Mapa de visitantes

sexta-feira, 5 de julho de 2013

JMJ 2013 Lumen Fidei – A Luz da fé, primeira Encíclica do Papa Francisco | Cáritas Brasileira



Lumen Fidei – A Luz da fé, primeira Encíclica do Papa Francisco | Cáritas Brasileira

Clique e veja foto e leia o texto sobre a 1ª Encíclica do Papa Francisco

Fonte abaixo: bol-uol
A presença do Papa Francisco é contagiante. Seus gestos e palavras vão direto ao coração do povo brasileiro, com suas mensagens ao mesmo tempo simples e profundas. Tão logo não esqueceremos esta catequese, feita dos episódios de sua agenda, que assim se transformam em cenários para as novas parábolas do mesmo Evangelho de Cristo. Desta maneira, seus ensinamentos recebem um contexto concreto, que ajuda a medir o alcance de sua “doutrina social”, feita não de princípios teóricos, mas de afirmações claras e práticas.Para isto certamente o ajuda sua formação jesuítica, com os tradicionais três pontos, que vão cadenciando suas afirmações.
Esta sequência de três pontos pode ser identificada em sua fala na favela. Lá ele tomou a realidade concreta da pobreza, para desenvolver seu raciocínio. A primeira afirmação é primorosa: “Uma sociedade que não cuida dos seus pobres, se empobrece a si mesma.”. À primeira vista pareceria só uma frase de efeito. Mas conferindo bem o seu alcance, nos damos conta de sua pertinência e sabedoria. A pobreza maior não se encontra junto aos pobres, mas se constitui do empobrecimento perverso de quem se fecha em seu egoísmo, e ignora as riquezas humanas que se encontram nos pobres.
Prosseguindo em sua catequese social, o Papa Francisco constata que “a melhor maneira de medir a grandeza de uma sociedade é ver a maneira como ela trata os mais necessitados”. Que sabedoria e que lucidez!
Daí decorre o terceiro ponto de sua breve homilia. Ele tem evidentes feições práticas, sinalizando o compromisso que ele propõe a todos. No atendimento aos seus pobres, a sociedade pode redescobrir seus melhores valores, que acabam enriquecendo o conjunto da sociedade, que passa a integrar a solidariedade como valor prático que faz multiplicar os bens que aumentam na medida que são compartilhados.
Outros ensinamentos muito oportunos foram dados por ocasião da visita ao Hospital São Francisco, onde é feito um trabalho caridoso e competente de recuperação de dependentes químicos. O difícil assunto a abordar era a droga. E ele o abordou de maneira serena e firme.
Em primeiro lugar, afirmou que a situação da droga hoje em dia pede da sociedade um gesto de coragem. Isto implica uma postura consciente, decidida e articulada contra a droga, buscando sempre as causas de onde brota o problema, em cuja raiz existem duas vertentes. Uma é a ganância, que leva os traficantes a perderem o escrúpulo de matar para garantir o seu lucro. Outra vertente é a falta de valores, especialmente nos jovens, que se tornam vulneráveis diante de ofertas feitas de modo traiçoeiro por quem deseja envolvê-los para depois explorá-los.
De fato, o problema da droga é tão sério que a sociedade deveria se declarar em estado de calamidade, para um enfrentamento claro contra “os mercadores da morte”.
No combate contra a droga é preciso integrar as duas dimensões, lembradas na abertura do Concílio pelo Papa João XXIII, referindo-se à severidade e à misericórdia. Muito otimista, João XIII observava que a Igreja ganha mais usando hoje o remédio da misericórdia, do que o remédio da severidade.
Com a droga, é preciso integrar as duas posturas. Com os traficantes, usar o remédio da severidade. Com as vítimas da droga, usar o remédio da misericórdia, revestindo-nos dos sentimentos de Cristo, que tinha compaixão com as multidões, mas batia de rijo contra os fariseus.
Portanto, com os “mercadores da morte”, o remédio da severidade. Para com os drogados, o remédio da misericórdia. Com isto, inverteríamos a tendência: em vez da droga degenerar a sociedade, o combate contra ela redescobriria o caminho para a sua realização verdadeira.
Dom Demétrio Valentini, bispo de Jales (SP) e membro da Cáritas Brasileira
Veja também outras matérias relacionadas:                       
  1. Papa Francisco é recebido com muita festa no Rio de Janeiro
  2. O que têm em comum o Papa Francisco, Jesus e os Rolling Stones?
  3. Saudação da CNBB ao Papa Francisco
  4. Papa Francisco recebe Comitê Executivo da Cáritas Internationalis
Lumen Fidei – A Luz da fé, primeira Encíclica do Papa Francisco

Fontes abaixo: especial.caritas.org.br e CNBB

Balanço final da JMS 2013: público recorde de 3,7 milhões de pessoas em Copacabana
julho 31, 2013 Cáritas
Os resultados alcançados pela Jornada Mundial da Juventude (JMJ Rio2013) superaram as expectativas, de acordo com Dom Orani Tempesta, arcebispo do Rio de Janeiro e presidente do Comitê Organizador Local (COL) da JMJ Rio2013. O público presente à Missa de Envio chegou a 3,7 milhões de pessoas, seis vezes maior que o número de presentes ao primeiro Ato Central, a Missa de Abertura (600 mil). O impacto econômico foi expressivo. Os visitantes desembolsaram R$ 1,8 bilhões, segundo números do Ministério do Turismo.  Os dados foram divulgados em coletiva à imprensa nesta terça-feira, 30.
No total, mais de 3,5 milhões de pessoas participaram da JMJ Rio2013, que contou com eventos em Copacabana, Quinta da Boa Vista, Rio Centro e em diversas paróquias da cidade. A cerimônia de acolhida do Santo Padre, na quinta-feira, 25, reuniu 1,2 milhões de pessoas em Copacabana, enquanto a Via-Sacra chegou a 2 milhões na sexta-feira, 26. Na vigília, cerca de 3,5 milhões de jovens estiveram na praia de Copacabana.
Foram 427 mil inscrições, de 175 países. Peregrinos inscritos com hospedagens foram cerca de 180 mil, enquanto as vagas disponibilizadas para hospedagem em casas de família e instituições chegaram a 356,4 mil.
“Nós vimos Deus agir. Deus atuou no meio de nós. Deus nos surpreendeu. Foi muito além do que planejamos. Temos visto na História como Deus tem atuado. Não tem outra explicação”, destacou Dom Orani.
Perfil dos inscritos
A JMJ Rio2013 contou com uma presença massiva de latinos. Os países com o maior número de inscritos foram, respectivamente, Brasil, Argentina, Estados Unidos, Chile, Itália, Venezuela, França, Paraguai, Peru e México. Do total dos inscritos internacionais, 72,7% estiveram no Brasil pela primeira vez e 86,9% nunca haviam participado de uma Jornada.
Foram mais de 70 mil downloads no site oficial da JMJ Rio2013 e mais de 200 mil acessos. O facebook recebeu mais de 1,1 milhão de curtidas e o flickr superou 10 mil downloads.
Entre os peregrinos inscritos, 55% são do sexo feminino; 60% do público tem entre 19 e 34 anos. Foram 644 Bispos inscritos, dos quais 28 são Cardeais. Além disso, foram 7814 sacerdotes inscritos e 632 diáconos. Para cobrir a JMJ Rio2013 em 57 países, foram credenciados 6,4 mil jornalistas.
O evento também contou com 264 locais de catequese, em 25 idiomas. Foram 60 mil voluntários, mais de 800 artistas participantes dos Atos Centrais. Um total de 100 confessionários foram expostos na Feira Vocacional e no Largo da Carioca e 4 milhões de hóstias produzidas, 800 mil para Missa de Envio.
A geração de lixo foi inferior a outros eventos que acontecem em Copacabana, como o Réveillon. A Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb) removeu 345 toneladas de resíduos orgânicos e 45 toneladas de materiais recicláveis, durante a JMJ Rio2013. O número representa cerca de 10% a menos do registrado na noite do último Ano Novo.
Experiência de Fé
A renovação da fé e da esperança é o principal legado que a JMJ Rio2013 deixará no coração dos jovens, de acordo com Dom Orani. “Os jovens levaram consigo uma experiência de fé, de esperança muito grande. Tenho certeza de que jamais esqueceremos. Os jovens já são protagonistas hoje. O meu coração está muito agradecido”, destacou. O arcebispo disse ainda que está sendo viabilizada a criação de um instituto para a juventude que terá a responsabilidade de guardar as experiências da JMJ Rio2013 e trabalhar pelos jovens.
Entre os vários momentos significativos vividos junto ao Santo Padre, Dom Orani destacou dois: a relação de carinho com as crianças e a oração ao Cristo Redentor. “Todas as vezes que nos deslocávamos de helicóptero, o Santo Padre olhava para o Cristo e rezava. Eu que estava atrás dele, pude presenciar várias vezes esses momentos de oração.
A proximidade do Papa com as pessoas traz um testemunho para o mundo de que a Igreja está perto das pessoas, como uma mãe de seus filhos, explicou Dom Orani. “A Igreja antes de mais nada anuncia uma boa notícia a todos”, disse. Outro legado deixado pela JMJ Rio2013 foi a atenção do poder público e da mídia para a Região Oeste, onde está Guaratiba.
A cruz da JMJ e o Ícone de Nossa Senhora serão entregues à Cracóvia, próxima cidade-sede, apenasem Roma. Atradição é que sejam enviados para o Pontifício Conselho para os Leigos e no domingo de Ramos do próximo ano, serão entregues aos jovens da Polônia em cerimônia que deverá acontecer em Roma.

Fonte: CNBB | JMJ Rio 2013
Dom Orani divulga para a imprensa os números da Jornada Mundial da Juventude (JMJ).
Ei-los:
• 3,7 milhões de pessoas na missa de envio.
• 3,5 milhões de pessoas na vigília.
• 600 mil pessoas presentes na missa de abertura da JMJ.
• R$ 1,8 bilhões desembolsados pelos turistas.
• 1,2 milhões de pessoas na missa de acolhida do Papa, em Copacabana.
• 2 milhões de pessoas na Via-Sacra.
• 427 mil inscrições.
• 175 países representados pelos peregrinos.
• 356.400 peregrinos inscritos com hospedagens.
• 356,4 mil vagas disponibilizadas para hospedagem em casas de família e instituições.
• 72,7% do total de inscritos estiveram na primeira vez no Brasil.
• 70 mil downloads no site oficial da JMJ Rio2013.
• Mais de 200 mil acessos no site oficial da JMJ Rio2013.
• Mais de 1,1 milhão de curtidas no Facebook da JMJ Rio2013.
• 10 mil downloads no Flickr oficial da JMJ Rio2013.
• 644 bispos inscritos (dos quais 28 são cardeais).
• 7.814 sacerdotes inscritos
• 632 diáconos inscritos.
• 6,4 mil jornalistas credenciados para cobrir a JMJ para 57 países.
• 264 locais de catequese, em 25 idiomas.
• 60 mil voluntários.
• Mais de 800 artistas participantes dos Atos Centrais.
• 100 confessionários foram expostos na Feira Vocacional e no Largo da Carioca.
• 4 milhões de hóstias produzidas, 800 mil para missa de envio.
• 345 toneladas de resíduos orgânicos e 45 toneladas de materiais recicláveis, durante a JMJ Rio2013
• 10% a menos do registrado na noite do último Ano Novo).
• 55% do público inscrito na JMJ é do sexo feminino.
• 60% do público inscrito na JMJ tem entre 19 e 34 anos.


Reproduzido pelo Blog do ADEMIR ROCHA, de Abaetetuba/PA

Nenhum comentário:

Postar um comentário