Mapa de visitantes

sexta-feira, 12 de julho de 2013

ARTES E ARTISTAS - José Guilherme Medeiros Carneiro - Genealogia e Obras

ARTES E ARTISTAS - José Guilherme Medeiros Carneiro - Genealogia e Obras

O artista plástico, artesão e poeta José Guilherme em sua
lojinha de artes e comércio

ARTES E ARTISTAS: JOSÉ GUILHERME MEDEIROS CARNEIRO/GUILHERME
Genealogia e Obras

Há muitos anos o artista plástico e artesão josé Guilherme Medeiros Carneiro/Guilherme desenvolve suas atividades de artista plástico e artesão em Abaetetuba. José Guilherme é filho de Benedito Maués Maués Carneiro/Surrão, este que era conceituado comerciante em Abaetetuba e dona Jaci Medeiros Carneiro. José Guilherme há 9 meses mudou sua pequena loja, que também é seu ateliê, para a Rua Lauro Sodré, nº 1695, Fone: 3.751-4370, ao lado das residências de seus tios maternos e a loja recebe o sugestivo nome de “Comercial & Cultural Girândola”, o que implica dizer que se trata de uma pequena casa de comércio de sua produção artística e artesanal e outros produtos do ramo dos perfumes e comésticos e o nome girândola nos faz recordar a antiga tradição de Abaetetuba de se carregar os Brinquedos de Miriti de Abaetetuba pelo utensílio assim chamado e onde são presos os diversos tipos de Brinquedos de Miriti de Abaetetuba. Como antigo artista plástico e artesão de Abaetetuba José Guilherme já participou incontáveis vezes das diversas mostras, festivais e eventos culturais de Abaetetuba e sempre com grande aceitação de seus trabalhos e, além do mais, também é poeta, conforme nos revelou em recente entrevista e que o mesmo nos repassará algumas poesias de sua lavra para futuras publicações aqui nesta página a ele dedicado.
Algumas obras artísticas de José Guilherme

 Quadros em miriti, brinquedos de miriti
 Porta-flores, pinturas em quadros, brinquedos de miriti
 Esculturas, espelhos, móbiles, santinhos, brinquedos de miriti
 Brinquedos de Miriti, móbiles, quadros
 Esculturas de Cristo e Nossa Senhora
 Espelhos, móbiles
 Pintura em quadro de Cristo estilizado
 Cultura religiosa dos oratórios, tucano em miriti
 Escultura de cristo em madeira, tatu em miriti
 Pintura de motivação amazônica: vitória-régia
 Pintura em quadro de N. S. da Conceição
 Pinturas em quadros, santinhos
Cultura religiosa dos altares com santinhos
Pintura de flores em quadro
Santinho
O versátil artista José Guilherme
 Tucano em miriti no poleiro
 Criativa obra em pintura e miriti
Banqueta com instrumentos, tintas, colas e outros
José Guilherme é descendente das tradicionais famílias Carneiro, Medeiros e Maués, conforme as genealogias abaixo:

Geração Materna:
·         1ª , pais de Guilherme Medeiros
·         2ª G/Filhos/F, Guilherme de Medeiros, citado em documentos de 1930 em Abaeté, natural de Mocajuba, sendo, conforme cita sua filha D. Jaci Medeiros descendente de judeus e africanos, era de cor morena e veio para a antiga Vila de Abaeté com a família do farmacêutico Joaquim Mendes Contente com quem trabalhou alguns anos até se fixar com a sua quitanda em uma das antigas e tradicionais pontes de madeira da frente da antiga cidade, vendendo café preparado e lanches, que era ponto de jogos de dominó e gamão pelos notáveis de Abaeté nos anos de 1940, 1950, tendo esse ponto de vendas sendo herdado pelo seu filho Birá, daí o conhecido nome do ponto de vendas de “Ponte do Birá”.  Guilherme Medeiros veio solteiro de Mocajuba e aqui casou com Maria Maués, esta era morena clara e descendente da tradicional família Maués de Abaeté e com quem teve diversos filhos da 3ª G/Netos/N, conforme abaixo. Dona Maria Maués, antes do casamento com o Sr. Guilherme Medeiros tivera a filha chamada Esmeralda Medeiros que herdou o sobrenome do padrasto. O Sr. Guilherme Medeiros teve outros irmãos, tendo trazido alguns de seus parentes para Abaeté que ajudaram na disseminação da tradicional família Medeiros por terras de Abaeté e Belém. São filhos de Guilherme Medeiros e D. Maria Maués, da 3ª G/N dos Medeiros, que receberam nomes indígenas ou que lembram as etnias indígenas ou nomes dos contos ou literatura indígenas do Brasil: Jacy Paraguassu, Ubirajara/Birá, Ubiratan/Banana, Ubiracy, Esmeralda, Pedro Poty, Raimundo Uparajara/Parajara, Pindu Urubussu/Pindubussu, Iracema, Francisca Jacirema/Cecé, Manoel Urubatan/Urubatan Medeiros e Guilherme Medeiros e esposa, em gesto humanitário, ainda criaram ou adotaram outros filhos: Raimundo Ramos/Ramos, Baião e João Rochedo/Rochedo e nenhum destes era casado ou deixaram descendentes em Abaetetuba.
·         3ª G/N, Jacy Medeiros casou com Benedito Maués Carneiro/Surrão, este comerciante na Av. D. Pedro II, com mercearia em frente ao antigo prédio Lucídio Paes e D. Jacy e Benedito tiveram filhos, da 4ª G/Bisnetos/Bn: José Guilherme, Luzia Medeiros Carneiro. Além dos filhos naturais D. Jacy e esposo adotaram o conhecido Fernando Jorge, este é irmão do João Rochedo e ambos filhos de D. Raquel, tendo Fernando Jorge feito o curso superior de Economia pela UFPA, trabalhando e se aposentando nos quadros de funcionários do Banco do Brasil.
·         4ª G/Bn, José Guilherme Medeiros Carneiro. Vide acima
·         4ª G/Bn, Maria Luzia Medeiros Carneiro
·         4ª G/Bn, Fernando Jorge
·         3ª G/N, Ubirajara Medeiros/Birá, herdou a quitanda de vendas de café e lanches conhecida como “Ponte do Birá”, trabalhou por longos anos como fiscal-balanceiro pela Prefeitura Municipal de Abaetetuba, conhecido comunitário e ardoroso militante da Igreja Católica como membro da Ordem 3ª de São Francisco, . Ubirajara/Birá casou uma 1ª vez com D. Leó e casou uma 2ª vez com D. Dinair e com filhos, 4ª G/Bisnetos/Bn.
·         3ª G/N, Ubiratan Medeiros/Banana, que por longos anos foi jogador de futebol do Abaeté Futebol Clube, de Abaetetuba, e que trabalhou por toda a sua vida como torneiro-mecãnico, também em Abaetetuba, com residência e oficina no terreno de sua família na Rua Lauro Sodré, esquina com a Av. 15 de Agosto. Ubiratan casou com a professora Nagi e já é falecido.
·         3ª G/N, Pedro Poty Medeiros/Pedro Poti, que foi antigo jogador de futebol como goleiro do Vasco da Gama de Abaetetuba nos anos de 1950 e casou com Esmeralda e com filhos, 4ª G/Bisnetos/Bn e Pedro Poti e família mudaram há muitos anos para Belém, Pará.
·         3ª G/N, Benedito Medeiros
·         3ª G/N, Raimundo Uparajara/Parajara, que por longos anos jogou futebol como goleiro do Tietê, foi cantor romântico nos tempos dos shows do radialista e artista Benedito Sena dos Passos/Bandute Sena e até os dias atuais possui o seu botequim ao lado da residência de seus irmãos na Rua Lauro Sodré, em frente ao estúdio da Rádio Guarany FM e continua solteiro até os dias atuais.
·         3ª G/N, Pindu Urubussu/Pindubussu/Pindu, que por longos anos teve o “Bar do Pindu” no local da antiga residência de seus pais, na Rua Lauro Sodré, esquina com a Av. 15 de Agosto e Pindu, era casado e com filhos, 4ª G/Bisnetos/Bn, e atualmente reside fora do Estado do Pará.
·         3ª G/N, Iracema Medeiros, comunitária e ativa militante da Igreja católica junto com seu marido e família, casou com o Sr. Filito Roque e com filhos, 4ª G/Bisnetos/Bn com residência na Trav. Padre Luiz Varela, em Abaetetuba/PA.
·         3ª G/N, Manoel Urubatan Medeiros, já é falecido
Os filhos adotados pelo Sr. Guilherme Medeiro e esposa D. Maria:
·         Sr. Raimundo Ramos/Ramos, natural de Abaetetuba e que por longos anos trabalhou como embarcadiço em grandes embarcações do Sudeste do país, como cozinheiro e o Sr. Ramos tornou-se figura folclórica em Abaetetuba pelo seu jeito descontraído, mordaz, irônico e mordaz no seio da sociedade e já é falecido.
·         Sr. Baião, que veio da Bahia e que por longos anos trabalhou como embarcadiço nas embarcações do Baixo Tocantins e por conta dessa profissão morreu afogado na baía.
·         Sr. João Rochedo/Rochedo, natural de Abaetetuba, irmão do conhecido Fernando Jorge, ambos filhos de D. Raquel e João Rochedo por longo tempo levou vida descontraída em Abaetetuba, tendo viajado para o Rio de Janeiro onde se encontra trabalhando atualmente.

Outros Medeiros de Abaetetuba:
·         José Ubirajara dos Santos Medeiros
·         José Ubirajara dos Santos Medeiros Neto
·         Tenente-Coronel José de Castro Medeiros, prefeito nomeado de Abaeté (17/11/1945-12/2/1946).
·         Janice Medeiros, casou com Altair de Araujo Barros e tiveram duas filhas: Pérola e Altair Medeiros Barros.
Geração paterna de José Guilherme Medeiros Carneiro:

Os Maués Carneiro:
·         1ª G/pais de Hygino Maués
·         2ª G/Filhos/F, Hygino Maués, coronel, professor examinador escolar em Abaeté, comerciante, dono de engenho na localidade Tucumanduba citado em 1919, membro do conselho de Intendência e Intendente de Abaeté no período de 1908-1911-1915, antigo morador da Rua Siqueira Mendes, casado e com filhos, 3ª G/Netos/N: José Maués Carneiro, Fifita, Lucinésia e outros.
·         3ª G/N, José Maués Carneiro, casou com Luzia Maués Carneiro e com filhos, 4ª G/Bisnetos/Bn: Benedito/Surrão, Onofre, Sebastião/Babi, Higino, Maria Luzia, Lúcia, Maria José e José Maués Carneiro.
·         4ª G/Bn, Benedito Maués Carneiro/Surrão, este conhecido comerciante na Av. D. Pedro II, com mercearia em frente ao antigo prédio Lucídio Paes e Benedito casou com Jacy Medeiros e tiveram  filhos, da 5ª G/Trinetos/Tn: José Guilherme, Luzia Medeiros Carneiro e Fernando Jorge. Além dos filhos naturais D. Jacy e esposo adotaram o conhecido Fernando Jorge, este é irmão do João Rochedo, ambos filhos de D. Raquel, tendo Fernando Jorge feito o curso superior de Economia pela UFPA, trabalhando e se aposentando nos quadros de funcionários do Banco do Brasil. Benedito Maués Carneiro tem vários irmãos, da 2ª G/F.
·         5ª G/Tn, José Guilherme Medeiros Carneiro. Vide acima
·         5ª G/Tn, Maria Luzia Medeiros Carneiro
·         5ª G/Tn, Fernando Jorge
·         4ª G/Bn, Onofre Maués Carneiro, famoso professor particular de Abaetetuba, dono de externato para a admissão ao ginásio nos anos de 1960, foi professor primário no antigo Grupo Escolar “Prof. Basílio de Carvalho” e foi professor da SEDUC/PA, já é falecido, casou com a Profa. Donita e tiveram filhos, 5ªG/Tn e é citado em 1946.
·         4ª G/Bn, Sebastião Maués Carneiro/Babi, era comerciante de calçados com a Sapataria Babi, já falecido e era casado e com filhos, 5ª G/Tn.
·         4ª G/Tn, Higino Maués Carneiro, já é falecido e com filhos, 5ª G/Tn
·         4ª G/Tn, Maria Luzia Maués Carneiro, já é falecida
·         4ª G/Tn, Lúcia Maués Carneiro
·         4ª G/T, Maria José Maués Carneiro, trabalhou como secretária e professora no antigo Ginásio Bernardino Pereira de Barros nos anos de 1960, professora aposentada da SEDUC/PA
·         4ª G/F, José Maués Carneiro, é citado em 1944
·         3ª G/Netos/N, filhos de José Maués Carneiro e Luzia Maués Carneiro:
·         3ª G/N, Fifita, casou com o Sr. Nestor Ribera/Boliviano e com filhos, 4ª G/Bisnetos/Bn
·         3ª G/N, Lucinésia Maués Paes, professora de externato, do Grupo Escolar Basílio de Carvalho, casou com Francisco Euvágrio Paes e com filhos, 4ª G/Netos/N.

Outros Carneiro em Abaetetuba:
·         Domiciano Maués Carneiro, citado em 1944, comerciante anos de 1940, 1950

Descendentes de ANDRÉ CARVALHO CARNEIRO:
·         André Carvalho Carneiro, pai de Andrelina Carneiro
·         Andrelina Ferreira Carneiro/Dedé, casou com Stoesel Orlando Lima de Araujo e tiveram 8 filhos. Andrelina de Araujo Carneiro é citada em 1944.
·         Risolania Ferreira Carneiro, mãe de Andrelina Carneiro
Outros Carneiro:
·         Balbina dos Santos Carneiro, origem na localidade Rio Camotim, citada em 1944
·         Basílio Fernandes Carneiro, vendedor ambulante no Rio Camutim em 1922-1931
·         Carlos Nunes Ferreira & Carneiro, firma na localidade Tucumanduba
·         Domingos Rodrigues Carneiro, origem na localidade Rio Camotim, citado em 1944
·         Elysiário dos Santos Carneiro, com terreno à Travessa Pedro Rodrigues, divisa com Isidoro de Lima Assunpção em 1931.
·         Ferreira e Carneiro, com comércio no Furo Tucumanduba e dono de depósito de lenha no Rio Abaeté em 1922.
·         Isolina Carneiro, origem na localidade Rio Camotim, citada em 1944
·         João Baptista Carneiro, antigo capataz do Porto de Abaeté, casou com Adelaide Ferreira Carneiro.
·         José Maués Carneiro, citado em 1944.
·         Lúcia Carneiro, origem na localidade Rio Camotim, citada em 1944.
·         M. F. Carneiro, dono de engenho no Furo Tucumanduba para fabricar açúcar e mel em 1922.
·         Tenente-Coronel Manoel José Fernandes Carneiro, tenente-coronel, que substituiu o Tenente Coronel Arlindo Leopoldo Correa de Miranda como presidente da Câmara de Abaeté e que dirigiu a Vila de Abaeté até o ano da Proclamação da República, em 1887-1889.
·         Sebastião Fernandes Carneiro, vogal na Intendência: do Coronel Hygino Maués em 1908-1911, na intendência do major José Félix de Sousa em 1911-1913.
·         Manuel Miranda Carneiro, origem na localidade Rio Camotim, citado em 1944
Os Outros Maués:
·         Aldemos Batista Maués, natural da localidade Tucumanduba, foi um dos construtores da Capela de Nossa. S. de Nazaré no bairro de S. Lourenço em Abaeté, citado em 1946, n. em 25/5/1906 e f. em 5/5/1986, comerciante, católico, Aldemos Maués, c/c Maria Loureiro Maués, esta nascida em 8/1/1904 e com filhos.
·         Dr. Antonio Roberto Maués, bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais, ocupou função no Museu Nacional, Delegado de Polícia em várias localidades do Estado de São Paulo, promotor público em São Paulo.
·         Carmosina Maués, filha de Firmo Roberto Maués, casada e com filhos
·         Diquito Maués, Cazuza, Júlio Maués, Totó Maués, sendo eles donos da Casa Maués no Furo Grande e na frente da cidade de Abaeté, para comércio, engenho e navegação.
·         Emercindo Batista Maúes, dono do engenho de cachaça Santa Margarida, Rio Arapapu, início do século 20, vereador no governo do prefeito Pedro Pinheiro Paes (1948-1951) e citado em documento de 1944, marítimo em 1944.
·         Esmeralda da Silva Maués, nascida em 5/9/1900 e falecida em 2/10/1940
·         Firmo Roberto Maués, nascido em 1/6/1881 e falecido em 30/7/1957, filho do Cel. José Olympio Roberto Maués e Adelaide Caripuna, origem na localidade Casa Branca, comerciante e com engenho para mel no rio Piquiarana em 1922, Capitão da 2ª Companhia da Guarda Nacional em 12/4/1906, vogal na Intendência de: Capitão Manoel João Pinheiro em 1893; Domingos de Carvalho (1915-1918), Manoel Pinto da Rocha (1918-1919), Cel. Aristides dos Reis e Silva (1919-1922), Lindolpho Cavalcante de Abreu (1922-1926), Garibaldi Parente (1926-1930), comerciante na localidade Rio Piquiarana citado em 1922, dono de engenho para fabricar mel de cana na localidade Rio Piquiarana, citado em 1944, casado e com filhos.
·         Heitor Maués, origem na Casa Branca/Costa Maratauhyra, famoso barbeiro por muitos anos em Abaetetuba, citado em 1944, c/c Eglantina e com filhos: Joserlina, José Heiná, Heleno de Jesus, Cabecinha, Márcio, Pedro, Joselina e outros.
·         Helena Maués, origem na localidade Casa Branca/Costa Maratauhyra, citada em 1944
·         Hidebrandina Maués, citado como padrinhos junto com o Major José Honório Roberto Maués do pequeno Santino Rocha em 1905. Hildebrandina Maués, citada em 1905, esposa do Cel José Honório Roberto Maués.
·         Horácio C. Maués, nasceu em 1893 e faleceu em 1939
·         João Olympio Roberto Maués, coronel, falecido e sepultado no Cemitério Público de Abaeté, citado em 1894, capitalista, dono de engenhos e escravos, c/c Adelaide Caripuna, esta filha do Cel. Antonio Correa Caripuna, antigo chefe político local. São seus filhos: Maria Maués Ferreira, Coronel José Honório Roberto Maués, Capitão Firmo Roberto Maués, Manoel Roberto Maués.
·         Joaquim Emílio Roberto Maués, vogal da 2ª Câmara de Abaeté (1884-1887 e 1887-1889).
·         Joaquim Maués, coronel da Guarda Nacional presente uniformizado em 1902 na inauguração do Grupo Escolar de Abaeté.
·         Joaquim Honório Maués, nascido em 15/6/1886 e falecido em 3/1/1963
·         José C. Maués, comerciante e dono de engenho no Furo Grande, citado em 1931
·         José do Carmo Maués, citado em 1950
·         José Honório Roberto Maués, falecido e sepultado de N. S. da Conceição, filho do Cel. José Olympio Roberto Maués e Adelaide Caripuna, foi nomeado em 13/2/1890 o 1º Intendente de Abaeté, tendo recusado esse cargo em 1891, dono de fazenda/engenho de açúcar São José no século 19 situada à margem direita da localidade Rio Tucumanduba, Comendador da Ordem de Cristo, citado em 1905, citado como dono de engenho de cachaça e mel denominado Conceição em 1922 em sociedade com José Barbosa Ferreira na localidade Rio Piquiarana, major da Guarda Nacional em 1905 e que serve de padrinho junto com Dona Hildebrandina Maúes ao pequeno Santino Rocha em 1905, tenente-coronel da mesma guarda, deputado, sepultado no Cemitério de Nossa. S. da Conceição/Abaeté/Pa, tenente-coronel comandante do Estado-maior da 214º Batalão de Infantaria da Guarda Nacional em 12/4/1906, casado e com filhos.
·         José Joaquim Maués, dono do Engenho Vista Alegre no Rio Tucumanduba, que foi um dos primeiros engenhos de Abaeté.
·         José Maués, coronel citado 1912, thesoureiro da Intendência Municipal de Abaeté
·         José Roberto Maués, tenente-coronel citado em 1922
·         José Roberto Maués/Cazuza Maués, casou e teve filhos: Pelica Maués casou com o cametaense Góes.
·         Manoel Joaquim Roberto Maués, nasceu em 1870 e faleceu em 16/11/1947
·         Manoel José Maria Maués, casou com Maria Vitória Malato Loureiro e tiveram 11 filhos.
·         Manoel Roberto Maués, filho do Cel. José Olympio Maués e Adelaide Caripuna.
·         Maria Caripuna Maués, filha do Cel. José Olympio Roberto Maués e Adelaide Caripuna, casou com José Nunes Ferreira e tiveram filhos, citada em 1922 como viúva e comerciante à Rua Justo Chermont.
·         Maria Celeste Maués, citada em 1944
·         Maria da Conceição Maués, citada em 1944
·         Maria Loureiro Maués, n. 8/1/1904, c/c Aldemos Maués e tiveram filhos
·         Maria Maués, casou com Cecílio de Almeida Cardoso e tiveram os seguintes filhos: José Antonio de Pádua, Ana Nazaré, Cristina, Maria da Ressurreição, Ely de Sabatini, Esmaelino de Jesus, Maria Dalcy e Raimunda Nonata.
·         Raymmundo Conceição Maués, comerciante no Rio Itacuruçá em 1922
·         Rosa Maués,  Murilo de Carvalho e tiveram filhos: Ernani, Odivaldo, Francisco e Pedro Paulo Maués Carvalho.
·         Rosendo Maués, dono do engenho de cachaça Santo Antonio, Rio Panacuéra e do engenho São Pedro nos anos de 1920 e citado em documento de 1944, morou na antiga Rua Torquato Barros em casa que posteriormente foi repassada para Ildefonso Correa Lima e tem também nome de rua em Abaetetuba/Pa.
·         Dr. Vicente Antonio Maués, nasceu em 22/1/1879, filho do Cel. José Honório Roberto Maués, no Engenho São José, às margens do Rio Tucumanduba, em Abaeté, engenheiro civil em 27/3/1909, Secretário de Obras em Pernambuco em 1903, citado em Pernanbuco em 1923, falecido em 1939, com nome de escola em Abaetetuba.

Blog do ADEMIR ROCHA, de Abaetetuba/PA

Nenhum comentário:

Postar um comentário