Mapa de visitantes

domingo, 1 de abril de 2012

ESCOLAS DE ABAETETUBA: ESCOLA MAGALHÃES BARATA

ESCOLA MAGALHÃES BARATA

1 Fonte: barataeduca.blogspot.com.br

Apresentamos o interessante texto extraído da fonte acima e enriquecido por alguns acréscimos do Blog do Prof. Ademir Rocha

BLOG DA ESC. MAGALHÃES BARATA/ABAETETUBA

OBJETIVO DESTE BLOG: DIVULGAR OS TRABALHOS REALIZADOS NA ESCOLA MAGALHÃES BARATA,COMPARTILHAR IDEIAS,...

Sexta-feira, 30 de março de 2012

QUARESMA, SIMBOLOS DA PÁSCOA E AS RELIGIÕES

Objetivando mostrar para a comunidade escolar e principalmente para os alunos da EMEF Gov. Mag. Barata o significado da Quaresma e dos Símbolos da Páscoa, realizei uma pesquisa sobre a Quaresma e significado dos símbolos da Páscoa nas religiões; não foi possível fazer isto com todas as religiões, entrevistei representantes de apenas três delas. Eis o resultado:

Para a igreja católica

Quaresma é o período de 40 dias que tem início na 4ª feira de cinzas e perdura a té o domingo de Ramos. Período em que, os católicos renunciam algumas coisas ou hábitos, refletem sobre suas fraquezas etc. Foram 40 dias e noites que Jesus passou no deserto jejuando, orando e sendo perseguido pelo demônio. Quanto aos símbolos, eles existem e cada um tem seu significado.

Para os evangélicos

(Assembleia de Deus) Quaresma não significa nada. Os símbolos são usados porque é tradição mas também não significam nada, não existem.

Para os espíritas

A Quaresma existe mas não tem nenhum tipo de ritual, assim como os símbolos, mas se fala nas reuniões, nos encontros.

Objetivo desta atividade:

Conhecimento, análise reflexiva sobre os produtos (símbolos) da Páscoa e o consumismo; Análise acerca do significado da Páscoa que é a ressurreição do Pai, e outros.

Entrevistados:

Hélia Maria Quaresma prof. de Matemática, aposentada, com formação em Ens. Religioso pela Arquidiocese de Belém/Pa, e pesquisadora; Esposa do Pastor da Assembleia de Deus (não permitiu citar seu nome); Túlio Augusto Chaves, espírita, mestre em História Social da Amazônia- UFPa; Aline B. dos Santos Pedagoga especialista em Psicopedagogia Institucional e coordenadora do Ministério Jovem da igreja católica de Abaetetuba.
Obrigada a vocês que concederam-me a entrevista! Feliz Páscoa a todos os leitores (as) deste blog!

Postado pela Prof. Ana Baía às 17:30 Prof.
Ana Baía Brasil/Pará/Abaetetuba email:aguiabaia@yahoo.com.br http://lattes.cnpq.br/3856341017754077
QUEM SOU EU
Sou Ana Maria F. Baía, abaetetubense, professora da Esc. Magalhães Barata, solteira com formação em Letras pela UFPA, Formação específica e experiência em Educ. Especial, especializada em Mídias na Educação pelo MEC/UFPA/UNDIME. Ex- secretária no CMDM (conselho municipal dos direitos da mulher) e no SINTEPP/Sub-sede-Abaetetuba. Sou mãe de quatro joias raras e amo a natureza.

A Escola Gov. Magalhães Barata fica situada à rua Lauro Sodré, bairro São Lourenço na cidade de Abaetetuba-Pa. Funciona em dois turnos (manhã e tarde). Possui 280 alunos de 1º ao 5º ano/9. Tem como gestora a senhora Urbanita Araújo de Oliveira, secretária Maria Regina e coordenadora pedagógica Joana Ferreira. Possui um quadro profissional com formação em várias áreas do conhecimento como: Pedagogia, Letras, História, Ciências Sociais, Sociologia...A referida escola existe há 54 anos provavelmente, pois ainda não encontramos dados concreto sobre sua inauguração. Pesquisas apontam que (01) de junho é o aniversário e o ano é 1957, possivelmente. A busca continua... Prof. Ana Baía.

Colaboração do Blog do Prof. Ademir Rocha à interessante pesquisa da Escola Magalhães Barata sobre o Significado da Quaresma e Os Símbolos da Páscoa, em entrevistas com representantes de religiões presentes em Abaetetuba.

Os assunto Quaresma e Páscoa, são profundos, ricos em significados espirituais, densos teologicamente falando e controvertidos se analisados no rol de outras religiões que não seguem esses antigos preceitos advindos da religião dos antigos judeus e, posteriormente, da religião cristã do Catolicismo, conforme os ensinamentos das fontes da Revelação Divina, vindas das Sagradas Escrituras e da Tradição Oral do Cristianismo, como a própria Bíblia confirma, "que além das revelações nela contidas, existem outras fontes de revelação, vindas da tradição oral dos antigos judeus e, após Jesus, pelos seus Apóstolos e discípulos iluminados pelo Espírito Santo de Deus".
Portanto, a Tradição Oral da Igreja Católica também é fonte de Revelação Divina.

Não seria tarefa fácil para a Escola Magalhães Barata obter respostas claras,  convincentes e mesmo não respostas conforme o texto, vindos de pessoas de outras religiões. Porém as questões foram levantadas e as pesquisas foram publicadas no importante Blog da Escola Magalhães Barata.

Somente os fiéis das igrejas do Judaísmo e do Catolicismo, esta através de seus teólogos autorizados e o Magistério da Igreja Católica, através de seus documentos oficiais, é que têm as respostas para essas questões.

Quanto aos símbolos da Páscoa, aqueles que são explorados comercialmente durante o Período Pascal da Igreja Católica, eles são apenas uma boa forma comercial de vender e vender muito seus produtos, como os ovos de Páscoa, coelhinhos, doces, iguarias, bebidas, presentes e tantos outros que até servem para lembrar aos menos avisados da sociedade que existe um período chamado Páscoa e que até redunda em momentos de fraternidade e confraternizações, familiares ou não, que são boas coisas no sentido humano das coisas, mas não representam as verdadeiras realidades espirituais do significado de Quaresma e Páscoa.

Vejamos o que está escrito sobre os assuntos em alguns livros católicos oficiais sobre Quaresma e Páscoa, que no fim são assuntos estreitamente ligados e que levam a uma coisa: a salvação do homem através dos episódios da vida, sofrimento e morte de Jesus, o Filho de Deus feito homem, o Redentor e Salvador do homem e de toda a Obra de Criação de Deus, que inclui, além do Homem, a Natureza (que “chora e geme as dores do parto”, isto é, do pecado do homem velho, do Mundo e do Universo inteiro, que saíram do Seio da Trindade de Deus e que para a mesma Trindade Divina devem retornar, devidamente purificados dos pecados do mundo e por ação de Jesus, aquele que passou os 40 dias e 40 noites em oração, sendo Ele mesmo um dos que sofreram as tentações do Príncipe do Mal, através dos 3 elementos que são a causa de perdição de muitas pessoas: riquezas materiais, poderes e prazeres).

“Céus e terras passarão, mas minhas Palavras não passarão” Mt 24,35
A figura deste mundo deformado pelo pecado passará certamente. Mas Jesus nos ensina que se prepara uma nova habitação, uma nova Terra. E nesta terra reinará a paz e será satisfeito todo o desejo do coração do homem pela felicidade eterna (LG 39).
São Paulo escreve: toda criação irracional, violentada pelo pecado, suspira pela redenção final. Rm 8,18-21.
Ignoramos o tempo em que a terra e a humanidade atingirão a sua plenitude e também não sabemos que transformação sofrerá o universo (LG 39), portanto ninguém deve dar crédito às profecias a respeito do tempo do fim do mundo. A nós não compete conhecer o tempo, diz Jesus e sim que “Nós devemos nos amar como Ele nos amou, conforme o seu Mandamento Novo do Amor, que não veio dar fim aos Mandamentos de Deus e sim nos trazer o seu modelo de cristão, que é amar, como Ele nos amou, ao ponto de dar a própria vida pela redenção do homem e do cosmos.
E o demônio, ou demônios, são aqueles que sempre se opõem ao bem que existe dentro de cada homem, inclusive em Jesus, que apesar de ser o Bem em Plenitude, também sofreu as tentações dos demônios (anjos decaídos, maus que se rebelaram contra Deus e têm ódio de Deus e sua obra de criação).
O homem, como ser carnal, tem suas limitações, conforme nos alerta Rm 7,1419: “Eu todavia, sou carnal, vendido à escravidão do pecado. Porque não faço o bem que eu prefiro, mas o mal que não quero, esse eu faço”.
Portanto, cada um é tentado pela própria cobiça quando esta o atrai e seduz, daí o exemplo de Jesus em passar em oração e adoração ao Deus Pai, nos 40 dias que esteve no deserto.
Para o católico o exemplo de Jesus é para nos alertar que se Ele foi tentado, nós também seremos sempre tentado nas questões das riquezas, prazeres e poder e precisamos estar sempre vigilantes no Amor de Jesus e nas orações inspiradas no seu Espírito Santo.
A verdadeira liberdade do homem só vem pelo Amor: “Ora, o Senhor é Espírito e onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade. 2 Cor 3,17. “Foi para que fôssemos livres que Cristo nos libertou. “Permanecei, pois, firmes, e não vos sujeiteis novamente ao jugo da escravidão” Gl 5,1; Ecl 15, 14,17; 1 Cor 7,22-23; Rm 8,2; 1 cor 6,12 e Rm 8,15.
Páscoa, portanto, além de significar a libertação da escravidão do pecado, se reporta á escravidão do povo judeu no Egito e os 40 dias de Jesus em oração, também se reporta aos 40 anos de caminhada do povo hebreu em busca de sua libertação da condição de escravos e esses 40 anos, se reporta á nossa vida inteira que devemos colocá-la à serviço do Amor que saiu de Deus, encarnou em Jesus, o Amor por Excelência e que significa colocar esse amor em nossos serviços em direção aos nossos próximos. Isso é Quaresma, isso é Páscoa.

Semana Santa também é o momento privilegiado que Deus nos concede para repensarmos nossa vida e tudo o que a envolve, nossas atitudes, nossas ações, nossas situações. Se Deus quisesse, com o poder que tem, poderia ter aplicado outro plano para a salvação do homem e do Universo e livrá-lo do poder do mal, simplesmente mandando seus exércitos de anjos para nos socorrer e sem submeter Jesus, seu Amado Filho, aos sofrimentos e morte de Cruz.
Mas Ele assim quiz no seu projeto de amor de libertação do homem e do Cosmos do poder do pecado, para nos mostrar que, como Cristo passou por essas situações, nós devemos passar também pelas mesmas situações e valorizar toda essa caminhada de sofrimento e morte, porque também a Semana Santa relembra todos esses episódios e é rica em significados espirituais.
Vejamos: Cristo passou por todas essas situações de medo, sofrimentos, suplícios, humilhações, castigos, e, por fim, foi pregado para morrer crucificado em uma Cruz, foi realmente o Servo Sofredor em favor da cada homem e de toda a obra de Criação de Deus. E Jesus passou por todos esses sofrimentos e que nem foram os maiores de sua vida de Salvador do Homem, mas o seu maior sofrimento foi quando lançou uma frase emblemática, que poucos entendem: “Deus meu, Deus meu, porque me abandonaste?”, frase em que Jesus, como que se sentiu apartado do Amor do Pai, já que Pai e Filho são realidades indissolúveis, mas Jesus gritou para nos mostrar que o nosso caminho de redenção e salvação é feito de sofrimentos e dores e morte. Ele no fim, disse: “Pai, em tuas mãos entrego o meu Espírito” e antes disse: “Quem quiser ser meu discípulo, pegue a sua cruz de cada dia, e me siga”.

Alguns não aceitam as dores, os sofrimentos, as cruzes e muitos até maldizem Deus por (supostamente) mandar tantos sofrimentos e dores para si ou seus familiares e até desacreditam da fé cristã.
Porém, como Cristo nos mostrou, são as dores que nos levam à plenitude do Amor de Deus. Amar o próximo, como Jesus nos ensinou, exige de nós dores, sacrifícios e cruzes. As dores, sacrifícios, sofrimentos e cruzes são portas que nos abrem ao próximo, à paz, à justiça, à fraternidade, à comunhão, à unidade entre nós e com os de opiniões e crenças diferentes.
Um ato de amor nos custa abrir mão de nossas opiniões próprias, de nossas comodidades, de nossos confortos, de nossos bens e até de nossas próprias vidas, como foram os exemplos de Jesus (que disse que “O Filho do Homem não tem nem onde reclinar a cabeça”-desprendimento das coisas terrenas-nota do autor do Blog) e de muitos santos que deram até mesmo a própria vida física em favor do amor ao próximo.
Então, as dores, os sofrimentos, a morte de Cruz de Jesus, que relembramos na Semana Santa, que vem completar o período da Quaresma, são ricos e plenos de significados evangélicos e espirituais, assim como o desfecho maior da vida de Jesus, que foi a sua Ressurreição Gloriosa, que para nós significa também a nossa ressurreição da morte e da escravidão do pecado e vícios e a nossa vida eterna, naqueles Novos Céus e Novas Terras, que serão a continuidade desta breve vida terrena, onde devemos fazer por merecer a felicidade eterna que nos espera, se fizermos também como as Sagradas Escrituras dizem: “Fostes comprados por um preço elevado” 1 Cor, 6,20 “Jesus foi entregue à morte por causa de nossos pecados e ressuscitado para a nossa justificação” 1 Pd 3,18.
 “Aquele que zomba do pobre insulta seu Criador (zombar é maltratar, manipular, incentivar ao uso das drogas e violências-nota do autor do Blog) e não ficará impune. Pr 17,5. “Não despojes o pobre, porque é pobre; não oprimas o fraco à porta da cidade, porque o Senhor pleiteará sua causa e tirará a vida aos que os despojaram” (questão de justiça-nota do autor do Blog). Pr 22,22-23.

Porém, Deus também quer que todos se salvem e cheguem ao conhecimento da Verdade” 1 Tm, 2,4. Deus não quer a morte do pecador, mas que ele viva (viver de verdade-nota do autor do Blog) e se converta” Mt 28, 18-20.

Conclusão:

A Páscoa é a maior festa do Ano Eclesiástico Católico, pois a Ressurreição de Cristo é o acontecimento mais Glorioso na História da Igreja. Mas celebrar a Páscoa não é apenas para nós uma solene comemoração da Ressurreição de Cristo. Cada momento da Festa Pascal é para nós um apelo de Deus, que nos admoesta a morrermos com Cristo, a nos separarmos do homem velho, do homem do pecado, a fim de nos revestirmos do Homem Novo e ressurgir para uma vida nova na Graça de Deus e na Santidade.
Esse é o verdadeiro sentido da Páscoa para o Cristão Católico e que devia ser para todo aquele que adota a Bíblia como guia de sua vida, nem precisando ser católico.
Aquelas festas, os ovos de páscoa, os coelhinhos, as luzes e coloridos desse tempo, os presentes, comida e bebida são invenções humanas e só têm valor, se dentro das perspectivas acima enumeradas. Fora disso são apenas simples festas, tradições. 
Nas perspectivas acima é que o Blog do Prof. Ademir Rocha, se junta à Comunidade Escolar da Escola Magalhães Barata, que desejam a todos os seus seguidores, visitantes dos respectivos blogs e a todos os habitantes desta terra uma FELIZ E SANTA PÁSCOA!

Blog do Prof. Ademir Rocha, de Abaetetuba/Pa 
Abaixo, foto do grupo de professoras/educadoras da Escola Magalhães Barata

3 comentários:

  1. Querido prof. Ademir Rocha, agradeço imensamente pela contribuição dada a humilde pesquisa por mim realizada e postada no Blog da Esc. Magalhães Barata! Muito obrigada!!
    Gostei tanto que adicio

    ResponderExcluir
  2. Gostei tanto que adicionei seu blog aos que recomendo e que "valem apena visitar". Me tornarei seguidora do seu blog. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado também e disponha sempre do Blog do Prof. Ademir Rocha. Abraços e novamente FELIZ PÁSCOA!

      Excluir