Mapa de visitantes

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Memórias 14 do Futebol e da Cultura, Desportos e Seus Vultos em Abaetetuba

Memórias 14 do Futebol e da Cultura, Desportos e Seus Vultos em Abaetetuba



O FUTEBOL EM ABAETÉ/PA
OS MAIS ANTIGOS CLUBES DE FUTEBOL DE ABAETÉ/ABAETETUBA/PA E AS GRANDES PELEJAS E OS GRANDES JOGADORES DE FUTEBOL

O FUTEBOL EM ABAETÉ/PA E A ÁREA DA PARÓQUIA
O futebol em Abaeté surgiu no início do séc. 20 quando foram criados os mais antigos clubes de futebol da cidade. Abaeté era uma pequena cidade, com poucas ruas e uma população de um pouco mais que 3.000 habitantes na cidade e a área onde se praticava esse esporte era a área da antiga Pça. Dr. Augusto Montenegro, quando ainda não existia a igreja Matriz de N. S. da Conceição.
Essa área era muito grande e apanhava a atual Pça. de N. S. da Conceição e a área por trás da atual Igreja Catedral quando ali não existiam nenhuma construção e nenhuma casa de moradia. Esse espaço se estendia até a antiga R. Floriano Peixoto/atual R. Lauro Sodré e mais o espaço onde hoje se encontra o prédio da sede da COSAMPA e arredores e a área onde hoje se encontram o Colégio S. Francisco Xavier e o prédio da Paróquia S. Paulo. Era realmente uma grande área cfe. documentos e informações da época. Citações:
O Frei José Maria de Manaus fez o registro geral do terreno de 11.531,25m2 de área, onde estava sendo levantada a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição.
Esse grande espaço servia de treino e jogos para os antigos clubes de futebol do passado, como o Carioca Sport Club, de Eduardo Maués, o Argentino Club, o Payssandu Sportivo de Abaeté e posteriormente, o Vera Cruz Sport Club, que o Padre Luiz Varella ajudou a fundar e a Associação Desportiva de Abaeté, que desenvolveram memoráveis embates nesse campo.
1919:
Praça Dr. Augusto Montenegro, onde ficava o campo da Sociedade Sportiva de Abaeté.
Citação de 1925 dos tempos do Intendente Municipal Dr. Lindolpho Cavalcante de Abreu (1922-1926): Pça. Silva jardim, onde era o campo de futebol do Argentino Júnior.

Outros antigos clubes de futebol, como o Parazinho, o Brasil Velho utilizavam os campos dessa área, inclusive o Abaeté Foot-Ball Club, parte do terreno comprado que foi pelo Ten. Humberto Parente que, por muitos anos, serviu de palco para os jogos dos clubes de futebol mais recentes, como Vasco da Gama, o Vênus e a Seleção de futebol de Abaetetuba, em memoráveis jogos na década de 50, 60 e 70 do Século 20.
Na outra parte dessa grande área, onde foi construída a Igreja Matriz de Abaeté, também havia outro campo de futebol, muito usado p/aqueles antigos clubes citados.
Outras citações:
1931: Payssadu Sportivo de Abaeté, requerendo terreno à Pça. Dr. Augusto Montenegro, p/fins de desenvolvimento esportivo e cultura atlética. Requerimento deferido p/prefeito Maximiano Silvino Cardoso, em 19/10/1931/1930-5/3/1933, ficando c/o clube a responsabilidade pela conservação da praça.

O Carioca Sport Club, de Eduardo Maués Loureiro, c/campo de futebol à Pça. Dr. Augusto Montenegro, junto ao campo do Vera Cruz Sport Club.
1931: A parte oriental da Pça. Dr. Augusto Montenegro, onde ficava o campo da Associação Sportiva de Abaeté, esta com 11.040m2, tendo Hygino Pereira de Barros como representante legal da Associação.
Posteriormente nesse local foi construída a nova Igreja Matriz de Abaeté, hoje Igreja Catedral de N. S. da Conceição.
Citação:
1939: As obras da Igreja Matriz já vão bastante adiantadas à Pça. Dr. Augusto Montenegro, c/custos, até então, de mais de 90 contos de réis/90:949$280/noventa mil, novecentos e quarenta réis e duzentos e oitenta centavos. O Frei José Maria de Manaus fez o registro geral do terreno de 11.531,25m2 de área, onde estava sendo levantada a Igreja Matriz de N. S. da Conceição.

OS MAIS ANTIGOS CLUBES DE FUTEBOL E OS MAIS ANTIGOS JOGADORES DE FUTEBOL DE ABAETÉ
VERA CRUZ SPORT CLUB E O PADRE LUIZ VARELLA
O Padre Luiz Varela era um incentivador dos desportos, da música e do civismo na cidade de Abaeté e foi ele, com ajuda de amigos, quem fundou o Vera Cruz Sport Clube no dia 1º de maio de 1919, que era um misto de clube esportivo e social. Desde a sua fundação até os anos de 1930 o Vera cruz sempre despontou como grande clube social e futebolístico da cidade de Abaeté.
Esse clube reuniu a nata da sociedade abaeteense, tornando-se um clube de elite local, congregando políticos, industriais, comerciantes. Para a entrada de um novo associado era necessário que ele fosse indicado por um dos antigos consórcios e numa reunião se decidia pela entrada ou não desse associado.
Até mesmo os atletas do Vera Cruz tinham que ser propostos por um antigo associado e eram raros os jogadores que conseguiram ser aceitos como associado do clube.
As reuniões eram periódicas e seguindo normas e anotações em atas dos assuntos discutidos e deliberados. Nos eventos sociais ou cívicos aconteciam cantos c/os hinos do clube e outros hinos nacionais e com fundo musical.
O Vera Cruz surgiu na onda do futebol, esporte que tinha chegado à Abaeté no início do séc. 20, mas, com pouco tempo, tornou-se um clube social, cívico e cultural, à maneira de muitos outros clubes existentes no local. Era dirigido p/uma diretória e possuía sede própria, onde aconteciam os eventos sociais e cívicos e as quermesses e soirés dançantes. As cerimônias erasm conduzidas p/um diretor social, onde sempre aconteciam os discursos e homenagens.
O grande rival do Vera Cruz no futebol foi a Associação Sportiva de Abaeté, que travaram memoráveis embates futebolísticos apoiados por s/entusiastas torcidas. Os treinos e jogos desses times aconteciam nos campos existentes na grande área que hoje é ocupada pela Pça. de N. S. da Conceição, pela Igreja Catedral de N. S. da Conceição e pela área onde hoje se localiza a Casa do Bispo da Diocese de Abaetetuba que correspondia a todo o quarteirão que ia até às proximidades da antiga R. Floriano Peixoto, hoje R. Lauro Sodré.
As cores do clube eram o branco e o azul e o time de futebol, devido as cores de sua camisa azul e branco, era chamado de “alviazul”.

ALGUNS JOGADORES DO VERA CRUZ SPORT CLUB
Uma formação do alviazul Vera Cruz:
Tedesco; Carlito e Zeb; Demétrio, Timóteo e Geraldo; Lima, Ubaldo, Pedro, Dedé e Xito.

Essa era uma típica formação 2x3x5, isto é, dois zagueiros, três jogadores no meio e cinco atacantes. Dá para identificar alguns desses jogadores:
Carlito, era o Mestre Carlito/Carlito Maués Loureiro, sócio da Sapataria Abaeteense;
Timóteo, era o Timóteo Parente, filho de Garibaldi Parente.
Lima, era o Chico Lima/Francisco Lima, pai de Luiz Lima e Diquinho Bala que foram, também, jogadores de futebol;
Dedé, era o Dedé Pontes, filho de João Nepomuceno de Pontes.

Outra formação de 1927:
“Tedesco; Carlito e Zeb; Demétrio, Timóteo e Xito; Lima, Miguel, Pedro, Dedé e Lelelê”.

Citações s/o Vera Cruz:
1927: A sede do Vera Cruz se localizava na R. Lauro Sodré, onde também aconteciam as festas conhecidas como soirées e quermesses.
Anotações de 16/5/1926: O Vera Cruz possuía a sua séde na antiga R. Lauro Sodré, do qual participava o Padre Luiz varela. As reuniões do clube eram anotadas em atas com os nomes dos sócios presentes. Um novo sócio para entrar no clube tinha que ser apresentado por um sócio veterano.

OS HYNNOS DO VERA CRUZ SPORT CLUB
Da peleja entre mil dissabores
Nossa força viril não fraqueja
Defender com ardor nossas cores
Eis o lema que a todos congraça.

Assim, pois, pela físico cultura
Que entre nós no esporte se descerra
Lutaremos com toda bravura.

Nossos adeptos baquejam
Na grande prática viril
Para que no futuro sejam
Orgulho e glória no Brasil
Entre recíprocos alentos
Caminharemos para a luz
Desenrolando aos quatro-ventos
O pavilhão do Vera Cruz.

Pratiquemos assim companheiros
Para quando por acaso uma guerra
Envolver nós leais brasileiros
Consigamos honrar nossa terra
Seja pois abraçado
No indelével valor que nos enlaça.

Nosso belo pendão alviazulino
O feliz galardão de uma raça
Nossos adeptos não baquejam ..

OUTRO HYNNO DO VALOROSO VERA CRUZ SPORT CLUB
“O Onze Vera Cruz”

O Vera Cruz é respeitado
Pois é!
Aqui no Abaeté!
Aqui no Abaeté!
Temível, jamais foi derrotado!
Vencido!
Por isso é querido!

Estribilho:

Vera Cruz
Tens por ti
Bravos, leais defensores
Das cores
Que nós trazemos aqui.

O nosso esforço em tua defesa
Daremos
Lutaremos
Por venceremos
Daremos
Pras cores que adoramos
E amamos
Toda a nossa alma
Da vitória à palma.

Citação:
1927: “O hino “O Onze Vera Cruz” era cantado pelos torcedores, puxado pela Banda Paulino Chaves”.

AS DIRETORIAS E ALGUNS CONSÓRCIOS DO VERA CRUZ
1920: Lista de consórcios do Vera Cruz: Raimundo Pinheiro Garcia, José Joaquim Nunes, Tupy Jorge, Anísio Rodrigues, Joaquim Loureiro Silva, Plínio Andrade, José Ferreira, João Paranhos, Raymundo Borges de Araujo Pereira, Maximiano Rodrigues, Pedro Ribeiro de Araujo, Germano Bentes Guerreiro/Juiz Substituto de Abaeté.
Eis alguns consórcios do Vera Cruz em 1926: Ten. Eugênio Tavares, Pe. Luiz Varella, Sebastião de Figueiredo, Jorge Felix dos Santos, Pedro Loureiro, Armando Souza Parente, Emercindo Maués, Raymmundo Rodrigues, Andrelino Pontes, Laudelino Ferreira, Maximiano Ferreira, Hygino Loureiro, Benjamim da Costa Lima, Victor Lima, João da Costa Bahia, Theobaldo Martins, Eduardo Loureiro, Francisco Freire de Andrade, Argemiro Campelo.
Em 1927: Pedro Geraldo de Carvalho era o secretário do Vera Cruz Sport Club e José Antonio de Castro era o vice-presidente.

Para o biênio 1927/1928 a diretoria eleita do Vera Cruz Sport Club foi a seguinte: presidente: Francisco Freire de Andrade; vice-presidente: José Antonio de Castro/reeleito; 1º secretário: Timóteo Garibaldi Parente; 2º secretário: Maximiano Antonio Rodrigues; tesoureiro: Ayres Henrique de Matos; orador: Argemiro Campello e diretor de esportes, Padre Luiz Varella.
1927: O padre Geraldo de Carvalho era membro do Clube Carlos Gomes e secretário do Vera Cruz Sport Club.
Lista de consórcios do Vera Cruz: Guilherme Abreu, Raymmundo Valentim Barbosa, José Ferreira, Raymundo Paraense Quaresma, Celestino Maués da Trindade, Raymundo Pereira Muniz, Murilo de Carvalho, Humberto Parente, Jorge Felix dos Santos, Ten. Eugênio Tavares.
Todos os consorciados do Vera Cruz pagavam mensalidades.
Outra lista de 1920: Argemiro Campelo, Ubaldo Souza/jogador do Vera Cruz, Oscar Martins, Tupy Jorge Herane, Elderico Maria da Silva.
Lista de consórcios do Vera Cruz: Jorge Felix dos Santos, Pe. Luiz Varela, Francisco Freire de Andrade/presidente do Clube, Sebastião Figueiredo, José Ferreira/o novo Presidente eleito, Pedro Ribeiro de Araujo. Os próprios atletas do Vera Cruz tinham que ser proposto por um associado mais antigo.
O Vera Cruz se correspondia com o Clube do Remo e Payssandu, clubes da capital do Estado. As suas reuniões eram constantes, nunca faltando a sessão solene e cívica. Ajudava financeiramente a Igreja católica, quando solicitado, Tinha vários hinos e sua cor era alvi azul e sua sede ficava na R. Lauro Sodré.

Citação:
Anos 1920: O Pe. Clotário de Alencar solicita ao Vera Cruz, ajuda para os festejos do Sagrado Coração de Jesus e a ajuda foi de dez mil réis, na forma de espótula.

A LIGA DE TORCEDORAS DO VERA CRUZ SPORT CLUB, A BANDA PAULINO CHAVES E O GRUPO SCÊNICO DE ABAETÉ
O Vera Cruz possuía uma grande torcida em Abaeté. As mulheres associadas fundaram a chamada “Liga de Torcedoras do Vera Cruz”, que era uma entidade autônoma, que além de ajudar o clube, também ajudava a igreja, especialmente nas campanhas de arrecadação de fundos p/a construção da “Nova Igreja Matriz de Abaeté”. Essa torcida era muito aguerrida e barulhenta e levava para as ruas nas passeatas a Banda Paulino Chaves que tocava os hinos do clube. Dias de jogos do Vera Cruz era um dia de festas na cidade, especialmente se ele ganhava o jogo. O Vera Cruz desenvolveu grandes embates futebolísticos com a Associação Sportiva de Abaeté, considerado um dos grandes clássicos do futebol da antiga cidade de Abaeté.
Também a Banda Paulino Chaves e o Grupo Scênico de Abaeté, que era um grupo de teatro amador, fundados com a influência do Pe. Luiz Varella, participava ativamente das campanhas desenvolvidas pela Liga de Torcedoras do Vera Cruz nos eventos da igreja e, principalmente, nas campanhas de arrecadação de fundos citadas.

Citações a respeito dessas campanhas:
Maio de 1927: Quermesse e espetáculo à Pça. N. S. da Conceição, promovida pela Liga de Torcedoras do Vera Cruz Sport Club, sendo a 2ª quermesse, comandada pela Banda Paulino Chaves, abrilhantando a festa, c/disputa de mimos/prêmios. Depois, às 08:00 h. da noite, reabertura do Theatro N. S. da Conceição, c/a comédia portuguesa “Como se Enganam as Mulheres” e “A Boemia”, acompanhada p/música. Trabalharão como atrizes e atores: Miloca Matos, Osvaldina e Hilda Fonseca, Bararaty Franco, Antônio e Prudente de Araújo, Elpídio Paes e Edgar Borges, pelo Grupo Scênico de Abaeté.
Citação de 1927:
A Banda Paulino Chaves participando da campanha em prol da construção da nova Igreja Matriz de Abaeté, tocando nas quermesses da Liga de torcedoras do vera Cruz Sport Club e nos eventos teatrais do Theatro de N. S. da Conceição, fazendo o fundo musical das peças apresentadas pelo Grupo Scênico de Abaeté.
Em 1927: A Banda Paulino chaves participando da passeata do Vera Cruz, cantando o hino do clube “O Onze vera Cruz.
Quermesse promovida pela Liga de Torcedoras do Vera Cruz Sport Club, no alpendre da Igreja, à Pça. N. S. da Conceição, e à noite, na casa de Francisco Assunção dos Santos Rosado, à R. Siqueira Mendes, soirée dançante para angariar fundos para a construção da nova Igreja Matriz de Abaeté.

ASSOCIAÇÃO SPORTIVA DE ABAETÉ
A Associação Sportiva de Abaeté foi fundada em 12/10/1919 e s/cores era branco e verde e p/isso era chamado carinhosamente p/seus torcedores de “auriverde”.
Um documento de 1919 se refere a: Praça Augusto Montenegro, onde ficava o campo da Associação Sportiva Abaeteense.

ALGUNS ANTIGOS DIRETORES E JOGADORES DA ASSOCIAÇÃO SPORTIVA DE ABAETÉ
Em 1927 uma formação auriverde da Associação Sportiva de Abaeté:

Brício; Margalho II e Preto; Mimi, Vivi e Carmine; Zeferino, Cordeiro, Buçuá, Gonzinho e Lucídio. Também era a clássica formação do 2x3x5, que era a única conhecida na época. Jogadores reservas: Outros jogadores: Miguel, Pedro, Dedé, Lelelê.
Vivi, era o Vivi Pontes, filho de João Nepomuceno Pontes;
Lucídio era o Lucídio Paes.
Cármine, é o Carmine Parente, tio de Garibaldi Parente.

Essa formação foi para enfrentar o grande adversário da Associação, o Vera Cruz Sport Club, em memorável embate em 1927. O juiz dessa partida de futebol foi Pedro Pinheiro Paes.
O time do Vera Cruz que enfrentou a auriverde Associação Sportiva de Abaeté nessa memorável partida de futebol foi:
Tedesco; Carlito e Zebb; Demétrio, Timóteo e Geraldo; Lima, Ubaldo, Pedro, Dedé e Xito.

Citações s/a Associação Sportiva de Abaeté:
Um documento de 1919 se refere a: Pça. Augusto Montenegro, onde ficava o campo da Associação Sportiva de Abaeté.
1919: Praça Dr. Augusto Montenegro, onde ficava o campo da Sociedade Sportiva de Abaeté.
1927: Raimundo Leite Lobato era o presidente da Associação Sportiva de Abaeté e Antonio Ribeiro de Araujo era o 1º secretário.
A Associação Sportiva de Abaeté se tornou o grande adversário do Vera Cruz Sport Club nos embates esportivos e culturais dos anos de 1920.

Em 1927 a diretoria da Associação Sportiva de Abaeté era assim constituída:
Assembléia Geral: presidente, Latino Lídio da Silva; 1º secretário, João Nepomuceno de Pontes; 2º secretário, Giordano Parente.
A Diretoria: presidente, Capitão Acrísio Villaça da Silva; vice-presidente, Antonio Paes Filho; 1º secretário, Antonio Ribeiro de Araujo; 2º secretário, Antonio Gama; tesoureiro, Capitão Raymmundo Leite Lobato; orador oficial, Américo Nery Cordeiro; diretor de sports, Abel Guiães de Barros; diretor de séde, Raymmundo Nonnato Viégas.
No mesmo ano de 1927 aconteceram algumas trocas dos diretores, ficando assim: presidente, Raymmundo Leite Lobato; orador, Raymmundo Viégas e tesoureiro, Acrisio Villaça da Silva.
1927: Raimundo Leite Lobato, funcionário público municipal, era o presidente da Associação Sportiva de Abaeté.
1931: A parte oriental da Praça Dr. Augusto Montenegro, onde ficava o campo da Associação Sportiva de Abaeté, com 11.040m2, tendo Hygino Pereira de Barros como representante legal da Associação.

OUTROS ANTIGOS CLUBES DE FUTEBOL DE ABAETÉ

ARGENTINO CLUB
Uma citação de 1925, dos tempos do Intendente Municipal Dr. Lindolpho Cavalcante de Abreu: Praça Silva jardim, onde era o campo de futebol do Argentino Club.

CARIOCA SPORT CLUB
Citação de 1925: O Carioca Sport Clube, de Eduardo Maués Loureiro, c/campo na Pça. Dr. Augusto Montenegro, junto ao campo do Vera Cruz Sport Club.

PARAENSE SPORT CLUB
Paraense Sport Club, de Raimundo Lima, de 1925.
O Paraense é contemporâneo dos outros antigos clubes dos anos de 1920.

PARAZINHO SPORT CLUB
Há citações desse clube no ano de 1952, mas é um clube bem mais antigo e é citado em livros de nossos escritores locais.

PAYSSANDU ESPORTIVO DE ABAETÉ
1930:
Na Praça Augusto Montenegro existia o campo do Payssandu Sportivo de Abaeté.
1931: Payssadu Sportivo de Abaeté requerendo terreno à Pça. Dr. Augusto Montenegro para fins de desenvolvimento e cultura atlética. Requerimento deferido por Maximiano Silvino Cardoso (1930-1933) em 19/10/1931, ficando o clube c/a responsabilidade pela Conservação da praça.

BRASIL SPORT CLUB/BRASIL VELHO
O Brasil Sport Club foi fundado em 24/5/1936 e possuía 116 associados e 53 associadas. Teve como um de seus presidentes, em 1930, o folclórico Mestre César/César de Assis Negrão.
César de Assis Negrão era filho de Francisco de Assis Negrão e Deodata Góes e c/os irmãos: Leandro, Clarita, Rosa, Edwirges, Odete e Dedame da Silva Negrão.

No tempo do Mestre César, o Brasil Sport Club tinha como grande adversário o Abaeté Futebol Club, que tinha como presidente Chrispim Ferreira. Esses dois times eram como Payssadu e Remo em Belém, grandes rivais do futebol abaeteense. Chrispim Ferreira tinha um timbre de voz abafada e fina e o Mestre César tinha um tom de voz forte, um vozeirão, como se diz. Um igarapémiriense sentenciou: “são rivais até na voz”.
No governo do prefeito Aristides dos Reis e Silva era o Mestre César que dirigia o caminhão marca Ford para o município, o segundo caminhão a trafegar na cidade, mais tarde, o Mestre César passou a o gerente técnico da Usina Elétrica de Abaeté, em 1942.
O Mestre César foi o eletrecista responsável pela antiga Usina Elérica de Abaeté, movida à vapor de lenha e situada na Rua do Trapiche, no local onde ficava o antigo engenho de Pedro Rosado. Mestre César acumulou a função de eletrecista da usina com a de motorista do 1º caminhão de Abaeté, apelidado de “Lama”. Esse caminhão transportava a produção agrícola das Colônias “Velha” e “Nova” para a cidade de Abaeté.

Como desportista existem algumas citações:
A Sociedade Brasil Sport Club teve como um de seus presidentes, em 1930, o Mestre César. O Mestre César consolidou o Brasil Sport Club no cenário social e esportivo da cidade, clube que contava com um bom número de associados.
1931: R. Siqueira Campos, onde se localizava a casa de César de Assis Negrão.

Em 1953 o presidente da Sociedade Brasil Sport Club era Oziel Pimentel Coutinho,que foi outro grande desportista em Abaeté, que dirigiu o Brasil Velho, filho do Cap. Orêncio Pereira Coutinho e Maria de Araujo Pimentel. Oziel n. em 1/4/1907, foi b. em Beja pelo Pe. Pimentel, funcionário da prefeitura de Abaeté/Pa, tesoureiro na gestão do prefeito Pedro Pinheiro Paes (1948-1951), e contador na 2ª gestão do mesmo prefeito (1955-1959) e casado com Turquinha Jorge. Foi esse grande cidadão abaeteense que dirigiu o Brasil em s/1ª fase de existência.
Brasil Velho se refere ao Brasil Sport Club dos primeiros tempos e o Brasil Novo se refere ao mesmo time refundado alguns anos depois de s/criação.

Formações do Vênus e do Brasil em um memorável clássico do futebol de Abaeté, disputado no dia 7/8/1960:
Vênus: Alair; Mafra e Aristides; Guino, Bicicleta e Rivair; Dodinha, Diquinho Bala, Bilico, Manoel e Miguel.

Brasil: Cangula; Bacu e Saúde; Sabá, Vicente e Gata; Cavalinho, Elídio, Piranha, Alcimar e Edir. Preparador físico do Brasil: Eurico.
Saúde/veio da família Maciel, que era um vigoroso zagueiro que jogou, além do Brasil, em outros times como o Abaeté e a seleção de futebol.
Gata/é o Sargento Gata.
Cavalinho/irmão do músico Cardinal.
Piranha/Humberto Maciel, vigoroso e rápido jogador que jogou, também, p/muitos anos no Abaeté e na seleção de futebol. A quadra de esportes do Abaeté tem o nome desse atleta.
Edir/Edir Quaresma.

IITATIAIA SPORT CLUB
Foi fundado em 12/10/1936, p/Santinho Viégas/Raymmundo Nonnato Viégas, que era secretário municipal da prefeitura de Abaeté/Pa.
Depois de Santinho Viégas quem assume o comando do Itatiaia foi Chico Lima/Francisco Lima,
Chico Lima foi um dos maiores desportistas de Abaeté, apaixonado p/futebol, que foi jogador do Vera Cruz Sport Club e de outros times locais, foi grande incentivador, diretor fundador e presidente de clubes de futebol do município de Abaeté. Seus filhos, Luiz Lima, Diquinho Bala e Sandoval Lima também se tornaram grandes jogadores de futebol em Abaetetuba/Pa.
Chico Lima era comerciante à R. Justo Chermont em Abaeté/Pa e s/casa comercial possuía uma ponte em madeira.
Sua casa de residência ficava na R. Silva Jardim, casarão que posteriormente serviu de séde social ao Vasco da Gama Sport Club.

1964:
Herdeiros de Francisco da Costa Lima: Hildebrandina de Almeida Lima/esposa e filhos, esposa de Omar Felgueiras, Raimundo de Jesus Lima/Diquinho Bala, Maria Iná da Costa Lima/Iná, Maria da Conceição Lima Lopes, Luiz Lobato Lima, Terezinha de Jesus Ferreira Lima, c/imóvel à Av. Pedro Rodrigues, canto c/a Passagem Silva Jardim.

O Itatiaia de Chico Lima chegou a ter 40 associados e s/séde ficava na R. Silva Jardim/hoje Trav. Pe. Luiz Varela e essa séde era um grande casarão em madeira, que inclusive, foi palco de grandes quermesses e bailes promovidos por Bandute Sena/Benedito Sena dos Passos, quando este dirigia o Vasco da Gama.
Como homenagem a esse grande comerciante, desportista e jogador de futebol de Abaeté existe uma rua no bairro da Angélica com o nome: Trav. Chico Lima.

FLAMENGO
Flamengo foi um clube de futebol fundado por Clóvis Parente, filho de Garibaldi Parente, no bairro do Algodoal.

Além dos mais antigos jogadores de futebol de Abaeté, acima citados, existiam outros que merecem registro:
Tenente Humberto Parente
Nicola Garibaldi Parente:
Giordano Garibaldi Parente.
Caio Parente de Andrade.

Carmine Parente é citado em documento de 1935. Cármine Parente e Maria da Conceição Pereira Parente, são avós maternos de Menotti Calliari. Cármine era jogador da Associação Sportiva Abaeteense.
Thimóteo Garibaldi Parente.

Oberdan Garibaldi Parente. Um dos herdeiros de Garibaldi Parente no antigo campo de Aviação de Abaeté, anos de 1940.

Pode-se afirmar c/certeza que uma das famílias a introduzir o futebol na cidade de Abaeté, foi a família Parente.

ABAETÉ FOOT-BALL CLUB/ABAETÉ FUTEBOL CLUB
Inicialmente chamado Abaeté Foot-Ball Club, foi fundado em 5/8/1935 e tinha o seu campo à Rua 1º de maio e s/séde ficava no antigo prédio da Prefeitura Municipal de Abaeté, que era de propriedade do Velho Galileu, filho do Velho Salico.

Um dos Presidentes do Abaeté Foot Ball Club foi Francisco Lopes.
O Abaeté Foot-Ball Club chegou a possuir 150 associados e 30 associadas pagando mensalidades.
Outro presidente do já chamado Abaeté Futebol Club foi Chrispim Ferreira, nos anos de 1930.
Crhispim Ferreira, era comerciante, empresário do setor de padaria e cinema em Abaeté e desportista. Chrispim Ferreira lembra cinema e a famosa “Padaria Chibé”. Era um dos organizadores das antigas festas de N. S. da Conceição em Abaeté.
1931:
Residiam na Rua Nilo Peçanha Chrispim Ferreira e Francisco de Miranda Margalho.
A chamada “Escolas Reunidas” teve o seu início em uma casa de propriedade do comerciante Chrispim Ferreira, no subúrbio Sertão, com 50 crianças, tendo como sua 1ª professora a professora Maria Zaíde Cardoso, em 22/4/1936, sendo o prefeito da época o Sr. João Francisco Ferreira.
Crispim Ferreira, unindo-se a Juca e a José Saul, fundaram o Cine Glória. Crispim, depois, montou o seu próprio cinema o Cine Natan, no terreno onde hoje fica situado o Edifício Charrua, na antiga Rua grande, hoje Avenida D. Pedro II. As sessões do Cine Natan se tornaram memoráveis para adultos, jovens e crianças daquele tempo, como: Durango Kid, Zorro, Tarzan, Bomba, Búfalo Bill, os filmes de faroeste e os de capa-e-espada e inúmeros seriados que existiam naqueles tempos. Era a única diversão da cidade.
Como desportista, Chrispim Ferreiro, foi presidente do Abaeté Futebol Club. No tempo de Chrispim Ferreira como presidente do Abaeté, este clube tinha como grande adversário o Brasil Sport Club, que tinha como presidente o Mestre César. Esses dois times eram como Payssadu e Remo em Belém, grandes rivais do futebol abaeteense. Chrispim Ferreira tinha um timbre de voz abafada e fina e o Mestre César tinha um tom de voz forte, um vozeirão, como se diz. Um igarapémiriense sentenciou: “são rivais até na voz”.
Crispim Ferreira casou com Maria Stela Reis Ferreira e tiveram os seguintes filhos: Ronald, Rosildo Reis Ferreira, Rosete Ferreira Vilhena, Rosenete Ferreira Castro e Rosilda Reis Ferreira.
Rosete Ferreira Vilhena é casada e com filhos e netos.
Antes da rivalidade entre Vênus e Abaeté a rivalidade era entre o Brasil e Abaeté, que era um grande clássico, que mobilizava toda a cidade, c/torcidas apaixonadas e vibrantes. antes da criação da Liga Esportiva de Abaetetuba.

A ERA TENENTE HUMBERTO PARENTE À FRENTE DO ABAETÉ FUTEBOL CLUB
O Ten. Humberto Parente, quando presidente do Abaeté Futebol Club, comprou a área chamada “Silva Jardim”/atual trecho da Trav. Pe. Luiz Varella, onde construiu o 1º campo de futebol do clube. Posteriormente esse campo foi loteado e com o produto da venda da área o Ten. Humberto construiu o 2º campo de futebol do Abaeté na Rua 1º de Maio, onde se encontra até os dias de hoje. Esse campo foi reformado p/seu presidente Afonso Silva Sarges da Rocha e foi reinaugurado em 3/11/1991.
O Ten. Humberto Parente, filho do grande comerciante e industrial italiano Garibaldi Parente, foi um dos grandes nomes do futebol em Abaeté. Se tornou presidente do Abaeté Futebol Club e p/longos anos dirigiu esse clube. No s/tempo o futebol em Abaeté era empolgante, existindo outros grandes times de futebol que quando se enfrentavam mexia c/a cidade de Abaetetuba, verdadeiros clássicos de futebol e grandes rivalidades, especialmente contra o maior adversário do Abaeté, o Vênus Atlético Club.
O tempo do Ten. Humberto foi o tempo em que a seleção de futebol de Abaetetuba estava no s/auge Do sucesso, papão de títulos de futebol do Campeonato Intermunicipal de Futebol do Pará.
O grande rival do Abaeté do Ten. Humberto Parente foi o Vênus Atlético Club, que tinha como presidente ou folclórico desportista, Goeszinho/Sebastiaão Pinheiro Góes, que travaram inigualáveis embates no antigo campo de futebol do Abaeté, levando multidão de torcedores a esse campo e jogando um futebol de 1ª linha, onde despontaram verdadeiros craques do futebol de Abaetetuba e que chegaram a jogar em grandes times de futebol da capital, Belém/Pa. A rivalidade entre esses dois grandes times era imensa, com torcidas apaixonadas e sendo os times que mais títulos de futebol conquistaram na cidade.
O Ten. Humberto Parente como desportista se iguala a outros grandes desportistas de Abaeté como Chico Lima/Itatiaia, Mestre César/César de Assis Negrão/Brasil, Góeszinho/Sebastião Pinheiro Góes/Vênus e modernamente, Alcimar Carneiro de Araujo, à frente da Sociedade Esportiva Palmeiras nos anos de 1970.
Como homenagem ao grande desportista que foi o Tenente Humberto Parente, além do Estdio de Futebol Humberto Parente, do Abaeté Futebol Club, existe uma rua em Abaeteuba/Pa com o nome: Passagem Humberto Parente.

ALGUMAS FORMAÇÕES DO ABAETÉ FUTEBOL CLUB
1952/1953: Cametá; Antonio Sena e Mimi Grande (Abreu); ...; Luís lima, Mario Tabarana, Pusa, Sinésio e Tabajara.

Antonio Sena, filho de Gidonda, ex-proprietário da Sorveteria Princesa na Av. 15 de Agosto.
Luis Lima, filho de Chico Lima.

Mario Tabaranã, sapateiro, c/residência à Trav. Pe. Lyuz Varella, perto do escritório da CELPA.
Tabajara/Tabajara Bello, filho de Samuel C. Bello.

VÊNUS ATLÉTICO CLUB
OS PRIMEIROS DIRETORES E ASSOCIADOS DO VÊNUS ATLÉTICO CLUB

Citação de 1949:
O Vênus Atlético Club foi fundado em 20/5/1949, c/sede à Rua 1º de Maio em Abaetetuba/Pa.
Quando a séde do Vênus se localizava na Av. Pedro Rodrigues, em uma casa de propriedade de Apolônio Rodrigues, perto da casa do Sr. Moreno/Manoel do Carmo Rodrigues, dono da loja de comércio “A Suely Armarinho, seus associados ainda eram aprovados p/reunião da diretoria.
Uma carta escrita por Everaldo dos Santos Araujo:

Secretaria do Vênus Atlético Clube, em 9 de abril de 1951. Ilustríssimo Senhor Ademar Lobato Rocha. De ordem do Sr. Presidente do Vênus Atlético Club, tenho o grato prazer de comunicar-vos, que em sessão deste clube, e por proposta do associado Apolônio Rodrigues de Araujo, fostes unanimemente aceito para o quadro de sócio Coluna 1 desta sociedade. Aproveito o ensejo para apresentar-vos as minhas cordiais Saudações. Everaldo dos Santos Araujo, 1º Secretário.
Everaldo dos Santos Araujo chegou a ser presidente do Vênus.

Alguns diretores e sócios do Vênus Atletico Club em 9/4/1951: Everaldo dos Santos Araujo, 1º secretário e sócios: Ademar Lobato Rocha, Sandoval Flexa Tavares, Zilomar Soares Brito, Mário Gonçalves Felgueiras, Otávio Gama, c/sede à Rua 1º de maio.

Everaldo era filho de Lauro Ribeiro de Araújo, que n. em 15/8/1902 e Raimunda Dulcelina dos Santos/Flor e teve outra irmã: Ângela Angelita Santos Araujo. N. em 8/6/1929 e c/c Maria Delcy Silva e tiveram 11 filhos: Maria de Fátima, Lauremir (Bibas), Everaldo, Carlos Ivanildo (Vanvan), Delciraldo/Déo, José Nilton/Cotoca, Iracenildo/Garoto, Maria do Socorro, Raimunda Dulcelina/Flor, Raimundo Nonato/Reco e Lauro Augusto Silva Araújo.
Everaldo Santos Araújo era proprietário da famosa Alfaiataria Araujo/Alfaiataria Araujo & Cia., nos anos de 1969, 1970. Foi esse cidadão um dos sustentáculos do Vênus Atlético Club nos seus pripeiros anos de existência.
Como homenagem ao comerciante, empresário de moda, despotista Everaldo dos Santos Araujo, existe uma rua em Abaetetuba/Pa uma rua com o nome: Trav. Everaldo dos Santos Araujo, no bairro do Algodoal.

SEBASTIÃO PINHEIRO GÓES/GOESZINHO:
Outro grande baluarte à frente do Vênus foi o cidadão Sebastião Pinheiro Góes/Góeszinho, outro folclórico desportista, presidente do Vênus na década de 1960. No seu tempo o Vênus cresceu como clube de futebol e clube social, onde em s/sede da Av. Pedro Rodrigues se realizaram grandes bailes, festas de carnaval e quermesses aos domingos à tarde, c/grande afluência de pessoas que lotavam aquela sede.

No tempo de Goeszinho à frente do Vênus, este clube se tornou o grande rival do Abaeté Futebol Club, dirigido pelo Ten. Humberto Parente, quando esses dois grandes times de futebol criaram um clássico de futebol que eletrizavam a cidade inteira em dias de jogos e disputas de campeonatos da cidade. Eram esses dois grandes times de futebol que disputavam, ano a ano, os títulos de campeões de futebol da cidade de Abaetetuba e eram eles que forneciam a base dos grandes times de futebol da Seleção de Futebol de Abaetetutuba, que ganhou 11 títulos de futebol do interior do Estado do Pará. Vide os grandes jogadores de futebol de Abaetetuba.

Após a criação da Liga Esportiva Abaetetubense, em 15/5/1955, os times do Vênus e do Abaeté se revezavam na conquista dos títulos da cidade. Poucas vezes outros times de Abaeté, a partir dessa data, tiravam os títulos desses dois times. Quando em 1966 surgiu o Palmeiras, ele começou a formar um time de jogadores jovens e talentosos. Em 1974 e 1975 o Palmeiras foi bicampeão de futebol de Abaeté, quebrando a hegemonia de Vênus e Abaeté.

ALGUMAS FORMAÇÕES DO VÊNUS
Uma formação do Vênus em 1952/1953: Barriga; Estanilo /Terçado e Pombo da Maroca Lima; Omar Felgueira, Eurico e Cataban; Sabá do cego, Biroba, Diquinho Bala, Alcimar e Cavalinho.
1955: Alair: ...e Aristides; Guino Eurico e Cataban; Sabá do cego, Biroba, Diquinho Bala, Alcimar e Cavalinho.

Formações do Vênus e do Brasil em um memorável clássico do futebol de Abaeté, disputado no dia 07/8/1960:

Vênus: Alair; Mafra e Aristides; Guino, Bicicleta e Rivair; Dodinha, Diquinho Bala, Bilico, Manoel e Miguel.

Brasil: Cangula; Bacu e Saúde; Sabá, Vicente e Gata; Cavalinho, Elídio, Piranha, Alcimar e Edir. Preparador físico do Brasil: Eurico.

POMBO DA MAROCA LIMA/Francisco de Lima Batista, filho da famosa parteira de Abaetetuba, Maroca Lima. Foi um razoável jogador de futebol e também foi ator amador e comediante em Abaeté. Casou com Dilce Rodrigues e tiveram filhos.
OMAR FELGUEIRAS, irmão de Mário Felgueira, que jogava um grande futebol, casado c/uma filha de Chico Lima e seus filhos trouxeram a genética do futebol: Cabá e Luluca, do grande time campeão do Palmeiras, anos de 1970.

EURICO, morava numa casa na Av. D. Pedro II, perto da casa do Sr. Chrispim Ferreira, era um humilde operário de Abaetetuba, mas que jogava um grande futebol. Era um moreno alto, forte, um verdadeiro maestro em campo, ditando as jogadas, em futebol clássico, passes milimétricos e de fintas rápidas e que se adaptava em qualquer posição/curinga, mas preferia a função de centroavante e jogando sempre de cabeça erguida. Dificilmente errava uma jogada e dava gosto vê-lo jogar.

SABÁ DO CEGO, filho de um cego, da família humilde. Ponta direita veloz que quando de posse da bola ninguém o segurava devido s/velocidade.

BIROBA, grande jogador de futebol, que chegou à Abaetetuba junto c/outro irmão, também grande jogador de futebol. Ambos jogavam o futebol clássico. Biroba era o tipo de jogador clásico, c/pleno domínio da bola e jogadas.

ALCIMAR/Alcimar Carneiro de Araujo, filho de Bacuritita/Stoesel Orlando de Araujo, ambos sapaterios e Alcimar comerciante e empresário do ramo de calçados de Abaetetuba, muito franzino, mas c/muita garra jogando futebol. Era um apaixonado p/futebol, tornando-se um dos maiores desportistas de Abaetetuba, tendo fundado e mantido p/muitos anos a Sociedade Esportiva Palmeiras, que foi o time que veio tirar de Vênus e Abaeté a primazia de campeão de futebol de Abaetetuba, com os grandes times de futebol dos anos de 1970.

CAVALINHO, além de futebolista era músico e irmão do músico Cardinal, era baixinho e franzino, mas muito veloz c/a bola nos pés.

ALAIR/Alair Melo, grande goleiro do Vênus e da Seleção de Futebol de Abaetetuba, goleiro que fazia defesas incríveis, de grande elasticidade e plasticidade. Ele voava, literalmente, fazendo sensacionais defesas acrobáticas na meta do Vênus e da Seleção. Rivalizava c/outro grande goleiro, Crizantinho, goleiro do rival Abaeté e da Seleção de Futebol de Abaetetuba.
Como homenagem a esse grande jogador de futebol existe uma rua em Abaetetuba com o seguinte nome: Trav. Alair Melo, no bairro de S. Sebastião.

ARISTIDES, era o Aristides dos Reis e Silva, sobrinho do Cel. Aristides, um zagueiro s/muita técnica, mas vigoroso, de grande força nas pernas. Por ele, passava a bola e ficava o adversário. Também jogava na seleção de futebol de Abaetetuba. Além de jogador de futebol era comerciante e político, tendo sido verador na gestão de Francisco Leite Lopes (1963-1967) e prefeito em Abaetetuba/Pa (1970-1972).

GUINO, era o Guino Carvalho, alto e c/técnica apurada, jogando no meio de campo, futebol cadenciado.

BICICLETA, veio da cidade de Castanhal/Pa, casou c/uma abaetetubense e jogava futebol de modo clássico e vigoroso, conforme a ocasião determinava. Chegou a jogar na deleção de futebol.

RIVAIR, jogador vigoroso e pegador, jogando na lateral esquerda.

DODINHA/Hilton Elias Ferreira, baixinho, mas com uma impulsividade impressionante, disputando c/grandes zagueiros as bolas altas. Era ponta direita e muito veloz na corrida em direção ao gol adversário. Fazia muitos gols. Trabalhou na Agência de Estatísticas de Abaetetuba, tendo se aposentado na função de Agente de Estatíticas desse órgão.

DIQUINHO BALA/Raimundo de Jesus Lima, filho de Chico Lima que também foi jogador de futebol. Diquinho Bala era centroavante do Vênus e da seleçao de futebol, muito rápido, dribador e rompedor de áreas e tinha um canhão nos pés, certeiro. Ele rivalizava em potência dos chutes com outro grande jogador do Vênus, Bilico. Esses dois eram o terror dos goleiros adversários.

BILICO, foi um dos maiores jogadores de futebol de Abaetetuba, jogava no ataque, era muito rápido e habilidoso c/a bola nos pés e c/um chute potente e certeiro, um goleador nato. Junto c/Diquinho Bala foram os grandes goleadores do Vênus e da seleção de futebol. É o pai dos jogadores Ramito e Carmo.

VASCO DA GAMA ESPORTE CLUB
O Vasco da Gama Esporte Clube foi fundado em 26/5/1951. Em 1953 o presidente do Vasco da Gama foi Raimundo de Araujo Quaresma. A séde social do Vasco da Gama ficava na Rua Silva Jardim, nº 1.483, a séde recreativa na Rua 15 de agosto, nº 161 e o campo de futebol à Rua 1º de maio.

Em 1953 foi formada o Vasco da Gama Juvenil Clube, inicialmente com o nome de Bangu. Era a a parte juvenil do Vasco da Gama, formado pelo publicitário Bandute Sena/Benedito Sena dos Passos, 1º fundador e proprietário do “Sonoros Capacabana”, que existe até os dias de hoje com o nome de Empresa Copacabana de Comunicação.

ALGUMAS FORMAÇÕES DO VASCO DA GAMA
26/2/1953: Pedro; Biroba e Davi: Bendelac I, Eurico e Manoel (Zilo); Cravo, Afonso, Sandoval, Acapu e Diquinho Bala.

5/8/1953: Pedro; Costinha e Davi (Bilico); Mariscal, Cleto e Eurico; Sandoval (Sabito), Afonso, Maguari, Diquinho Bala e Meia Noite.

1952/1953: Poti; Nita e Davi Abreu; Milito, Cleto e Acapu; Cravo, Afonso, Sabito, Sandoval e Luís Olegário.

1953: Poti; Nita e Davi; Ferreira, Suzete e Jango; Cravo, Afonso, Sabito, Sandoval e Cornélio.
1955: Poti; Manoel e Odival; Veridiano, Cravo e Afonso; Sabito, Sandoval, ..., Luis Olegário.

PEDRO POTI, filho de Guilherme Medeiros, moreno alto, bom goleiro do Vasco da Gama, de muita elasticidade em s/defesas.

CRAVO, outro mestre da bola, que jogava na armação.

AFONSO CARDOSO DE CASTRO E SEUS IRMÃOS JOGADORES DE FUTEBOL:
AFONSO/Afonso Cardoso de Castro, foi um dos maiores jogadores de meio campo do futebol de Abaetetuba. Afonso era o tipo de jogador clássico e s/passes tinham endereço certo nos pés dos grandes goleadores de Abaetetuba, como Diquinho Bala, Bilico, e outros atacantes que vieram posteriormente.
Além do Vasco da Gama, Afonso jogou em outros clubes de Abaetetuba e na seleção de futebol, nesta, p/longos anos.
O primeiro clube de Afonso Cardoso de Castro foi o Clube da Saúde, fundado pelo Dr. Abílio, do antigo SESP/Serviços Especiais de Saúde Publica, time que, alguns anos depois, veio a ser a base do Vasco da Gama.
Afonso começou a jogar futebol aos 13 anos, no Clube da Saúde e finalizou sua carreira aos 43 anos de idade, jogando pelo Vênus.
Afonso era o mais velho dos irmãos, todos jogadores de futebol, como Laburina, Dijó, Ari, Dé.
Afonso jogava na função de meia-esquerda e jogou por vários clubes de Abaeté e no Paissandu e Remo da capital do Estado. Jogou futebol durante 28 anos e nunca foi expulso de campo e nunca jogou no time reserva.
Os clubes pelos quais passou foram os seguintes: Clube da Saúde, Vênus/campeão de Abaeté em 1964, 1965, 1966, 1967, 1968 e 1969, Seleção Abaetetubense/onde foi campeão intermunicipal em em 1955, 1958, 1961, e 1962 e Abaeté/onde foi campeão em 1956 e 1963. Afonso era um mestre com a bola nos pés, jogador estilista e passes milimétricos para a finalização dos seus companheiros.
Em Belém jogou um ano de (1955) pelo Payssandu, convidado que foi pelo jogador Guimarães do mesmo Payssandu. Depois volta para jogar em Abaetetuba. Novamente volta para Belém para jogar pelo Payssandu, onde passa pouco tempo. Jogou pelo Clube do Remo, convidado que foi pelo Goleiro Júlio Veliz, onde jogou os anos de 1957 e 1958.
Afonso, na vida civil, trabalhou na Agência dos Correios, em Abaeté, onde se aposentou. Laburina, s/irmão, também era um craque de futebol e jogava no Vênus, anos de 1956 e 1957. Laburina morreu precocemente, muito jovem. Ari também era um bom jogador de futebol e Dé era um zagueiro vigoroso. Dijó era zagueiro lateral esquerdo, driblador e vigoroso.

SANDOVAL/Sandoval Rodrigues, filho do Prof. Maxico, impetuoso avante do Vasco da Gama.

SABITO/Sebastião Pontes, filho de João Nepomuceno Pontes, bom jogador de futebol.

LUÍS OLEGÁRIO, era um rapidíssimo ponta esquerda, s/muita técnica, mas com muita garra, um lutador em campo.

ACAPU, foi um grande jogador de futebol de Abaeté, de postura firme em campo, um garçon servindo a bola aos s/companheiros.

SUZETE, era irmão do Biroba, que jogava um bom futebol.

CORNÉLIO/Cornélio de Almeida Silveira, que trabalhava como mecânico em Abaetetuba e foi presidente do Tietê Esporte Clube.

ODIVAL/Odival Quaresma, que atualmente é advogado em Abaetetuba. Foi um vigoroso lateral do Vasco da Gama e da seleção de futebol de Abaetetuba. Tinha um irmão, de nome PACHEIRO, que também jogava no Vasco da Gama.

VASCO DA GAMA ESPORTE CLUB NO ASPECTO SOCIAL
Além do futebol, Abaeté, Vênus e Vasco da Gama disputavam a primazia dos eventos sociais na cidade de Abaetetuba. Vênus e Abaeté faziam bonitos e concoridos bailes e quermesses em s/sedes. Mas foi o Vasco da Gama quem mais se destacou no aspecto social, promovendo concorridos bailes de carnaval e festas sociais, quando era dirigido p/Bandute Sena e a família Cruz, proprietária da serraria que antes fora de Garibaldi Parente. As festas de carnaval do Vasco da Gama tinha concursos de fantasias, de blocos e de máscaras. E ainda tinha os s/famosos bailes de carnaval infantil, imbatíveis, na época.

CLUBE DA SAÚDE
Foi fundado pelo Dr. Abílio, do SESP/Serviços Especiais de Saúde Pública, de Abaetetuba/Pa. Esse clube veio se tornar, depois de algum tempo, a base do Vasco da Gama Esporte Club. O jogador Afonso Cardoso de Castro iniciou s/carreira de futeblista, aos 13 anos, nesse time do Dr. Abílio.

Antes da criação da Liga Esportiva Abaetetubense era o dr. Abílio, d antigo SESP, que organizava os campeonatos de futebol em Abaeté. Ele mesmo tinha o seu próprio time, o Clube da Saúde.

TIETÊ ESPORTE CLUB
O Tietê Esporte Club foi fundado em 28/10/1952, com séde na atual Rua Lauro Sodré, nº 1920. Teve como um de seus primeiros presidentes o Sr. Cornélio de Almeida Silveira.
Cornélio de Almeida Silveira, obteve concessão de um terreno c/limites pela frente c/a Trav. Pinto Martins e fundos c/a R. Floriano Peixoto, dado p/aforamento em documento de 13/11/1954, terreno com 100 x 60m. Esse terreno abriga o campo de futebol do Tietê e existe até os dias de hoje.
S/séde fica na atual R. Lauro Sodré, bem em frente à Escola Magalhães Barata/Abaetetuba/Pa.

SOCIEDADE ESPORTIVA PALMEIRAS
A Sociedade esportiva Palmeiras foi fundada pelo antigo jogador de futebol, comerciante e empresário de calçados Alcimar Carneiro de Araujo, contando c/ a ajuda de Adonai Olívio Rocha, também sapateriro e outras pessoas, em 26/7/1966.
Alcimar, que também se tornou técnico de futebol, optou p/formar o time do Palmeiras com jovens valores do futebol de Abaetetuba, mesclado c/alguns veteranos.
Após várias campanhas brilhantes somente em 1974 se tornou campeão de futebol de Abaeté e em 1975 foi bicampeão, em memorável campanha. Dava gosto ver aquele jovem time jogar futebol, onde a garra e a técnica se aliavam p/formar um time onde o conjunto era o s/forte, mas c/a presença de verdadeiros valores do futebol, tendo alguns desses jovens jogadores integrados a seleção de futebol de Abaetetuba e outros optando em jogar nos times da capital Belém/Pa.
O Palmeiras veio para quebrar uma hegemonia do Vênus, Abaeté e também do Tieté, que se revezavam na conquista dos títulos de futebol da cidade.

ELENCO DO TIME BICAMPEÃO DO PALMEIRAS
Goleiros: Fernando/Fernando Ribeiro, Ziza/Ziza Lopes, filho do Dr. Lopes, que se revezavam no gol.
Laterais: Zé Maria/Zé Marocas/José Maria Maués Paes, Luluca/Luiz Lima Felgueiras, Baíco/filho do antigo jogador Perácio, Mendonça.
Meio do campo: Burunga e Arara/filho do Silvino Santos e vendedor de bilhetes de loterias;
Atacantes: Amujacy/Amujacy Cardoso de Araujo, filho de Alcimar, Fran Lopes/irmão do Ziza Lopes, Siloca, Cabá/irmão do Luluca Felgueiras, Vaval/Edval Chagas, e ainda, Lula/Aloísio Ferreira, Macaco e Orêncio.
Para Alcimar Araújo o grande time do Palmeiras foi o de 1972 e 1973, que tinha os jogadores: Bacu/Bacu da Dedame/Adilson Negrão Lopes, Guarasuco, Zé Maroca, Jango/João, Lúcio/Lúcio Lima, irmão do Tio Cabra, Veridiano/Veridiano Góes Teixeira, Pedrão/filho do Galo Mouro, Tonho Lopes/ irmão do Ziza e de Fran Lopes , Nani, Rooselvet e Ítalo/Ítalo Calliari Baía/irmão do Sutó.

Após a criação da Liga de Futebol os times do Vênus e do Abaeté se revezavam na conquista dos títulos da cidade. Poucas vezes outros times de Abaeté, a partir dessa data, conseguiam tirar os títulos de Vênus e Abaeté. Quando em 1966 surgiu o Pameiras, ele começou a formar um time de jogadores jovens e talentosos. Em 1974 e 1975 o Palmeiras foi bicampeão de futebol de Abaeté. As torcidas de Vênus e Abaeté eram quentes e fanáticas.

VERIDIANO/Veridiano Góes Teixeira, era um verdadeiro craque de futebol, que jogava de volante, no desarme, toques refinados, sempre de cabeça erguida, driblando e dando passes sensacionais, que sempre redundavam em gols e ele mesmo era um cabeceador emérito, apelidado “Cabecinha de Ouro”. Veridiano nunca dava chutões com a bola por que era o tipo de jogador clássico, que tinha completo domínio das jogadas, era o cérebro dos times onde atuava.
Jogou futebol p/muitos anos e em vários clubes e na seleção de futebol de Abaetetuba. Além de jogador de futebol era funcionário do DER/Pa, em Abaetetuba e muito bom compositor de marchas carnavalescas e sambas-enredos p/as escolas de samba de Abaetetuba.

A LIGA ESPORTIVA ABAETETUBENSE/LEA
Antes da criação da Liga Esportiva Abaetetubense era o dr. Abílio, da antiga Fundação SESP, que organizava os campeonatos de futebol em Abaeté. Ele mesmo tinha o seu próprio time, o Clube da Saúde.
A Liga Esportiva Abaetetubense foi fundada em 15/5/1955 e teve como seu 1º presidente o político Pedro Pinheiro Paes. Pedro Pinheiro Paes colocou como técnico da seleção de Abaetetuba o seu genro de nome Ivan.
Para homenagear o comerciante, político e desportista Pedro Pinheiro Paes existe uma travessa com o s/nome no bairro Comercial de Abaetetuba/Pa.
Antes da criação da Liga Esportiva Abaetetubense muitos clubes antigos de Abaetetuba já não mais existiam, permanecendo fazendo parte da Liga aqueles times criados mais recentemente a partir dos anos de 1940 e 1950, exceção do Abaeté que foi criado em 1935.
Após a criação da Liga de Futebol os times do Vênus e do Abaeté se revezavam na conquista dos títulos da cidade. Poucas vezes outros times de Abaeté, a partir dessa data, tiravam os títulos de Vênus e Abaeté. Foi, a partir da decadência da Seleção de Futebol de Abaetetuba que os clubes começaram a se nivelar e os campeonatos passaram a ser consquistado por outros times de futebol. Nesse cenário surge, em 1966, a Sociedade Esportiva Palmeiras, fundada pelo desportista Alcimar Araujo e companheiros. O Palmeiras começou a formar um elenco com predominância de jovens valores locais e, após alguns anos, em 1974 e 1975 o Palmeiras se tornou bicampeão de futebol de Abaeté.
A Seleção de Futebol de Abaetetuba, já sob o comando da Liga, começou a disputar o chamado Campeonato Intermunicipal de Futebol promovido pela Federação Paraense de Futebol e, aí começou a ganhar os títulos de Campeã de Futebol do interior do Estado, campeonato esse c/a participação dos grandes municípios do Estado do Pará. Foram onze títulos conquistados no tempo em que o futebol era uma verdadeira paixão em Abaetetuba. Os campeonatos conquistados pela Seleção de Futebol de Abaeté, foram: 1955, 1958, 1961, 1962, 1967, 1969, 1973, 1976, 1982 e 1983.

OS PRIMEIROS CRAQUES DA SELEÇÃO DE FUTEBOL DE ABAETETUBA
Os primeiros craques de futebol das primeiras seleções de Abaetetuba foram:

Alair, Perácio, Suzete, Veridiano, Eurico, Bilico, Cravo, Diquinho Bala, Sandoval Lima, Afonso, Luís Lima, Cutéia, Rivair, Dodinha, Toró, Crizantinho, Wilson.
Desse elenco saiu a 1ª Seleção de Futebol de Abaeté, estreando com vitória e glórias que se estenderam por vários anos.

Após esses craques, outros foram se acrescentando:

Pedro Poty, Otério, Chico, Manoel Ferreira, Sabito, Odival, Davi, Acapu.

Com as renovações iam entrando outros craques na seleção: Vicente, Piranha, Saúde, Zinho, Zé Leitão, Mendonça.
Otério/Otério da Silva Pinheiro, era filho de Berlindo Pinheiro, este com nome de rua no bairro do Algodoal e também é o pai do professor de geografia Milton dos Santos Pinheiro (trabalha no Colégio São Francisco Xavier). Otério, que além de futebolista que jogava na zaga com determinação, trabalhou na antiga fábrica de Móveis Rainha, de Mundico Cruz, sito no final da Rua Magno de Araujo, esquina com a Travessa D. Pedro I. Se tornou um dos grandes marceneiros de Abaetetuba, era irmão de Cataban e Marico, casou e teve filhos entre os quais o Biro-Biro (Márcio), também marceneiro. Como futebolista apaixonado, Otério foi também juiz de futebol e técnico da seleção de futebol de Abaetetuba. Otério faleceu em 18/7/2009.

Depois, veio a decadência da seleção de futebol que a partir do ano de 1983 não ganhou mais nenhum título do Campeonato Intermunicipal de Futebol.

CRIZANTINHO/Crizanto Lobato Filho, que pertencia a uma família de verdadeiros futebolistas, como seus irmãos Vavá, Toró, Perácio, ...Era um goleiro seguro, que dava muita confiança ao time, porque jogava sempre com muito amor e seriedade e fazia defesas incríveis, devido sua grande elasticidade e agilidade de felino, rivalizava c/o goleiro Alair Melo em agilidade e platicidade . Metia o pé, o peito, o rosto e tudo fazia para não deixar cair sua cidadela. Ele, como todos os s/irmãos trabalhavam na siderurgia e mecânica. Jogavam todos no Abaeté Futebol Club.
PERÁCIO/irmão de Crizantinho, era uma zagueiro vigoroso.
TORÓ, jogava no meio campo e possuía dribles rápidos e passes certeiros, muito combativo.

LUÍS LIMA, irmão de Diquinho Bala, ponta esquerda, de dribles rápidos e bons cruzamentos.

CUTÉIA/Enildes Casemiro dos Santos Carvalho, nascido em 4/3/1936, filho do Mestre Damião de Carvalho, moreno vigoroso, que jogava na defesa e tinha a característica de “limpar” a defesa com as suas rasteiras.

WILSON, zagueiro alto, sério e vigoroso, daqueles que passa a bola e o adversário fica.

VICENTE/Vicente Maciel, jogava no ataque como centroavante do time, rompedor, um matador nato. Mas era um jogador versátil, adaptando-se rapidamente a qualquer posição/curinga. Era um jogador técnico, rápido, de passadas largas, que deu, com seus numerosos gols, vários títulos aos seus clubes e seleção de futebol de Abaetetuba.

UMA FORMAÇÃO DA SELEÇÃO DE FUTEBOL DE ABAETETUBA
Crizantinho, Odival, Piranha, Canindé, Afonso, Bené do Lídio, Amor, Filinho, Nato, Vicente e Verediano.

CRAQUES DE FUTEBOL DE ABAETETUBA/PA
Perácio, Bebé do Preto, Bebé do Abreu, Mimimzinho, Mimimgrande, Pipira, Duquinha, Nicola, Omar Felgueiras, Sandoval Lima/filho do Chico Lima, Vavá, Cláudio Andrade, Gabi, Crisanto, Canela, Eurico, Tacy, Sabito, Chechéu, Deca, Bandute, Clóvis Parente, Samuca e tantos outros que rolavam a bola nas peladas em frente à Igreja da Conceição e nos campos de futebol do Abaeté, do Itatiaia e do Brasil.

Pedro, Biroba, Davi, Bendelac I, Eurico, Manoel, Zilo, Cravo, Afonso, Sandoval, Acapu, Diquinho Bala, Costinha, Bilico, Mariscal, Cleto, Sabito, Maguari, Meia Noite, Pedro Poti, Nita, Ferreira, Suzete, Jango, Cornélio, Davi Abreu, Milito, Cleto, Acapu, Pau Preto, Luís Olegário, Barriga, Estanilo, Terçado, Pombo da Maroca Lima, Omar Felgueiras, Cataban, Sabá do Cego, Alcimar, Cavalinho, Cametá, Antonio Sena, Mimi Grande, Abreu, Luís Lima, Mário Tabaranã, Humberto Parente, Cid, Pusa, Sinésio, Tabajara, Alair, Mafra, Aristides, Guino, Bicicleta, Manoel, Odival, Veridiano, Davi Ferreira, Laburina (irmão dos jogadores Afonso, Ari, Dijá e Dé Castro), Vicente, Humberto (Piranha), Crizantinho (irmão dos jogadores Vavá, Perácio, Toró, ...), Perácio, Dodinha, Cataban, Luís Lima, Sandoval Lima, Rivail, Manoel, Miguel, Toró, Wilson, Pacheiro (irmão de Odival Quaresma), Zinho, Saúde, Zelídio, Dijó, Peri, Ari, Otério, Chico, Manoel Ferreira, Vivito, Zé Leitão, André Pontes, Bené do Lídio, Samuca, Dé, Mafra, Guino, Manoel, Miguel, Cangula, Bacu, Gata, Edir, Bebé do Preto, Bebé do Abreu, Mimizinho, Pipira, Duquinha, Nicola, Vavá, Cláudio Andrade, Gabi, Crizanto, Canela, Taci, Chechéu, Deca, Bandute, Clóvis Parente, Samuca, Canindé, Amor, Filinho, Nato, Alcimar, Olavo, Coropó, Cangula, Bacu, Saúde, Sabá, Vicente, Gata, Cavalinho, Elídio, Piranha, Alcimar, Edir.

Outros jogadores mais recentes, dos anos 1970, 1980 e parte de 1990, muitos dos quais jogaram na Seção de Futebol de Abaetetuba:

Pipoca, Batista/João Batista Moraes, Fernando Ribeiro, Ziza, Zé Maria ou Zé Marocas, Luluca, Baíco, Mendonça, Burunga, Arara, Jango, Lúcio, Amujaci, Fran Lopes, Siloca, Cabá, Vaval, Lula, Macaco, Orêncio, Bacu da Dedame, Guarasuco, Pedrão, Tonho Lopes, Samuca, Nani, Rooselvet, Ítalo, Meio-Quilo, Manelão Lopes, Ramito, Carmo, Vieirinha.

Abaetetuba/Pa, 1/1/2010 – Prof. Ademir Rocha. Revisado em 1/9/2010.

3 comentários:

  1. vc está de parabéns, adorei esse blog. Primeiramente, vc citou o meu nome do meu bisavô que foi um dos presidentes do abaeté sport club e comerciante do Setor Padaria. E além disso, ele não só tinha os filhos Rosildo e Ronalde Ferreira, e sim mais duas filhas com a mesma mulher .. Rosete Ferreira e Rosila Ferreira. Sou neta da Rosete Ferreira que é filha do Cirspim Ferreira e Maria Stella Ferreira. E o meu tema do meu tcc é sobre o meu bisavô Crispim Ferreira. Escolhi o tema do meu tcc para falar sobre o cinema e cultura de abaetetuba nos anos 30.

    ResponderExcluir
  2. vc está de parabéns, adorei esse blog. Primeiramente, vc citou o nome do meu bisavô que foi um dos presidentes do abaeté sport club e comerciante do Setor Padaria. E além disso, ele não só tinha os filhos Rosildo e Ronalde Ferreira, e sim mais duas filhas com a mesma mulher .. Rosete Ferreira Vilhena, Rosenete Ferreira Castro e Rosila ReisFerreira. Sou neta da Rosete Ferreira Vilhena que é filha do Cirspim Ferreira e Maria Stella Ferreira. E o meu tema do meu tcc é sobre o meu bisavô Crispim Ferreira. Escolhi o tema do meu tcc para falar sobre o cinema e cultura de abaetetuba nos anos 30.

    ResponderExcluir
  3. Cara Stella Rodrigues, obrigado pela visita ao n/Blog e pelos elogios e vou fazer os devidos acréscimos na Genealogia de seu avô Crispim Ferreira e torço pelo sucesso do seu TCC, abçs, de Ademir Rocha

    ResponderExcluir