Mapa de visitantes

sábado, 9 de junho de 2012

MOVIMENTO POLÍTICO PELA UNIDADE-MPPU


MOVIMENTO POLÍTICO PELA UNIDADE-MPPU

Fonte: focolares.org.br

Movimento dos Focolares

Dep. Fed. Luiza Erundina ministra aula aberta na Escola Civitas de Brasília

A deputada ministrou aula sobre o tema “Partidos políticos, movimentos sociais e sociedade civil” e encorajou os presentes a ter "paciência histórica".
“Para qualificar a política, é preciso qualificar o voto”. Essa foi apenas uma das muitas ideias compartilhadas pela deputada federal Luiza Erundina (PSB/SP) com alunos da Escola Civitasem Brasília, durante Aula Aberta, no dia 21 de maio. Sob o tema “Partidos políticos, movimentos sociais e sociedade civil”, o encontro reuniu também integrantes doMovimento Político pela Unidade (MPPU),Humanidade Nova, ex-alunos da Escola Civitas, professores e colaboradores.
Erundina começou a aula afirmando que tudo na vida é política, que ela permeia todos os aspectos da vida e é importante para cada um interferir como cidadão político. Ela explicou a diferença entre Democracia Representativa e Democracia Direta, entre Estado e Sociedade Civil e o conceito de partido político.
“É preciso ser sujeito político, ser sujeito ativo, unir as forças, trabalhar para aprimorar o nosso sonho de Fraternidade. A nossa participação é que vai melhorar a nação. É preciso se engajar. A Democracia ainda é o melhor sistema político, mas nela ainda não entrou a solidariedade. É preciso lutar pela Democracia Direta, com a consulta popular sobre os mais diversos assuntos de interesse da nação, criar uma cultura de participação. O poder precisa estar mais perto do cidadão. A sociedade tem de se mobilizar para influir”, destacou Erundina.
Erundina convidou os presentes a “investir no sonho de unidade de Chiara (Lubich), com disposição e persistência, mas também com paciência histórica, pois as mudanças acontecem pouco a pouco”. “Chiara viu longe, nós também devemos ver como ela e não desanimar. A história tem avanços e retrocessos, mas devemos ter fé de que nossa ação pessoal e, mais ainda, a conjunta produz frutos para o futuro”, completou.
“A aula da deputada Erundina foi fantástica. Ela destacou que somos fruto de uma evolução e somos a nova geração transformadora, mas que tudo se faz com paciência, perseverança, amor e fraternidade. Mesmo sabendo que muitas coisas estão dando errado ou que o mundo ainda precisa de socorro para resolver várias questões, como pobreza, desigualdade, fome, corrupção, é preciso acreditar, unir forças e fazer esse mundo melhor. É preciso cada um fazer sua parte e colaborar nas pequenas coisas para um mundo fraterno”, afirmou o aluno da Escola Civitas de Brasília, Israel Alves da Silva.
“Para mim,  ficaram retumbando as seguintes frases: ‘Na vida da gente, tudo é política’, ‘os políticos são expressão da escolha de uma maioria; ninguém se elege só com votos de amigos e parentes’ e ‘o poder é de quem elege’”, declarou a aluna Raquel Flores.
“Gostei bastante da parte da aula em que ela diferenciou e definiu sociedade civil, movimentos sociais e partidos políticos. Deu para entender que a sociedade civil é toda a sociedade, os movimentos sociais são segmentos específicos da sociedade (como as mulheres, os trabalhadores, os sindicatos, os estudantes etc.) que se juntam para trabalhar em benefício da própria classe. Os partidos políticos são uma parte da sociedade”, disse a aluna Clara Daldegan Balduino. “Ela mencionou que devemos ter paciência histórica, temos que viver agora pela fraternidade, porém não esperar que as coisas mudem no nosso tempo de vida, mas ter a esperança de que os paradigmas serão mudados ao longo do tempo. Às vezes o progresso que foi atingido pode decair um pouco, porém sempre vem um novo salto que é maior do que o anterior, assim recuperando todo o esforço realizado antes em direção à fraternidade e indo além. Este discurso nos deu muita esperança, pois queremos que tudo que fizermos contribua para a construção de um mundo unido. Apenas temos que ter a certeza de que no final este ideal vencerá, mesmo que não vejamos acontecer durante a nossa vida terrena”, destacou Clara.
Mais fotos em https://www.dropbox.com/sh/lyxhs85ahyiv327/Lst7EL_Iuu/MPPU

A FRATERNIDADE NA POLÍTICA: MOVIMENTO POLÍTICO PELA UNIDADE-MPPU
Fonte:  focolares.org.br
Parte superior do formulário

Encontro reúne comissões regionais do Movimento Político pela Unidade

Mais de 70 pessoas de todo o Brasil participaram do evento, que contou com a contribuição de importantes lideranças nacionais e locais.

O mês de maio de 2012 marcou mais um momento histórico do Movimento Político pela Unidade (MPPU) no Brasil. Entre os dias 25 e 27, representantes das comissões regionais de todo o país reuniram-se no Centro Mariápolis Ginetta para refletir sobre os rumos do MPPU nos próximos anos. Tudo no intuito de viver a política como um serviço aos irmãos, como estimulava Chiara Lubich, fundadora do Movimento dos Focolares, em vídeos assistidos durante a programação.

Em outras palavras, viver concretamente a fraternidade na política foi o empenho reassumido pelos 69 participantes, alguns deles ocupantes de importantes cargos públicos. É o caso de Nilson Mourão, ex-deputado federal e atual secretário de Justiça e Direitos Humanos do Estado do Acre, de Therezinha Ignes Servidoni, prefeita da cidade de Rincão, no interior de São Paulo, de Almir Franco, vereador da cidade de Guaramiranga, no Ceará, ou de Walter Feldman, deputado federal pelo Estado de São Paulo.

Uma fraternidade clamada não só pelo Brasil, mas por toda a América Latina, como bem sinalizou o cientista político Juan Esteban Balderrain. Baseando-se em pesquisa recente da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe, o estudioso demonstrou que para além da persistente pobreza extrema, o subcontinente padece de um problema ainda mais grave: a naturalização das escandalosas desigualdades. Somente um sistema político fraterno nos métodos e nos conteúdos pode reverter esse quadro, porque gera um imaginário coletivo em que o outro é tão importante quanto o ‘eu’.

Nas palavras de um dos participantes, “o encontro do MPPU foi um grande momento de reflexão, de aprendizagem, de encorajamento, possibilitando o aprofundamento, em pouco tempo, dos pensamentos de Chiara Lubich, com relação a um novo modelo de se fazer política. As experiências fantásticas dos políticos, com suas posturas diferenciadas, comportamentos éticos e fraternos elevaram as nossas esperanças. O mundo ainda tem jeito, só depende de nós. Se soubermos ser trigo e não joio”.
  Parte superior do formulário Parte superior do formulário
Parte inferior do formulário
Parte inferior do formulário
Reproduzido pelo Blog do Ademir Rocha, de Abaetetuba/PA

Nenhum comentário:

Postar um comentário