Mapa de visitantes

quarta-feira, 18 de maio de 2016

ÍNDIOS DO PARÁ 4


ÍNDIOS DO PARÁ 4
Índios Tupinambás:
Em outros tempos se cesceram do rio Tocantins muitos índios das nações Tupinambá e Pochiguará, com os quais se fundou uma aldeia na margem do mesmo rio, pouco menos de uma maré de viagem acima da Vila Viçosa da qual passaram para a aldeia de Mortiguara, hoje denominada Vila do Conde, e a aldeias dos índios Bócas, por serem da nação Cambóca os índios da sua refundação, do que procedeu a denominação de baía dos Bócas.
Em Portel, os índios das nações Pakajá, Tucunyaepé e outras.
Em Portel os índios da naçãoUanapu
Aldeia de cajuná, na Vila de Chaves
Marajó, índios das naçõesAruã, Nheengaibas, Mamayaná, Anajás, Mapuá, Guajará, Pixipixi e outras
Extraído do Roteiro de viagens da cidade do Pará até as últimas colônias do Sertão da Província, 1768, de José Monteiro de Noronha
As baías de marapatá e a baía do Limoeiro, separadas por um furo de 5 léguas, baias que são a barra do grande e caudaloso rio dos Tocantins, onde deságuam nele muitos rios por uma e outra margem, rio onde se encontram muitos peixes e tartarugas.
As nações mais conhecidas dos gentios que há na parte Oriental do Rio dos Tocantins:
Apinayé
Copegé.
Amanayes
Acarajá pitanga
Pururu
Panacumucu
Joni
Curuamerim
Curuauaçus
Kupe-rop
Na parte Ocidental do rio dos Tocantins há os índios das nações:
grajacá
grajuará
Uaia
Mucura
Turiwara
 e muitas outras
As aldeias são populosas e muitas de cada nação, especialmente do Copegé.
Índios das nações Apinaye e Timbira são de corso, especialmente da Copegé e usam por instrumentos marciais de maçãs de pau e, para caça, de arcos e flechas sem veneno, o que também praticam os índios de muitas nações, sendo nas mais comuns o uso de arco e flechas para a guerra e para caça.
Todos, geralmente, são valorosos e inclinados à Guerra. Lutam uns contra os outros em defesa de suas pedreiras. Não t~em pa nem comércio com os brancos.

Em 24/7/1845 foi criada a Diretoria dis Índios com 1 Diretor geral e os Diretores Parciais. O Diretor Geral com honras de Brigadeiro e os Parciais com honras de Tenente-Coronel

Em 1848 os índios que eram batizados ficavam com o nome de batismo e já eram 100 mil almas de índios aldeados em 1848 e já eram 33 os diretores dos índios por toda a Província do Pará.

Índios atuais do Estado do Pará:
Índios kaiapós, em Novo Progresso, nos limites com Mato Grosso/MT, no Oeste do Pará.
Índios Mundurucus, com aldeias no município de Jacaréacanga/Pa, no oeste do Pará
Índios Surunis, da aldeia Bororo, em Altamira/Pa, São Geraldo do Araguaia
Índios Xicrins, na reserva de Marabá/Pa
Índios do Xingu, estão sendo prejudicados pelas obras da construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário