Mapa de visitantes

domingo, 16 de outubro de 2011

Xaverianos, Bispos e Ações - Jubileu de Ouro - Criação da Prelazia de Abaeté do Tocantins














































































JUBILEU DE OURO: CRIAÇÃO DA PRELAZIA DE ABAETÉ DO TOCANTINS 3

PARTE III: MISSIONÁRIOS XAVERIANOS, ADMINISTRADORES APOSTÓLICOS, BISPOS E PADRES

ESTA É UMA HOMENAGEM PELOS 50 ANOS DA INSTALAÇÃO DA PRELAZIA DE ABAETÉ DO TOCANTINS E A ENORME CONTRIBUIÇÃO ESPIRITUAL E SÓCIO-POLÍTICA QUE O FATO PROPORCIONOU AO TERRITÓRIO DA PRELAZIA. ALGUNS NOMES ESTÃO FALTANDO A LISTA DOS NOMES ELENCADOS, O QUE SERÁ FEITO POSTERIORMENTE. A TODOS OS NOSSOS SINCEROS AGRADECIMENTOS.

CRIAÇÃO DA PRELAZIA: 25/11/1961

QUEM SÃO OS MISSIONÁRIOS XAVERIANOS
SÃO FRANCISCO XAVIER
Os padres xaverianos nasceram inspirados em São Francisco Xavier. Este nasceu num castelo de Navarra, Espanha em 7/4/1506. Era de família nobre, estudou na frança, onde encontra Inácio de Loiola, junto do qual encontra Cristo, que logo vem a ser a razão de sua vida. Abandona casa, riquezas, projetos e, com Inácio e mais cinco companheiros, dão início à Companhia de Jesus. Em 15/6/1537 é ordenado sacerdote e em 15/3/1540 parte de Roma para Lisboa a caminho do Extremo Oriente, em uma heróica aventura missionária que o leva à Guiné, Ilha de Trindade, Cabo da Boa Esperança, Moçambique, India, Malásia, Cingapura, Indonésia, Japão e Ilha Sancian, na Costa da China. Foi acometido de forte febre em 3/12/1552, quando falece.

D. GUIDO CONFORTI, FUNDADOR DOS XAVERIANOS
O fundador dos padres Xaverianos foi Guido Conforti, que nasceu em Casalora di Ravadese (Itália) no dia 30/3/1865. Era ainda uma criança, quando foi estudar em Parma. Na igreja descobriu um grande crucifixo com o qual se encontrava e dialogava. Mais tarde, já bispo, lembrando aqueles encontros dirá “Eu olhava para ele e ele olhava para mim e parecia dizer-me tantas coisas”.
Foi nos pés daquele crucifixo que despontaram as sementes de sua vocação sacerdotal e missionária. Mais tarde, lendo a vida de São Francisco Xavier, decidiu tornar-se um apóstolo como ele, c/o desejo de evangelizar a China.
Em 1888 foi ordenado sacerdote, mas seu desejo era partir para as missões. Porém s/saúde não permitia e, assim, nasceu o plano de criar uma família de missionários.
No dia 3/12/1895 é festa de São Francisco Xavier. Nesse dia, GUIDO MARIA CONFORTI, depois de ter rezado muito, dava início oficialmente, em Parma, Itália, ao “Seminário Para as Missões Estrangeiras”, em uma casa comprada com o dinheiro da herança deixada por seupai. Iniciou com um grupo de 17 jovens de15 a 22 anos. Tudo era simples e pobre.
De fato, no mês de março de 1899 teve a alegria de abraçar seus primeiros dois Missionários Xaverianos, prontos a partir para a China: Caio Rastelli e Odoardo Manini.
No dia 3/12/1995 os Xaverianos celebraram em todo o mundo o Centenário de sua ordem religiosa.
Atualmente os Xaverianos constituem uma família religiosa e estão trabalhando na China e em todos os outros continentes do mundo. No Brasil estão presentes desde 1954 e na Amazônia estão presentes desde 1961.
ALGUNS ASPECTOS DA VIDA DOS XAVERIANOS
• São enviados à populações e grupos humanos não cristãos, fora de sua terra, cultura e igreja de origem.
• Para melhor servir o Reino de Deus, professam os votos de Castidade, Pobreza e Obediência.
• Seu Carisma é a vida apostólica religiosa.
• Como família os padres devem colocar tudo em comum: compromisso apostólico, fé, esperanças, alegrias, preocupações, bens espirituais e materiais.
• Devem seguir o exemplo de Cristo, e seus preferidos devem ser os pobres, os fracos, os marginais da sociedade, as vítimas de opressão.

Os xaverianos estão no Pará desde 1961 e fazem questão de apresentar à Igreja regional o carisma do seu fundador D. Guido, como um dom precioso, reconhecido pela Igreja Católica, seu instrumento para o serviço da evangelização.
Os missionários xaverianos estão conscientes de que esse tesouro está contido num vaso de barro, isto é, de que não são merecedores de honrarias nem glórias, por não serem perfeitos na sua fé, querem fazer memória – humildemente – e, quem sabe, acender o entusiasmo de dom Guido em quantos queiram doar-se à missão sem fronteiras.
Tão logo chegaram à Abaeté, os xaverianos começaram a trabalhar, fazendo algumas mudanças e reformas em todos os aspectos da Paróquia de Nossa S. da Conceição e demais paróquias e comunidades.
Segundo D. Guido Conforte, para os Xaverianos o Evangelho é o maior valor para a Humanidade. É no Evangelho que eles encontram a fonte de sua total e exclusiva doação e dedicação, para anunciá-lo a quem ainda não o conhece. É por isso que são Missionários.

PADRES XAVERIANOS NA PRELAZIA E DIOCESE DE ABAETETUBA
OS PRIMEIROS PADRES XAVERIANOS EM ABAETÉ E AS LOCALIDADES DA PRELAZIA

No dia 1/3/1961 chegaram os primeiros quatro missionários xaverianos para instalar a nova prelazia:
• Padre Leão/Padre Leão Occhio
• Padre Mário/Padre Mário Lanciotti
• Padre Tarcísio/Padre Tarcísio Facchinello
• Padre João
Que trabalhariam sobre às ordens de D. Alberto, na zona da futura prelazia. No aeroporto de Belém esses missionários foram recebidos pelo próprio D. Alberto e se hospedaram no convento dos padres capuchinhos, em Belém. No sábado, 4 de março, D. Alberto acompanhou os padres até Abaeté. No domingo, dia 5 de março, D. Alberto, na hora da missa apresentou os padres e os empossou no território da futura prelazia e que, desde aquele momento, ficava confiado aos cuidados deles os municípios de Abaeté, Acará, Barcarena, Bujaru, Mojú e Tomé-Açu.
No dia 6 de março, D. Alberto voltou para Belém levando consigo o Pe. Francisco Chagas da Costa, que deixou saudades sinceras no povo, pois, durante três anos, o Padre Chagas realizou um ótimo trabalho, doando ao povo todas as suas forças e todo o seu coração.

ADMINISTRADOR APOSTÓLICO:
• Administrador Apostólico: D. ALBERTO GAUDÊNCIO RAMOS (1961-1962)/Conforme Diocesano de 2004:
Acréscimos:
Em 13/1/1961 a Sagrada Congregação Consistorial nomeava D. Alberto Gaudêncio Ramos como Administrador Apostólico da nova prelazia, que fica esperando a nomeação do 1º Bispo Prelado.
Como a Prelazia de Abaeté foi desmembrada da Arquidiocese de Belém, o próprio Arcebispo Metropolino, D. Alberto Gaudêncio Ramos, é nomeado em 1961 para assumir como Administrador Apostólico da nova prelazia, e foi D. Alberto que veio acompanhando os primeiros quatros padres xaverianos à Abaeté para instalar oficialmente a Prelazia.

A CHEGADA DOS PRIMEIROS PADRES XAVERIANOS E D. ALBERTO GAUDÊNCIO RAMOS
No dia 1/3/1961 chegavam os primeiros 4 missionários xaverianos, para instalar a nova prelazia: o Padre Leão (Padre Leão Occhio), o Padre Mário (Padre Mário Lanciotti, o Padre Tarcísio (Padre Tarcísio Facchinello) e o padre João, que, por enquanto, trabalhariam sobre às orientações de D. Alberto, Arcebispo Metropolitano de Belém, na zona da futura prelazia. No aeroporto de Belém esses missionários foram recebidos pelo próprio D. Alberto e se hospedaram no convento dos Padres Capuchinhos, em Belém. No sábado, 4 de março, D. Alberto acompanhou os padres até Abaeté. No domingo, dia 5 de março, D. Alberto, na hora da Missa apresentou os padres e os empossou no território da futura Prelazia de Abaeté do Tocantins e que, desde aquele momento, ficava confiado aos cuidados deles, quer dizer, Abaeté, Acará, Barcarena, Bujaru, Mojú e Tomé-Açu e D. Alberto explicou as finalidades da futura prelazia.

INSTALAÇÃO DA PRELAZIA DE ABAETÉ DO TOCANTINS POR D. ALBERTO
• No dia 6/3/1961, na Praça Matriz de Abaetetuba, repleta de povo, e D. Alberto instalava a nova Prelazia de Abaeté do Tocantins e ele mesmo tomou posse como o 1º Administrador Apostólico da Prelazia de Abaeté do Tocantins. E no mesmo dia, D. Alberto voltou para Belém levando consigo o padre Francisco Chagas da Costa (Padre Chagas), que saía da paróquia, deixando saudades sinceras do povo, pois durante 3 anos o Padre Chagas realizou um ótimo trabalho, doando ao povo todas as suas forças e todo o seu coração.
E assim nasceu oficial e juridicamente a Prelazia de Abaeté do Tocantins, com sede na cidade de Abaeté do Tocantins, contando para o ministério sacerdotal só 4 padres.

ALGUMAS REFORMAS E MUDANÇAS FEITAS PELOS XAVERIANOS NA PRELAZIA DE ABAETÉ DO TOCANTINS
• Uma das primeiras mudanças foi na forma de celebrar as liturgias, especialmente o modo de celebrar as missas. As missas na chegada dos xaverianos, ainda eram celebradas em latim e o padre ficava de costa para os fiéis. A partir dali, as missas passaram a ser celebradas em português e o padre ficava de frente para os fiéis. Acabaram-se as ladainhas celebradas e cantadas em latim, as benções numerosas ao final da missa, o Te Deum.
• As novenas de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, que eram celebradas e cantadas em latim, passaram a ser celebradas e cantadas em português.
• Os grupos de Igreja como as irmandades, o grupo das Filhas de Maria, o grupo da Congregação Mariana, a Ordem de São Vicente de Paula foram convidadas a mudar para a nova concepção de Igreja. Ao mesmo tempo, iam surgindo outros grupos, como os Grupos de Jovens, catequizados nos moldes da Teologia da Libertação.
• Os católicos tradicionais sentiram uma forte frustação, mas a força dos Padres Xaverianos foi maior que a reação desses fiéis, que inclusive reagiram fortemente às referidas mudanças com atitudes até de sacrilégios na Igreja Catedral de Abaetetuba.
• As longas orações das missas foram substituídas por homilias com forte conotação social, em favor dos oprimidos que parte do povo chamava de “sermão político”.
• Tudo foi mudado, só permanecendo a Novena à Nossa S. do Perpétuo Socorro e o antigo Apostolado da Oração, que continuou devido ao apoio recebido das Irmãs Xaverianas.

CONTEXTO DAS REFORMAS NA IGREJA LATINO-AMERICANA E OS PADRES XAVERIANOS EM ABAETÉ
• Na América Latina, devido às graves injustiças sociais, as reformas na atuação da Igreja Católica, foram discutidas nos conclaves dos bispos de Puebla, no México e Medelin, na Colômbia, que enfatizaram as injustiças, abraçando com veemência as questões sociais como modo de atuação da nova Igreja, pois era visível a opressão que o povo pobre da America Latina sofria, pela má distribuição da renda e pobreza extrema em todo o Continente.
• Alguns padres e irmãs xaverianos, no final da década de 1970, já chegaram inspirados pela Teologia da Libertação, frente ao contexto histórico da época (de ditadura militar e injustiças sociais) e esses padres se posicionaram contra as injustiças sociais, numa demonstração de opção preferencial pelos pobres e oprimidos, conforme os documentos dos Sínodos de Medellin e de Puebla. A Teologia da Libertação, abraçada que foi por muitos padres que atuavam na América Latina, foi o divisor de águas no modo de catequizar no Continente Latino-Americano. Em Abaeté também foi útil na formação de Agentes de Pastorais e comunitários que passaram a ter mais consciência dos direitos da pessoa humana, da luta pela liberdade e contra as injustiças sociais.
• O povo católico tradicionalista não percebia que as reformas já eram o reflexo das mudanças que atingiram a Igreja como um todo e no mundo inteiro, em conseqüência das mudanças preconizadas pelo Concílio Vaticano II e das muitas Encíclicas Sociais, que falavam de um novo modo de evangelizar frente às prementes injustiças sociais da América Latina.
• A própria reforma física da Catedral de Nossa S. da Conceição, acontecida nos anos de 1970, foi um choque para muitos cristãos tradicionalistas. Aquelas enormes imagens de santos existentes na Igreja foram dali retiradas e a partir daí, não mais se viram as seguidas genuflexões e sinais da cruz da maioria dos devotos, frente aquelas imagens, esquecendo Cristo presente na Eucaristia.

1º BISPO PRELADO D. JOÃO GAZZA, SX (1962-1966)/Anuário Diocesano de 2004)
Acréscimos:
• JOÃO GAZZA, nasceu no dia 19/7/1924, e já como Bispo, chegou a Abaeté em 3/2/1963 e no dia 22/8/1966 foi designado como Superior Geral da Congregação dos Padres Xaverianos e foi embora de Abaeté no dia 24/9/1966. No pouco tempo que ficou entre nós, deixou uma impressão muito positiva de Pastor e uma boa obra de realizações pastorais e administrativas à frente da Prelazia.
• Antes de ser nomeado Bispo Prelado de Abaeté do Tocantins o Padre João Gazza era reitor do Seminário Xaveriano das Missões de Jaguapitã/PR.
• Sua sagração episcopal realizou-se no Santuário Nacional de Aparecida/SP em 8/12/1962, por mãos de D. Vicente Zioni, Bispo Auxiliar e Vigário geral de São Paulo.
• No dia 17/11/1962 o Santo Padre João XXIII nomeava o 1º Bispo Prelado, com caráter episcopal, na pessoa do Padre João Gazza, xaveriano. Ele recebeu a sagração episcopal na Basílica Santuário Nacional de N. S. Aparecida, Padroeira do Brasil, no dia 8 de dezembro de 1962. D. João Gazza, o 1º Bispo Prelado, chegou em Belém no dia 26/12/1962.
• No dia 3/2/1963, D. Alberto empossava o novo Bispo Prelado D. João Gazza no meio da grande alegria do povo abaetetubense. Dois meses depois D. João Gazza já estava no meio do povo para visitar seu rebanho e conhecer as verdadeiras necessidades do povo. A esse respeito foi publicado um livro sobre o trabalho pastoral de D. João Gazza na prelazia.
• Em dois anos D. João Gazza, visitou toda a prelazia, fazendo apontamentos valiosos dessa visita pastoral. E Foi ele e os primeiros padres xaverianos que uniciou o processo das “desobrigas”, na forma de confissões, matrimônios, crismas, batizados, instruções catequéticas, etc, que eram realizadas nas localidades visitadas e imbuídos da frase do Pe. Aurélio Basso “Confirma os teus irmãis”, (lc 22,32).
D. JOÃO GAZZA E O COLÉGIO SÃO FRANCISCO XAVIER
D. João Gazza, 1º Bispo Prelado de Abaeté, foi o mentor intelectual da implantação do Ginásio São Francisco Xavier. Vide Padre Vicente Mitidieri e o Colégio São Francisco Xavier.

D. JOÃO GAZZA E O CENTRO MÉDICO
Outro problema que exigia providências urgentes, detectados pelos primeiros Missionários Xaverianos, que chegaram à Abaeté, em 1961, foi o da assistência médica à população. O Bispo Prelado, D. João Gazza, desde o 1º ano de seu governo, entrou em entendimento com o prefeito da época, o Dr. Francisco Leite Lopes, para o aproveitamento de um prédio abandonado já há muitos anos e incompleto em sua construção e tomado pelo mato em suas dependências internas e externas, sito à Rua Siqueira Mendes, em Abaetetuba. A prefeitura em documentação legal cedeu o local à Prelazia, para a instalação de um Posto de Puericultura.
A prelazia reformou a planta inicial e construiu o atual Centro Médico Nossa S. da Conceição. O funcionamento dos atendimentos médicos foi confiado às Irs. Xaverianas, que chegaram em Abaetetuba no dia 03.07.1966. O Centro Médico Nossa Senhora da Conceição, iniciou com atendimento ambulatorial, mas devido ao alto índice de mortalidade infantil na cidade, em 1972, o Centro Médico teve aumentado os trabalhos com atendimento médico, com a implantação da maternidade, para proporcionar às mães e aos recém-nascidos, uma maior segurança na gravidez e nos partos e melhores cuidados aos recém-nascidos.

Nos anos de 1967 a 1970, o Centro Médico, ampliou sobremaneira os seus atendimentos
• Assistência médica hospitalar, com consultas médicas, exames de laboratórios, atendimento ambulatorial (vacinas, curativos), maternidade com assistência de parteiras ou medicos e encaminhamentos de doentes para a capital;
• Assistência médica alimentar, com distribuição de leite e sopas para crianças e doentes;
• Assistência médica educacional, com cursos e palestras sobre hygiene, noções de Puericultura, alimentação adequada às mães, bebês e crianças, visitas às residências, distribuição de roupas, lençóis, enxovais para bebês.
• Assistência médica financeira, com as despesas com alimentação e nas viagens de médicos de Belém.
D. JOÃO GAZZA E A EDUCAÇÃO
Na Educação, de 1967 a 1970, foram criados na Prelazia cursos voltados para a educação:
• Jardim de Infância, num total de três.
• Escolas Primárias Paroquiais, que chegou a um total de até 37 no período.
• Escolas Secundárias do 1º Ciclo, que em 1969 chegou a um total de três escolas.
• Escolas Secundárias do 2º Ciclo, que chegou a um total de duas escolas no período.
• Alfabetização de adultos que chegou a 16 escolas no período.

Na educação voltada para o trabalho, de 1967 a 1970, foram criadas:
• Escolas de datilografia, que atingiu um total de três no período.
• Escola de Corte e Costura, num total de sete.
• Escola de orientação Agrícola, uma.

Na Promoção Humana, de 1967 a 1970, existiam:
• Clubes de Mães, um total de 12 no período.
• Cursos de preparação para o lar, um total de 7 no período.
• Curso de artesanato, um.
• Centros Comunitários, que chegou a dois no período.
• Centros recreativos, que chegou a dois.
• Marcenaria São José, início em 1969.
• Serraria Cafezal, início em 1967, que sustentava 79 famílias.

ADMINISTRADOR APOSTÓLICO (Anuário Diocesano de 2004):
• Administrador Apostólico ad nutun: PADRE PIO MONCHELATO, SX (1966-1967).
Acréscimos:
Padre Espiridião Pio Monchelato/Padre Pio, já é falecido. Com a ida de João Gazza para a Itália, o Vigário Geral Padre Pio Monchelato, assume como o 2º Administrador Apostólico da Prelazia, Temporâneo “Sede Vacante”, que fica nessa função de 7/1966 a 12/1967, devido transferência.

ADMINISTRADOR APOSTÓLICO (Anuário Diocesano de 2004):
• Administrador Apostólico ad nutum: PADRE ÂNGELO FROSI, SX (1967-1970)/Anuário Docesano de 2004.

Acréscimos:
Ângelo Frosi nasceu em 31/1/1924, em Sam Bassano/Cremona, na Itália e faleceu como Bispo Diocesano de Abaetetuba a 28/6/1995, sendo sepultado no Cemitério de Nossa S. da Conceição, em Abaetetuba, junto com os restos mortais do Padre Mário Lanciotti e hoje seus restos mortais se encontam em tumba existente ao lado da Igreja de N. S. da Conceição, em Abaetetuba/Pa. Foi batizado em 2/2/1924. Ingressou no Seminário Diocesano de Cremona em 1935, de onde passou para o Instituto Missionário Xaveriano, fazendo a sua 1ª Profissão Religiosa-Missionária no dia 8/9/1941 e foi ordenado sacerdote em Boston, nos Estados Unidos em 6/5/1948, onde exerceu o seu ministério nesse país até 1968.
O Padre Ângelo Frosi chegou à Abaeté no dia 22/2/1968 e com a transferência do Padre Pio, em 21/11/1967 foi nomeado como o novo Administrador Apostólico, o 3º da Prelazia, e que chegou à Abaeté em 22/2/1968 e tomou posse no dia 25/2/1968, e ficou esperando a nomeação de um novo Bispo Prelado E foi ele mesmo, o Padre Ângelo Frosi, o escolhido como o 2º Bispo Prelado de Abaeté, sagrado aqui mesmo em Abaetetuba, no dia 1/5/1970 com uma grande festa de alegria e fé do povo católico de Abaetetuba.

• 2º BISPO PRELADO E 1º BISPO DIOCESANO (Anuário 2004):

2º Bispo Prelado e 1º Bispo Diocesano: D. ÂNGELO FROSI, SX (1970-1995).

Acréscimos:
• Em 15/1/1970 Padre Ângelo foi elevado a Bispo e em 1/5/1970 é sagrado aqui mesmo em Abaetetuba, como 2º Bispo Prelado da Prelazia de Abaeté do Tocantins. Seu Lema como Bispo era: “Fé e Caridade”.
• No dia 4/8/1981 o Papa João Paulo II eleva a Prelazia de Abaeté do Tocantins à Diocese de Abaetetuba. Com a elevação da Prelazia à condição de Diocese, D. Ângelo tornou-se o 1º Bispo Diocesano da nova Diocese, tomando posse em 15/7/1982.
• Em 1987 D. Ângelo Frosi adoece e viaja para fazer tratamentos médicos na Itália. Essa viagem acabou sendo fundamental para o sucesso do Projeto da construção das casas populares, uma vez que lá conseguiu doações para a construção dessas moradias no novo Bairro de Cristo Redentor. Assim, foi possível realizar a construção de casas populares, como também de uma escola e de um centro comunitário.
• Em 5/1995, D. Ângelo sofre um infarte do coração, em Itaici-SP e fica, desde o dia 21/5 a 25/5, hospitalizado em São Paulo, onde veio a falecer em 28/6/1995.
Quando D. Ângelo Frosi falece no dia 28/6/1995, fica a Diocese sem o seu Bispo.

AS PRIMEIRAS AÇÕES DE D. ÂNGELO COMO BISPO PRELADO
Em 1/1970 o novo Bispo prelado, D. Ângelo Frosi, em sua 1ª visita pastoral à cidade de Abaetetuba, teve a oportunidade de conhecer bem de perto as precárias condições de vida dos bairros da cidade. Ele logo quis fazer algo para ajudar:
• Criou o Centro Comunitário da Vila Saracura, dedicado a São José;
• Criou o Centro Comunitário do Algodoal, dedicado a N. S. do Perpétuo Socorro.
Esses centros comunitários serviram também para abrigar pequenas escolas paroquiais, dada à carência de escolas na cidade.
Em todas as outras paróquias da prelazia surgiram obras de assistência social, criadas por D. Ângelo.
• Criou o Clube de Mães, que reunia as mães da Paróquia do Centro e a essas senhoras eram ministrados cursos de corte e costura e outros cursos. Depois de formadas, elas repassavam os ensinamentos para outras mães necessitadas. Esse clube funcionou no Centro Social Paulo VI, localizado na Av. D. Pedro II, onde hoje se localiza a Big Loja.
• Tornou-se Presidente da Regional Norte 2, da CNBB, de 1971 até 1979 e era membro da Comissão Episcopal de Pastoral da CNBB, Linha Missionária (1979-1983).
• A doença de D. Ângelo, em 1987, que o obrigou a ir à Itália por longos meses, voltando dia 27/3/1988, viagem onde conseguiu recursos para a construção das casas do Bairro do Cristo Redentor.
• Em 5/1995, D. Ângelo sofre um infarte do coração, em Itaici-SP e fica, desde o dia 21/5 a 25/5, hospitalizado em São Paulo, onde veio a falecer em 28/6/1995.
. A doença de D. Ângelo, em 1987, que o obrigou a ir à Itália por longos meses, voltando dia 27/3/1988, viagem onde conseguiu recursos para a construção das casas do Bairro Cristo Redentor.
. Em 5/1995, D. Ângelo sofre um infarte do coração, em Itaici/Sp e fica, desde o dia 21/5 a 25
/5, hospitalizado em São Paulo, onde veio a falecer em 28/6/1995.
. Quando D. Ângelo Frosi falece, fica a Diocese de Abaetetuba sem o seu Bispo. Com a morte de D. Ângelo, assume a Paróquia de Nossa S. da Conceição o Padre Dante Mainini, até a posse do novo Bispo, Dom Flavio Giovenale, salesiano, que toma posse em 8/10/1997.
• Por seus relevantes serviços prestados à comunidade abaeteense foi contemplado com a cidadania honorária de Abaetetuba.

ANUÁRIO DIOCESSANO 2004:
A 4/8/1981, pela Bula Qui ad Beatissimi do Papa João Paulo II, foi elevada a Diocese, passando a denominar-se Diocese de Abaetetuba.

Acréscimos:
A Prelazia de Abaeté do Tocantins é elevada à condição de DIOCESE de Abaetetuba pelo Papa João Paulo II e o Bispo D. Ângelo Frosi já tinha 20 anos de caminhada como bispo e nesse ano acontece a 1ª Assembléia Diocesana do Povo de Deus.
DIOCESE
• Diocese é uma porção do povo de Deus que está numa determinada região e que é guiada e alimentada na fé, na esperança e na caridade pelo Bispo e por seus colaboradores, os padres. O Bispo Diocesano é o Pastor, mestre e guia, que foi chamado e escolhido pela Igreja para ser o sucessor dos Apóstolos. É o Profeta que testemunha e alimenta pela Palavra de Deus, é o Sacedote que santifica pelos Sacramentos e que acompanha, caminha junto e conhece o seu povo.
O Padre Diocesano é a extensão do Bispo, seu colaborador mais próximo. É o homem de Deus que, unido ao Presbitério da Diocese, está na Paróquia, na comunidade eclesial, nos meios de comunicação social, nas comunidades inseridas entre os mais pobres e marginalizados.

CARTA DO NÚNCIO APOSTÓLICO PARA D. ÂNGELO FROSI:
O Núncio Apostólico do Brasil, assim escreveu para D. Ângelo Frosi, por ocasião da elevação da Prelazia em Diocese:

• “Quero congratular-me com o Bispo, com os Padres e fiéis da nova diocese, que poderão ver nesta elevação o reconhecimento do Santo Padre pela obra apostólica que, em dezenas de anos, tantos Prelados, Sacerdotes, Famílias Religiosas e Leigos têm exercido, às vezes heroicamente, nestas regiões, no meio de dificuldades econômicas, sociais, de clima, de distância e de locomoção. E, mais ainda, poderão constatar nisso o estímulo que o Papa, Sucessor de Pedro, quer dar às Igrejas Particulares para um sempre maior progresso espiritual e desenvolvimento pastoral e apostólico em prol de todo o Povo de Deus”.

O DISCURSO DE D. ÂNGELO FROSI:
• D. Ângelo Frosi, entre muitas outras coisas, disse as seguintes palavras: “A constituição de nossa Prelazia em Diocese é um gesto de confiança do Santo Padre no Povo de Deus desta nossa Igreja: nos Padres, nas irmãs, nos animadores e líderes de Comunidades, nos Catequistas, nos Cristãos que vivem a sua fé e assumem o seu lugar na renovação desta nossa sociedade Sociedade, nas Comunidades Eclesiais de Base, nos Grupos de Evangelho e nos Movimentos Apostólicos. É também um estímulo para que a nossa Igreja de Abaetetuba possa ter os seus Padres, nascidos em nossas Comunidades que assumam no meio de nós a sua missão sacerdotal, anunciando o Evangelho de Cristo, celebrando os Sacramentos e animando a caminhada do Povo Cristão, tendo como centro a Eucaristia, fonte de santidade, de fraternidade e de Justiça”.

O JUBILEU DE PRATA DE CONSAGRAÇÃO DE D. ÂNGELO COMO BISPO:
• Em 1/5/1995, D. Ângelo Frosi completava 25 anos de sagração como Bispo, fato comemorado com uma grande solenidade na Praça de Nossa S. da Conceição.
Esse fato foi colocado como um dos eventos que marcaram o Centenário de Abaetetuba, como cidade. Constou de um ato religioso e homenagens das autoridades do município, por tão importante data para o povo, que foi a caminhada de um irmão maior no meio da comunidade. D. Ângelo será lembrado pelo seu trabalha dedicado à Igreja, ao povo.
Nesse evento foram lidas cartas do papa João Paulo II e da Pia sociedade de São Francisco Xavier.
Vários discursos foram feitos, recordando suas obras e acontecimentos desses 25 anos de caminhada como Bispo.
Um fato que veio à tona na festa do jubileu foram os pronunciamentos dos padres progressistas, criando um clima que constrageu o bispo.

BISPOS E PADRES PRESENTES NO JUBILEU DE PRATA DE D. ÂNGELO
• Padre Marcelino Gonçalves, Vigário Geral da Arquidiocese de Belém;
• D. José Elias Chaves, Bispo da Prelazia de Cametá;
• Padre Renato Seridan, Superior Regional dos Padres xaverianos;
• Padre Ferdinando, Pároco de Tailândia;
• Padre Dante Mainini, Pároco de Abaetetuba;
• Padre Siro Brunello;
• Padre Luiz Anzaloni, Pároco da Paróquia das Estradas;
• Padre João Alves, Pároco da Igreja de Nossa S. de Nazaré;
• Padre Adamor Ferreira;
• Padre Raimundo Maués;
• Padre Ricardo Pescador, Pároco de Bujaru;
• Padre Kalus, Pároco de Benevides;
• Diácono Zezinho (José Elpídio Silva);
• E uma grande multidão presente na Praça da Catedral de Nossa S. da Conceição. Nesse evento foram lidas cartas do papa João Paulo II e da Pia Sociedade de São Francisco Xavier.

O CENTRO DE RECUPERAÇÃO DE DEPENDENTES QUÍMICOS
Foi instalado pelo jovem Hélio Maciel, no Ramal do Abaetézinho, uma casa de recuperação para jovens drogados, que deveriam passar uma temporada, numa espécie de terapia, onde deveria prevalecer a espiritualidade cristã como elemento forte na recuperação dos dependentes químicos, com encontros de reflexão, vivência da Palavra, comunhão entre eles e os trabalhos de agricultura na área. Tudo para poder levar esses jovens dependentes a refletir sobre os malefícios do uso de drogas para o organismo, para o espírito e para a sociedade, levando-os a uma vida voltada para a vivência da Palavra de Deus, que seria o único modo de mantê-los afastados dos vícios. Essa casa foi o embrião do atual Centro de Recuperação da Diocese de Abaetetuba.
O Bispo D. Ângelo assumiu o compromisso de levar em frente o projeto de recuperação de jovens drogados. Para isso ele convocou uma equipe e funda o Centro de Recuperação de Dependentes Químicos, depois, Centro de Recuperação D. Ângelo Frosi.
Hoje esse centro recebe o nome de Fazenda da Esperança-Centro de Recuperação D. Ângelo Frosi. Atualmente esse centro foi entregue à Fazenda da Esperança, entidade especialista na recuperação de drogados, sob a ênfase de “trabalho e espiritualidade”, com séde no Estado de São Paulo, cidade de Guaratinguetá.

A CRIAÇÃO DO BAIRRO CRISTO REDENTOR
Nos anos de 1980 a população urbana de Abaetetuba aumenta aceleradamente. Em 8 anos o número de bairros da cidade passa de 5 para 13, e esses novos bairros, surgiram como resultado de invasões, devido a presença do Projeto ALBRÁS/ALUNORTE que se instalara na cidade vizinha de Barcarena-Pa e que oferecia empregos em vários níveis, especialmente os empregos da construção civil, que não exigia escolaridade e sim conhecimentos nos ofícios de pedreiros, marceneiros, pintores, ajudantes e outros empregos básicos em construção e que atraíram essa multidão de pessoas para Abaetetuba.
E a Igreja Católica não poderia ficar ausente dos movimentos populares em favor de moradias mais dignas para essas famílias, mesmo nos bairros já invadidos, como foi o caso do Bairro Aviação. A atuação da Igreja nesse bairro resultou na criação do Bairro da Aviação e do Bairro de Cristo Redentor. Com a perseguição aos invasores do Bairro da Aviação, e conseqüente expulsão de muitas famílias, a Diocese ofereceu um terreno que lhe pertencia. Mas esse terreno também foi invadido com violência, por aproveitadores inescrupulosos. A Diocese foi obrigada a formar uma comissão de leigos e invasores para regulamentar o processo de ocupação da área invadida, no ano de 1987. Os critérios que nortearam as escolhas das pessoas que ocupariam os lotes foram baseados pela maior necessidade das pessoas e de famílias numerosas.
A ida de D. Ângelo Frosi, à Itália, por motivo de grave doença em 1987, acabou sendo fundamental para o sucesso do Projeto da construção das casas populares, uma vez que lá conseguiu doações para a construção dessas moradias no novo Bairro de Cristo Redentor. Assim, foi possível realizar a construção de casas populares, como também de uma escola e de um centro comunitário.

OUTRAS OBRAS E AÇÕES DE D. ÂNGELO FROSI:
• Reforma da Catedral, anos de 1970.
• A Construção da Casa do Bispo e do Centro Catequético, anos de 1970.
• Costrução da nova Barraca da Santa de N. S. da Conceição.
• O Centro Médico Nossa S. da Conceição, reformado e ampliado.
• O Centro Social Paulo VI, construído.
• O Centro de Formação do Laranjal, anos de 1970.
• A Igreja de São José, construída.
• A Igreja do Sagrado Coração de Jesus, reformada e ampliada.
• Construção do Bairro Cristo Redentor, com 134 casas de moradia, nos anos de 1980.
• A Escola Cristo Redentor, cronstruída.
• A Igreja do Cristo Redentor, construída.
• A Igreja de Nossa S. do Perpétuo Socorro, reformada e ampliada.
• A Igreja de São João, construída.
• O Centro da Pastoral do menor, reformado.
• A Escola Cristo Trabalhador, construído.
• A Igreja de São Benedito, construída por leigos engajados.
• A Igreja da Santa Luzia, construída por leigos engajados.
• A Igreja de Santa Rosa, construída.
• A Igreja de São Sebastião, construída.
• A Igreja do Divino Espírito Santo, construída.
• A Igreja de São Francisco de Assis, construída.
• Igreja de Nazaré, reformada e ampliada.
• A criação Paróquia de Nossa Senhora Rainha da Paz e o seu Centro na Av. 15 de Agosto.
• A criação da Próquia São Paulo e o seu centro na Trav. Padre Luiz Varela.
• O Centro de Recuperação D. Ângelo Frosi, construído.
• Implantação das Comunidades de Base na Prelazia.
• Fundação do Seminário Menor de Nossa S. de Guadalupe, com prédio reformado e ampliado em 1981.
• Quatro anos de D. Ângelo como Presidente da Regional Norte II da CNBB.

O 2º BISPO DIOCESANO
• Anuário Diocesano de 2004: Atual Bispo Diocesano: D. FLÁVIO GIOVENALE
DIOCESE DE ABAETETUBA

Bispo Diocesano: D. Flávio Giovenale
Caixa Postal 10 – CEP: 68440-000 – Abaetetuba/Pa

D. FLÁVIO GIOVENALE, O 2º BISPO DIOCESANO DE ABAETETUBA:
D. Ângelo Frosi falece no dia 28/6/1995, ficando a Diocese sem o seu Bispo. Com a morte de D. Ângelo, assume a Paróquia de Nossa S. da Conceição o Padre Dante Mainini, até a posse do novo bispo, D. Flávio Giovenalle.
Flávio Giovenale nasceu em 5/6/1954 na cidade de Murello, Itália, estudou Filosofia no Instituto Salesiano de Filosofia e Pedagogia em Lorena, São Paulo, entre os anos de 1975 e 1976 e Teologia no Instituto Teológico Pio XI, também em São Paulo, entre 1978 e 1981. Pós graduou-se na Universidade Pontifícia Salesiana (Fac. Spiritualitá) em Roma (1984-1985). Declarou seus votos religiosos em 8/9/1971 e sua ordenação plesbiteral foi a 20/12/1981, em Murello, Itália. Foi ordenado Bispo em 8/12/1997, com ordenação Episcopal a 8/10/1997, em Manaus/AM e assumindo a Diocese de Abaetetuba a 21/12/1997. Seu Lema: "Sentiant omnes dilecti a Deo" (Que todos se sintam amados por Deus) de ser nomeado Bispo, D. Flávio trabalhou na Pastoral Vocacional no Estado do Pará, de 1982 a 1983 e foi Reitor do Seminário Menor em Manaus/AM, entre os anos de 1986 a 1989, retornando novamente ao cargo de Reitor do Seminário Maior em Manaus durante um ano (1990-1991). Foi ecônomo da Província de 1992 a 1997 e Procurador Missionário para o Brasil nos anos de 1994 a 1997. Como Bispo exerceu o cargo de Secretário Executivo nos anos de 1999 a 2003 e Presidente de 2004 e 2007 do Regional Norte 2 da CNBB e em 2011 foi eleito a assumir, pela 2ª vez, o cargo de Secretário Executivo da CNBB Norte 2. Fonte: Anuário Católico do Brasil 2009/2010.

Dom Flavio assume a Diocese de Abaetetuba quando esta já está amadurecida e em condições de formar seus própios padres e que, nesse caso, poderia prescindir dos padres missionarios xaverianos. A ordem dos xaverianos, recebendo um bispo de outra ordem religiosa, indica que eles já poderiam deixar a região para atuar em outras localidades que necessitasse dos padres em missão. Porém os antigos padres e irmãs missionárias xaverianos ainda continuam na Diocese, e o novo Bispo, D. Flávio Giovanale, oriundo da Congregação dos Padres Salesianos, sabe que esses missionários ainda são necessários em terras da Diocese. Mesmo por que a formação de padres é uma tarefa criteriosa e demorada e agora, escassa em vocações, e novos padres são sempre benvindos, mesmo que de outras ordens religiosas. Os antigos padres xaverianos ainda permanecem no território da Diocese, mas é necessária a formação ou a vinda de outros padres para assumir a missão de evangelização neste enorme espaço eclesiástico da Diocese de Abaetetuba, que agora, em 2011, já conta com mais municípios e mais paróquias e centenas de comunidades que necessitam da presença de mais e mais padres e irmãs, para atuar junto aos leigos da região, em suas respectivas comunidades e frente a novos desafios, como as violências em todos os seus aspectos, o uso de drogas e bebidas alcoólicas na cidade e região, a corrupção em todos os níveis da sociedade, a exploração sexual infantil e adulta, o secularismo da sociedade de consumo que a afasta os fiéis da Igreja e a presença de muitas seitas e igrejas não tradicionais com o cristianismo de resultados. E na própria igreja Católica os tempos estão bastante diferentes do que os tempos dos anos de 1960, 1970 e 1980 com as injustiças sociais e a opção preferencial pelos pobres e oprimidos. Hoje a Igreja leva em conta o fator carismático, que lembra, de algum modo, os antigos tempos das devoções exacerbadas. Vide Abaixo. Esses são e continuam sendo os grandes desafios para D. Flávio frente à Diocese de Abaetetuba.

AÇÕES DE D. FLÁVIO NA DIOCESE
O novo bispo da Diocese iniciou sua administração com muitas ações de ordem prática e de evangelização:
• Ele manteve algumas práticas catequéticas e pastorais existentes na Diocese, com algumas adaptações para os novos tempos da Igreja Católica, agora com ênfase nos movimentos carismáticos, que estão chamando de volta antigos católicos ou convertendo outros, pelas práticas das orações e contemplações espirituais. As igrejas e templos católicos por todo o Brasil voltaram a ficar lotados de fiéis pela ação dos atuais grupos carismáticos, chamando muitos às igrejas, às vocações sacerdotais e religiosas e no engajamento de leigos nas atividades paroquiais ou grupos de orações, fato que renovou a Igreja Católica. Esses novos tempos na Igreja Católica são muito bem vindos e a atuação dos grupos carimásticos e outros grupos deve mirar também nas grandes questões acima elencadas e que são o novo desafio não só para o Bispo D. Flávio, os padres, irmãs e irmãos, como para todos os fiéis conscientes e engajados na luta contra os tempos conturbados deste início de século, pelos aspectos acima elencados.
• D. Flávio manteve e ampliou o Centro de Recuperação D. Ângelo Frosi, que foi entregue à Fazenda da Esperança, entidade com sede na cidade de Guaratinguetá/SP, que se encarrega da recuperação de dependentes químicos através da vivência dos valores evangélicos e de trabalhos variados nas respectivas fazendas. Ultimamente, em 2/10/2011, o Centro de Recuperação D. Ângelo Frosi-Fazenda da Esperança foi transformado de masculino para feminino, sendo que os recuperandos químicos de Abaetetuba serão enviados para Bragança/Pa ou outros centros espalhados pelo Brasil.
• Foi D. Flávio foi o principal articulador da volta do Informativo da Diocese de Abaetetuva, jornal “O Sino”, em setembro de 2007, ficando na sua direção geral, tendo como colabores: Pe. Siro Brunello, André Franzine, Pe. Adolfo Zon Pereira, Ronilde Prazeres e irmá Dina Manfredi, em 2010, com séde à Trav. Pe. Luiz Varela, nº 1636.
• Ele ampliou a Pastoral do Menor que agora dispõe de amplos espaços para atender a demanda pelos direitos preconizados nos Estatuto das Crianças e Adolescentes e em favor das Crianças e Adolescentes de Abaetetuba em situação social de riscos.

Ordenações de Vários Padres com D. Flávio
Ordenação do Pe. Renilson Macedo de Sousa, no dia 26/8/2007, no Centro Cultural de Moju e outros padres diocesanos.
• Criação de novas Paróquias em Abaetetuba e outras localidades da Diocese.
• No setor educacional, que é o forte da Congregação Salesiana, várias escolas foram criadas, reformadas, ampliadas, reconstruídas e modernizadas:

- Escola Cristo Trabalhador, que foi reformada, ampliada e modernizada com serviço de informática e internete e que oferece variados cursos para a profissionalização dos trabalhadores de Abaetetuba e região.
- Escola São Francisco Xavier, que foi reformada, ampliada e modernizada com os serviços de informática e internete e que, atualmente (10/2011) está em fase de reforma e construção de novos espaços para atender o Projeto de São Francisco 2012, com a implantação de novos cursos e melhores espaços para seus funcionários, alunos e professores.
- Costrução de outras escolas.
• Rádio e Tv para Abaetetuba e outras cidades da diocese.
• Construção e reformas de igrejas: São João e outras.
• Atuação contra a violência e uso de drogas em Abaetetuba e região, ao lado de outros corajosos bispos e padres, entidades, órgãos e pessoas com o mesmo propósito, fato que lhe têm rendido até ameaças de violências contra sua pessoa.
• Responsável por muitas entidades eclesiais na Região Norte.

OS PADRES SALESIANOS E DE OUTRAS ORDENS NA DIOCESE DE ABAETETUBA
Padres Salesianos na Diocese de Abaetetuba
• D. FLÁVIO GIOVENALE:
O próprio Bispo D. Flávio Giovenale, veio da Congregação dos Salesianos.
Flávio Giovenale nasceu em 5/6/1964, 1ª profissão a 8/9/1971, ordenado sacerdote a 20/12/1997, é sagrado bispo em 8/12/1997 e tome posse na Diocese de Abaetetuba como D. FLÁVIO GIOVENALE em 21/12/1997.
• PADRE REGINALDO/Padre Reginaldo Barbosa, é padre salesiano e está em Abaetetuba desde o início do ano de 2008, e tornou-se o responsável pelo trabalho espiritualpelas nas Escolas Diocesanas e da Juventude de Abaetetuba e como assistente de paróquias e entidades. É um padre alegre e gosta de tocar violão e cantar, como meio de catequese.
• PADRE JUBEL/Padre Ladislau Jubel, que em 1975 chegou à Vila Concórdia, vindo da Diocese de Curitiba, para se estabelecer na vila, pelo Programa das Igrejas-Irmãs. Foi o Padre Jubel que construiu a 1ª Casa Paroquial e a Igreja de dessa Vila. A construção teve início no dia 29/6/1977, com a presença de D. Ângelo Frosi, o qual abençoou a pedra fundamental. A construção da igreja ficou à cargo do Padre Luiz Terzoni, que terminou os trabalhos no dia 29/6/1979 e que foi inaugurada no mesmo dia.
O Padre Jubel permaneceu em Vila Concórdia até o ano de 1980. Nesse mesmo ano o Padre Marcelo Zurlo assumiu a Paróquia de S. Pedro, ajudado pelo Irmão Luis Cazzulani. Os dois xaverianos construíram o Centro Comunitário, iniciando as obras em 1980 e terminando em dezembro do mesmo ano. O Padre Marcelo permaneceu até o começo de 1983 e foi substituído pelo Padre Mássimo Bártoli, ajudado pelo Irmão Luís.
• PADRE RENATO/Pe. Renato Júnior Costa Braga, nascido a 1/2/1962, ordenado sacerdote a 17/12/1994, co-pároco da Paróquia Nossa S. da Conceição em 5/2004 (Anuário Diocesano de 2004).
FREIS
• FREI GILSON/Frei Gilson Juarês dos S. Baldez, nascido a 22/11/1964, 1ª profissão a 2/2/1985 (Anuário Diocesano de 2004).
• FREI PEDRO CANOSA, OFMque em 2010 era o responsável pela Área Pastoral do Baixo Acára.
• PADRE DAVI/Pe. Davi Laina Caizadila, que veio da Diocese de Guadalajara, na Espanha e trabalhou com o cuidado pastoral dos Setores Divino e Francilândia (maio/2008). Recentemente, 7/2011, voltou para a Espanha para cuidar de seus pais que já estão em avançada idade.
• PADRE PRAXEDES/Pe. Praxedes dos Santos Garcia, nascido a 16/9/1942, ordenado sacerdote em 23/9/1967, que em 5/2004 trabalhava na Paróquia S. José da Vila dos Cabanos e em 2010 era pároco da Paróquia Cristo Redentor, em Abaetetuba/Pa.

O Blog se coloca à disposição para possíveis incorreções e acréscimos dos visitantes.

Prof. Ademir Rocha, Abaetetuba/Pa

Nenhum comentário:

Postar um comentário