Mapa de visitantes

segunda-feira, 30 de julho de 2012

PROJETO AMAZÔNIA 2012 EM ABAETETUBA


PROJETO AMAZÔNIA 2012 EM ABAETETUBA


Projeto Amazônia 2012 em Abaetetuba (PA)

Os “atores” do Projeto Amazônia 2012 na cidade paraense de Abaetetuba contam como foi essa experiência, um trabalho realizado com seriedade e alegria, com a consciência da própria fragilidade, da potência de Deus e da Sua Palavra, e os frutos de um novo ardor nas comunidades visitadas. 

Os “atores” do Projeto Amazônia 2012 na cidade paraense de Abaetetuba contam como foi essa experiência, um trabalho realizado com seriedade e alegria, com a consciência da própria fragilidade, da potência de Deus e da Sua Palavra, e os frutos de um novo ardor nas comunidades visitadas.

Abaetetuba (Pará)
Uma cidade à margem do Rio Tocantins, que aqui toma o nome de Rio Maratauira, e depois Rio Jarumã, 150 mil habitantes, dos quais 45% povoam as 72 ilhas que formam o município de Abaetetuba. A paisagem é de uma beleza ímpar, harmoniosa, quase retilínea: palmeiras de açaí e, meio metro acima, outras palmeiras, mas dessa vez de miriti. Onde parece que existe só a floresta desponta a cidade e os seus ‘abaetés’, homens fortes, nobres e valentes, segundo uma tradição de longos anos. E isso pudemos comprovar pessoalmente…
Chegamos à noitinha, 21 pessoas provenientes de São Paulo, Maranhão, Recife, Belém, Altamira, desejosos de comunicar o Ideal da Unidade que deu um novo  sentido à nossa vida. “Por 15 anos vivemos o nosso casamento como um fusca e um caminhão… até quando entendemos que é fundamental amar o outro como a si mesmo. Nossa vida mudou e até hoje continuamos nesse empenho de amar, sempre recomeçando”; “Conheço esta vida desde que nasci, e apesar das muitas dificuldades, procuro ser fiel porque esta é a verdadeira vida…”. Uma profunda troca de experiências entre nós é o que dá inicio ao programa que se baseará no slogan “A Palavra faz viver”. Traçamos estratégias, dividimos as tarefas e iniciamos com a benção do bispo.

16/07 – Hoje depois de renovar solenemente o “Pacto de Unidade” entre nós, saímos para levar a quantos encontramos o ‘nosso tesouro’. Visitas, sorrisos, conversas, confidências… É aqui que vemos os ‘abaetés’: gente sofrida, mas alegre e batalhadora, sempre decidida a enfrentar a vida e dar aos outros o que têm de melhor. A Palavra de Vida que levamos é uma descoberta e todos manifestam o desejo de continuar no aprofundamento da vida do Evangelho.
17/07 – Prosseguem as visitas. Aproximadamente 45 famílias visitadas hoje. É uma ocasião para “dar de beber a quem tem sede, dar de comer a quem tem fome…” não no sentido material, mas “na escuta das dores, na partilha dos sofrimentos e dos desafios de cada dia…”. D. Maria cuida de uma filha e um genro, vítimas de um acidente de moto, que têm três crianças… Entre os moradores surge a iniciativa de se organizarem para dar apoio a dona Maria e a ajudar a carregar sua cruz. 19h – Vigília de oração na igreja de Cristo Redentor, com 80 pessoas, na maioria jovens. Apresentamos Chiara Luce, para muitos, desconhecida. A sua história fascina e atrai.

18/07 – Passeio ciclístico com estafeta, trilha ao redor do Ipixuna e visitas ao Abaetezinho. Visitas no bairro de Santa Clara, o último formado na periferia da cidade de Abaetetuba, onde existem muitas igrejas evangélicas. Lá vivem pessoas muito pobres, mas há uma imensa solidariedade. Nesta comunidade alguns já partilham conosco a experiência da Palavra de Vida e participam dos encontros mensais da comunidade. À noite, um curso para 30 crianças sobre o Dado do Amor, e para 35 adultos sobre a vida de família.
19/07 – gincana ecológica com o plantio de 1108 rizomas de flores tropicais na reserva ecológica Radini, com a presença de 40 atores do Projeto Amazônia. Troca de experiências e multiplicação da alegria. À tarde um momento para partilhar um costume característico da vida desse povo: o banho de igarapé! Uma água gelada, mas revigorante, que atenua o calor sofrido pelo sol escaldante.

Uma graça especial foi a presença do bispo, D. Flávio Giovenale, que celebrou a missa da qual participaram mais de 200 pessoas, apesar da chuva torrencial tão característica da região.

No sábado, dia 21, visitamos uma das 72 ilhas de Abaetetuba – Itacuruçá -, após 50 minutos de travessia de barco a motor. Lá fomos recebidos por dois jovens, de 18 e 20 anos, os líderes da comunidade. O pároco vai até a ilha apenas uma vez por ano. Diante do grande interesse da comunidade, apresentamos a Palavra de Vida e depois muitas experiências: como construir a paz na família, como ir contracorrente na faculdade e com os amigos, para dar um sentido pelo qual viver.

No retorno a Abaetetuba, a missa é um momento de festa, com os sinos tocando e fogos de artifício. Em todos, nós que viemos e nos moradores que nos receberam, um profundo sentimento de gratidão a Deus pela experiência vivida e por Chiara, que nos doou o Ideal da Unidade e a possibilidade de levá-lo a todos.
“Sinto que devemos trabalhar juntos para criar uma nova cultura, a nossa cultura que é a da verdade, da honestidade, da pureza, da legalidade, enfim a cultura do amor, que faz um mundo ‘novo”.

“Tive momentos de dificuldade, mas compreendi que as coisas de Deus acontecem assim e que alguém deveria pagar o preço por tantos frutos… Escutei o pessoal do Abaetezinho e do Ipixuna, eles estão muito felizes com tudo e impressionados pelos resultados. Disseram que aconteceram verdadeiros milagres e isso confirma que tudo foi válido e valeu por todo o sacrifício. Agora o meu desejo é manter a nossa comunidade sempre viva, e fazer com que este legado que nos foi confiado seja levado adiante, sem jamais vacilar”.

Reproduzido pelo Blog do Ademir Rocha, de Abaetetuba/Pa

Nenhum comentário:

Postar um comentário