Mapa de visitantes

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

2012: BRINQUEDOS 2 E ARTESÕES DE MIRITI DE ABAETETUBA

CÍRIO 2012: BRINQUEDOS 2 E ARTESÕES DE MIRITI DE ABAETETUBA
Brinquedo de Miriti de Abaetetuba/Pa
 
Os Brinquedos de Miriti de Abaetetuba obtiveram grande destaque no mês de outubro em Belém/Pa, antes, durante e depois do grandioso Círio de Nossa Senhora de Nazaré, edição 2012. Os Brinquedos de Mriti foram objeto de exposições, temas de eventos culturais, estudos, pesquisas e vendas por vários pontos da Capital. Porém a tradicional Feira do Miriti não obteve o realce desejado como as de anos anteriores e nem mereceu destaques como os de outros eventos que tiveram os Brinquedos de Miriti e seus artesões como temas e exposições variadas. O espaço da feira ficou acanhado e a divulgação deixou a desejar. Porém, nestas postagens, mostraremos uma série de eventos onde os Brinquedos de Miriti e seus artesões foram destaques em várias exposições, temas e estudos e de acordo com as publicações de várias fontes de informações da mídia e de órgãos do governo do Pará.

Fonte: diariodoparadiarioonline.com.br
Quarta-feira, 10/10/2012, 13h50

Abaetetuba e suas criações feitas de orgulho/Raimundo da Silva Peixoto, o Diabinho, garante que o brejo atrás de sua casa já não serve para a pesca. O igarapé que cortava o terreno no bairro de São Lourenço, no município de Abaetetuba, no Pará, foi canalizado, isolando o curso d’água. Entretanto, o lago ainda serve de berço para muitos bichos.

Peixes, passarinhos, tatus, cobras e lagartos. Uma rica fauna é confeccionada na palafita que se ergueu na superfície do finado rio, sede da Amigos do Brejo. A associação de artesãos de brinquedos de miriti é formada por 16 membros, boa parte da família de Diabinho. “Aqui trabalha minha mulher, meus filhos, as noras, o genro, cunhado. Na hora do aperto, até os netos são escalados. O cara que se meter em uma encrenca aqui ‘tá’ lascado”, adverte em tom de deboche o senhor de 62 anos, que ganhou o apelido justamente pelo temperamento difícil quando jogava futebol quando criança.

Mas não é para uma briga que o artesão está juntando sua turma, e sim para enfrentar o violento número de encomendas do Círio. A média de 200 a 300 peças mensais chega a quase triplicar no período que antecede a festa religiosa comemorada no segundo domingo de outubro em Belém.

Teto de miriti 
“São os promesseiros que puxam os pedidos. Casa é o que sai mais. As meninas querem brincar de casinha, mas o pai também ‘tá’ de olho na dele, fazendo promessa pra santa”, analisa o artesão.

A leveza da fibra do miriti é o que garante a escala quase industrial da produção do atelier. Extraída dos ramos mais novos da palmeira do miritizeiro, a “bucha” utilizada para entalhe é porosa e de corte fácil, como demonstra na ponta da faca Rivanildo Moraes Peixoto, Riva, 37, filho mais velho de Diabinho. Em poucos minutos, ele molda no “olhômetro” dezenas de pequenas peças que darão forma a uma frota de aviões coloridos.

“Nós aqui do Brejo nos especializamos no estilo tradicional de brinquedo. Os brinquedos originais, tipo cobra, peixe, tatu, os pássaros. Além da canoa, casa, objetos relacionado ao nosso cotidiano. Nossas peças são baseadas no que a gente vive, a fauna e a flora”, define Riva, sem tirar os olhos das palhetas que vão sendo esculpidas.
 
Reproduzido pelo Blog do Ademir Rocha
          
Fonte: agenciapara.com.br

Data: 10/10/2012 das 19:00 às 22:00h
Local: Armazem 3 da Estação das Docas, no Boulevar Castilho França
Nesta quarta-feira, 10, serão anunciados os 10 artesãos premiados no concurso “Miriti das Águas”, a partir das 19h, no Armazém 3 da Estação das Docas. O concurso faz parte do projeto de mesmo nome, que até o dia 20 de outubro terá uma grande exposição. Cerca de duas mil peças serão expostas e comercializadas./Em setembro, uma equipe da Secretaria de Estado de Cultura (Secult) esteve no município de Abaetetuba e contou com o apoio de associações de artesãos, a Miritong e Asamab.

Neste momento, foi apresentado o Projeto “Miriti das Águas”, promovido pela primeira vez em 2005 pela Secult com o antigo nome “Procissão do Miriti”. Na edição atual, a secretaria contou com a colaboração do Sebrae de Abaetetuba, que deu todo o apoio para as inscrições do concurso. O evento foi reeditado e bem acolhido pelos artesãos.

Após as inscrições, a comissão formada pelo diretor do Memorial Amazônico da Navegação, Emanuel Franco, juntamente com o arquiteto Néder Charone e o diretor do Museu da Imagem e do Som, Armando Queiróz, fizeram a seleção das peças, com critério básico que o artefato fosse construído em miriti, a estilística autoral, o processo criativo e a estética de acabamento. Foram 26 peças selecionadas produzidas por 24 artesãos. Dos premiados, 10 nomes já conhecidos no mercado e outros que estão chegando agora. Todos os trabalhos mostram a arte tradicional do município em confeccionar peças em miriti, com curadoria de Rosangela Britto.

A Organização Social Pará 2000, que apoia o projeto, foi a responsável em fazer o traslado das peças de Abaetetuba até Belém. A exposição Miriti das Águas fica aberta para visitação até o dia 21 de outubro, das 10h às 22h, diariamente, no Armazém 3, na Estação das Docas. Informações: (91) 3212.5660 ou através do site: www.estacaodasdocas.com.br.

 
Reproduzido pelo Blog do Ademir Rocha

Nenhum comentário:

Postar um comentário