Mapa de visitantes

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

ESCOLA PADRE PIO-SOME: ESCOLAS DE ABAETETUBA





ESCOLA PADRE PIO-SOME

ESCOLA ESTADUAL BERNARDINO PEREIRA DE BARROS

SISTEMA DE ORGANIZAÇÃO MODULAR DE ENSINO-SOME





COLAÇÃO DE GRAU



A colação de grau de alunos do 2º grau da Escola Padre Pio situada na localidade Ilha do Capim, município de Abaetetuba/Pa, no próximo dia 19/02/2011 será um fato inédito e histórico na Educação em Abaetetuba, pois pela 1ª vez uma escola da Zona das Ilhas de Abaetetuba realizará uma solenidade como essa no município. Esse fato só foi possível devido a implantação do Sistema Modular de Ensino-SOME em Abaetetuba. E essa festa será engrossada pela alegria de 3 desses colandos terem ingressado em cursos do Ensino Superior através dos processos seletivos da UFPA e UEPA.



O SOME:
Constituição Federal Brasileira de 1988, no seu inciso II do artigo 208 pela emenda constitucional nº 14/96, estabelece que “é dever do Estado garantir a progressiva universalização do ensino médio gratuito” nas escolas públicas.



O Sistema de Organização Modular de Ensino no Estado do Pará é um programa gerido pela Secretaria de Estado de Educação/SEDUC, desde 1982, como alternativa de atendimento e expansão do ensino médio presencial, no interior do estado, para dá oportunidade de estudo ao educando que não tem possibilidades de ir para locais onde existe ensino médio.



O Estado do Pará nos últimos anos e principalmente a partir da década de 1980 programou o SOME para minimizar as lacunas educacionais existentes no Estado, bem como garantir o acesso ao ensino médio para a população paraense que vive distante dos centros urbanos, os quais ficavam desassistidos desta etapa da educação básica.

AS DISCIPLINAS NO SOME:
Diferente do Ensino Regular que trabalha todas as disciplinas simultaneamente, no Sistema de Organização Modular de Ensino cada disciplina (Português, Matemática, Geografia, História, Biologia e outras) é trabalhada de forma individual (uma por vez), por um período de tempo que atende às exigências de sua carga horária anual.



Sendo assim a carga horária de uma determinada disciplina e série poderá ser concentrada num período de trinta e dias (30) dias com seis (6) horas/aula por dia. Uma vez cumprida a carga horária dessa disciplina, a classe passará a ter aula de outra matéria do currículo e, em conseqüência, a presença de outro professor.



Os alunos da Escola Modular referem-se às vantagens desse sistema em termos da facilitação decorrente do fato de terem de cursar apenas uma disciplina em cada etapa do período letivo de sua escola, em vez de todas, como acontece no ensino regular, e, em caso de reprovação em uma disciplina, que não prejudica o seu acesso à série seguinte, porém com a obrigação de cursar a disciplina em que foi reprovado anteriormente.

OS RESULTADOS DO SOME EM ABAETETUBA:
Resultados parciais apontam um crescimento significativo das matrículas do ensino fundamental e do ensino médio SOME em relação às matrículas do ensino fundamental e médio regular, a partir do anos de 2006. Observa-se que o SOME já vem contribuindo para o desenvolvimento educacional do município de Abaetetuba. O SOME, pode-se dizer, já vem dando vasta contribuição para o desenvolvimento educacional de Abaetetuba em espaços que se encontravam em dificuldades de locomoção, acesso e condições econômicas de gozar de instrução na séde do município, como é o caso da Ilha do Capim onde o SOME veio atender as necessidades dessa população, encurtando distâncias e criando oportunidades de instrução a todos que buscam a melhoria da qualidade de vida e de formação.

A LOGÍSTICA NO SOME:
Os professores do SOME são os professores do quadro efetivo da SEDUC/PA que migraram para o Sistema de Organização Modular de Ensino-SOME que foram atraídos não só pela rica experiência de conviver em uma comunidade ribeirinha distante e de cultura peculiar e também pelas vantagens financeiras e materiais decorrentes dessa migração. Nenhum professor licenciado em sã consciência e ganhando o que ganha um professor da séde municipal, poderia assumir as disciplinas do currículo do SOME se não existisse a contrapartida financeira e material dos custos de deslocamento, moradia e alimentação para os lugares distantes e isolados da séde municipal.



A SEDUC/PA através de negociações com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública-SINTEPP assumiu o compromisso de implantar o projeto de educação com qualidade social como resposta às lutas históricas dos educadores da rede pública estadual de ensino por melhores condições de trabalho e salários dignos e também de atender aos anseios de milhares de estudantes que desejam ver assegurado, com responsabilidade, o direito à educação e assim autorizou o pagamento de ajuda de custo ao pessoal do magistério que desenvolve atividades no Sistema Modular de Ensino - SOME, da Secretaria de Estado de Educação e da Fundação Educacional do Estado do Pará.



Como a implantação do SOME, na Zona Rural e Zona das Ilhas de Abaetetuba, é uma parceria que envolve também a Prefeitura Municipal, esta ficaria responsável pela logística nessas localidades o que incluiria: casa para professores, material didático e preparação de alguns prédios escolares, como foram os casos das escolas Padre Pio na Ilha do Capim e da Escola Padre Mário Lanciotti da localidade Maracapucu. Algumas escolas do sistema SOME ainda funcionam nos barracões das comunidades.

A ESCOLA BERNARDINO E O SOME:
Em Abaetetuba nenhuma escola queria assumir a responsabilidade de Escola-Séde do SOME na lotação do quadro de servidores e professores necessários às inúmeras escolas desse sistema espalhados pelas principais localidades da zona rural do município. Foi desse modo que a Escola Bernardino assumiu essa tarefa, onde a lotação dos professores, matrículas dos alunos e assinatura de boletins, históricos escolares e outros papéis são realizados por uma coordenação escolar do SOME, diretamente ligada à direção da Escola Bernardino, em espaço que funciona nas dependências dessa escola-séde e o salário dos professores e alguns funcionários das escolas do sistema modular são vinculados aos contracheques dos professores e funcionários da Escola Bernardino. Em outras palavras, os professores, alguns funcionários e os alunos do projeto SOME são, em última análise, vinculados diretamente à Escola Bernardino, que abriga a Coordenação desse sistema para o Ensino Fundamental e Ensino Médio da zona rural de Abaetetuba. E nas últimas eleições para a nova direção da Escola Bernardino ficou a promessa de se criar e dar ao SOME as condições de funcionamento de um ensino de qualidade em cada escola onde existe o ensino modular e assim vem sendo feito através da nova direção da escola-séde do SOME, com a devida atenção aos pleitos dos diretores das escolas desse sistema e com a cessão de espaço devidamente equipado e informatizado para os trabalhos da Coordenação do sistema modular de ensino.



Portanto, a festa de colação de grau no dia 19/2/2011 dos alunos da Escola Padre Pio da Ilha do Capim, na qual a direção da Escola Bernardino se fará presente, será uma vitória não só desses alunos, como de sua comunidade, de todo o processo educacional de Abaetetuba, do Governo do Estado através da sua Secretaria de Educação/SEDUC/PA, do SINTEPP, dos professores do SOME, do Governo Municipal com o apoio logístico e, principalmente, do sistema SOME com sua peculiar e inovadora modalidade de educação para lugares de difícil acesso.



Prof. Ademir Rocha, de Abaetetuba/Pa, em 17/2/2011.

6 comentários:

  1. Parabéns professor pela postagem está fantástica, a familia SOME agradece, muito obrigado, Prof: José Maria

    ResponderExcluir
  2. Caro Prof. José Maria Belo,
    Obrigado pelos elogios imerecidos e esse é o meu desafio, lutar pelo resgate dos valores da cultura, educação, esporte, famílias, religiao e o município de Abaetetuba e municípios vizinhos em todos os seus aspectos.
    Fiz uma visita à Ilha do Capim e visitarei a localidade Caripetuba e outros lugares e quero presenciar "in loco" as realidades que envolvem essas localidades e publicar as postagens referentes a esses aspectos.
    Um abraço do Prof. Ademir Rocha.

    ResponderExcluir
  3. Olá...
    Estou estudando sobre o SOME como uma modalidade de ensino para as comunidades rurais. Este estudo faz parte do meu trabalho de conclusão de curso. Professor estou tendo dificuldades em encontrar documentos oficias, leis, e normas, bem como artigos e discussões acadêmicas....
    Gostei do Blog...

    ResponderExcluir
  4. Caro amigo ou amiga Vivi,
    Quando pesquisei sobre o SOME o fiz no Google e junto a alguns blogs que falam sobre. Sei que na SEDUC/PA existe um departamento que trata desse sistema de ensino. Aqui em Abaetetuba conheço pessoas que são coordenadores do SOME local. Passarei a essas pessoas o seu recado e ver se têm alguma coisa oficial e se tiver logo repasso a vc.
    Abraços de Ademir Rocha.

    ResponderExcluir
  5. gostaria de saber informaçoes sobre a ilha rio da prata em Abaetetuba,menistrei,aulas quero saber dos alunos...bjs

    ResponderExcluir
  6. Cara Professora Ana Tereza Cerveira,
    Os dirigentes do SOME local não têm as informações que vc quer. Espero que alguém que saiba sobre o assunto leia este recado e nos repasse as informações que vc quer. Feliz Ano Novo para vc, familiares, alunos e amigos. De Ademir Rocha.

    ResponderExcluir