Mapa de visitantes

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

ESCOLAS SUPERIORES DO PARÁ: UFPA

ESCOLAS SUPERIORES DO PARÁ: UFPA

Bela iniciativa da Universidade Federal do Pará/UFPA sobre história e memória

Reproduzido do blog http://www.portal.ufpa.br

16.12.2011 09:00


Projeto trabalha história e memória da UFPA no interior


Para mapear a história de algo ou de algum lugar, não basta somente recorrer aos livros, aos documentos oficiais e às fotografias. É preciso, também, voltar-se para memória oral, ou seja, ouvir as pessoas que estiveram naquele espaço e que contribuíram para a formação do contexto atual. É com esse pensamento que foi criado o Projeto “UFPA: uma Universidade Multicampi, 25 anos de ensino regionalizado no Pará”. A proposta é trabalhar com a história e memória do processo de implantação dos campi da Universidade, que, em 2011, completa 25 anos.

Para realizar o feito, a equipe do projeto, além de catalogar atas dos Conselhos Superiores, do Centro de Processos Seletivos e de Institutos da UFPA, está coletando 100 depoimentos em audiovisual de pessoas que participaram do processo de implantação e consolidação dos campi do interior.

Os 25 primeiros vídeos do projeto foram finalizados em outubro, tendo sido priorizados nessa fase da pesquisa depoimentos de ex-reitores, dirigentes e coordenadores que fizeram a história dos campi nestas duas décadas e meia de interiorização. O lançamento destes vídeos acontecem nesta sexta-feira, 6, no Centro de Eventos Benedito Nunes. Os outros 75 depoimentos estão previstos para serem finalizados no ano que vem.

“É preciso entender que a história oral e a memória são fontes riquíssimas e que você pode compará-las com outras fontes documentais. O arremate de toda a nossa pesquisa será um livro o qual contará a história da Universidade chegando ao interior do Estado”, afirma a professor Edilza Fontes, coordenadora do Projeto.

Além do livro, previsto para 2013, outro objetivo do projeto é a criação de um site, o qual disponibilizará todas as 100 entrevistas estimadas mais os documentos pesquisados.
Reconhecimento tardio - Segundo a professora Edilza Fontes, em 1985, a Universidade começou o processo de interiorização sem o reconhecimento do Ministério da Educação. O reconhecimento só se deu depois de quase 10 anos. “Falo reconhecer no sentido de financiar aquilo, porque isto não estava na matriz orçamentária do Mec. Nos primeiros anos, a Universidade se bancou para fazer o projeto sair do papel.”

Motivo - Mas por que levar a Universidade para o interior? E por que começar com cursos de licenciatura? A idéia, inicialmente, tinha o intuito de diminuir a carência de professores licenciados nas redes estaduais e municipais na época. É por isso que este projeto começou com parcerias dos Governos do Estado de alguns municípios.

“Foi uma ousadia que surgiu de dentro da própria Universidade. O interessante é que a partir deste feito foi criada a Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa) e está em projeto a criação da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa). Contar a história do processo de interiorização é o mesmo que contar um pouco da história do nosso Estado”, conclui Edilza Fontes.

Leia também:
>> Seminário lança 25 depoimentos sobre história da interiorização da UFPA
>> Memórias registram o processo de interiorização da UFPA
>> Jornal Beira do Rio: Memórias e histórias da interiorização

Serviço:
Assista ao vivo a programação do Seminário sobre os 25 anos do Projeto de Interiorização da UFPA no Portal da UFPA, é só clicar no banner da interiorização a partir das 9h.

Texto: Flávio Meireles – Assessoria de Comunicação da UFPA
Fotos: Alexandre Moraes e Mácio Ferreira


Reproduzido pelo Blog do Prof. Ademir Rocha, de Abaetetuba/Pa

Nenhum comentário:

Postar um comentário