Mapa de visitantes

sábado, 3 de novembro de 2018

Adenaldo dos Santos Cardoso 2 - Poetas e Poesias

Facetas de Adenaldo dos Santos Cardoso

Postagem em construção
Conheço o Adenaldo dos Santos Cardoso, sua família e familiares há muito tempo, sendo que me tornei amigo particular de alguns de seus tios do ramo familiar dos Kemil dos Santos e do ramo familiar dos Cardoso e o Adenaldo, eu o conheço desde criança e do tempo em que estudava no então Colégio São Francisco Xavier e eu como professor nos anos de 1970, vendo aquele jovem se destacar como líder no meio estudantil e no grupo de jovens católicos, Os Neófitos, do qual participava ativamente nos eventos musicais ou cênicos desse grupo. O Adenaldo dos Santos Cardoso, hoje, é uma pessoa e artista incrível, um verdadeiro show-man e com características pessoais que o tornam amado e reconhecido por seu grande número de amigos, especialmente dos segmentos culturais, musicais e artísticos do município de Abaetetuba e que extrapola as fronteiras abaetetubenses e chega até Belém e outras partes do Pará, onde possui parentes, amigos pessoais e admiradores de sua personalidade, valor literário e artístico. Portanto, o Adenaldo dos Santos Cardoso, será homenageado pelo Blog do ADEMIR ROCHA, á nível pessoal, genealógico-familiar, literário e artístico.
Para começar, dizemos que o Adenaldo é o melhor intérprete paraense da grandiosa obra poético-musical do grande cantor e filósofo Raul Seixas e também é o grande divulgador do pensamento e músicas desse revolucionário poeta-cantor brasileiro, por vezes, inigmático e esotérico poeta,  e com músicas desse artista que  estão há mais de 40 anos em sucesso permanente no Brasil inteiro. Outra característica do Adenaldo, que chama a atenção, é o carinho que ele tem e demonstra para com a cultura e artistas de Abaetetuba, onde sempre está enfatizando em seus shows e páginas da Internet a cultura de Abaetetuba e também o mesmo se pode dizer de seus colegas do segmento cultural e musical. Outra marcante característica pessoal do Adenaldo é o amor e carinho que demonstra por membros de sua família e demais familiares dos ramos dos Cardoso e Santos, que são muitos e espalhados pelo Pará, Brasil e até o exterior, conforme suas genealogias abaixo. No tocante ao poeta Adenaldo Santos Cardoso, este parece que respira e vive poesia, tal a quantidade de seus poemas, inspirados em todos os aspectos de sua percepção poética, e poesias de qualidade, além de seus momentos de descontração poética, com os desafios que estabelece com seus amigos poetas e os repentes baseados em seus familiares ou tiradas do seu cotidiano cultural e fraterno. Também chama a atenção o aspecto de cantor e intérprete de Adenaldo, onde ele encarna a figura do Raul Seixas e das poesias e músicas que surgem de sua lavra poética aos borbotões e, conforme já dissemos, atinge todos os aspectos de percepção poético-sensitiva. Aqui tentaremos colocar a produção poética do Adenaldo através de agrupamentos poéticos, como família, cultura, lembranças, homenagens, descontração poética, letras musicais ou outro grupo em que a rica produção do Adenaldo possa se encaixar e também publicaremos algumas de suas fotos familiares ou extraídas de suas páginas na Internet. O Adenaldo também é poeta fotográfico, dado a quantidade de fotos que ele costumeiramente publica em suas páginas da Internet e que, por si, exalam a poesia e cultura de Abaetetuba, sua amada terra natal.
Esta é uma segunda parte das poesias e tiradas filosóficas do poeta Adenaldo dos Santos Cardoso, agora enfeitadas por belas fotos de paisagens, amigos, inclusive as do tipo estilizadas.
Adenaldo valoriza seus demais colegas poetas e a
cultura de Abaetetuba.
Mas como estas poesias e tiradas filosóficas tem o perfil de poesias fotográficas, nos perguntamos: será que copiando-as, em sua publicação, as mesmas ficarão trancadas por força do direito autoral? Fui em frente devido uma conversa que uma vez tivemos com o amigo Adenaldo, onde lhe perguntei: -Adenaldo, porque não publicas um livro com tuas poesias? Ele então me respondeu: - Minhas
poesias já não mais me pertencem. E nós entendemos assim essa resposta: - O Adenaldo quando lança uma poesia no ar, esta se tornava de todos, inclusive dele. Então criamos coragem e fizemos uma primeira postagem e, agora, uma segunda postagem. Pensamos que todos nós e ele saímos ganhando deste jogo poético filosófico.

Acima temos a foto de nosso poeta popular
Antonio Macedo
 O erro nos faz parecermos um grão de areia
perdido no deserto ou uma estrela no infinito cosmo.
Errar ou cair é normal. Mas podemos nos reerguer.

Acima uns versos genealógicos e escatológicos
dos pais do Adenaldo. Santos são todos os que
estão no Paraíso.

Acima uns versos do sentir de várias maneiras.

Acima atos reflexos do amar

O homem é um ser racional? 

Mudaram os tempos ou mudamos nós?

Um ser de luz o Dalai Lama. Não o querem? Manda
pra nós aqui. Temos muito o que aprender.

Temos tudo e não temos nada.

Sem sol seríamos mais que opacos.

O sonhar é livre, mas pode decepcionar.
É melhor ser concreto no mundo real? 

Escravo do nosso ser material? É melhor ser escravo do amor que
liberta!

O barco, cultura ribeirinha, que nos serve pra tudo

Versos filosóficos sobre a vida de cada um. 

Tudo depende do sol, inclusive o luar.

Versos filosóficos da loucura.

O último suspiro do ciclo da cana verde em Abaeté.

Lua cheia é poesia.

No jogo da caridade quem ganha é Deus.

É a nova ou a velha realidade?

Nossa vida é um mar de rosas ou de espinhos?
Depende de cada um.

Se tudo fosse igual morreríamos de tédio.

De quem herdamos nosso ser e modo de ser?
Ou tudo deve mudar em nós?

Dependemos dos outros pra quase tudo? Ou posso
ser eu sozinho?

O cantor-filósofo-poeta Lial Bentes, amigo de todos.

Matintar é ser abaeteuara?

Essa praia fluvial está na vida de todo abaeteuara, nem
que seja pelas estórias dela em nós. 
 Versos filosóficos sobre o ficar ou não ficar.

Depende de nós trocarmos as estações em nós.

Em nossos sonhos podemos tudo.

Versos filosóficos sobre o nosso ser.

Vida a dois não é fácil?

Versos filosóficos sobre as leis humanas.

Amar Abaetetuba é sempre bom ou tem percalços?

Tudo é motivação poética, até uma pixação em muro.

Adenaldo não se esquece de outros poetas e músicos. No caso,
O Miguel Afonso, da Vila Maiuatá/IG-Miri/PA. 

Nossa breve vida neste espaço-tempo.



















































Quando chegarmos de Belém, continuamos esta postagem
poética-filosófica do amigo Adenaldo.