesus, vem durante estes 60 anos atraindo aqueles que confiam nela e a sentem como Mãe de Deus. 
Santidade
É a Santa. É a serva. É a escolhida. . É a Mãe de Misericórdia. É a Palavra Viva de Deus que aponta:-fazei o que Ele vos disser.
E assim a Evangelização acontece. 
O amor a Jesus é Proclamado pelos braços de Maria. 
E amanhã 04/09/2016, mais uma vez estaremos caminhando com Maria. 
Um mar de pessoas mergulha no pequenino coração de Maria e, aí sentem-se seguros.
É a Mãe que cuia e prepara cada filho seu para encontrar-se com Jesus. 
É Cirio outra vez
É a alegria de homenagearmos a Mãe do Salvador. 
É vibrar com as lágrimas de emoção porque Maria sempre toca o coração e alcança Nossa alma.
♡♡ Maria de Nazaré fez mais forte a minha fé. 
O que dizer de tanta gente? O coração de Deus que estando na terra a pulsar no coração dos homens, quer homenagear aquela que trouxe seu Filho, afim de resgatar o que estava perdido.
A força do amor do Filho que nos dá sua Mãe para nos guardar e interceder por nós. 
A graça que possui uma mãe que diz:
--; Filho eles não tem mais vinho.......
E assim o Filho traz novamente a alegria injeta a fé e nos torna esperançosos. .
É Cirio outra vez
Bato palmas.
Quero aplaudir todos quantos já passaram por aqui: sacerdotes... leigos. . Consagrados. .famílias inteiras.
--; Obrigada por tão magnífica obra. 
Feliz e abençoado Cirio.

Fonte abaixo: Paróquia de Nossa Senhora de Nazaré em Abaetetuba
Acima a nova Igreja de Nazaré em Abaetetuba e abaixo a antiga Igreja

Quando a Igreja de Nazaré se tornou Paróquia de N.S. de Nazaré, em Abaetetuba

Fonte abaixo: jeanpinheironoticias.blogspot.com.br
segunda-feira, 7 de setembro de 2009
Círio de Nossa Senhora de Nazaré em Abaetetuba-Pará 
Foi realizado nesse último domingo, dia 6 de setembro de 2009, o círio de Nossa Senhora de Nazaré na cidade de Abaetetuba, no estado do Pará. Um público estimado em mais de 100 mil romeiros, entre próprios moradores da cidade e pessoas vindas de vários lugares do Pará e do Brasil, acompanharam a procissão. Uma manisfestação de fé do povo Abaetetubense.
Considerada a 2ª maior festa católica de Abaetetuba, o círio de Nazaré acontece a mais de 50 anos, mas com uma comemoração especial, pois neste ano, o Setor Nazaré se 
tornou Paróquia, cobrindo os setores Sagrado Coração de Jesus, Santa Rita de Cássia e Francilândia. 
A festividade acontecerá até o dia 13 de setembro com a coroação de Nossa Senhora. Na segunda-feira, dia 14 de setembro, teremos a subida da Imagem ao Glória, onde permanecerá até o próximo ano, no início da festividade. Padre Renilson, pároco da Paróquia de Nossa Senhora de Nazaré, disse que fica muito feliz em receber todas as pessoas que acompanham a festividade e que ajudam direto ou indiretamente de qualquer forma para a realização de mais uma festividade. 
O Círio foi encerrado com a Santa Missa na Igreja, presidido pelo bisbo de Abaetetuba, D. Flávio Giovenali.

Fonte: pt.eventhint.com
Domingo, 04. Setembro 2016, Abaetetuba, Círio de Nazaré Abaetetuba 2016

Cartaz da Festa acima: www.ciriodenazare.com
Cartaz do Círio 2016

O cartaz foi apresentado em um grande painel montado na Praça Santuário
Fotos
Foto acima de Linomar Ferreira

FESTA E CÍRIO DE NAZARÉ EM BELÉM
Iniciou no mês de maio a caminhada em preparação ao Círio de Nazaré, com o lançamento do Cartaz oficial 2016. O primeiro cartaz do evento que se tem registro é do ano de 1882, o que torna o cartaz deste ano o 134º da história. O evento aconteceu na Praça Santuário, após a missa das 18h, na Basílica, presidida pelo Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira.
O Cartaz foi apresentado em um grande painel montado na praça, que permaneceu encoberto até cerimônia de lançamento. Milhares de fieis esperaram ansiosos a apresentação da peça que tem, como principal função, divulgar a grande festa católica que ocorre no segundo domingo de outubro. É comum, durante o período do Círio, os devotos afixarem o cartaz na porta de suas casas pedindo proteção à Virgem de Nazaré.
A Diretoria da Festa de Nazaré, organizadora do evento, instalou uma estrutura metálica no centro da Praça Santuário para exibição da peça em uma cerimônia marcada por muita expectativa de milhares de fieis que aguardavam desde cedo.
A fotografia da Imagem Peregrina no cartaz este ano é de autoria do fotógrafo paraense Aluizio Dopazo, que contou o que sentiu ao receber o convite: “A emoção foi muito grande e de muita responsabilidade, pois a foto de Nossa Senhora estará veiculada em vários locais. Eu fiz o meu melhor para Nossa Senhora e para todo o povo de Deus, para ela ficar ainda mais linda”, comentou.
O cartaz também conta com uma ilustração elaborada pelo artista plástico Odair Mindello, também paraense, que doou seu trabalho para compor a peça. O artista plástico atualmente está com uma exposição em Nova Iorque na sede da ONU possui diversas obras que retratam o cotidiano amazônico em um estilo próprio, utilizando cores vibrantes e traços marcantes. Entre os motivos retratados em alguns de seus trabalhos está a devoção dos paraenses por Nossa Senhora de Nazaré.
De acordo com o diretor de Marketing do Círio, Oswaldo Mendes, o Cartaz deste ano começou a ser elaborado em dezembro de 2015, quando Dom Alberto anunciou o tema escolhido para a festa deste ano: “Salve rainha, Mãe de Misericórdia”. “A Mendes produz o Cartaz do Círio desde 1991. É sempre uma emoção muito forte a criação desta peça, haja vista ser um dos principais veículos de difusão da maior festa católica do povo paraense. É com o lançamento do cartaz que efetivamente dizemos: o Círio começou”, destaca Mendes.
A aposentada Rosana Furtado de 67 anos veio acompanhar a apresentação do cartaz. Devota de Nossa Senhora de Nazaré, ela comentou sobre a emoção de participar de um dos momentos mais importantes da quadra nazarena: “Participei da missa e antes da apresentação do cartaz fiquei muito ansiosa. A gente imagina, sempre, as coisas mais lindas para o cartaz do ano. Imagino a Imagem de Nossa Senhora de Nazaré rodeada por anjinhos, bem linda Dá vontade de fazer várias fotos pra guardar como recordação”.
Tendo a apresentação do cartaz como o ponta pé inicial para a preparação da festa da Rainha da Amazônia, o Reitor da Basílica Santuário de Nazaré, Pe. Francisco de Assis Oliveira, falou sobre o significado desse momento para os fiéis, tanto os que moram em Belém quanto para aqueles que estão em outros locais. “O cartaz é muito importante. É, sem duvida, um dos ícones mais marcantes da preparação para o Círio. Num breve espaço de tempo ele é espalhado de uma maneira que a gente não tem ideia. No ano passado, em menos de 1 mês após o lançamento pessoas nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e até no sul do país tinham o cartaz do Círio, enviado pelos pais, amigos ou parentes aqui de Belém que também esperam ansiosos pra poder mandar um presente de inestimável valor”, ressaltou.
A Diretoria da Festa calcula que serão produzidos mais de 900 mil cartazes este ano. Após o momento solene, integrantes da Guarda de Nazaré distribuíram gratuitamente 4 mil exemplares para os devotos que formaram longas filas na Praça Santuário. O evento é aberto ao público desde 2007. Estavam presentes na cerimônia: Padres Barnabitas, o Reitor da Basílica Santuário e Presidente da Diretoria da Festa, integrantes da Diretoria da Festa, além dos patrocinadores e apoiadores oficiais do Círio.
O Cartaz pode ser adquirido nas Lojas Lírio Mimoso no anexo da Basílica Santuário de Nazaré e no primeiro piso do Boulevard shopping.
Números – Segundo informações do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese-PA) e da Diretoria da Festa de Nazaré, entre os anos 2000 e 2016, o número de cartazes do Círio tem apresentado um crescimento em torno de 160,00%, passando de 350 mil cartazes confeccionados em 2000 para cerca de 910 mil este ano. A descrição do Cartaz do Círio este ano foi feita pelo reitor da Basílica Santuário, Padre Francisco Assis.
Texto acima: Andreia Teixeira e Yêda Sousa – ASCOM Basílica Santuário de Nazaré.

Fotos: Andreia Teixeira e Fabrício Coleny- Ascom Basílica Santuário de Nazaré.

Cartaz do Círio de Nazaré 2016

Fonte abaixo: www.ormnews.com.br via G1
Cerca de 910 mil cartazes do Círio devem ser produzidos
A apresentação acontece nesta nesta terça-feira (31), na Praça Santuário
Por: Redação ORM News Em 30 de maio, 2016 - 10h09 - Círi

O cartaz do Círio de Nazaré 2016 será apresentado nesta terça-feira (31) na Praça Santuário, em Belém, logo após a Santa Missa celebrada na Basílica Santuário de Nazaré pelo Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira Correa. Após a apresentação, serão distribuídos cerca de 4.000 exemplares ao público. A missa começa às 18h. Na ocasião, a imagem de Nossa Senhora de Nazaré será colocada de volta no Glória.
Devido a grande procura, a tiragem do cartaz tem aumentado a cada ano. De acordo com o Diesse-PA (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) e a diretoria da Festa de Nazaré, o número de cartazes deste ano apresenta um crescimento em torno de 160% em relação ao ano 2000. Cerca de 910 mil estão previstos para este ano, sendo que 640 mil serão produzidos pela Diretoria da Festa e mais 270 mil exemplares diretamente pelas empresas (com autorização da Diretoria da Festa de Nazaré).

Em 2000, a tiragem total chegou a 350 mil cartazes, sendo 300 mil exemplares confeccionados pela Diretoria da Festa e 50 mil pelas empresas; em 2006, a tiragem total já havia saltado para 500 mil cartazes, sendo 400 mil exemplares confeccionados pela Diretoria da Festa e 100 mil pelas empresas; no Círio 2010, a tiragem chegou a 850 mil cartazes, sendo confeccionados cerca de 600 mil cartazes pela Diretoria da Festa e mais 250 mil exemplares diretamente pelas empresas; no Cirio do ano passado, a tiragem alcançou 900 mil cartazes, sendo 635 mil confeccionados pela Diretoria da Festa e mais 265 mil exemplares diretamente pelas empresas. 

Fonte abaixo: http: turismoparaense.blogspot.com
Brinquedo de miriti: arte e tradição que movimenta a economia paraense
Arthur Sousa, instrutor da oficina, aprendeu a trabalhar com miriti ainda na infância, no município de Cametá, onde nasceu 

Foto: Carlos Sodré /Ag. Pa 
08/10/2014 12:04h
Há mais de 200 anos eles são a expressão artística da sensibilidade do caboclo paraense. Os brinquedos de miriti são um reflexo da criatividade de artesãos, especialmente do município de Abaetetuba, e suas influências afetivas do simples cotidiano de sua região. Entre as temáticas, barcos, cobras, tatus, peixes e muitas outras coloridas peças do chamado “isopor natural” da Amazônia enfeitam o Círio de Nazaré e são a base de sustento financeiro de centenas de famílias.
Ivan Leal é um dos artesãos que dedicam toda a vida à confecção de artesanato de miriti. Desde criança, ele descobriu o processo de confecção de brinquedos, se encantou e transformou a habilidade em profissão. “Quando criança, fazíamos vários brinquedos. Éramos 15 filhos e tínhamos que ser criativos, então comecei a fazer os brinquedos de miriti. Depois que cresci, tive a necessidade de ganhar dinheiro e hoje é uma verdadeira paixão. É o ar que eu respiro e o sustento da minha família. Trabalho hoje com peças decorativas e utilitárias. Durante o período do Círio trabalho mesmo com as peças tradicionais, mas, ao longo do ano diversifico a produção e faço muitas peças diferentes, como arandelas, abajures. É um grande privilégio trabalhar com esse material”, fala.
O trabalho de Ivan e de outros 70 artesãos poderá ser conferido de perto na Feira do Miriti, promovida pela Associação dos Artesãos de Miriti da Abaetetuba (Asamab) com apoio do Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Trabalho, Emprego e Renda (Seter). A exposição está em sua décima terceira edição e será realizada de 9 a 13 deste mês, na Praça Dom Pedro II, das 7h da manhã à meia noite.
Na abertura do evento será realizada uma missa, às 16h, na Igreja da Sé. A partir das 18h ocorrerá a abertura oficial da venda de objetos na praça. O evento é um reflexo do poder da tradição e das potencialidades econômicas de um dos mais tradicionais símbolos da festividade nazarena. “Nós estamos com uma grande expectativa de não voltar com nenhuma peça para Abaetetuba. Estamos produzindo muito material e tentando controlar a venda para ter muito material para a feira, porque antes mesmo do evento estamos recebendo encomendas. Ontem mesmo fiz uma venda de 3 mil peças, mas, agora tudo o que foi produzido tem como destino a Feira do Miriti”, explica Rivaildo Peixoto, artesão e presidente da Asamab.
A Feira deste ano vai ofertar um volume de 42,5 mil peças de brinquedos de miriti, um crescimento significativo, já que no primeiro ano os artesãos trouxeram 17 mil brinquedos. Este ano, os artesãos de Abaetetuba vão ocupar 52 estandes, junto a outros 10 expositores da capital, que mostrarão outras formas de artesanato. “A importância maior desse evento é ver a divulgação do nosso artesanato, do nosso estado e do nosso município, Abaetetuba. É muito gratificante levar nossa arte e ter a valorização dela, principalmente no últimos anos”, fala o presidente da Asamab.

Qualificação
Só em 2014 a Seter já capacitou mais de 1.600 artesãos em cursos profissionalizantes, como o encontrado na Fundação Curro Velho, no bairro do Telégrafo. O instrutor da oficina de confecção de brinquedos de miriti, ocorrida este mês, Arthur Sousa, é mais um exemplo de quem viu a vida transformada pelo artesanato. “Quando eu era criança, em Cametá, a gente brincava com o que tinha em mãos e a fazia nossos carros, nossos barquinhos de miriti nos rios e igarapés de lá. Tinha até um campeonato de quem fazia o melhor barco. Quando eu cresci, vim para Belém estudar e conheci a Fundação Curro Velho, em 2003, e comecei a ter contato com vários artistas, participar de vários trabalhos e o miriti novamente apareceu para construir bonecos, maquetes, confecção de alegorias e adereços para o carnaval. Desde 2005 comecei a assumir as turmas para fazer oficinas e o miriti encanta várias pessoas, que vêm procurar aprender a manipular o miriti e suas técnicas. Agora percebo que o miriti não está sendo só utilizado no Círio e fico satisfeito com isso”, diz.
O estudante Eduardo Luiz Zarpelon, de 13 anos, se interessou em fazer a oficina depois de ver a beleza dos brinquedos no Museu Emílio Goeldi. “Sabia mais ou menos o que era miriti e vim fazer esse curso de 15 dias. Este ano, no Círio, depois de aprender, vou fazer uns brinquedos de miriti para a minha casa”, diz.
Aos 63 anos, Evaldo Moraes do Santos, mecânico de automóveis, se dedicou ao curso para aprender a fazer os tradicionais brinquedos e terminou a oficina satisfeito. “Se todo ser humano soubesse o que significa o miriti,.se todo marajoara soubesse a importância, ele não desperdiçava esta riqueza. Eu sei e por isso que vim aqui pegar essas aulas, para aprender, me especializar e algum dia eu vou dar aula aqui”, conta.
Maria das Dores Godinho, de 70 anos, já é artesã e resolveu aprimorar seus conhecimentos. "Há 3 anos fui fazer um trabalho e precisei de bichinhos e não consegui porque era mês de agosto e não tinha nada em Belém. Andei Belém toda e não achei. Tive que ir a Abaetetuba três vezes para fazer a encomenda. Aí decidi me aprimorar. É ótimo. Já aprendi e fiz peixinhos, bailarinos, vários brinquedinhos e estou adorando. Eu gosto muito de artesanato e de aprender essas coisas, principalmente da nossa região”, explica.
Só para se ter uma ideia da importância do artesanato e da oportunidade de geração de renda para a região, na terceira edição da Feira do Artesanato Paraense (Fesart Pará), realizada junto com a IV Feira do Artesanato Mundial (FAM), o volume de vendas diretas ultrapassou R$ 2,2 milhões. Mais de 90 mil pessoas visitaram os 10 dias de evento, realizado no Hangar Convenções e Feiras da Amazônia.
Foram comercializadas 44.100 peças, de 63 municípios, 17 estados e 23 países. A Fesarte ainda gerou cerca de 2.200 empregos diretos e indiretos. “Em comparação à primeira feira, na qual o lucro foi de quase R$ 265 mil, e a segunda edição, de 550 mil, a terceira edição foi um sucesso nas vendas diretas. E os artesãos vão continuar lucrando até o fim do ano com as encomendas da Rodada de Negócios”, fala Glória Pareira, uma das coordenadoras do Programa Estadual de Artesanato, da Secretaria de Estado de Trabalho, Emprego e Renda (Seter).
Serviço:
A Feira do Miriti será realizada de 9 a 13 de outubro, de 7h à meia noite, na Praça Dom Pedro II. No dia 9, a abertura será com uma missa, às 16h, na Igreja da Sé. Neste dia, somente a partir 18h, a feira será aberta.

< Por Ana Paula Bezerra

Fonte: http:turismoparaense.blogspot.com.br
Clique nas fotos para ampliar sua visão e nas legendas em azul para ver novas fotos e ler outras informações sobre os diversos aspectos dessa festa religiosa, que é a maior do Brasil e uma das maiores do mundo, que envolve mais de 6 milhões de pessoas só em Belém, sua região metropolitana e Pará inteiro.

SÁBADO, 6 DE AGOSTO DE 2016
Venha ao Pará em outubro e participe do Círio de Nazaré
Círio de Nazaré/ Foto: Eliseu Dias Agência Pará 

O evento turístico e religioso acontece em Belém e move mais de dois milhões de pessoas pelas ruas da cidade. A programação da quadra nazarena é longa e mais intensa a partir de 8 de outubro, com a marcanteRomaria Fluvial, quando os fiéis homenageiam a Virgem de Nazaré, navegando pelas águas da baia do Guajará, saindo pela manhã do trapiche de Icoaraci até a Praça Pedro Teixeira, ao lado da Estação das Docas.
Trasladação/ Foto: Eliseu Dias Agência Pará 

Na mesma data, ao final da tarde, acontece a Trasladação. Procissão noturna que sai do Colégio Gentil Bittencourt, na Avenida Nazaré, e segue até a Igreja da Sé, localizada no bairro da Cidade Velha. Por ser noturna, a Trasladação torna-se um verdadeiro espetáculo de cores, sons e luzes para saudar a Virgem de Nazaré.
Romaria Fluvial / Foto: Eliseu Dias 

No dia 9 acontece a tradicional procissão do Círio de Nazaré, a festa religiosa do Pará e expressão da cultura amazônica para o mundo. A procissão inicia pela manhã saindo da Igreja da Sé, na Cidade Velha e percorre 3.600km até chegar à Praça Santuário de Nazaré, no bairro que tem o mesmo nome da peregrina. Durante o trajeto são prestadas várias homenagens à Rainha da Amazônia, padroeira do povo do Pará.
Pato no Tucupi/ Foto: Cristino Martins Agência Pará 

A gastronomia é um convite à parte para você experimentar o sabor original dos pratos típicos do Pará. Na ceia do paraense, que lembra o natal, o pato no tucupi, maniçoba, e outras delícias que podem ser degustadas nos melhores restaurantes da Estação das Docas e em outros de Belém.
Brinquedos de Miriti/ Foto: Fernando Sette 

Para as crianças a diversão fica por conta dos famosos brinquedos de miriti, que retratam de maneira única e sustentável as lendas amazônicas, os personagens do cotidiano ribeirinho e a fé que move o Pará. Os brinquedos podem ser comprados na tradicionalFeira de Miriti, que acontece na Praça Maestro Waldemar Henrique, quando mais de 100 famílias, a maioria do município de Abaetetuba, expõem seus produtos. 
Auto do Círio/ Foto: Cristino Martins Agência Pará 

Você que busca algo mais lúdico, acontece também neste período o Auto do Círio, um cortejo popular, realizado pelas ruas do bairro da Cidade Velha onde são apresentadas manifestações artístico-culturais: o teatro, a dança, a música e outros aspectos integram a encenação que congrega artistas e profissionais amadores da área. Um espetáculo itinerante a céu aberto misturando o popular com o erudito, expressão profana do sagrado legado histórico do Círio.
Na Festa da Chiquita você pode encontrar o lado mais "profano" desta temporada. Evento organizado pela comunidade LGBT da capital paraense e ocorre no Bar do Parque, na Praça da República, em frente ao Theatro da Paz. São shows de transformistas, travestis e drag queens para tornar sua viagem ainda mais rica.
Praias, trilhas, circuitos gastronômicos, exposições, shows musicais e outros eventos reforçam o convite para que você, em outubro, prestigie o Círio de Nazaré no Pará. 
Voos regulares acontecem neste período, reserve um bom hotel. O Pará espera por você na obra-prima da Amazônica.

Conheça o Pará :
Facebook, Instagram e Twitter: @VisitPará.

Traslado para Ananindeua
Na sexta-feira que antecede o Círio, acontece o traslado da imagem peregrina para os municípios de Ananindeua e Marituba, um percurso de 48,5 quilômetros, que começa ao meio-dia e termina às 20 horas.
O percurso inicia na Basílica Santuário e passa pelas avenidas Nazaré, Magalhães Barata, Almirante Barroso e BR-316. Depois, segue pelos bairros Cidade Nova e Paar, em Ananindeua, e entrada do município de Marituba, até chegar a Igreja de Nossa Senhora das Graças, em Ananindeua.
Lá a imagem fica em um palanque armado em frente à Igreja Matriz, onde passa a noite em vigília. Na manhã de sábado, a imagem é levada pelos devotos na romaria rodoviária.
Histórico – A Diretoria da Festa de Nazaré realizou o primeiro traslado para Ananindeua, na 4ª Romaria Rodoviária em 1992, durante o CÍRIO 200, anteriormente saía do Monumento da Cabanagem e Terminal de Carga. Em carro aberto só foi realizado em 1997, no momento em que foi utilizado o “cibório” – uma abóbada sustentada por quatro colunas lisas e retorcidas – da Romaria das Crianças, onde a imagem era colocada. Para prevenir contra a ação do vento e da chuva, em 1999, o cibório foi substituído por uma réplica da Berlinda, em tamanho menor.
Hoje, a imagem peregrina é levada da Basílica Santuário de Nazaré em uma réplica da Berlinda em cima de um carro da Polícia Rodoviária Federal (PRF). A mudança ocorreu por conta da necessidade de proteger a imagem, que no cibório ficava exposta ao vento, sol e chuva.
Paróquias no trajeto: 1) São Miguel Arcanjo; 2) Santo Antônio de Pádua; 3) Amparo; 4) Divino Espírito Santo; 5) Santa Rita de Cássia; 6) Santa Paula Francinete; 6) São Lucas; 7) São Vicente de Paula; 8) Nossa Senhora da Graças; 9) Menino Deus e 10) Matriz de Ananindeua.

Romaria Rodoviária
Realizada no sábado, véspera do Círio, a romaria que leva a imagem peregrina da Matriz de Nossa Senhora das Graças, em Ananindeua, para o distrito de Icoaraci é precedida de uma missa às 5h. Atualmente, essa procissão passou a ser organizada pela Diretoria da Festa com a colaboração da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Prefeitura de Ananindeua e outros órgãos públicos.
Após a celebração religiosa na Igreja Matriz, a imagem é colocada no alto de um carro aberto, com Berlinda protegida pela Guarda da Santa. A procissão segue na BR 316, até o Entroncamento, indo pela Rodovia Augusto Montenegro até Icoaraci, acompanhada pelos carros da Diretoria do Círio, Polícia Rodoviária Federal, Cruz Vermelha e centenas de outros veículos, bem como motoqueiros, ciclistas e pedestres. Mesmo muito cedo, mais uma vez, ao longo do percurso, os fiéis aguardam a passagem da padroeira para homenageá-la.
Depois de um percurso de 24 quilômetros, a procissão chega a Icoaraci por volta das 8h, onde uma nova missa é celebrada. Às 9h, a imagem é colocada numa embarcação para continuar a viagem, rumo à Praça Pedro Teixeira, dando início à Romaria Fluvial.
Desde 2000, a Romaria passou a ser organizada pela Diretoria da Festa com a colaboração da Polícia Rodoviária Federal, Prefeitura de Ananindeua e outros órgãos.
Histórico – A Romaria Rodoviária foi criada pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas (Sindicarpa), no dia 7 de outubro de 1989. A primeira e a segunda romaria saíram do Monumento da Cabanagem no Entroncamento. A 3ª, em 1991, ainda saiu do Terminal de Cargas, foi só a partir de 1992 que a saída passou a ser feita da Igreja Matriz de Ananindeua.

Romaria Fluvial
Fonte da foto: www.valeverdeturismo.com.br
A Romaria Fluvial também é realizada no sábado, véspera do Círio de Nazaré, com saída prevista para as 8h, logo após a missa, no Trapiche de Icoaraci. O percurso de 10 h2has náuticas (o que corresponde a cerca de 18 Km) até a Praça Pedro Teixeira começa às 9h. A parada é em Belém na Escadinha do Cais do Porto (ao lado da Estação das Docas), por volta das 11h.
Quando chega à escadinha, a Imagem de Nossa Senhora de Nazaré é recebida com honras de Chefe de Estado, pela Polícia Militar, em Belém. A ocasião se repete desde 1999, motivada pela Lei Estadual nº 4.371, de 15 de dezembro de 1971, que proclamou a Virgem de Nazaré, Padroeira do Pará, Rainha da Amazônia e merecedora dessa grande homenagem.
Histórico – A primeira Romaria Fluvial foi realizada pela Companhia Paraense de Turismo (Paratur), com a saída do Trapiche de Icoaraci no dia 8 de outubro de 1986. O responsável foi o presidente da Paratur, na época, o historiador Carlos Rocque. A primeira Romaria foi acompanhada por cerca de 30 barcos e marcada por imensa emoção, no momento em que uma grande auréola luminosa surgiu no céu contornando o sol. O fenômeno foi considerado um sinal de benção e aprovação da Virgem de Nazaré àquela manifestação de fé dos devotos.
Para a romaria nas águas da baía do Guajará, foi confeccionada mais uma réplica da berlinda, usada até 2002. No ano seguinte, ela foi substituída por uma cúpula de vidro que é usada até hoje. A cúpula permite maior visibilidade da imagem pelos ribeirinhos e fiéis que a acompanham. Atualmente, mais de h2 embarcações, entre barcos, lanchas, balsas e veleiros participam do “Círio das Águas”.
Percurso – Saída do Trapiche de Icoaraci, via navegação fluvial, para Escadinha do Cais do Porto (Praça Pedro Teixeira), em Belém.

Moto-romaria
Após a chegada da Romaria Fluvial na Escadinha do Cais do Porto, em Belém, os romeiros se integram aos motociclistas que aguardam a imagem para conduzi-la na Moto-romaria até o Colégio Gentil Bittencourt.
Num percurso de 2,6 quilômetros, centenas de motociclistas, ciclistas e outros veículos fazem a escolta da imagem até o colégio. Ao longo do trajeto, muitas homenagens são feitas à Rainha da Amazônia.
Histórico – A romaria foi criada no dia 13 de outubro de 1990, pela Federação Paraense de Motociclismo, que decidiu prestar sua homenagem acompanhando a Imagem de Nossa Senhora de Nazaré. Na oportunidade cerca de 40 motociclistas participaram do momento.
Percurso – A saída é realizada da Praça Pedro Teixeira, segue pela Av. Presidente Vargas, Av. Sezerdelo Corrêa, Av. Gentil Bittencourt, Av. Alcindo Cacela, Av. Magalhães Barata até as escadarias do Colégio Gentil Bittencourt.

Trasladação
A Trasladação é realizada na noite do sábado que antecede o Círio de Nazaré. Depois de uma missa às 17h, no Colégio Gentil Bittencourt, os fiéis se dirigem em procissão à Igreja da Sé, fazendo o mesmo trajeto da procissão do domingo, mas no sentido inverso. Diferente do que ocorre no Círio, onde vários carros de promessas e pelotões acompanham a procissão, na Trasladação há apenas a berlinda em destaque.
O fato da procissão acontecer à noite torna o momento ainda mais bonito, pois, além de a cidade toda se enfeitar e se iluminar para saudar a Virgem de Nazaré, é possível constatar que a Trasladação é uma verdadeira procissão à luz de velas levadas pelos devotos durante todo o percurso.
Um dos momentos mais emocionantes da procissão ocorre durante a homenagem dos estivadores e arrumadores, que soltam fogos de artifício em honra à Virgem de Nazaré, num verdadeiro espetáculo de cores e luzes.
A cada ano que passa, o número de fiéis que acompanham a Trasladação é maior. Nos últimos anos, a corda atrelada à berlinda tem sido tão disputada quanto na grande procissão de domingo.

Histórico
Antigamente, a Trasladação era chamada de Antecírio. A primeira Trasladação foi o próprio Governador Francisco de Souza Coutinho, junto com o Capelão do Palácio, padre José Roiz de Moura, que levaram a Imagem de Nossa Senhora de Nazaré, da Matriz até o Palácio. A data precisa e se houve ou não acompanhamento de pessoas do povo não se tem certeza.
Em 1887, o traslado saía do Colégio Amparo, mas em fevereiro, do mesmo ano, através do decreto de nº 414 do Governador Dr. Augusto Montenegro, o Colégio Amparo mudou sua denominação para Instituto Gentil, ainda no antigo endereço. Em 1889, houve a mudança de nome.
Somente em 1906 com a inauguração do atual prédio, em 26 de junho, é que a Trasladação passou a sair do atual local. Nos anos 70, as senhoras de mais idade, reuniam-se em grupos e iam na Corda da Trasladação, graças às condições climáticas noturnas. A partir de 1985, começou também a ficar problemática, com o aumento de promesseiros na Corda. Só em 1988, a Trasladação passou a ter o mesmo trajeto do Círio, mas em sentido inverso, pois antes disso, ela ainda seguia até a Catedral da Sé tendo como rua central do percurso, a Avenida Governador José Malcher. Em 2005, a Trasladação foi uma das mais longas dos últimos anos, demorou cerca de 6h com a Berlinda chegando à Sé por volta de 00h00.
Sobre o atrelamento da Corda à Berlinda não se sabe ao certo quando começou. Em 2000, a corda permanecia todo o tempo atrelada, o que levou a chegada à Catedral às 01h15, já no domingo do Círio. Em 2001, decidiu-se pelo desatrelamento da corda em frente à Clínica dos Acidentados (Av. Nazaré) às 19:05 horas. Neste ano, a Berlinda chegou à Catedral a 23h35. A partir de 2003, a Corda foi desatrelada na esquina da Trav. Dr. Moraes às 22h15, chegando a Catedral 0h30. Em 2007, a Corda possui 400 m de extensão.
Presume-se que a primeira Missa celebrada por ocasião da Trasladação, tenha sido em 1887, na capela do Colégio Amparo. Em 1992, no Círio 200, passou-se a colocar um tablado sobre as escadarias do Colégio para celebração da Missa, a fim de permitir uma melhor visibilidade da Liturgia. Até o ano de 1996, a Missa era realizada às 18h, com saída da procissão às 19h, mas a partir de 1997, foi antecipada em uma hora, para agilizar a chegada da santa.
Percurso – A saída é realizada do Colégio Gentil Bittencourt, segue pela Av. Magalhães Barata, Av. Nazaré, Av. Presidente Vargas, Av. Boulevard Castilho França, Av. Portugal, Praça do Relógio até a chegar à Catedral da Sé.

Círio
Fonte da foto: www.valeverdeturismo.com.br

No segundo domingo de outubro (14), acontece a mais tradicional festa religiosa do Pará, o Círio de Nazaré, em homenagem à padroeira do povo paraense e Rainha da Amazônia: Nossa Senhora de Nazaré. A procissão inicia às 7h, depois da tradicional missa que começa às 5h30 da manhã, em frente à Catedral da Sé, na Cidade Velha. De lá, a Imagem da Virgem percorre cerca de 3,600 Km de distância, para chegar até a Praça Santuário de Nazaré. Promesseiros, devotos, fiéis, pessoas de todos os lugares do mundo vêm a Belém para participar da Festa.
Realizada em Belém há mais de dois séculos, o Círio é umas das maiores e mais belas procissões católicas do Brasil e do mundo. A devoção remonta ao início da colonização portuguesa. O termo Círio vem da palavra latina “cereus”, que significa vela ou tocha grande. Por ser a principal oferta dos fiéis nas procissões em Portugal, com o tempo, o termo passou a ser sinônimo da procissão de Nazaré aqui em Belém e de muitas outras pelas cidades do interior do Estado.
A cada ano, um número maior de romeiros é atraído para participar do Círio. A procissão reúne aproximadamente dois h2hões de pessoas numa caminhada de fé pelas ruas da capital paraense, um verdadeiro espetáculo em homenagem a Nossa Senhora de Nazaré, a mãe de Jesus. Durante todo o trajeto, são prestadas várias homenagens à Imagem de Nossa Senhora, além dos promesseiros que realizam diversas manifestações de fé. Neste dia, as ruas e casas se enfeitam especialmente em homenagem à Santa. Após a grande procissão, a Imagem da Virgem fica exposta no altar da Praça Santuário para a visita dos fiéis durante 15 dias – Quadra Nazarena.
Curiosidades – Foi em 2004, que aconteceu o maior Círio da História, com o trajeto cumprido em 9 horas e 15 minutos. Neste mesmo ano, o Círio de Nossa Senhora de Nazaré foi registrado, pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), como patrimônio cultural de natureza imaterial.

Milagres
São inúmeros os milagres atribuídos pelos cristãos à Virgem de Nazaré. O primeiro conhecido no mundo português foi o relatado pelo fidalgo Dom Fuas Roupinho, cujo cavalo galopava descontrolado para um abismo. Ao invocar a Virgem, o cavalo estancou, salvando o fidalgo da morte certa. Outro h2agre aconteceu no ano de 1846, com os passageiros do brigue – embarcação de dois mastros comuns – português São João Batista, que deixou Belém rumo a Lisboa no dia onze de julho. Dias depois, o brigue na época naufragou e os passageiros foram salvos por um bote que os trouxe de volta à Belém. O brigue havia, anos antes, transportado a Imagem de Nossa Senhora de Nazaré a Lisboa, para ser restaurada. O bote que salvou os náufragos também era o mesmo que tinha levado a Imagem até o brigue ancorado ao largo da cidade. O bote passou a acompanhar a procissão a partir do ano de 1885.
Como atualização de alguns desses h2agres, são levados no Círio carros onde os romeiros depositam seus objetos de promessas que carregam durante a procissão. Serão transportados: Carro de Plácido, Barca dos Escoteiros, Barca Nova, Carro dos Anjos, Cesto de Promessas, Carro dos Anjos, Barca com Velas, Carro dos Anjos, Barca Portuguesa, Carro dos Anjos, Barca com Remos, Carro Dom Fuas e Carro da Santíssima Trindade.

Histórico
A primeira procissão do Círio de Nossa Senhora de Nazaré saiu na tarde do dia 8 de setembro de 1793. Na noite anterior, a imagem da Santa havia sido transferida de sua ermida na Estrada do Utinga para o Palácio do Governo, com toda a pompa da época: 1.932 soldados da Milícia participaram do cortejo. A mobilização foi grande, tinha gente de toda a redondeza de Belém atraída pela feira que o governador determinou que fosse instalada no terreno que circulava a ermida, para a venda de produtos regionais. Desde a sua instituição, até 1881, a procissão saia da Capela do Palácio do Governo.
O Círio passou a ser realizado pela manhã em 1854, devido as fortes chuvas que aconteciam à tarde. A partir de 1882, o bispo Dom Macedo Costa, de comum acordo com o Presidente da Província, Dr. Justino Ferreira Carneiro, resolveu que o ponto de partida seria a Catedral da Sé, o que acontece até hoje. O segundo domingo de outubro ficou definido como o dia de realização da procissão do Círio, em 1901. Em 1992, no Círio 200, a Imagem que saiu na procissão foi à autêntica, a peça encontrada por Plácido. Até o ano de 1999, a Missa foi celebrada no interior da Igreja, como a cada ano aumentava mais a participação do povo, a partir do ano 2000, a pedido de Padre José Gonçalo Vieira, Vigário da Cúria Arquidiocesana, a Missa passou a ser celebrada em um tablado em frente à Catedral.
Percurso: Saída da Catedral da Sé, percorre a Praça do Relógio, Av. Portugal, Av. Boulevard Castilho França, Av. Presidente Vargas, Av. Nazaré até a Praça Santuário de Nazaré.

Cicloromaria
A Cicloromaria acontece no sábado posterior ao Círio, com saída às 8h, da Praça Santuário de Nazaré. Todos os anos, o trajeto a ser percorrido é diferente, sendo definido dois meses antes do

Círio.
Estima-se que cerca de 5 h2 ciclistas participem da romaria todos os anos.O percurso é de mais de 9km, com ponto de partida e de chegada a Praça Santuário de Nazaré. A realização da romaria acontece em parceria com a Associação Brasileira de Esportes de Aventura.
Histórico – A procissão é a mais nova entre as 11 romarias. Foi criada depois do pedido da Federação dos Ciclistas do Pará e da Associação dos Ciclistas de Icoaraci, em 2004.

Romaria da Juventude
A Romaria da Juventude é, geralmente, realizada na tarde do sábado posterior ao Círio. Essa é a vez dos jovens homenagearem a Virgem de Nazaré. A procissão é animada por um Trio Elétrico. Este é o momento em que várias comunidades jovens se encontram, fazendo da Romaria da Juventude uma das mais animadas. A organização desta procissão é feita pela Basílica Santuário de Nazaré e Catequeses das Paróquias. A Romaria da Juventude é considerada uma forma de integrar todas as paróquias em torno da realização da festa.
Histórico – A homenagem dos jovens começou em 2001, com a procissão saindo da Comunidade São Braz, seguindo pela Av. Castelo Branco, Av. Conselheiro Furtado, Trav. 14 de Abril, Alameda Dom Alberto Ramos até o Altar Monumento da Praça Santuário. Em 2002, saiu da Comunidade Santo Antônio Maria Zaccaria, seguindo pela Tv. 9 de Janeiro, Rua Antônio Barreto, Av. Generalíssimo Deodoro, Av. Nazaré até a Praça Santuário. Em 2003, saiu da Comunidade São José, seguindo pela Rua Antônio Barreto, Av. Alcindo Cacela, Av. Governador José Malcher, Av. Generalíssimo Deodoro, Av. Nazaré até a Praça Santuário.

Romaria dos Corredores
Em 2014, mais uma romaria oficial entrou para o calendário da grande festa do Círio de Nazaré: a Romaria dos Corredores. Totalizando 12 romarias oficiais, a mais nova procissão será realizada no dia 25 de Outubro.
A procissão ocorrerá em forma de trote (corrida de pouca velocidade) com aproximadamente 8 a 9 km/h para que os corredores devotos possam acompanhar a Imagem Peregrina de perto. O evento não terá caráter competitivo, portanto não haverá cronometragem, nem premiação. 
O trajeto da procissão terá aproximadamente 8 km com início no CAN​ – Centro Arquitetônico de Nazaré – passando pelas ruas principais e adjacentes da procissão do Círio: Av. Nazaré, 14 de março, Av. Governador José Malcher, Av. Assis de Vasconcelos, Rua Oswaldo Cruz, Rua Riachuelo, Tv. Padre Eutíquio, Rua João Diogo, Palácio da Cabanagem, Praça da Sé, Av. Almirante Tamandaré e Av. Nazaré retornado ao CAN. Na chegada haverá o rito da bênção com a Imagem Peregrina. 

Romaria das Crianças
No primeiro domingo após o Círio de Nazaré, é a vez das crianças irem às ruas prestar suas homenagens a Nossa Senhora. A Romaria, criada com o objetivo de construir e fortalecer a devoção mariana entre os pequenos, começa às 8 horas da manhã, saindo da Praça Santuário e percorrendo várias ruas do bairro de Nazaré, em Belém.
O crescimento da participação popular na Romaria das Crianças, principalmente nos últimos 8 anos, é conseqüência de pelo menos dois fatores: o crescimento da quantidade de crianças acompanhadas de seus pais na procissão e o aumento de idosos, devido as crescentes dificuldades no acompanhamento da Trasladação e do Círio.
Além da Berlinda que conduz a imagem de Nossa Senhora de Nazaré, durante a Romaria das Crianças há ainda o carro dos milagres e os carros dos anjos.

Histórico
A primeira Romaria foi realizada em 21 de outubro de 1990, contou com cerca de 1.500 participantes. No ano de 1994, o andor foi substituído por um “cibório” colocado em um carro. Até 1999, eram as Esposas dos Diretores que providenciavam tudo: desde a decoração até os atos litúrgicos, mas a partir de 2000, o Padre Francisco Silva pediu que a Catequese assumisse uma maior participação. No mesmo ano, foram inseridos dois carros: o do Anjo Custódio e o do Anjo Protetor da Cidade. Em 2003, utilizou-se os quatro carros dos anjos existentes.
Percurso: Saída da Praça Santuário de Nazaré, segue pela Av. Nazaré, Av. Alcindo Cacela, Av. Gov. José Malcher, Tv. Doutor Moraes e volta pela Av. Nazaré até o ponto de partida.

Procissão da Festa
A Procissão da Festa é o penúltimo evento das Romarias Nazarenas do Círio e a terceira romaria mais antiga, depois do Círio e da Trasladação. O percurso é diferente a cada ano e possui cerca de 2,8 Km, com previsão de 2h de duração.
A procissão é acompanhada pela Diretoria da Festa de Nazaré e as comunidades que fazem parte da Basílica Santuário. É a romaria realizada na manhã do segundo domingo após o Círio, saindo às 8 horas da Praça Santuário, depois da celebração de uma missa.
A Procissão da Festa é organizada pelas próprias comunidades ligadas à Basílica e percorre as ruas do Bairro de Nazaré, num trajeto de 2,8 km. Todo ano, uma das comunidades é prestigiada pela procissão. O percurso é definido pelo pároco da Basílica e de acordo com a localidade da comunidade contemplada.
Histórico – Não se sabe precisamente quando a primeira procissão da Festa foi realizada, mas em 1881 já se tem notícia, 24 anos antes dos Barnabitas assumirem a Paróquia de Nossa Senhora de Nazaré do Desterro, em 1905. Era realizada à tarde, até que uma chuvarada em 1953 passou-a para a parte da manhã, o que veio a mudar em 1954. Antigamente, a procissão costumava sair de dentro da Basílica, enquanto não existia a Praça Santuário.
Em 2000, no dia 22 de outubro, a procissão coincidiu com o Jubileu de ordenação de Arcebispo Metropolitano de Belém na época, Dom Vicente Zico, e por esse motivo a Procissão saiu da Praça Santuário para a Catedral, onde foi celebrada uma Missa solene no tablado armado em frente à Igreja. A Imagem da Santa foi levada no mesmo carro utilizado no Traslado para Ananindeua (PRF). Em 2001, passou por todas as comunidades que fazem parte da Paróquia de Nazaré, sendo o percurso considerado muito longo, um total de 4,3 km.

Recírio
O Recírio é o momento que encerra toda a Festividade Nazarena. É quando os paraenses se despedem da Rainha da Amazônia. A procissão do Recírio acontece 15 dias após a grande procissão de domingo, numa segunda-feira.
A procissão começa após uma missa campal, realizada na Praça Santuário às 6h. Ao final da missa, a imagem original de Nossa Senhora de Nazaré retorna ao Glória, sobre o altar-mor da Basílica Santuário. É emocionante! Os h2hares de fiéis, ali reunidos, vêem o arcebispo de Belém caminhar até o nicho, retirar a pequena imagem e erguê-la para os abençoar. Ela é reconduzida então à sua redoma de cristal, lá permanecendo entre os anjos esculpidos que lhe fazem companhia até o próximo Círio.

Às 07h, a imagem da Virgem de Nazaré é conduzida num percurso de 250 metros, em direção à Capela do Colégio Gentil Bittencourt.

Durante o trajeto, a procissão faz o contorno na Praça Santuário, segue pelas avenidas Generalíssimo Deodoro, Nazaré e Magalhães Barata até chegar ao Colégio Gentil. Enquanto passa, a imagem de Nossa Senhora de Nazaré é saudada e aclamada pelos paraenses que acompanham a caminhada ou a assistem pelas janelas de suas casas.
A despedida é sempre emocionante. Entre muitas orações e canções, os fiéis prestam suas últimas homenagens à Santinha. Em grande estilo, o Recírio encerra o Círio de Nazaré marcado por muita fé, fogos de artifício e pela espera da Festa no próximo ano.
Incineração das Súplicas – Durante a missa que antecede a procissão do Recírio, os Diretores da Festa de Nazaré reúnem-se para recolher todos os pedidos depositados no Altar Monumento da Praça Santuário e no Nicho, onde a Imagem Original de Nossa Senhora de Nazaré ficou durante os 15 dias da Festividade. Tradição que acontece desde 1994, neste momento, em oração, numa cerimônia singela, na Praça Santuário, a Diretoria procede à queima desses pedidos: é a Incineração das Súplicas. As primeiras queimas eram realizadas na lateral da Basílica em frente à Sala dos 

Milagres.
Histórico
A primeira procissão do Recírio remonta a metade do século XIX, mas precisamente o ano de 1859. Este ano, portanto, completa 148 anos. Antigamente o Recírio era feito no domingo à tarde com a volta da Imagem para a Capela do Palácio do Governo, fato já relatado em 1859. Ainda conhecido como “Último Ato da Festividade Nazarena”, ao chegar na Praça em frente ao Palácio, a procissão encerrava com uma missa e com um espetáculo de fogos de artifício.
Atualmente, após a missa no Altar Monumento, leva-se à imagem para o Gentil. O grande final da última procissão é marcado pelo aceno dos lenços brancos e pela forte oração em grupo da Guarda de Nazaré, nas escadarias do Colégio Gentil.
Percurso – Praça Santuário (contorno), Av. Generalíssimo Deodoro, Av. Nazaré, Av. Magalhães Barata até as escadarias do Colégio Gentil Bittencourt.

Encerramento da Festa
Essa celebração começou a ser realizada em 1982, com a inauguração da Praça Santuário, em frente à Basílica de Nazaré. A missa é celebrada no quarto domingo de outubro, às 20h, no Altar Monumento da Praça Santuário. Logo após a missa, é realizada a solenidade de encerramento da festividade, quando os Diretores da Festa recebem diplomas e medalhas em cerimônia simples. O encerramento da Festa também é marcado por show pirotécnico de fogos de artifícios.
Fonte texto e foto abaixo: www.ormnews.com.br via G1

Foto: Fabricio Coleny
Inscrições para o 'Carro dos Anjos' começa na segunda-feira

As inscrições poderão ser feitas por pais ou responsáveis até o dia 30 de setembro
Por: Redação ORM News com informações da assessoria Em 03 de setembro, 2016 - 15h41 - Círio

A partir da próxima segunda-feira, 06 de setembro, será iniciado o período de inscrições para as crianças que estarão nos Carros dos Anjos durante o Círio 2016. As inscrições são necessárias por motivos de segurança, para que sejam evitados transtornos aos pais, responsáveis e para as próprias crianças que são levadas durante a procissão.
Dos 13 carros que fazem parte do cortejo, quatro são destinados às crianças vestidas de anjos, geralmente fruto de pagamento de promessas feitas pelos pais ou responsáveis. Cada carro comporta cerca de 40 crianças, que são devidamente identificadas por um crachá emitido pelo grupo responsável. Ao longo do percurso o grupo distribui água e lanche às crianças e atua com todos os cuidados necessários para com os pequeninos.
As inscrições poderão ser feitas por pais ou responsáveis até o dia 30 de setembro, em um balcão posicionado no corredor lateral da Basílica Santuário, de segunda a sexta, no horário das 8h às 12h. Deverá ser apresentada uma cópia da certidão de nascimento da criança e documento de identificação de quem realizar a inscrição. Podem participar crianças entre três e dez anos de idade, abaixo de três anos somente serão aceitas crianças cujos pais ou responsáveis se inscrevam como voluntários no grupo, para que possa acompanhar a criança.
Assim como nos anos anteriores, este ano, mais uma vez um dos carros será destinado especificamente às crianças que vêm de outros municípios fora da Região Metropolitana de Belém. Para estas, a inscrição pode ser feita via telefone, com o coordenador do grupo, senhor Orlando Silva, pelos números (91) 98370-8743 / 32314466.
A coordenação do grupo informa que também estão abertas as inscrições aos que desejarem atuar como voluntários. Os interessados deverão participar de um encontro que acontecerá no próximo sábado, dia 3, às 19h30, no Centro Social de Nazaré.
História – O Grupo do Carro dos Anjos da Paróquia de Nazaré foi formado em 1972, visando auxiliar aos que pagam promessas levando crianças vestidas de anjos nos carros do Círio, devido ao grande número de problemas que aconteciam até então, tais como crianças que se perdiam ou até mesmo se machucavam. Os integrantes participam de reuniões de formação, oração e espiritualidade durante todo o ano, em especial próximo ao Círio. Cerca de 140 voluntários atuam neste trabalho.

Serviço:
De 6 a 30 de setembro, de segunda a sexta, das 8h às 12h, no corredor lateral da Basílica Santuário de Nazaré. Pais ou responsáveis devem trazer documento de identificação pessoal e cópia da Certidão de Nascimento da criança. Podem ser inscritas crianças de 3 a 10 anos. Abaixo de 3 anos são aceitas inscrições de crianças cujos pais ou responsáveis participem como voluntários no grupo.


FESTA E CÍRIO DE NOSSA SENHORA DE NAZARÉ NO RIO DE JANEIRO

Notícias do Círio de Nazaré

MARITUBA FARÁ FESTA EM HOMENAGEM À NOSSA SENHORA DE NAZARÉ



A cidade de Marituba, na Região Metropolitana de Belém, vai passar por uma maratona de fé nos dias 30 de setembro e 01 de outubro. Será o município da Região Metropolitana de Belém que por mais tempo estará acompanhando os passos da Virgem de Nazaré, dentro da programação oficial do Círio 2016.
Já no dia 29 de setembro, os maritubenses acompanharão a passagem de Nossa Senhora de Nazaré, em um andor. Ela estará se deslocando para a região do Mosqueiro. No dia 30, pela parte da tarde, começará a maratona. Por onde passar, Nossa Senhora será recebida com muitas homenagens e as demonstrações de fé que já são características do povo de Marituba.
A imagem chegará ao município no carro da Polícia Rodoviária Federal, em um andor que será decorado por um paisagista. Entre um lugar e outro, a Imagem seguirá pelas ruas da cidade, em romaria.
Veja a programação na cidade
 30.09
17h55 – Abrigo João Paulo II
18h20 – Paróquia de N S de Nazaré
20h – Vigília na Paróquia Menino Deus
 01.10
9h – Paróquia Bom Pastor
11h20 – Paróquia N S das Vitórias
13h30 – Urgência e Emergência Augusto Chaves
13h55 – Paróquia Sagrado Coração de Jesus, Distrito Industrial
16h20 –  Paróquia PIO X
18h20 – Encerramento
A Tradição da Distribuição de Água nos Círios
FESTA E CÍRIO DE NAZARÉ EM MACAPÁ
Fonte: g1.globo.com

19/09/2016 17h27 - Atualizado em 19/09/2016 17h32

Quase 10 mil garrafas de água devem ser distribuídas no Círio 2016, no AP

Diretoria da Festa faz cadastro de fiéis que vão distribuir água na procissão.
Romeiros também podem entregar doações antes do dia 9 de outubro.

Fabiana FigueiredoDo G1 AP


FACEBOOK

Diretoria da festa recebe doações e cadastra fieis que distribuirão água no Círio (Foto: Abinoan Santiago/G1) Cerca de 10 mil garrafinhas e copos de água mineral deverão ser doadas durante a procissão do Círio de Nazaré 2016, em Macapá, e outras 8 romarias, estima a diretoria da festividade. Uma campanha foi iniciada para arrecadar as doações e cadastrar fiéis que farão a distribuição nos trajetos. O Círio que reúne todos os anos mais de 100 mil pessoas pelas ruas da capital acontece em 9 de outubro.

As doações podem ser feitas de duas formas. A primeira é doando garrafinhas à coordenação da festa, que ficará responsável por distribuí-las, ou ainda, pode realizar o cadastro para que, no dia do Círio, possa fazer a distribuição pelas ruas por onde passa a procissão.

“É importante fazer esse cadastramento porque a pessoa vai ter a informação do ponto onde vai ficar para fazer a distribuição de forma proporcional ao longo de todo o percurso e para que a comissão tenha uma noção do quantitativo de água que será distribuído no Círio”, descreveu Alcinei Souza, da comissão de comunicação do Círio 2016.
Além da distribuição aos fiéis, as garrafinhas também são entregues no dia da procissão para o abastecimento de militares da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e voluntários da festividade. As quantidades de pacotes ficam a critério do doador.
As doações e cadastros podem ser feitos na Secretaria do Círio, que funciona no subsolo da Catedral de São José, com entrada pela Av. Mendonça Furtado. A unidade funciona de segunda a sexta-feira, no horário de 8h às 12h e de 14h às 18h, e aos sábados, das 8h às 12h.
Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o VC no G1 AP ou por Whatsapp, nos números (96) 99178-9663 e 99115-6081.


BLIM, BLEM, BLOM!

Vislumbramos o Círio 
Maria na Berlinda
Carro dos milagres
Queima de fogos


Blim, blem, blom!
Belém tudo de bom

Objetos de cera
Devotos na corda 
Pagador de promessa
E brinquedo de miriti

Blim, blem, blom!
Belém tudo de bom

À sombra das árvores 
Uma multidão rezando 
Pai nosso, Ave Maria!
Da Catedral até Nazaré

Blim, blem, blom!
Belém tudo de bom
Por Francisco Teixeira
Foto do Manto de Nossa S. de Nazaré,
de Milton Teixeira
Reproduzido pelo Blog do Ademir Rocha